Datafolha: Aécio sobe e encosta em Marina; Dilma tem 40%

Pesquisa finalizada nesta terça-feira mostra que disputa pelo segundo lugar está mais acirrada; levantamento também aponta vitória da petista nas simulações de segundo turno

eleicoesdebatepresidenciaveisbbc

A cinco dias do primeiro turno da eleição, pesquisa Datafolha divulgada nesta terça-feira mostra o acirramento da disputa entre Marina Silva (PSB) e Aécio Neves (PSDB) pelo segundo lugar.

Enquanto a presidente e candidata à reeleição Dilma Rousseff (PT) aparece isolada na liderança, com 40% das intenções de voto, Marina tem 25%, contra 20% de Aécio. No levantamento anterior, Dilma tinha os mesmos 40%, contra 27% de Marina e 18% de Aécio.

De acordo com o Datafolha, esta é a quarta pesquisa consecutiva na qual é verificada queda ou variação negativa de Marina e oscilação positiva de Aécio.

No levantamento por votos válidos – ou seja, excluídos os brancos e nulos -, o resultado do primeiro turno é Dilma com 45%, Marina com 28% e Aécio com 22%.

Segundo turno
O Datafolha divulgado hoje também mostra que Dilma ampliou a vantagem sobre Marina em um eventual segundo turno: nesse cenário, a petista tem 49% das intenções de voto, contra 41% da pessebista.

No confronto com Aécio, Dilma venceria o tucano na etapa final por 50% a 41% (55% a 45% em votos válidos).

A pesquisa Datafolha foi contratada pelo jornal Folha de S. Paulo. No total, foram ouvidos 7.520 eleitores entre ontem e hoje. A margem de erro é de dois pontos percentuais para mais ou para menos. A pesquisa está registrada no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) sob o número BR-00905/2014.

Do Terra

Protesto contra falta de água reúne 400 pessoas na cidade de Itu (SP)

O terceiro protesto contra a falta de água em Itu (a 101 km de SP) em uma semana reúne cerca de 400 pessoas em frente à prefeitura no início da noite desta segunda-feira (29).

A maioria dos manifestantes é formada por universitários e jovens, que estão com apitos, bumbos e faixas e gritam palavras de ordem contra o prefeito, Antônio Tuíze (PSD). Também há crianças, adultos e idosos no protesto.

Até o início da noite, não houve confronto, mas uma pedra foi arremessada do meio da multidão em direção aos cerca de 70 guardas municipais e dez policiais militares que fazem um cordão de isolamento em frente ao prédio.

Uma comissão de manifestantes foi recebida na sede da administração municipal pelo porta-voz do comitê de crise montado para monitorar a crise hídrica em Itu, Marco Antônio Augusto.

Protesto contra falta de água em Itu (SP)

Juca Varella/Folhapress

441463-970x600-1A dona de casa Monica Domingues, 32, apareceu no final da manifestação e fez um apelo ao lado das filhas dizendo que está sem água há mais de 15 dias, precisando tomar banho e lavar roupas na casa de parentes

Eles estão redigindo um documento a ser entregue ao prefeito pedindo mais transparência e participação popular no comitê de crise, instalado após quase oito meses de racionamento na cidade.

Três coquetéis molotov foram apreendidos, segundo a guarda, mas ninguém foi detido. Os artefatos foram encontrados em um terreno baldio próximo à prefeitura.

Após a pedra ser arremessada, a PM conversou com manifestantes e ativistas abraçaram guardas que fazem o isolamento da prefeitura para diminuir a tensão.

Segundo Augusto, o prefeito não recebeu os manifestantes porque cumpre agenda em São Paulo.

O porta-voz disse ainda que o comitê é “operacional”, sobre a gestão da crise, mas não descartou uma eventual participação popular. “Estamos em uma situação de guerra”, afirmou, sobre o abastecimento da cidade.

Apesar de admitir a gravidade da situação, Augusto insiste que não será decretado estado de calamidade pública no município, principal reivindicação dos grevistas.

O Ministério Público afirma que as medidas tomadas pela prefeitura são insuficientes e que, por isso, o decreto pedido pela Promotoria em julho continua a ser o mais indicado.

“É o povo que está lá fora, é pai de família que leva criança na escola e não tem água em casa nem para fazer um café”, afirma Inês Godi, 47, dona de casa que faz parte da comissão recebida pela administração municipal. “O povo está bravo porque o prefeito nunca nos recebe.”

A dona de casa Mônica Domingues, 32, apareceu no final da manifestação com as filhas Ana Beatriz, 9, e Maria Eduarda, 4. As meninas vestiam roupões e toca de banho.

“Viemos protestar sem bagunça e sem violência. Somos do bem. Viemos cobrar na prefeitura porque são nossos funcionários e nós pagamos seus salários”, disse Mônica, com um megafone em mãos.

Mônica se emocionou ao contar que está há 15 dias sem água. “Comprei mil litros na semana passada para poder tomar banho. Estou há três dias sem lavar o cabelo.”

A pequena Ana Beatriz também deu sua opinião. “O prefeito é um chato porque não quer cuidar da cidade”, disse.

Tanto ela quanto a irmã estudam em escola pública. Segundo Mônica, a instituição pede para os alunos levarem pratos, copos e garrafa de água para economizar a água da escola.

Por volta de 19h15, parte dos manifestantes se reuniu diante do condomínio onde mora o prefeito da cidade. Eles chegaram a forçar o portão de entrada, gritando: “Queremos água!” A polícia continuava acompanhando o protesto.

A reportagem visitou três dos 17 locais com falta de água crônica na cidade nesta segunda. Moradores relataram ter recebido água no fim de semana depois de duas semanas “na seca”. Alguns tiveram água na torneira e outros foram abastecidos por caminhões-pipa.

Choveu na sexta-feira (26) e nesta segunda na cidade.

OUTROS PROTESTOS

Na semana passada, dois protestos terminaram em confronto. Na segunda-feira (22), cerca de 2.000 manifestantes protestaram em frente à Câmara Municipal e jogaram ovos, tomates e pedras contra o prédio. A Força Tática da PM interveio com bombas de gás lacrimogêneo e balas de borracha.

Na quinta (25), aproximadamente cem pessoas protestaram em frente ao comitê de campanha do ex-prefeito Herculano Passos (PSD), que comandou a administração municipal entre 2005 e 2012 e agora é candidato a deputado federal.

Ativistas acusam Herculano de ser um dos responsáveis pela crise de água no município. O político foi responsável pela concessão do serviço de água e esgoto da cidade para a Águas de Itu, que recentemente foi adquirida pela Águas do Brasil –o processo de transição, no entanto, ainda não foi finalizado.

O atual prefeito de Itu e o presidente da Câmara, Dr. Bastos (PSD), são do mesmo grupo político do ex-prefeito e foram secretários em sua administração.
LUCAS SAMPAIO
ENVIADO ESPECIAL A ITU (SP)
DA FOLHA DE SÃO PAULO

Trio de atletas do Corinthians defende Mano e divide culpa por derrotas

Ralf-Fabio_Santos_e_Renato_Augusto-Corinthians_LANIMA20140929_0056_50

Ralf, Fábio Santos e Renato Augusto concederam entrevista coletiva juntos (crédito: Lucas Faraldo)

O lateral esquerdo Fábio Santos, o volante Ralf e o meia Renato Augusto saíram em defesa do técnico Mano Menezes nesta segunda-feira (29). Os três jogadores concederam uma entrevista no centro de treinamento do Corinthians para tentar amenizar a pressão sobre o treinador.

O clube ocupa a sétima colocação no Campeonato Brasileiro e está ameaçado de não se classificar para a Libertadores –está a três pontos do G-4. O time alvinegro não faz gols como visitante há mais de um mês na competição. Desde que Guerrero marcou contra o Grêmio, em 24 de agosto.

“É o momento dessas lideranças [do elenco]darem a cara para bater e mostrar que o grupo está fechado e unido. Estamos trabalhando para que aconteça uma melhora. Vamos mostrar essa união do grupo para darmos resposta positiva dentro de casa”, afirmou Fábio Santos.

Renato Augusto, por sua vez, ressaltou a importância de dividir a culpa pelo mau momento vivido pela equipe, que está hoje a 13 pontos do líder Cruzeiro.

“No futebol, quando ganha, ganha todo mundo, quando perde, perde todo mundo. A culpa não é só dele. Até por isso vieram três pessoas aqui para mostrar isso. Está todo mundo junto. Não temos dúvidas de que vamos remar juntos e entrar no G-4 novamente”, disse o meia.

Já Ralf lembrou do imediatismo do futebol brasileiro como ponto principal pela pressão em Mano.

“Vejo mais na questão pela pressa. Aqui o treinador quando leva três porradas já deve sair. Mas não admitimos apenas o Mano levar porrada. Estamos aqui para dar a cara para bater junto dele. Ele quer fazer o melhor na sua escalação e nem sempre isso acontece. Tem de haver cobrança interna entre nós, não é só culpa do Mano”, disse Ralf.

GOBBI

Foto: Divulgação

mario_gobbi_corinthians-1834418

O presidente do Corinthians, Mário Gobbi, também saiu em defesa do treinador e ressaltou a importância de dar continuidade na direção do time.

“Eu sempre deixei claro que seria um ano de reformulação e montagem de um novo grupo. Não se monta um time em cinco meses. O futebol é imediatista, mas quem trabalha no futebol sabe que a história do Corinthians nos últimos sete anos mostra que você monta um grupo em um ano. Você monta uma estrutura, no ano seguinte acrescenta detalhes que faltaram e passa a ter um time campeão”, disse Gobbi.

“Foi assim que o Corinthians ganhou títulos nos últimos sete anos. Não foi demitindo treinador que chegou aonde chegou. Em sete anos foram dois técnicos. Essa questão de troca de treinador ficou bem firmada quando o nosso grupo assumiu o poder no Corinthians. Se não fosse assim, o Tite não daria sequência na carreira dele porque sairia na época do Tolima”, afirmou, antes de lembrar a campanha do Internacional, vice colocado do Brasileiro.

“Há duas semanas, a torcida do Internacional pediu a saída do Abel. Foram ao aeroporto. A diretoria do Inter acertadamente manteve o Abel, e hoje é o segundo colocado do campeonato”, disse

 

DA FOLHA DE SÃO PAULO

Bancários rejeitam reajuste e confirmam greve nacional a partir desta terça

Após recusarem nova proposta de reajuste salarial dos bancos, os bancários confirmaram a decisão de greve nacional a partir desta terça-feira (dia 30).

A paralisação já havia sido aprovada na última quinta-feira (25) e foi referendada em assembleias realizadas na noite desta segunda (29).

Confirmaram a adesão os Estados de São Paulo, Minas Gerais, Distrito Federal, Paraná, Bahia, Pernambuco, Ceará, Alagoas, Paraíba e Sergipe, além de municípios do interior do Rio Grande do Sul.

No Brasil, são cerca de 500 mil bancários, sendo 142 mil somente em São Paulo, Osasco e região.

No último sábado (27), a Febraban (Federação Brasileira dos Bancos) aumentou de 7% para 7,35% a oferta de correção dos salários, o que inclui aumento real de 0,94% em vez de 0,61% da primeira proposta.

A categoria recusou o novo reajuste e quer 12,5%, o que inclui 5,8% acima da inflação de 6,35% medida pelo INPC e acumulada nos 12 últimos, além de outras reivindicações e melhores condições de trabalho. Atualmente, o piso dos bancários é de R$ 1.648.

Em 2013, após 23 dias de paralisação, os bancários conseguiram reajuste de 8% –com 1,82% de ganho real. Foi a maior greve da categoria desde 2004, quando os funcionários dos bancos pararam por 30 dias.

Além do reajuste, a pauta de reivindicação da categoria inclui 14º salário, piso de R$ 2.979,25 (salário mínimo do Dieese), PLR (participação nos lucros) no valor de três salários-base mais parcela adicional fixa de R$ 6.247.

Os bancários também pedem vales alimentação e refeição, auxílio-creche no valor de R$ 724, o salário mínimo nacional em 2014.

CONSUMIDOR

Com a confirmação da greve dos bancário, o consumidor deverá continuar a pagar normalmente suas contas, buscando com o fornecedor uma alternativa para quitá-las caso não consiga fazê-lo pelo sistema bancário.

A orientação é do Procon estadual de São Paulo, pois o entendimento é que a greve não inviabiliza a cobrança das contas.

*

GREVE DOS BANCÁRIOS/2014
DATA-BASE 1º de setembro
INFLAÇÃO NO PERÍODO 6,35% (INPC, em 12 meses)
QUANTO GANHAM Piso de R$ 1.648 (salário do caixa)
O QUE QUEREM 12,5% (5,8% acima da inflação)
CONTRAPROPOSTA 7,35% (0,94% real)​

CLAUDIA ROLLI/FOLHA DE SÃO PAULO

 

Auditoria na Santa Casa de SP revela dívida de mais de R$ 433 milhões

Santa-Casa-Sao-Paulo-6j5k4239405-f3

Uma auditoria feita na Santa Casa de Misericórdia de São Paulo e divulgada hoje (29), em São Paulo, revelou que a instituição tinha, até o final do ano passado, uma dívida de R$ 433,5 milhões. Em 2009, a dívida era R$ 146,1 milhões. Já o prejuízo da instituição passou de R$ 12,8 milhões em 2009 para R$ 167,9 milhões em 2013.

Segundo o relatório feito por uma comissão técnica formada por representantes da Secretaria de Estado da Saúde de São Paulo, Ministério da Saúde, Secretaria Municipal de Saúde de São Paulo e Conselho Estadual de Saúde, se a Santa Casa fosse uma empresa, “estaria à beira da falência”. “A instituição encontra-se em situação extremamente drástica, com indícios de falhas graves de gestão e evidente deterioração financeira”, diz o documento.

O relatório apontou que o patrimônio líquido da Santa Casa de São Paulo, que corresponde ao capital disponível com exceção dos imóveis, despencou 98,5% no período analisado, passando de R$ 220,3 milhões em 2009 para R$ 323 mil em 2013.

Em julho deste ano, a Santa Casa, que é o maior centro de atendimento filantrópico da América Latina, fechou o pronto-socorro e suspendeu as cirurgias eletivas e os exames laboratoriais, o que afetou em torno de 6 mil pessoas. Um dia depois de ter anunciado o fechamento, a Santa Casa reabriu o seu pronto-socorro e retomou os atendimentos.

Procurada pela Agência Brasil, a assessoria de imprensa da Santa Casa não foi encontrada para comentar sobre o resultado da auditoria.

Da Agência Brasil

Em Barueri, 18 pessoas apresentam problema de visão após cirurgia

Dezoito pessoas com mais de 60 anos apresentaram problemas no olho após um mutirão para catarata no Hospital Municipal de Barueri, na Grande São Paulo, ocorrido no dia 6 de agosto. A informação foi confirmada pela própria prefeitura da cidade.

Segundo a prefeitura, 18 de 20 pacientes que se submeteram à cirurgia estão sendo analisados para avaliar se poderão ficar cegos de um olho. Caso seja confirmado ou eles apresentem algum outro comprometimento no olho operado, os pacientes poderão ser encaminhados para um transplante de córnea. “Cabe ressaltar que estes pacientes estão sendo avaliados, e que, até o momento, apresentam quadro de baixa visão e não de cegueira como foi veiculado”, diz a prefeitura.

O órgão informou que os 18 pacientes começaram a apresentar dor intensa logo após o procedimento. Em 12 deles, o quadro evoluiu para síndrome tóxica do segmento anterior (Tass), uma complicação rara que pode ser causada por medicamentos, materiais cirúrgicos, talco de luvas ou lubrificante de lente, entre outros.

De acordo com a administração municipal, o médico responsável pelas cirurgias comunicou o episódio ocorrido ao hospital e aguarda a apuração dos fatos e laudos conclusivos do que possa ter levado aos problemas apresentados pelos pacientes que “poderão vir a ser acometidos de cegueira parcial, uma vez que só se opera um olho por vez”.

A Secretaria de Saúde de Barueri informou, por meio de nota, que está tomando “todas as providências cabíveis” para apurar o que ocasionou o problema. “É igualmente importante que fique claro que são muitas as variáveis que podem ter levado ao lamentável problema ocorrido, e que, por esta razão, é fundamental investigar todas as variáveis existentes, que vão desde problemas relacionados ao anestésico até o próprio material cirúrgico (como o pó encontrado nas luvas cirúrgicas), dentre outras”, informaram assessores da secretaria. De acordo com o órgão, todas as instâncias competentes já foram acionadas para investigar o caso.

A Pró-Saúde, que é uma Organização Social de Saúde (OSS) e administrava o hospital até o final de agosto, disse que uma sindicância interna foi instaurada e está sob responsabilidade da Secretaria Municipal de Saúde de Barueri. Segundo a organização, o Conselho Regional de Medicina irá avaliar a conduta do médico e a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) irá analisar os medicamentos e materiais utilizados nas cirurgias.

A catarata é a alteração do cristalino, uma das principais lentes do olho, onde a imagem é focalizada. Com o envelhecimento, essa lente fica mais opaca provocando dificuldades para a chegada da luz à retina, fazendo a visão diminuir. A doença é mais comum a partir dos 60 anos.

Segundo o Ministério da Saúde, a cirurgia da catarata, que pode ser feita no Sistema Único de Saúde (SUS) e na rede particular, consiste em colocar uma lente, que é um novo cristalino artificial, como se fosse uma prótese no olho. O índice de recuperação satisfatória chega a 90% dos casos, informou o ministério em seu site.

Da Agência Brasil

Emprego no comércio cresceu 6,4% entre 2011 e 2012

comercio_roupas

O número de pessoas empregadas no comércio cresceu 6,4% entre 2011 e 2012, segundo dados da Pesquisa Anual do Comércio (PAC), do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). O total de pessoas ocupadas no setor passou de 9,6 milhões, em dezembro de 2011, para 10,2 milhões, em dezembro de 2012.

Entre os três grande subsetores, o maior crescimento foi observado no comércio varejista (6,8%), ao passar de 7,06 milhões de trabalhadores, em 2011, para 7,54 milhões, em 2012. O atacado teve um aumento de 6,1% no pessoal ocupado, ao passar de 1,63 milhão para 1,73 milhão no período. Já o emprego no comércio de veículos, peças e motocicletas cresceu 4,5%, 913,7 mil para 954,5 mil de pessoas ocupadas.

Entre os principais empregadores em dezembro de 2012, estão as atividades de hiper e supermercados, 1,14 milhão de pessoas; de material de construção, 970,1 mil; e de artigos de vestuário e complementos, 938,9 mil.

O número total de empresas no comércio cresceu de 1,6 milhão, em 2011, para 1,61 milhão, em 2012, uma alta de 0,9%. Já a receita operacional líquida do segmento cresceu 16,4%, de R$ 2,1 trilhões para R$ 2,4 trilhões no mesmo período. Os salários, retiradas e outras remunerações cresceram 18,4%, chegando a R$ 150,9 bilhões.

As despesas das empresas comerciais, em 2012, somaram R$ 319,1 bilhões, sendo R$ 135,4 bilhões com outras despesas operacionais e não operacionais, 42,4% do total; R$ 61,2 bilhões com serviços prestados por terceiros, 19,2%; e R$ 59,1 bilhões com despesas financeiras, 18,5%.

As empresas também gastaram R$ 30,7 bilhões com alugueis de imóveis e condomínio, 9,6% do total; R$ 13 bilhões com energia elétrica, gás, água e esgoto, 4,1%; R$ 11,7 bilhões com impostos e taxas, 3,7%; e R$ 8 bilhões com serviços de comunicação, 2,5%.

 

Da Agência Brasil

De virada Molico Osasco vence São Caetano e mantém invencibilidade no Paulista

Da Redação

1196 - 3

O São Caetano assustou, venceu os dois primeiros sets da partida diante do Molico Osasco realizada no sábado (27/09) no Ginásio Prof. José Liberatti, válida pelo Campeonato Paulista de Vôlei Feminino da Divisão Especial, mas a equipe osasquense não estava disposta a perder a invencibilidade em casa e virou o jogo. O Molico Osasco venceu os três últimos sets e o jogo terminou 3 sets a 2, parciais de 18×25, 16×25, 25×21, 25×20 e 15×10 em uma partida que durou mais de duas horas.

Nos três últimos sets brilhou a estrela da oposta Ivna, que chamou a responsabilidade e ajudou a equipe a virar o jogo ao marcar 23 pontos na partida.

1196 - 4

“Para conquistarmos vitórias e títulos a união do grupo tem que prevalecer. Todas precisam estar preparadas para jogar porque isso faz a diferença. A Kenia (Carcaces) e a Gabi entraram muito bem e fizeram uma grande partida. Temos que jogar em equipe e colocar para fora a vibração e a vontade de vencer como fizemos nesta partida”, disse Ivna.

Com a vitória a equipe permanece invicta e segue na vice-liderança do Paulista, com quatro vitórias.

“O São Caetano é uma equipe de muita qualidade e está com mais ritmo de jogo. Nosso time foi se ajustando e buscamos a virada, neste momento no qual o grupo ainda está em formação é sempre satisfatório para a nossa avaliação”, analisou Luizomar.

O próximo compromisso do Molico Osasco será diante do Pinheiros no dia 03/10 (sexta-feira), às 19h30, no Ginásio Henrique Villaboin, em São Paulo.

Com informações de Ana Luísa Rodrigues/PMO

Santos vence Goiás por 2 a 0 no Pacaembu

Da Redação

festasantoswagnercarmogetty

Santos e Goiás se enfrentaram neste domingo (28) no Pacaembu, pela 25ª rodada do Campeonato Brasileiro e o Santos conseguiu a vitória pelo placar de 2 a 0.

O Santos vai a 36 pontos e começa a se aproximar da briga pelo G4. O Goiás segue com 30, na parte intermediária da tabela.

O Santos iniciou a partida com mais posse de bola. Aos 12 minutos, Gabriel recebeu passe de Geuvânio e tentou o chute, que acabou defendido por Renan.

No minuto seguinte, o time do Litoral abriu o placar do Pacaembu. Em cobrança de escanteio de Lucas Lima, David Braz subiu mais que a defesa do Goiás para cabecear a bola e marcar o primeiro gol da partida.

O Santos dominava o primeiro tempo, com mais posse de bola e criava chances de tentar o gol. O Goiás pouco se arriscava no ataque e parava na marcação santista.

No segundo tempo, o Santos passou a administrar a vantagem no placar, tocando a bola e ditando o ritmo em campo, enquanto o Goiás procurava achar um modo para reagir na partida.

Aos 17 minutos, Geuvânio marcou o segundo do Santos na partida, após boa jogada de Patito Rodríguez, que fez o cruzamento para o atacante chegar e completar para o gol.

O Goiás conseguiu ganhar espaço em campo durante a etapa final e tentava criar oportunidades para marcar o gol, mas sem sucesso.

Próximos jogos de Santos e Goiás pela 26ª rodada do Brasileirão 2014

Flamengo x Santos – 04/set – 16h20 – Estádio do Maracanã

Goiás x Figueirense – 04/set – 18h30 – Estádio Serra Dourada

Fonte: FPF

Palmeiras perde por 3 a 1 para o Figueirense (SC) no Orlando Scarpelli

Da Redação: Equipe alviverde vencia até os 30 minutos do segundo tempo

Na briga para tentar sair da zona de rebaixamento do Campeonato Brasileiro, o Palmeiras visitou o Figueirense neste domingo (28) e perdeu a partida de virada pelo placar de 3 a 1.

O Palmeiras termina a rodada na zona de rebaixamento, com 25 pontos, enquanto o Figueirense vai a 32, em décimo lugar.

Os dois times começaram a partida na pressão e tentando ficar com a bola, mas o gramado molhado do Orlando Scarpelli impedia que Palmeiras e Figueirense conseguissem criar jogadas de impacto no ataque.

O Palmeiras teve as melhores oportunidades de finalização e uma delas culminou no gol de Cristaldo, aos 34, após bom passe de Diogo.

No final do primeiro tempo, os dois times decidiram fazer alterações em suas equipes. No Palmeiras, Bruninho entrou no lugar do lesionado Renato e Marcão entrou na vaga de Jefferson no Figueirense.

O Palmeiras manteve-se durante o começo do segundo tempo com presença ofensiva e em busca de oportunidades para marcar o gol. O Figueirense marcava forte à espera de um contra-ataque.

Aos 22, o time paulista teve a grande chance de fazer o segundo gol quando Valdívia recebeu em posição de finalizar, mas rolou a bola para Bruninho, que acabou desarmado no lance.

O Figueirense procurou espaço para o contra-ataque e aos 30, Cleyton empatou o jogo no Orlando Scarpelli, ao completar cruzamento de cabeça e Deola não conseguir defender.

Dois minutos depois, Cleyton virou o placar para o time catarinense aproveitando erro da defesa palmeirense em cruzamento na área. Aos 35, Marcão anotou o terceiro dos catarinenses na partida.

Nos minutos finais, Natan levou cartão vermelho por pisar em jogador do Figueirense e o Palmeiras ficou com um jogador a menos em campo

Próximos jogos de Palmeiras e Figueirense pela 26ª rodada do Brasileirão 2014

Palmeiras x Chapecoense – 02/set – 19h30 – Estádio do Pacaembu

Goiás x Figueirense – 04/set – 18h30 – Estádio Serra Dourada

Fonte: FPF