Operação da PF desarticula organização que fraudava Previdência

A Polícia Federal (PF) e o Ministério da Previdência Social deflagaram, hoje (31), a Operação Nomadismo, com o objetivo de desarticular uma organização criminosa que fraudou, segundo estimativas, cerca de 60 benefícios desde 1998, causando prejuízos acima de R$ 40 milhões aos cofres da Previdência.

federal

Em parceria com a técnicos da Previdência, Polícia Federal desencadeia operação contra fraude de benefíciosArquivo/Agência Brasil

Neste momento, a PF cumpre 22 mandados de busca e apreensão e 17 ordens de condução coercitiva. As investigações tiveram início em 2010. Desde então, foi feito um mapeamento das ações dos investigados. A operação conta com a participação de 130 policiais e tem o reforço de analistas do ministério.

Em nota, a PF informa que as fraudes do grupo consistiam na inserção de informações falsas na Relação Anual de Informações Sociais (Rais) e na Guia de Recolhimento do FGTS (Gfip) a fim de obter recursos que deveriam ser destinados aos segurados.

Um dos alvos da operação uniu-se a despachantes, profissionais de escritórios de contabilidade, que usam empresas inativas de fachada, além de atravessadores e possíveis servidores da Previdência Social. De acordo com a PF, um dos investigados obteve o Número de Identificação do Trabalhador e o CPF de dez pessoas.

Da Agência Brasil

Mais escolarizadas, mulheres recebem 68% da renda dos homens

Com índices de escolaridade superiores aos dos homens, as mulheres brasileiras continuam atrás quando analisados o rendimento e a inserção no mercado de trabalho, divulgou hoje (31) o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), na pesquisa Estatísticas de Gênero, uma análise dos resultados do Censo Demográfico 2010.

mulheresvale_esta
Com maior escolaridade e preparo para o mercado de trabalho, mulheres ainda recebem salário menor que o dos homensArquivo/Agência Brasil

Além de terem menor taxa de analfabetismo, de 9,1% contra 9,8% dos homens, as mulheres chegam mais ao nível superior, com uma taxa de 15,1% de frequência na população de 18 a 24 anos, enquanto os homens somam 11,3%. Também no ensino médio, as mulheres estão mais presentes na idade escolar certa, de 15 a 17 anos, com 52,2% de frequência, contra 42,4% dos homens.

Outro indicador que aponta maior escolarização feminina é a taxa de abandono escolar precoce, que contabiliza os jovens de 18 a 24 anos que não concluíram o ensino médio nem estavam estudando. Esse percentual chega a 31,9% entre as mulheres e 41,1% para os homens.

Apesar desse cenário, o rendimento mensal médio das mulheres equivalia a 68% do masculino, em 2010. Para a coordenadora de População e Indicadores Sociais do IBGE, Bárbara Cobo, a delegação de tarefas às mulheres prejudica a igualdade no emprego e na renda: “por motivos que vão além das políticas educacionais e de mercado de trabalho, você não vê essa maior escolarização das mulheres sendo refletida em inserção no mercado de trabalho. Um dos principais motivos é a questão da maternidade. A mulher ainda enfrenta a questão da dupla jornada e, muitas vezes, os cuidados com pessoas da família e serviços domésticos ainda estão substancialmente a cargo delas”, analisa.

Bárbara destaca que mulheres e homens têm salários parecidos no início da carreira, mas as diferenças se agravam ao longo da vida: “o desempenho dela depende da escolarização, mas também depende de políticas públicas que permitam que tenha onde deixar as crianças para trabalhar e da legislação trabalhista. Essa parte também pesa a partir do momento que as licenças maternidade e paternidade são muito diferenciadas. Em cargos de direção, você vê nitidamente a diferença de acesso entre homens e mulheres”, disse a pesquisadora.

Em números absolutos, a pesquisa mostrou rendimento médio para os homens de R$ 1.587, contra R$ 1.074 das mulheres. Em 2000, a desigualdade era ainda maior, com mulheres recebendo 65% do rendimento médio dos homens. Essa melhora, no entanto, não se deu em todas as partes do país, já que, no Norte e Nordeste, a taxa caiu de 71% e 72% para 69% e 68%k, respectivamente. Os homens do Sudeste eram o grupo com maior renda, em 2010, com R$ 1.847, enquanto as mulheres do Nordeste tinham a menor, de R$ 716.

Segundo a pesquisa, Cuiabá é a capital em que a renda feminina chega mais perto da masculina, com 80%, enquanto em Curitiba a proporção fica em 63%. Entre 2000 e 2010, apenas Porto Velho e João Pessoa tiveram aumento da desigualdade de renda, com queda de 72% para 67%, na cidade nortista, e 71% para 69% na nordestina.

A taxa de atividade das mulheres com mais de 16 anos, que indica o percentual das que estão trabalhando ou procurando trabalho, cresceu entre 2000 e 2010 de 50,1% para 54,6%, enquanto a dos homens caiu de 79,7% para 75,7%. Quando analisada a formalização desse trabalho, a pesquisa mostra que os homens tiveram um crescimento maior no emprego com carteira assinada em relação as mulheres. Em 2000, 50% dos homens e 51,3% das mulheres tinham emprego formal, valores que aumentaram para 59,2% e 57,9% em 2010, respectivamente.

Entre as mulheres ocupadas, 19,2% têm nível superior, enquanto os homens somam 11,5%. Na outra ponta, 45,5% dos homens que trabalham não têm instrução ou declaram ter o ensino fundamental incompleto, taxa que é 34,8% entre as mulheres.

unb
Pesquisa do IBGE mostra que, na universidade, mulher opta por curso na área de humanasWilson Dias / Arquivo Agência Brasil

Outra conclusão da pesquisa é que as mulheres são maioria em áreas de formação com menor remuneração. A presença delas é maior nas áreas de educação (83%) e humanidades e artes (74,2%), as duas com menor renda média: de R$ 1.810,50 e R$ 2.223,90, respectivamente. Já na área de engenharia, produção e construção, que tem rendimento médio de R$ 5.565,10 segundo o Censo 2010, elas são apenas 21,9% das pessoas formadas. A segunda área mais bem remunerada, agricultura e veterinária, com R$ 4.310,60 de renda salarial, tem a segunda menor presença feminina (27,4%).

Da Agência Brasil

São Paulo vence Emelec (EQU) por 4 a 2 e abre vantagem nas quartas de final

Da Redação: No jogo de volta, São Paulo pode até perder por um gol de diferença

622_3099dde7-a993-3233-b5a4-56e0e7233b1c

Michel Bastos abriu o placar na partida desta quinta-feira

O São Paulo recebeu a equipe do Emelec (EQU) nesta quinta-feira (30) pela primeira partida das quartas de final da Copa Sul-Americana 2014 e conseguiu a vitória no Morumbi pelo placar de 4 a 2.

No jogo de volta, no Equador, o São Paulo se classifica com empate ou até perdendo por um gol de diferença. Para seguir na Sul-Americana, o Emelec precisa vencer por diferença de dois gols.

Michel Bastos, aos 11 minutos, abriu o placar para o São Paulo recebendo passe de Maicon para arriscar o chute e a bola ir parar no canto direito do goleiro do Emelec.

O São Paulo continuou dominando a partida e tendo mais posse de bola. Aos 34, Hudson aumentou a vantagem do time da casa na partida, aproveitando sobra de jogada de Kaká e finalizando prensado para fazer o gol.

Alan Kardec fez o terceiro do São Paulo aos 44, depois de troca de passes no campo de ataque e tirando o zagueiro da jogada antes de arrematar.

O Emelec diminuiu o placar os dois minutos do segundo tempo com Bolaños, que recebeu bola lançada na área e bateu cruzado. Rogério Ceni tentou a defesa, mas a bola tocou no goleiro e acabou rolando até entrar no gol.

Mena fez o segundo dos equatorianos aos nove minutos, recebendo a bola na frente da defesa e ganhando de Edson Silva para finalizar na saída de Rogério Ceni.

O São Paulo procurava responder à pressão do Emelec, que seguia em busca do gol de empate. Aos 24, Antônio Carlos desviou cruzamento de Hudson e marcou o quarto gol do time da casa na partida.

Os dois times tentaram pressionar durante os minutos finais de jogo e criar oportunidades de gol. O São Paulo tentava mais o ataque e barrou as investidas do Emelec no contragolpe.

Jogo de volta entre São Paulo e Emelec pelas quartas de final da Copa Sul-Americana 2014

Emelec (EQU) x São Paulo – 05/nov – 22h00 – Estádio George Capwell

Fonte: FPF

São Paulo oferece R$ 30 mil por informação sobre quadrilha que matou um cabo da PM durante assalto a carro forte

Da Redação

A Secretaria da Segurança Pública (SSP) está oferecendo recompensa de R$ 30 mil para quem ajudar com informações que levem à identificação e à prisão do autor – ou autores – do homicídio do cabo Alaor Branco Junior, morto na quinta-feira (30) durante um assalto a um carro forte na Rodovia Doutor Adhemar Pereira de Barros (SP-340), na região de Aguaí.

Esta é a maior recompensa já oferecida pelo Programa de Recompensa, que foi lançado em maio. As denúncias devem ser feitas apenas pelo site do  WebDenúncia. O sigilo é absoluto.

Pode receber a recompensa o denunciante que encaminhar informações que contribuam de maneira relevante para que a polícia esclareça o crime. Ou seja, quem fornecer dados que resultem na identificação do autor ou na localização e prisão dele.

A portaria sobre o assunto será publicada no Diário Oficial do Estado na terça-feira (4), mas a medida já é válida a partir de hoje (31).

Como denunciar

O interessado em denunciar precisa acessar o WebDenúncia e seguir as instruções. Não há a necessidade de realizar cadastro e/ou identificação pessoal. Esse procedimento foi elaborado para proteger o anonimato do denunciante. Ao final do processo, a pessoa recebe um número de protocolo e uma senha para acompanhar anonimamente o andamento da denúncia. É um processo semelhante a uma compra feita online.
Concluída a denúncia, a pessoa passa a ter acesso no site a uma seção para acompanhar o andamento do resultado das informações fornecidas e checar se receberá a recompensa.

Para receber a recompensa, o site fornecerá, no seção de acompanhamento, um número de cartão bancário virtual com o qual poderá fazer o resgate total ou em parcelas do valor em qualquer caixa eletrônico do Banco do Brasil, sem a necessidade de que ele se identifique.

O WebDenúncia conta com dupla criptografia de dados para a proteção do sistema. Os recursos para o Programa de Recompensa são do Fundo de Incentivo à Segurança Pública (Fisp), que é administrado pela Secretaria da Segurança. A verba é liberada ao fundo para o pagamento da recompensa.

Investigação

As informações do denunciante são repassadas aos policiais civis e militares que atuam no WebDenúncia – parceria entre a Secretaria da Segurança Pública (SSP) e o Instituto São Paulo Contra a Violência (ISPCV) -, que encaminham as informações às equipes responsáveis pelas investigações.

A importância de informações para o Programa Estadual de Recompensa é analisada de acordo com cada caso denunciado. A decisão final sobre o pagamento da recompensa fica a cargo do secretário da Segurança Pública.

Com informações da Secretaria da Segurança Pública do Estado de SP

Surpresa da lista de Dunga faz gol de bicicleta

Firmino deu show na goleada do Hoffenheim sobre o Frankfurt, por 5 a 1, pelo Campeonato Alemão

4397firmino

Dunga foi criticado pela convocação de Firmino, que vive grande fase na Alemanha / Reprodução

A grande surpresa da lista do técnico Dunga para os próximos amistosos da seleção brasileira, o atacante Firmino deu show na goleada do Hoffenheim sobre o Frankfurt, por 5 a 1, pelo Campeonato Alemão.

O brasileiro fez dois gols – um deles de bicicleta – e ainda deu duas assistências. Veja abaixo a pintura do ex-jogador do Figueirense.

Por: Diário SP Online

Obras em shopping de SP geram suspeita de incêndio

Da Redação:Fumaça no Shopping Villa Lobos preocupa e Bombeiros são acionados. Mas não havia chamas no local.

8761shopping-villa-lobos

Imagem interna do Shopping Villa Lobos / Divulgação

Uma suspeita de incêndio deixou todos alerta na obra do Shopping Villa Lobos, no Alto de Pinheiros, Zona Oeste de São Paulo, na tarde desta quinta-feira (30).

Uma fumaça foi vista saindo da obra e causou desespero em quem passava pelo local. De acordo com a assessoria de imprensa do shopping, a fumaça foi provocada por um produto químico utilizado em uma construção no terceiro andar do prédio.

Ainda segundo a assessoria, algumas pessoas acharam que a fumaça se tratava de fogo e chegaram a acionar o Corpo de Bombeiros. A brigada de incêndio do Shopping Villa Lobos, porém, foi até o local e constatou que não havia sinais de chamas.

Fonte: Diário SP Online

Haddad defende uso racional do carro em evento

Da Redação: O prefeito e o governador de São Paulo estiveram presentes no 28° Salão do Automóvel, na Zona Norte

6184haddad-salao-automovel
O prefeito aproveitou para testas as bicicletas expostas no Salão do Automóvel / César Ogata/Secom

Após ir trabalhar de bicicleta e acompanhado do percursor da montain bike, o prefeito Fernando Haddad (PT) marcou presença no 28° Salão do Automóvel, no Anhembi, Zona Norte de São Paulo. Nesta quinta-feira (3), o prefeito defendeu o uso racional do carro.

No evento, que também conta com a participação de algumas bicicletas, Haddad disse que não há problema em ampliar a produção automobilística ao mesmo tempo em que o transporte coletivo está em ascensão e defendeu o uso racional. “Há uma confusão entre as pessoas entre a propriedade e o uso racional. Você poder ser proprietário de um automóvel e fazer o uso racional da propriedade”, afirmou o prefeito.

Em determinado momento, um manifestante do Greenpeace levantou um cartaz que pedia para que a Volkswagen, Chevrolet e Fiat invistam em veículos mais eficientes. Haddad considerou a reivindicação válida: “Ele pede que a gente polua menos e que a gente faça o uso racional dos automóveis”.

Anhembi/ No mesmo evento, Haddad falou soube a ideia de uma parceria público-privada para modernizar o entorno do Complexo do Anhembi. “A previsão é que até 2017, São Paulo seja o maior destino turístico da América Latina, muito por conta das atividades promovidas pelo setor privado que escolheu a cidade para desenvolver suas atividades”, explicou o prefeito.

Governo/ O governador do Estado de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB) também foi ao evento para enaltecer os benefícios da indústria automotiva no PIB do país. “O carro exerce fascínio em todos e esse Salão do Automóvel é um dos maiores do mundo, o maior da América Latina, com 800 mil pessoas que devem passar por aqui e um setor que é campeão do emprego, porque tem uma cadeia produtiva longa. Gera muitos empregos, agrega valor, tem importância social e econômica”, afirmou.

 

Fonte: Diário SP Online 

Amazônia acumula 762 mil km² de desmatamento em 40 anos, diz estudo

workshop_jornalistas_desmatamento_na_amazonia_pa_moju_7856

Área desmatada no período equivale a três estados de São Paulo, diz relatório Arquivo/Agência Brasil

Até o ano passado, o desmatamento acumulado na Floresta Amazônica, em 40 anos de análise, somou 762.979 quilômetros quadrados (km²), o que corresponde a três estados de São Paulo ou a 184 milhões de campos de futebol. É o que revela o relatório O Futuro Climático da Amazônia, coordenado pelo pesquisador Antonio Donato Nobre, do Centro de Ciência do Sistema Terrestre do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe).

O relatório, divulgado na tarde desta quinta-feira (30) na Sala Crisantempo, na zona oeste de São Paulo, reúne várias estudos feitos sobre a região e é destinado à população leiga. O objetivo é universalizar o acesso a mais de 200 estudos e artigos científicos e diminuir o que o pesquisador chama de “ignorância” sobre os problemas ambientais.

Nobre calcula que a ocupação da Amazônia já destruiu 42 bilhões de árvores, ou seja, mais de 2 mil árvores por minuto, de forma ininterrupta, nos últimos 40 anos. Somando-se o desmatamento e a degradação (que considera áreas verdes, mas inutilizadas) da floresta, a destruição da Amazônia alcança mais de 2,062 milhões de km².

De acordo com o relatório, o desmatamento pode pôr em risco a capacidade da floresta de rebaixar a pressão atmosférica, exportar sua umidade para outras regiões pelos chamados “rios voadores” e regular o clima, induzindo à seca. Os efeitos sobre a Região Sudeste, mais especificamente no estado de São Paulo, que enfrenta uma grande seca, ainda estão sendo estudados, mas Nobre acredita que parte disso seja reflexo do desmatamento da Mata Atlântica e do aquecimento climático.

“Estamos na UTI climática”, afirmou o pesquisador, comparando o problema do clima ao de um paciente internado em um hospital. Segundo Nobre, é difícil prever se o “paciente” – no caso, a Amazônia – vai reagir, embora ainda exista uma solução para o problema.

“Quando se está no processo de UTI no hospital, o médico vai dizer a que horas você vai morrer? Não vai. Depende do seu organismo e de muitos fatores, e o que o médico pode fazer é o que está ao alcance dele: informar. O que estou fazendo é informando [sobre o problema ambiental na Amazônia]. E acho que tem uma solução: desmatamento zero para anteontem e replantar em esforço de guerra. Mas, antes disso, um esforço de guerra real é acabar com a ignorância”, enfatizou.

De acordo com Nobre, o esforço para zerar o desmatamento é insuficiente, já que é preciso também confrontar o passivo do desmatamento acumulado e dar início a um processo de recuperação do que já foi destruído. “É preciso plantar árvores em todos os lugares, e não só na Amazônia”, ressaltou o pesquisador, lembrando que não podem ser plantados somente eucaliptos, como ocorre atualmente, já que esta não é a espécie mais indicada para trazer chuva.

Para ele, o governo tem uma grande tarefa a realizar e esse trabalho deve ser feito em conjunto com o Ministério Público, a Justiça, as organizações não governamentais (ONGs) e, principalmente, os cientistas, repetindo algo que foi feito após 2004, quando o Brasil alcançou o pico de área desmatada ([27,7 mil km²) “É possível fazer acordos e todos os setores serem beneficiados”, airmou.

Apesar de o desmatamento estar se reduzindo nos últimos anos, o Brasil ainda é o maior desmatador do mundo, afirmou Cláudio Amarante, da ONG WWF Brasil. “Pelos dados que temos hoje, por tudo o que reduziu, o Brasil ainda é o maior desmatador do mundo, embora dependa de como isso é medido. O Brasil tem dez anos de redução de desmatamento, mas os países andino-amazônicos vêm em processo contrário: há um crescimento do desmatamento. Após o Brasil, vêm a Bolívia, o Peru, a Colômbia, a Venezuela e o Equador, do ponto de vista absoluto [de área desmatada].”

De acordo com Amarante, o controle do desmatamento no Brasil está entrando agora em sua fase mais difícil: a de combate às pequenas manchas de desmatamento, pouco visíveis por satélites. “Até agora, o que foi possível foi conter o desmatamento que era mais fácil, o mais flagrantemente ilegal, das áreas maiores e de maior detecção. Agora vamos ter que combater as pequenas manchas de desmatamento e as feitas por pequenas propriedades ou assentamentos”, afirmou.

Da Agência Brasil

Alckmin vai pedir ao governo federal desoneração para empresas de saneamento

O governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, voltou a dizer hoje (30) que pedirá ao governo federal mais recursos financeiros e a desoneração de impostos a fim de enfrentar a crise de abastecimento de água que atinge o estado de São Paulo. Segundo o governador, é necessário conceder a isenção da Cofins e do PIS para empresas de saneamento básico, o que ajudaria muito a Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo (Sabesp) a ter recursos para fazer investimentos.

“O governo federal precisa tirar o imposto da água. A presidente Dilma Rousseff prometeu que faria isso há quatro anos. Aliás, todos os candidatos prometeram isso nas eleições de 2010. Nesses últimos quatro anos a Sabesp pagou R$ 2,5 bilhões do PIS e da Cofins. Por ano paga R$ 680 milhões do PIS e da Cofins. Se desonerar o setor de saneamento, o Brasil inteiro vai poder investir mais”, disse depois de participar da abertura do 28º Salão Internacional do Automóvel de São Paulo.

Alckmin argumentou que a pauta já está colocada e é justo que seja atendida sob o ponto de vista social. “Vamos levar essa pauta para os governos estaduais e municipais, porque todos pagam. Com a isenção, haveria uma capacidade muito maior de investimento. E pode reduzir a conta para o consumidor. Aí cabe a cada empresa de saneamento decidir se quer reduzir a conta de água ou investir mais”.

Perguntado sobre os temores da indústria com a falta de água, que ela afete o processo produtivo, o governador explicou que o reúso da água é uma boa solução e a Sabesp tem uma empresa que cuida dessa questão. “Temos para a indústria 70 metros cúbicos por segundo de água de reúso. Esse é um bom caminho porque é muito mais barato. A Sabesp tem uma empresa só para isso. Hoje o Polo Petroquímico do ABC é todo de água de reúso”.

Da Agência Brasil

Educação: Feira estimula estudantes a definir perfil vocacional

Brasília está recebendo a terceira edição da Feira Capital Estudante. O evento é referência para estudantes do Distrito Federal (DF) e ocorre na área externa do Patio Brasil Shopping, na região central da Capital Federal, e vai até sexta-feira (31). O objetivo da feira é estimular o aprendizado e o desenvolvimento dos estudantes. Além disso, oferece oportunidades de planejamento e aprimoramento profissional. Ela está aberta das 9h às 20h.

934676-faculdaddes-5

A terceira edição da Feira Capital Estudante /Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil

Cecilia Rocha Esteves de Andrade, de 18, estuda no Colégio Santa Teresinha, Taguatinga, cidade do DF, e pela primeira vez frequenta a feira. Ela sonha em ser médica. “Sempre foi o que eu quis. Quando

934845-feira capital estudante_5179

Cecilia Rocha Esteves de Andrade, de 18, estuda no Colégio Santa Teresinha, Taguatinga, cidade do DF, e pela primeira vez frequenta a feira. Ela sonha em ser médica (Wilson Dias/Agência Brasil)

cheguei aqui, na feira, já quis ir logo onde falavam de medicina, para eu ter mais uma noção e ter certeza mesmo. Encontrei stands que me ajudaram. Queria saber sobre a duração do curso. Quero estudar na UnB [Universidade de Brasília], mas eu vi que aqui tem outras faculdades bem comprometidas”, disse.

Laura Gonçalves, de 18 anos, também mora em Taguatinga. Ela é estudante e já decidiu o que vai seguir. “Vou fazer arquitetura e urbanismo. Eu gosto de desenhar, gosto de matemática, então vou juntar o útil ao agradável. Muitos optam por concursos e esquece da formação, de fazer um curso superior e buscar conhecimento”, disse.

Ao contrário de Laura, o estudante Rodrigo Dias Gomes, de 17 anos, disse que objetiva de imediato fazer um concurso. “Pretendo primeiro passar em um concurso, depois fazer faculdade para focar em outro concurso. Eu tinha vontade de fazer educação física, gosto bastante de esportes, mas Brasília é a sede dos concursos”. Explicou.

A terceira edição da Feira Capital Estudante vai de hoje (29) a sexta-feira (31). O objetivo é estimular o aprendizado e o desenvolvimento de estudantes (Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil)

934677-faculdaddes-6
A terceira edição da Feira Capital Estudante /Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil

Para Tatiana Pontes, professora do curso de terapia ocupacional da UnB, a feira é importante para os alunos, nesse momento de escolha da vida profissional. “Nesse momento de dúvida, em relação às escolhas profissionais, é interessante eles terem conhecimento de uma ampla variedade, de um leque maior de opções, e a feira presta muito bem esse papel de oferecer opções e possibilitar que o aluno conheça o que existe de espaço de serviço de educação. O jovem hoje tem infinitas oportunidades. Hoje eles têm acesso a várias oportunidades de educação.”

Este ano a Feira Capital Estudante traz 50 expositores, entre eles, universidades privadas e públicas do DF, empresas e centros preparatórios para concursos públicos, embaixadas, instituições de ensino, cursos de idiomas, livrarias e editoras e cursos técnicos profissionalizantes.

Da Agência Brasil