Polícia cumpre mandado de busca em endereços de Marcello Siciliano

vereadora_marielle_foto_ascom_camara_ (1)

O Ministério Público do Rio de Janeiro (MPRJ) e a Polícia Civil cumpriram hoje (14) mandado de busca e apreensão na casa e no gabinete do vereador fluminense Marcello Siciliano (PHS), na Barra da Tijuca, zona oeste da cidade. A ação é parte das investigações da morte da vereadora Marielle Franco (PSOL) e do motorista Anderson Pedro Gomes, que completa nove meses nesta sexta-feira.

O MPRJ apura informação de uma testemunha que Siciliano estaria envolvido no planejamento dos assassinatos ao lado do ex-policial militar Orlando Oliveira de Araújo, o Orlando Curicica.

Por meio de sua assessoria de imprensa, o vereador Marcello Siciliano enviou um áudio negando qualquer ligação com a morte de Marielle. “Continuo indignado com essa exposição toda da minha família. Depois de nove meses, eles não terem nada contra mim, inventarem agora uma operação pela Delegacia do Meio Ambiente, para tentar me incriminar em alguma coisa, para achar um motivo para eu ter feito essa tamanha covardia”, disse.

Em outro trecho do áudio, ele diz que não é criminoso e que não tinha qualquer rivalidade com Marielle. “Os votos não batem, a disputa territorial não bate. Não tive voto onde me acusam. As pessoas que me acusam de ligação, eu não tenho. Não tenho ligação com ninguém. Agora estão inventando outro tipo de possibilidade”, disse.

Marielle e o motorista foram mortos na noite de 14 de março deste ano, no bairro do Estácio, na região central do Rio. Ambos foram alvejados quando voltavam para casa, de carro, na Tijuca, após participar de evento na Lapa. Os tiros foram disparados de outro veículo.

 

Da Agência Brasil Rio de Janeiro

Governadores querem participar da formulação de medidas para segurança

gov_abr_1212188784df

O Fórum de Governadores, reunido hoje (12) em Brasília, aprovou um documento entregue ao futuro ministro da Justiça, Sergio Moro, com seis medidas para a segurança pública, focadas na proteção das fronteiras e na restruturação do sistema penitenciário. Os governadores sugeriram a Moro que os projetos do governo federal nesta área sejam debatidos com os governadores, uma vez que serão eles os responsáveis pela execução das ações.

“Não adianta vir com fórmula pronta, sem ouvir os governadores, porque somos nós que vamos implementar a política de segurança pública”, disse o governador eleito do Distrito Federal, Ibaneis Rocha (MDB).

No encontro, os governadores sugeriram que Moro se reúna com os secretários estaduais de Segurança Pública, na segunda quinzena de janeiro, para debater as medidas. “Quem faz a implementação das medidas são os governadores, então terá de passar antes por nós para discutir. Quem tem voto no Congresso são as bancadas dos estados. Então vamos ter de discutir com as bancadas para tentar aprovar as medidas”, argumentou Ibaneis.

O primeiro ponto da carta dos governadores diz respeito ao repasse de recursos para segurança pública. Eles querem a distribuição automática dos recursos do Fundo Penitenciário Nacional e do Fundo Nacional de Segurança Pública, com melhoria da gestão e a criação de projetos-modelo de presídios. A proposta, segundo Ibaneis, é que os recursos dos fundos sejam distribuídos de acordo com a população carcerária de cada estado.

Os governadores recomendaram o isolamento dos presidiários vinculados a facções criminosas em presídios federais e cobraram decisões mais rápidas do Judiciário em relação aos presos provisórios. A terceira proposta é endurecer as políticas de enfrentamento dos delitos de corrupção, violentos e os praticados por organizações criminosas, a partir de convênios entre as polícias Civil e Federal.

O quarto item da pauta trata do incremento da inteligência e das ações ostensivas nas fronteiras, com fortalecimento dos sistemas de tecnologia para a identificação da entrada de drogas e armas no território brasileiro. Os governadores querem incentivar a implantação do Banco Nacional de Impressões Digitais, o que resolveria os crimes, especialmente homicídios.

Em sexto lugar, os governadores defendem a promoção de políticas sociais, para solução dos problemas de segurança pública, geração de empregos e melhoria do bem-estar da população. Essas ações seriam feitas em parceria do governo federal com os estados e abrangeriam as áreas de educação, saúde e habitação. Medidas como unificação das polícias Militar e Civil, redução da maioridade penal e flexibilização do porte de armas não foram propostas porque não têm consenso entre os governadores.

No encontro, os governadores decidiram que, no próximo mês, não haverá reunião. Os encontros serão retomados em fevereiro, cujo tema será reforma da Previdência. Em março, eles vão discutir saúde; em abril, infraestrutura e, em maio, educação.

 

 
Da Agência Brasil Brasília

PSL não deverá disputar presidência da Câmara, diz Eduardo Bolsonaro

edd-_20181212_2229

Dono da segunda maior bancada para a Câmara, com 52 parlamentares eleitos, o PSL não deverá disputar o comando da Casa em 2019. A afirmação foi feita pelo atual líder da bancada, o deputado federal Eduardo Bolsonaro (SP). Integrantes do partido eleitos para o Congresso Nacional se reuniram com o presidente eleito, Jair Bolsonaro, também filiado à legenda, na tarde de hoje (12), em Brasília, para discutir a governabilidade do futuro governo.

“Eu acho muito difícil [o PSL lançar candidato a presidente da Câmara], acredito que vá ser uma pessoa de outro partido. Essas articulações estão acontecendo dentro do Congresso, estão ventilando, todos que estão ali estão se articulando publicamente ou nos bastidores”, disse em conversa com jornalistas após o encontro.

Reeleito como deputado federal mais votado da história do país, com mais de 1,8 milhão de votos pelo estado de São Paulo, Eduardo Bolsonaro disse que, durante a reunião, o presidente eleito pediu serenidade aos parlamentares do PSL, a grande maioria sem qualquer experiência de mandato legislativo. “[Jair Bolsonaro] pediu um pouquinho de serenidade [aos deputados] para não declarar votos para a presidência da Câmara ou qualquer outro cargo, para eles primeiro sentirem o clima. As negociações e articulações dentro da Câmara ainda estão ocorrendo, então mais pra frente a gente vai ter uma visão mais clara de como proceder nessas votações”, disse.

O parlamentar também informou que a liderança da bancada na Câmara, até o fim da atual legislatura, que termina em fevereiro, será exercida pelo deputado federal Delegado Waldir (GO), que ocupava até hoje a vice-liderança. Eduardo alegou incompatibilidade de agenda e excesso de compromissos para manter a liderança que exercia até então.

Grupos de WhatsApp

Após o vazamento de uma conversa no grupo de WhatsApp dos deputados do partido, na semana passada, que expôs uma discussão entre Eduardo Bolsonaro e a deputada federal eleita Joice Hasselmann (SP), Jair Bolsonaro aconselhou os parlamentares a não utilizarem nem criarem mais grupos em aplicativos de conversas pela internet.

“O presidente Jair Bolsonaro é contra a criação de grupos de WhatsApp, porque em um grupo existem diversas pessoas, então quando esses prints [cópias de conversas] vazam, ninguém sabe quem vazou. O ideal são conversas pessoais ou conversas de WhatsApp um com o outro, e aí, em caso de vazamento, sabe-se quem vazou”, disse Eduardo Bolsonaro.

Relatório do Coaf

Eduardo Bolsonaro também foi perguntado sobre o paradeiro da Fabrício Queiroz, ex-assessor de seu irmão, o senador eleito Flávio Bolsonaro (PSL-RJ), que foi apontado em um relatório do Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf) com indícios de movimentação financeira atípica.

O relatório do Coaf, divulgado pelo jornal O Estado de S.Paulo, informa que o ex-assessor, que também é policial militar, teria movimentado R$ 1,2 milhão entre janeiro de 2016 e janeiro de 2017 – valores supostamente incompatíveis com sua renda declarada. Uma das transações seria um cheque de R$ 24 mil destinado à futura primeira-dama, Michelle Bolsonaro.

“Sobre essas questões aí, lamento informar, mas a vida do assessor do Flávio [Bolsonaro], ou de algumas pessoas, outros assessores, eu não tenho como dar informação para vocês”, disse Eduardo Bolsonaro, encerramento a entrevista em seguida.

De acordo com o presidente eleito Jair Bolsonaro, o cheque de R$ 24 mil destinado à primeira-dama foi a devolução de parte de um empréstimo que ele teria feito ao ex-assessor do filho. Já a movimentação atípica de Fabrício Queiroz, apontada pelo Coaf, ainda foi não foi esclarecida publicamente. Desde a divulgação do caso, o ex-assessor de Flávio Bolsonaro não foi localizado nem concedeu informações à imprensa.

 
Da Agência Brasil Brasília

Catedral de Campinas celebra missa em homenagem às vítimas de ataque

 

att-rvrsa_abr_1212188807

Lentamente, a Catedral Metropolitana de Campinas retoma a rotina de atividades após o atentado de ontem (11) – quando um atirador matou quatro pessoas dentro do templo e depois tirou a própria vida. A missa de hoje (12), em homenagem às vítimas, foi celebrada no mesmo horário do ataque.

“Sabemos que vocês, familiares, choram e nós choramos também”, disse o padre Rafael Capelato durante a cerimônia.

“Tristeza” e “tragédia” eram palavras ouvidas com frequência nos comentários dos fiéis que lotaram a igreja. A história da catedral, inaugurada em 1883, com piso e altares de madeira foi lembrada. “Fizemos esse gesto de reconsagração do templo que foi violado por um ato tão violento e trágico”, disse.

Depoimento

att-rvrsa_abr_1212188803Missa na Catedral Metropolitana de Campinas após ataque de ontem (12) que deixou 5 mortos dentro da igreja. – Rovena Rosa/Agência Brasil

O analista de contas Altair Dias, 45 anos, estava hoje na missa em homenagem às vítimas. Ele disse que ontem (11) chegou a se sentar ao lado do atirador, mas saiu da igreja antes do início do atentado. “Eu venho sempre de manhã ou à noite. Estou afastado [do trabalho] porque eu descobri que tenho um câncer”, disse.

Altair Dias afirmou que Euler Fernando Grandolpho, autor do ataque, estava “sereno” e não dava pistas de que agiria com violência minutos depois.

O analista disse que soube da tragédia depois, alertado pela filha e por amigos. “A minha filha e amigos sabem que eu venho esse horário e ficaram preocupados.”

Ataque

Imagens das câmeras de segurança da Central de Monitoramento de Campinas (CinCamp) mostram o momento em que o agressor se levanta de um dos bancos, nas últimas fileiras da igreja, vira-se em direção às pessoas e começa a atirar. Em seguida, dois agentes da Guarda Municipal entram na igreja e perseguem o atirador. As imagens não mostram o que ocorreu depois do ataque.

 

Da Agência Brasil

 

Fatecs divulgam gabarito do Vestibular para 1º semestre de 2019

fatec_vestibular_790x505_07052018113106Foto: Divulgação

Prova foi realizada ontem (9) e reuniu mais de 60 mil candidatos em todas as regiões do Estado de São Paulo

Os candidatos que realizaram neste domingo (9) a prova do processo seletivo das Faculdades de Tecnologia (Fatecs) do Estado de São Paulo para o primeiro semestre de 2019, já podem conferir o gabarito nos sites www.cps.sp.gov.br e www.vestibularfatec.com.br.

A prova, que foi aplicada durante cinco horas, contou com 54 questões objetivas e uma redação. Os candidatos que concorrem a uma das vagas para os 77 cursos superiores tecnológicos oferecidos neste Vestibular também podem acessar o exame na internet.

Divulgação dos resultados

Em 09 de janeiro de 2019, cada Fatec divulgará a lista de classificação geral e a primeira lista dos convocados para a matrícula, que poderá ser consultada também pela internet. Caso as vagas oferecidas não sejam preenchidas na primeira chamada, a segunda lista será afixada, somente na faculdade, no dia 14 de janeiro.

Os convocados devem fazer a matrícula na secretaria da Fatec onde pretendem estudar, no horário definido pela unidade de ensino nos dias relacionados abaixo, desde que não seja feriado municipal na cidade onde a Fatec está localizada.

Matrícula

10 e 11 de janeiro de 2019: matrícula da 1ª lista dos convocados;
14 de janeiro de 2019: divulgação dos convocados da segunda lista, nas respectivas Fatecs;
15 de janeiro de 2019: matrícula para os candidatos da segunda lista.

Documentos para matrícula

Para efetivar a matrícula, o candidato deve entregar uma foto 3×4 recente e cópia autenticada em cartório ou cópia simples acompanhada do original de cada um dos seguintes documentos: certificado de conclusão do Ensino Médio ou equivalente; histórico escolar completo do Ensino Médio ou equivalente; certidão de nascimento ou casamento; carteira de identidade (RG); cadastro de pessoa física (CPF); título de eleitor, para os brasileiros maiores de 18 anos, com o comprovante de votação ou certidão de quitação eleitoral; documento de quitação com o serviço militar, para brasileiros maiores de 18 anos, do sexo masculino.

O candidato que ingressou no Sistema de Pontuação Acrescida pelo item escolaridade pública deve apresentar histórico escolar ou declaração escolar, comprovando que cursou integralmente o Ensino Médio ou EJA na rede pública municipal, estadual ou federal, com detalhamento das escolas onde estudou.

Caso o candidato pretenda obter aproveitamento de estudos em disciplinas já concluídas em outro curso superior, deve apresentar a documentação referente à carga horária, ementa e programa da disciplina cursada e histórico escolar da instituição de ensino superior de origem.

 

 
Do Portal do Governo

SP participa de ações para enfrentar violência letal contra adolescentes

Márcio França autorizou que Estado celebre protocolo de intenções para criar Comitê Paulista pela Prevenção de Homicídios

s-46260101371_5e9b0f9fa1_o-1024x704Governador Márcio França assina autorização para que o Estado de SP firme protocolo de intenções

Nesta segunda-feira (10), o governador Márcio França assinou, no Palácio dos Bandeirantes, a autorização para que a Secretaria de Estado da Casa Civil firme um protocolo de intenções com o Escritório de Representação do Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef) e a Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo (Alesp). A iniciativa busca implantar o Comitê Paulista pela Prevenção de Homicídios na Adolescência.

“Fico contente com a assinatura. Todos sabemos da necessidade de termos políticas públicas voltadas para essa faixa etária, que é mais vulnerável a óbitos, em especial à morte violenta. O programa do alistamento civil de São Paulo é uma resposta do Estado”, ressalta o governador Márcio França.

Segundo o protocolo de intenções, objetivo do comitê é coordenar os esforços conjuntos do Poder Legislativo, de instituições governamentais e da sociedade civil para o enfrentamento da violência letal contra os adolescentes.

As ações ocorrerão por meio de produção e divulgação de informações, elaboração de recomendações para o aperfeiçoamento de políticas públicas, sistematização de boas práticas e o monitoramento permanente da situação.

Também assinaram o protocolo de intenções o secretário de Estado da Casa Civil, Aldo Rebelo, o deputado estadual e presidente da Comissão de Direitos Humanos da Alesp, Carlos Bezerra Jr., e a representante do Unicef no Brasil, Florence Georgina Michaela.

Do Portal do Governo

Metade de inscritos com direito à nova prova consultam Enem

enem_estudante

O prazo de consulta termina nesta segunda-feira

Cerca da metade dos 2,7 mil inscritos com direito a reaplicação do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2018 consultaram, até a manhã desta segunda-feira (10), o local de prova, segundo o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep).

As provas serão aplicadas nos dias 11 e 12 de dezembro, em 16 municípios, para os estudantes que tiveram o Enem cancelado devido a intercorrências logísticas como falta de luz e outros imprevistos.

Para saber o local de prova é necessário acessar a Página do Participante com o CPF e senha cadastrados no ato da inscrição. Aqueles que não se recordam da senha podem redefini-la. O passo a passo encontra-se dentro do sistema de inscrição, na opção “Orientações para Recuperação de Senha”.

Também nos dias 11 e 12 de dezembro, será aplicado o Exame Nacional do Ensino Médio a Pessoas Privadas de Liberdade e Jovens sob Medida Socioeducativa que inclua privação de liberdade (Enem PPL). Este ano, o Enem PPL teve 41.044 inscrições e será aplicado em 1.436 unidades em todos os estados brasileiros.

O Enem regular foi aplicado nos dias 4 e 11 de novembro em 1,7 mil municípios. Mais de 4 milhões de estudantes participaram do exame. As notas do Enem podem ser usadas para concorrer a vagas no ensino superior público pelo Sistema de Seleção Unificada (Sisu), a bolsas de estudo em instituições privadas pelo Programa Universidade para Todos (ProUni) e a vagas no Fundo de Financiamento Estudantil (Fies).

 

 

Da Agência Brasil Brasília

Bolsonaro e Mourão são diplomados pelo TSE

Diplomação confirma eleição de outubro

O presidente eleito, Jair Bolsonaro, foi diplomado, por volta das 16h30, de hoje (10), em solenidade no Tribunal Superior Eleitoral (TSE), assim como o vice Hamilton Mourão. A diplomação é o ato formal de confirmação de que os candidatos cumpriram todos os requisitos para exercer o mandato e poderão tomar posse.

Os diplomas são assinados pela presidente do TSE, ministra Rosa Weber. No documento constam nome do candidato, o partido ou a coligação pela qual concorreu e o cargo para o qual foi eleito.

cerimonia_de_diplomacao_de_jair_bolsonaro4 (1)
Cerimônia de diplomação de Jair Bolsonaro – TSE

Bolsonaro e Mourão foram levados à sessão pelos ministros do TSE Luís Roberto Barroso e Tarcísio Vieira de Carvalho Neto. Foram saudados com aplausos pelos presentes. Em seguida, a Banda dos Fuzileiros Navais executou o Hino Nacional. Bolsonaro acompanhou o Hino com a mão no peito.

O TSE enviou cerca de 700 convites para a solenidade. Entre os presentes, o ministro Luiz Fux, representando o Supremo Tribunal Federal, o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ) , o presidente do Senado, Renan Calheiros (MDB-AL), a procuradora-geral eleitoral, Rachel Dodge, e o presidente nacional da Ordem dos Advogados do Brasil, Cláudio Lamachia.

 
Da Agência Brasil Brasília

PCC planeja matar promotor e coordenador dos presídios

Bilhete em código, apreendido com mulheres de presos, foi decifrado pela inteligência e mostra que facção mobilizou pistoleiros

O Primeiro Comando da capital (PCC) prepara uma série de atentados contra autoridades em São Paulo, caso a Justiça determine a transferência da cúpula da facção para o sistema prisional federal. Carta apreendida ontem pela polícia indica que os alvos seriam o promotor Lincoln Gakiya e o coordenador dos presídios na região oeste do Estado, Roberto Medina.

O documento estava com Maria Elaine de Oliveira e Alessandra Cristina Vieira, mulheres de presos da Penitenciária 2 (P2) de Presidente Venceslau, onde cumprem penas os chefes da facção criminosa, entre eles Marco Willians Herbas Camacho, o Marcola. A polícia o encontrou na bolsa de Maria Elaine, guardada no carro dirigido por Alessandra.

marc-6614300109

O líder do PCC, Marcola
Foto: Jorge Santos/Oeste Notícias / Estadão Conteúdo

De acordo com a inteligência da polícia, nele havia a transcrição de dois “salves”, comunicados da facção com ordens ou pronunciamentos de sua cúpula e a resposta dos subordinados. No primeiro, os bandidos afirmam à cúpula que estão com o levantamento completo do primeiro alvo, chamado pelos bandidos de “frango”. “Dá pra fazer ele a hora que quiser. Nóis (sic) já tem o carro e o orário (sic) tudo dele.” O alvo seria Medina, que, como coordenador dos presídios da região oeste, tem sob suas ordens a P2.

A comunicação continua afirmando que o outro “frango”, o “japonês” (o promotor Lincoln Gakiya, responsável por investigar a atuação da cúpula da facção) “é um pouco mais complicado”. O problema aqui seria a rota de fuga depois do ataque. “A cidade dele é bem maior”, diz o documento, que estava criptografado e foi decodificado pelos agentes.

O segundo “salve” codificado mostra que a missão de matar as duas autoridades seria cumprida pelo setor do PCC conhecido como “sintonia restrita”, responsável por assassinatos de integrantes do sistema penitenciário federal em 2016 e 2017. Ele havia sido enviado pela cúpula da facção ao grupo. “Essa missão é de extrema, pois se o amigo aqui for para a federal, essa situação tem que ser colocada no chão de qualquer forma”, diz o “salve”.

cart-1544404178204
Carta apreendida com visitante da Penitenciária 2 de Presidente Venceslau, em São Paulo, escrita em código
Foto: Reprodução / Estadão Conteúdo

O documento prossegue mostrando a importância que a cúpula dá para a missão. “Os amigos querem informações toda semana para saber se vocês estão chegando com a sintonia com lealdade já demonstrada em outras situações importantes da família. Infelizmente a carona não deu certo. Existe (sic) traidores no meio de nois (sic) mas esses na melhor hora vão ter a resposta à altura”.

Pedido

Na semana passada, o Ministério Público Estadual (MPE) apresentou um pedido assinado por uma dezena de promotores em que se solicitava à Justiça a transferência de Marcola e outros 13 integrantes da cúpula da facção. O Judiciário ainda não decidiu o que fazer. Em novembro, a Justiça havia determinado a ida de seis presos da chamada Sintonia de Outros Estados e Países para o sistema federal, em razão da participação deles nos crimes descobertos durante a Operação Echelon, como a execução de dezenas de rivais em outros Estados e o tráfico de drogas.

A cúpula da facção de imediato começou a planejar uma represália. Seu plano era matar o ex-secretário da Segurança Pública Antonio Ferreira Pinto. Também planejou um resgate da cúpula, por meio do ataque à P2 de Presidente Venceslau. Para tanto, mercenários foram contratados para explodir a muralha e extrair de suas celas os chefes da facção, que seriam transportados para o exterior em aviões. Desde que os dois planos foram descobertos, Ferreira foi posto sob segurança e quase uma centena de homens do Comando de Operações Especiais (COE), armados com metralhadoras, e das Rondas Ostensivas Tobias de Aguiar (Rota), blindados e helicópteros foram levados para Presidente Venceslau a fim de proteger o perímetro.

A inteligência desconfia que a descoberta desses planos é o que explica a referencia à “carona” feita em um dos “salves” apreendidos. Com as duas havia ainda bilhetes com anotações sobre o “bob geral dos pavilhões”. Segundo a polícia, trata-se de contabilidade de venda de maconha (bob) nos presídios. Ao lado de indicações sobre quilos, havia anotações sobre valores das vendas de até R$ 7,5 mil.

Visita

Com base nos documentos, a Seccional de Presidente Venceslau prendeu em flagrante as duas sob as acusações de colaboração com tráfico e organização criminosa. Uma das mulheres estava registrada como visita na P2 de um detentos que divide a cela com Marcola, o que seria outro indício de que o líder do PCC estaria por trás dos planos de atentados contra as autoridades.

 
Marcelo Godoy
Estadão

Vendas internas de veículos novos têm melhor resultado desde 2015

A comercialização de veículos novos atingiu neste ano o melhor desempenho desde 2015, compensando de certa forma o fraco desempenho das exportações no setor. De janeiro a novembro, foram licenciados 2,3 milhões de unidades ante 2,2 milhões, em 2017, com alta de 15%. Essa taxa superou a meta do setor, que era crescer 13,7%.

carros
Venda de carros novos tem o melhor resultado desde 2015, diz Anfavea – Marcelo Camargo/Arquivo Agência Brasil

“Fomos surpreendidos por esse resultado e estamos vendo um consumidor interessado em comprar e condições favoráveis aos negócios, já que temos oferta de crédito e baixa inadimplência”, afirmou o presidente da Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea), Antonio Megale.

Megale manifestou otimismo com a possibilidade de ser mantido esse aquecimento e de melhora nas vendas externas no próximo ano. De acordo com Megale, a crise na Argentina, para onde seguem 70% das encomendas externas, contribuiu para que as exportações fechem o ano abaixo da meta inicial de vendas, que era de 700 mil – a previsão é de 650 mil unidades comercializadas.

No acumulado até novembro, o volume financeiro alcançou US$ 13,8 bilhões, o que é 5,2% menos do que em igual período do ano passado. Entre novembro e outubro último, houve recuo de 1,4%. Isso ocorreu também com o mercado doméstico, onde houve baixa de 9,3%, somando o escoamento de 230,9 mil unidades. O presidente da Anfavea considerou pontuais os resultados do mês, lembrando que novembro teve dois dias úteis a menos.

Megale acrescentou que, enquanto não ocorre a retomada da economia argentina, as montadoras estão “fazendo um esforço” para explorar novos mercados. Entre os clientes onde se espera uma compensação pela queda das vendas na Argentina, estão sendo feita negociações com o Chile e a Colômbia e até mesmo parcerias incomuns, caso da Rússia, que mostrou interesse na compra de caminhões pesados.

No mês passado, a produção de veículos caiu 6,9% em relação à de outubro e foi 1,6% inferior à de novembro do ano passado, sob a influência da falta de dinamismo nas exportações. No acumulado até novembro, porém, o resultado já é o melhor desde 2015, tendo atingido 2,7 milhões de unidades, com aumento de 8,8% sobre 2017.

Segundo Megale, o otimismo do setor está ancorado na expectativa de uma boa interlocução com a equipe do presidente eleito, Jair Bolsonaro, e na execução do programa Rota 2030, que ele acredita ser definido até o final deste ano para ser transformado de medida provisória em lei, levando o setor a implementar mais eficiência tecnológica e a se impor perante o mercado mundial.

Megale disse ainda que espera do novo governo apoio às reformas estruturais, entre as quais a tributária.

 

Da Agência Brasil São Paulo