Após mais de cinco anos como vice, Temer assume definitivamente Presidência

tem-942138-posse_dsc2714

O vice-presidente Michel Temer durante cerimônia de posse no Palácio do Planalto (Marcelo Camargo/Agência Brasil)

Com impeachment de Dilma, Temer assume definitivamente a Presidência da República Marcelo Camargo/Agência Brasil
Após três meses e 19 dias ocupando o cargo de presidente interino, Michel Temer assume hoje (31) definitivamente o posto mais alto da República. Com a conclusão do julgamento do processo do impeachment que tirou do cargo Dilma Rousseff, Temer tem pela frente mais dois anos e quatro meses de mandato como comandante do Executivo federal.

Durante o período em que ficou na interinidade, Temer afirmou que sua prioridade é a melhoria da economia brasileira e eficiência da máquina pública. Para tanto enviou ao Congresso Nacional uma Proposta de Emenda Constitucional que limita os gastos públicos. “É urgente fazermos um governo de salvação nacional”, disse no discurso, ao assumir a Presidência da República como interino.

Por duas vezes vice da chapa PT-PMDB para a Presidência, Temer é paulista de Tietê e começou a carreira na política na década de 60. Michel Miguel Elias Temer Lulia nasceu em Tietê (SP) no dia 23 de setembro de 1940 e é o caçula de oito irmãos.

Trajetória política

Foi como oficial de gabinete de Ataliba Nogueira, secretário de Educação do governo de São Paulo, em 1964, que Michel Temer iniciou a carreira política. Sua filiação partidária ocorreu décadas depois, em 1981, ao assinar a ficha do PMDB, partido do qual nunca se afastou. Em 1983, foi nomeado procurador-geral do Estado de São Paulo no governo do correligionário Franco Montoro. No ano seguinte, assumiu a Secretaria de Segurança Pública de São Paulo, cargo que também ocupou no início dos anos 90.

tem-26350882654_cde07970c3_k

Temer durante atuação como secretário de Segurança, quando criou a primeira Delegacia da Mulher do país

Sua atuação como secretário de Segurança foi marcada por ações inovadoras. Temer criou os conselhos comunitários de Segurança (Conensegs) e, após receber uma comissão que denunciava o espancamento de mulheres e o descaso de autoridades com os crimes, instituiu a primeira Delegacia da Mulher no Brasil. Também criou a Delegacia de Proteção aos Direitos Autorais, instrumento de combate à pirataria, e a Delegacia de Apuração de Crimes Raciais.

Em 1986, foi candidato a deputado federal pelo PMDB de São Paulo, mas, com os 43.747 votos obtidos, ficou como suplente. Em 16 de março de 1987, assumiu o primeiro mandato na Câmara, com a licença do deputado Tidei de Lima, e se tornou constituinte. Na segunda eleição, em 1990, Michel Temer também ficou como suplente, registrando 32. 024 votos.

Em 1992, no governo de Luiz Antônio Fleury em São Paulo, voltou à Secretaria de Segurança seis dias após o Massacre do Carandiru. Naquela ocasião, uma intervenção da Polícia Militar no Pavilhão 9 da Casa de Detenção, para conter uma rebelião, provocou a morte de 111 detentos.

Presidente interino

Vice-presidente de Dilma desde o primeiro mandato, Temer foi responsável pela articulação política do governo, com a saída de Pepe Vargas da Secretaria de Relações Institucionais, no início de abril de 2015. Apesar de fazer parte do governo, nos últimos meses, viveu uma relação conturbada com Dilma. Em agosto, anunciou a saída da coordenação política.

Em dezembro, Temer escreveu uma carta em que se dizia “vice decorativo” e que não era ouvido pela então presidenta. À época, Dilma disse não ver motivos para desconfiar “um milímetro” de Michel Temer. Ela destacou ainda que não só confia como sempre confiou nele e que o vice-presidente sempre teve um comportamento “bastante correto”.

Em março deste ano, o PMDB decidiu deixar a base do governo para apoiar o processo de impeachment que tramitava na Câmara dos Deputados.

Já em abril, na mesma semana da votação no plenário da Câmara da admissibilidade do processo de impeachment de Dilma, Temer enviou uma mensagem de voz a parlamentares do PMDB em que falava como se estivesse prestes a assumir o governo após o afastamento de Dilma. O áudio, de cerca de 14 minutos, dá a impressão de ser um comunicado dele ao “povo brasileiro” sobre como pretende conduzir o país, de forma transitória ou não. Depois das primeiras repercussões da mensagem nas redes sociais, a assessoria de Temer informou que o áudio foi enviado por engano a um grupo de deputados do partido.

No dia seguinte, Dilma disse que havia um golpe em curso contra o seu governo e, sem citar nomes, fala em “chefe e vice-chefe do golpe”, referindo-se a Michel Temer e Eduardo Cunha (PMDB-RJ), até então presidente da Câmara dos Deputados.

Influência política

Temer exerceu seis mandatos como deputado federal. No pleito de 2006, com 99.046 votos, foi eleito com o menor número de votos entre os três parlamentares do PMDB que conquistaram vaga na Câmara. Antonio Bulhões obteve 109.978 votos e Francisco Rossi de Almeida, 106.272.

Em 2009, foi apontado pelo Departamento Intersindical de Assessoria Parlamentar (Diap) como parlamentar mais influente do Congresso Nacional. “Michel Temer é um político experiente, de boa formação, habilidoso na articulação com os agentes públicos de modo geral e com os demais poderes quando exerce a função de chefe de poder. É um parlamentar que conhece a real importância do diálogo, da negociação e isso pode ser um diferencial neste período à frente da Presidência da República”, disse Antônio Augusto, jornalista e analista político do Diap.

Temer foi eleito três vezes para a presidência da Câmara (1997, 1999 e 2009). Na condição de presidente da Casa, assumiu a Presidência da República interinamente por duas vezes: de 27 a 31 de janeiro de 1998 e em 15 de junho de 1999 (governo do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso).

No PMDB, foi presidente do Diretório Nacional de 2001 ao fim de 2010. No ano seguinte, licenciou-se do posto ao assumir a Vice-Presidência da República. Em 2013, ele voltou ao posto, eleito por unanimidade. Após a saída do PMDB do governo em março, em meio às discussões do impeachment da presidenta Dilma Rousseff, Temer licenciou-se da presidência da legenda e deu lugar ao senador Romero Jucá (PMDB-RO).

Aliança PT-PMDB

tem-bolo_pt_pmdb

Bolo com bonecos representando Dilma e Termer marcou, em 2011,união entre PT e PMDBArquivo/Agência Brasil

A aliança entre o PMDB e o PT começou no primeiro mandato do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, há 13 anos. Em votação simbólica, no dia 13 de junho de 2010, os petistas aprovaram, durante a convenção nacional do PT, em Brasília, a formalização da candidatura de Dilma Rousseff à Presidência da República e a indicação do deputado Michel Temer para vice na chapa.

Em julho de 2011, em meio à última reunião da base aliada no primeiro semestre, houve até um bolo com os bonecos de Dilma Rousseff e de Michel Temer no topo. Na época, petistas como Ricardo Berzoini e peemedebistas como Henrique Eduardo Alves e Marcelo Castro, todos ministros do governo Dilma, repartiram o bolo para celebrar o “casamento” entre as legendas.

Formação

Formado em direito pela Universidade de São Paulo (1963), Temer é doutor em direito pela Pontifícia Universidade Católica (PUC) de São Paulo. O presidente interino também atuou como professor de direito em 1968. Sua carreira acadêmica estendeu-se até 1984.

Temer é autor dos livros Constituição e Política, Territórios Federais nas Constituições Brasileiras e Seus Direitos na Constituinte e Elementos do Direito Constitucional, esse último na 24ª edição, com mais de 200 mil exemplares vendidos.

Intimidade

A intimidade do presidente sempre foi preservada. Apesar do reconhecido traquejo político, Michel Temer manteve-se discretamente nos bastidores do poder.

Com a publicação de seu livro de poemas Anônima Intimidade, em 2013, deixou de lado o perfil reservado de político e expôs traços de sua natureza íntima. Na ocasião, contou que a obra foi escrita durante viagens entre a residência pessoal e reduto eleitoral, em São Paulo, e a capital federal. Temer afirmou que os versos eram “imortalizados em guardanapos”.

Michel Temer é casado há 13 anos com Marcela Temer, com quem tem o filho Michel. Também foi casado com Neusa Popinigis (sem filhos) e com Maria de Toledo, com quem teve três filhas: Clarissa, Luciana e Maristela.

Também filiada ao PMDB, Luciana Temer é secretária municipal de Assistência e Desenvolvimento Social de São Paulo, na gestão do prefeito Fernando Haddad, candidato à reeleição pelo PT.

*Colaboraram Paula Laboissière e Pedro Peduzzi

 

Da Agência Brasil*

Bienal do Livro atrai até quem ainda não sabe ler

Evento reúne pessoas em busca de descontos e lançamentos, além de bate-papo com estrelas da web

 DDBIENALDOLIVROHLFoto: Hellen Lobo/DiárioSP

Os olhos da pequena Isabelli Gonçalves, de 6 anos, ainda não entendem aquele turbilhão de letras, mas isso não é motivo para ficar fora da 24ª Bienal Internacional do Livro em São Paulo, no Anhembi, Zona Norte. Apesar de não saber ler, ela fez questão de comprar o primeiro livro, de muitos que ela diz querer.

“Sou fã da Larissa Manoela (atriz e cantora). Amo assistir a novela e pedi para minha mãe o livro. Não sei ler, mas esse vai ser o primeiro”, disse Isabelli, que não tirava das mãos a sua mais nova “boneca”.

Para a mãe de Isabelli, a técnica em farmácia Vivian Gonçalves, 30, os novos livros, aqueles feitos por celebridades, têm sido uma forma de incentivar a leitura. “Esse é o novo brinquedo dela e fico feliz porque vai ajudar daqui a alguns meses na escola.”

A bienal reúne também os “veteranos” do mundo da leitura. “Desde os 9 anos sou apaixonada por livros. Aqui é um paraíso para mim”, brincou a secretária Rita Gualberto, 58, em sua quarta vez na bienal.

Há também quem tenha ido em busca de descontos. É o caso da estudante Brenda Peixoto, 13, que comprou oito livros e gastou cerca de R$ 80.

DIRETO DO NORDESTE

Os estudantes Luís Batista, 18, e Mateus Bernardo, 17, vieram de Recife (PE) só para participar do evento. “Nunca tinha visto algo assim. Gostei e quero voltar mais vezes”, contou Luís.

Segundo a organização, a estimativa é que mais de 700 mil pessoas visitem a bienal até domingo, último dia da mostra, que tem 280 estandes. Crianças até 12 anos e maiores de 60 não pagam ingresso.

24ª BIENAL DO LIVRO

Quando: Até 4 de setembro

Onde: Pavilhão do Anhembi, Av. Olavo Fontoura, 1.209

Preço: R$ 20 (quarta e quinta) e R$ 25 (sexta a domingo); estudantes pagam meia

biennn-bienal-minuanoEstande da Editora Minuano / Hellen Lobo/DiárioSP

_________________________________________________

Minuano oferece variedade de livros e revistas

Com uma grande variedade de livros, a Editora Minuano também oferece na 24 Bienal Internacional do Livro em São Paulo uma promoção para quem assinar uma de suas revistas.

Os temas são diversos: educação, artesanato, confeitaria, advocacia, inclusão e dicas para casa. “Quem assinar até domingo ganha também três exemplares de edições passadas, além de uma bolsa”, explicou o responsável pelo estande da editora, Ismael Seixas. Os valores da assinatura vão de R$ 92 a R$ 230.

Os visitantes também podem encontrar livros a partir de R$ 5. “É difícil a gente achar esse preço no dia a dia. Vale a pena olhar o estande com calma porque tem muitas coisas baratas”, confirmou a administradora de empresas Rosa Lima, de 45 anos.

Segundo Seixas, o estande está com cerca de um milhão de itens. Entre eles estão livros, revistas de diversos assuntos, caça-palavras, cruzadinhas e até pôster de celebridades e bandas internacionais.

E para quem quer fugir do mundo da leitura, é possível encontrar até kit para ser mágico. Eles variam de R$ 10 a R$ 100.

Além disso, o visitante pode ter sua caricatura feita em dois minutos por um artista.
Por: Ana Paula Bimbati
Diario SP

Taboão da Serra: Base governista cobra mais apoio do prefeito no período eleitoral

Na sessão desta terça-feira, dia 30, a Câmara de Taboão da Serra não apresentou projetos. Os vereadores discutiram sobre a saúde no município, com destaque para o novo tomógrafo instalado no Hospital Geral de Pirajussara (HGP). E a base governista cobrou mais apoio do prefeito durante o período eleitoral.

O líder do governo na Casa, vereador Eduardo Nóbrega (PSDB) e o presidente Cido (DEM) usaram a tribuna foram incisivos em seus discursos. De acordo com os parlamentares, o prefeito precisa diferenciar a atenção que dispensa aos “candidatos com mandatos” e aos “candidatos sem mandado”. “Ninguém é contra uma base de governo forte, gigante [..] todos somos importantes como candidatos, mas somos vereadores, essa é a diferença”, destacou Nóbrega.

Rose Santanataboao_20812O presidente da Câmara, Cido e o líder do governo, Eduardo Nóbrega, durante sessão desta terça

A “bronca”, segundo os governistas, é porque candidatos da chapa do prefeito estão imputando a si, a autoria de obras que foram conquistadas “graças ao trabalho e apoio” deles. “É óbvio que só vereador tem a prerrogativa de modificar, encaminhar e destinar orçamento para determinadas áreas, muitos pré-candidatos acabam dizendo que eles que indicaram [...] são prerrogativas nossas pegar o ofício e por em votação, ou será que outros têm também [...]de repente mudou a constituição federal e alguns cargos livres nomeados aí da prefeitura podem também votar aqui. É um desabafo”, declarou Cido.

O presidente da Casa ainda lembrou que “os 10 vereadores contribuíram para que o prefeito Fernando Fernandes conseguisse concluir seu plano de governo, concluir e com grandes avanços, hoje nós temos uma nova Taboão da Serra, com grandes conquistas nas áreas da saúde, educação com creches, esporte, quem é que deu sustentação, esses vereadores aqui acreditando, que contribuíram e hoje o prefeito é aprovado na cidade”, completou.

Nóbrega chamou a atenção do governo para a importância da base. “Vossa excelência [prefeito]que eu considero um gênio da política, sabe que tá errado, sabe que não é correto, sabe que não pode fazer como está sendo feito, sabe que numa campanha não se afasta as prerrogativas que foram conquistadas nas urnas de uma campanha anterior, todo grupo é importante, todos fazem parte deste nosso exército que vai eleger o prefeito Fernando Fernandes”, disse.

Alterado, Nóbrega declarou que o assunto deveria ter sido tratado nos bastidores, porém faltam apenas “33 dias para as eleições” e questionou de que maneira o governo quer conduzir a situação e disse que poderá deixar a liderança do governo.

“É essa a relação que o senhor quer ter com a base de 10 vereadores? O senhor avisa que dá tempo de fazer muita coisa em 33 dias [...] se é esse o respeito que vão ter com os 10 vereadores me avisa que eu largo a liderança do governo agora, porque eu não vou pilotar um governo com 10 vereadores insatisfeitos, aqui não tem criança [...] Há três anos e meio já mostramos quem é cada um”, disparou Nóbrega,

Outro assunto discutido pelos vereadores foi a chegado do tomógrafo no Hospital Geral de Pirajussara (HGP), com capacidade para realizar mais de 150 exames/dia. Os parlamentares destacaram a importância do aparelho, lembrando situações “que acontecem no HGP, inclusive levando a óbito jovens, idosos, todos os cidadãos Taboão e região por falta de um aparelho de tomografia”[...] “evidentemente, ações que são tomadas não trarão de volta à vida, aqueles que se foram”, disse Nóbrega.

O vereador Cido, declarou ser “inaceitável uma instituição, um hospital como o HGP, que todos os dias recebem de diversas áreas pessoas necessitando de uma tomografia e muitas vezes acabam tendo prejuízos [...] infelizmente tem coisas que não conseguimos voltar atrás. Quero enaltecer a deputada Analice Fernandes que garante um novo tomógrafo de última geração com uma capacidade de fazer mais de 150 tomografias/dia, garantindo a todas as pessoas que necessitam terem um diagnóstico melhor, de poder salvar vidas”.
Rose Santana
Portal O Taboanense

Candidaturas de Ney Santos e Geraldo Cruz são impugnadas em Embu das Artes

O Juiz eleitoral Gustavo Sauaia Romero Fernandes, de Embu das Artes, impugnou nesta terça-feira, dia 30, as candidaturas de Ney Santos (PRB) e de Geraldo Cruz (PT) a prefeitura da cidade. Os dois candidatos irão recorrer da decisão.

O juiz eleitoral em sua decisão disse que ser contra o deferimento da candidatura de Ney Santos porque ele “teve confirmada a autoria de captação de sufrágio durante campanha para vereador desde mesmo Município, durante a campanha para o pleito de 2012”. O caso considerado compra de votos tirou Ney Santos do cargo de vereador por três vezes, mas ele sempre voltou com liminares de instâncias superiores.

Eduardo Toledoembu_20823

Geraldo Cruz e Ney Santos, ao fundo, durante evento de inauguração de equiamento público em 2015

Sauaia escreveu ainda que “se deve destacar que a inelegibilidade revogada no Acórdão, que deu Provimento parcial à Sentença de primeiro grau, não é a decorrente da Lei da Ficha Limpa – ora objeto destes autos. Nem haveria como, pois esta só passou a existir como consequência do Acórdão. A rigor, a revogação da inelegibilidade prevista na Sentença, que se iniciaria tão somente após o Trânsito em Julgado, ocorreu justamente para não configurar bis in idem, dada a inelegibilidade reflexa pela condenação colegiada, que se inicia desde a Eleição em que se deu o ilícito. Claramente, os julgadores retiraram uma inelegibilidade para consagrar outra”.

Sobre a impugnação de Geraldo Cruz, Sauaia considerou o petista como “inelegível” devido a uma condenação do atual deputado estadual. “Por força da condenação pelo TRE-SP, por investigação eleitoral que concluiu ter havido abuso eleitoral de veículo de comunicação, a inelegibilidade pelo prazo de oito anos”.

O juiz destacou em sua sentença que “confirmou-se, portanto, a inelegibilidade decretada em Acórdão pelo TRE-SP, de modo a se tornar juridicamente inadmissível a candidatura pretendida. O julgamento também esgota o efeito suspensivo concedido ao recurso já apreciado”.

A reportagem tentou contato tanto com Ney Santos como com Geraldo Cruz, mas não obteve retorno. A assessoria de imprensa de Cruz divulgou uma nota sobre a decisão do TSE que negou recurso da defesa do candidato, mas não se pronunciou sobre a decisão de impugnação proferida pela justiça eleitoral da cidade.

Embu das Artes ainda tem outros cinco candidatos a prefeito: Pedro Valdir (PSD), Dr. Almir (PEN), Juninho (Psol), Nivaldo Orlandi (PDT) e Toninho Serapião (PMN).
Eduardo Toledo
Portal O Taboanense

Meio Ambiente de Itapecerica da Serra realiza Projeto Escola Verde

Da Redação

Itapecerica da Serra, por meio da Prefeitura e Secretaria de Planejamento e Meio Ambiente, promoveu atividades do Projeto Escola Verde nos dias 23 e 24 de agosto, no Colégio Mão Amiga. Cerca de 193 crianças, nas idades entre 10 e 15 anos, conheceram mais sobre a reciclagem e a cooperativa do município. A apresentação foi fundamentada na vivência e experiência dos cooperados.

Como a escola demonstrou interesse sobre a maneira correta do descarte dos resíduos, foi realizada a conscientização sobre a importância da reciclagem, mostrando o quanto o hábito de separar e destinar corretamente o lixo é benéfico para o Meio Ambiente e valoriza o trabalho do cooperado. Quanto mais resíduos forem para a Cooperativa, aumenta-se o número de trabalhadores.

Houve também uma explicação sobre a compostagem e sua importância, tanto para natureza, quanto os benefícios para todos.

Projeto Escola Verde - 1 Projeto Escola Verde - 2

1º Capoeira na Serra tem Marcha, Homenagem e Aulão

Da Redação

Capoeira na Serra

Itapecerica da Serra, por meio da Prefeitura e da Secretaria de Cultura, promoveu a 1ª edição do Capoeira na Serra, no último dia 27 de agosto. O evento, que contou com um grande número de capoeiristas, comemora do Dia da Capoeira (3 de agosto), em cumprimento à Lei Municipal n°1406 de 14/05/2003, e comprova a dedicação do prefeito Chuvisco e da vice Regina Corsini em apoiar as diversas expressões culturais.

Após um café da manhã na Secretaria de Cultura para mestre, professores e graduados, os participantes saíram em Marcha tocando, cantando e batendo palmas rumo à sede da Prefeitura. O trajeto foi acompanhado por agentes de Trânsito e da Guarda Civil Municipal.

Em seguido houve uma homenagem ao Mestre Roque, um velho capoeirista Afro Baiano. Em meio aos agradecimentos, aos 81 anos Mestre Roque tocou Atabaque e cantou, sendo muito aplaudido por todos.

Cerca de cem pessoas, entre crianças, jovens e adultos, executaram movimentos típicos da capoeira durante um aulão realizado na ocasião, e acompanharam ainda uma apresentação de Maculelê, uma expressão teatral, tipo de dança folclórica brasileira de origem afro brasileira e indígena.

Por volta das 11h formou-se uma grande roda, onde todos os capoeiristas que ali estavam puderam de modo indiscriminado mostrar seu talento ao som do berimbau, atabaque e muitas palmas. O evento foi finalizado com o alegre Samba de Roda.

Preparação

Durante todo o mês de agosto foram realizadas diversas sessões de cinema com o filme “Esporte Sangrento”. Cerca 1200 alunos da rede pública de ensino participaram das exibições, cujo objetivo foi fazer com que eles tivessem um contato maior com a capoeira.

O encontro do dia 27 foi a coroação da programação. Apesar das inúmeras dificuldades, a Secretaria de Cultura avaliou que a ação foi um sucesso, pois enquanto marchavam as pessoas saíam dos comércios e residências para prestigiar tal acontecimento inédito na cidade.

O diretor Bonifácio Soares, diretor de Cultura e organizador do Capoeira na Serra, agradeceu o prefeito Chuvisco, secretário de Cultura Paulo Flamingo e sua equipe: Alcione, Elisangela, Cristiane, Álvaro, José, Andrea, Rafael. Também lembrou dos voluntários Kaike, Lucas, Thiago, Ângelo e Erika; das Secretarias de Educação, Governo, Comunicação, Trânsito, GCM, Samu, Inclusão Social e Diretoria de Ensino; e deixou um agradecimento especial a todos os Mestres, Professores, Graduados, todos os Capoeiristas e o público, sem os quais não seria possível honrar a cultura e comemorar essa data tão importante

Senado aprova impeachment e Dilma é afastada definitivamente da Presidência

dilma-1040831-29.08.20160pzzb-1243_1

Por 61 a 20, o plenário do Senado acaba de decidir pelo impeachment de Dilma Rousseff. Não houve abstenção. A posse de Temer ocorrerá às 16h no Senado.

O resultado foi comemorado com aplausos por aliados do presidente interino Michel Temer, que cantaram o Hino Nacional. O resultado foi proclamado pelo presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Ricardo Lewandowski, que comandou o julgamento do processo no Senado, iniciado na última quinta-feira (25).

Agora, os senadores irão decidir se Dilma perde os direitos políticos por oito anos.

Fernando Collor, primeiro presidente eleito por voto direto após a ditadura militar, foi o primeiro chefe de governo brasileiro afastado do poder em um processo de impeachment, em 1992. Com Dilma Rousseff, é a segunda vez que um presidente perde o mandato no mesmo tipo de processo.

Dilma fará uma declaração à imprensa. Senadores aliados da petista estão se dirigindo ao Palácio da Alvorada para acompanhar o pronunciamento de Dilma.

Julgamento

A fase final de julgamento começou na última quinta-feira (25) e se arrastou até hoje com a manifestação da própria representada, além da fala de senadores, testemunhas e dos advogados das duas partes. Nesse último dia, o ministro Ricardo Lewandowski leu um relatório resumido elencando provas e os principais argumentos apresentados ao longo do processo pela acusação e defesa. Quatro senadores escolhidos por cada um dos lados – Vanessa Grazziotin (PCdoB-AM) e Randolfe Rodrigues (Rede-AP), pela defesa, e Ronaldo Caiado (DEM-GO) e Ana Amélia (PP-RS), pela acusação – encaminharam a votação que ocorreu de forma nominal, em painel eletrônico.

Histórico

O processo de impeachment começou a tramitar no início de dezembro de 2015, quando o então presidente da Câmara dos Deputados e um dos maiores adversários políticos de Dilma, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), aceitou a peça apresentada pelos advogados Miguel Reale Jr., Janaína Paschoal e Hélio Bicudo.

No pedido, os três autores acusaram Dilma de ter cometido crime de responsabilidade fiscal e elencaram fatos de anos anteriores, mas o processo teve andamento apenas com as denúncias relativas a 2015. Na Câmara, a admissibilidade do processo foi aprovada em abril e enviado ao Senado, onde foi analisada por uma comissão especia, onde foi aprovado relatório do senador Antonio Anastasia (PMDB-MG) a favor do afastamento definitivo da presidenta.

Entre as acusações as quais Dilma foi julgada estavam a edição de três decretos de crédito suplementares sem a autorização do Legislativo e em desacordo com a meta fiscal que vigorava na época, e as operações que ficaram conhecidas como pedaladas fiscais, que tratavam-se de atrasos no repasse de recursos do Tesouro aos bancos públicos responsáveis pelo pagamento de benefícios sociais, como o Plano Safra.

 
Da Agência Brasil

Taxa de desemprego cai em julho na região metropolitana de São Paulo

carteira_de_trabalho

Carteira de trabalhoArquivo/Agência Brasil

A taxa de desemprego na região metropolitana de São Paulo apresentou leve queda ao passar de 17,6% em junho para 17,4% em julho, segundo informações da Pesquisa de Emprego e Desemprego, feita todos os meses pela Fundação Sistema Estadual de Análise de Dados (Fundação Seade) e Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese), divulgada hoje (31) na capital paulista.

Segundo os dados, o contingente de desempregados foi calculado em 1,953 milhão de pessoas, 37 mil a mais do que no mês anterior. Esse número é decorrente da redução do nível de ocupação com a eliminação de 45 mil postos de trabalho (-0,5%) e da População Economicamente Ativa (PEA), que registrou 82 mil pessoas deixando o mercado de trabalho, o que equivale a 0,7%.

Os dados mostram também que em fevereiro o nível de ocupação caiu 0,5% e o contingente de ocupados foi estimado em 9,274 milhões de pessoas. O resultado ocorreu em função da queda de empregados na indústria de transformação (-3,0%), equivalente a 44 mil postos de trabalho a menos; no comércio e reparação de veículos automotores e motocicletas (-2,2%), com a eliminação de 36 mil postos de trabalho; e na construção (-0,3%), com menos 2 mil postos de trabalho. O setor de serviços registrou crescimento no nível ocupacional (0,7%), com geração de 38 mil postos de trabalho.

A pesquisa mostrou ainda que o número de assalariados caiu 0,5%. No setor privado, houve aumento do assalariamento com carteira assinada (1,9%) e caiu o número de assalariados sem carteira (-0,5%). O contingente de ocupados nas demais posições caiu 1,9%, os autônomos caíram 1,1%. A quantidade de empregados domésticos cresceu 2,7%. De acordo com a pesquisa, entre dezembro e janeiro, o rendimento médio real dos ocupados caiu 0,3%, passando a R$ 1.963,00. Já o rendimento dos assalariados teve variação positiva, passando a R$ 2.034,00.

Quando analisados os últimos 12 meses, a taxa de desemprego na região metropolitana em julho deste ano foi maior do que a verificada em julho do ano passado (13,7%). O contingente de desempregados aumentou em 439 mil pessoas, devido à eliminação de 261 mil postos de trabalho (-2,7%) e ao aumento da força de trabalho da região, com a entrada de 178 mil pessoas no mercado de trabalho (1,6%).

Segundo os dados, em relação a julho do ano passado, o nível de ocupação diminuiu 2,7% em função das reduções no comércio e reparação de veículos automotores e motocicletas, com a eliminação de 111 mil postos de trabalho, ou -6,5%, na construção (-93 mil postos ou -13,5%) e na Indústria de Transformação (-88 mil postos ou -5,8%). Houve aumento do nível ocupacional nos serviços, com geração de 34 mil postos de trabalho ou 0,6%.

 

 

Da Agência Brasil

Acompanhe ao vivo a votação do impeachment de Dilma Rousseff no Senado

Criado em 31/08/16 07h43 e atualizado em 31/08/16 11h14 
ipit-1040834-29.08.2016

A sessão final para votação e julgamento do processo de impeachment da presidenta Dilma Rousseff terá início hoje (31) às 11h. A fase de pronunciamento dos senadores foi encerrada na madrugada desta quarta-feira, após as 2h da madrugada.

Está previsto que  o presidente da sessão e do Supremo Tribunal Federal, ministro Ricardo Lewandowski, apresente uma síntese das alegações da acusação e defesa e depois responda algumas questões de ordem. Em seguida, dois senadores favoráveis e dois contrários ao impeachment farão o encaminhamento da votação, por cinco minutos cada.

A partir daí, a votação será aberta e ocorrerá eletronicamente, no painel.

Assista ao vivo:

As Rádios EBC entram em rede para transmitir a votação e você pode ouvir ao vivo

Por Portal EBC

Corinthians visita o Fluminense em busca de recuperação e título

Em: Campeonato Copa do Brasil, Copa do Brasil, Corinthians, Fluminense, Futebol

corii-00868971

Guilherme comandará o ataque na partida contra o Fluminense, em Edson Passos (Foto: Djalma Vassão/Gazeta Press)

Pressionados por conta de fracassos recentes, Fluminense e Corinthians se enfrentam nesta quarta-feira, às 21h45 (de Brasília), no Estádio Giulite Coutinho, em Mesquita (RJ), em duelo válido pela rodada de ida das oitavas de final da Copa do Brasil. O Tricolor vem de derrota de 2 a 0 para o Palmeiras no Campeonato Brasileiro, o que lhe afasta da briga por esse título, aumentando a sua responsabilidade no mata-mata. Pelo mesmo placar, o Timão foi superado no sábado pela Ponte Preta e já vê na Copa sua possibilidade de título do semestre.

Os dois treinadores sabem como um resultado positivo é importante nesta quarta-feira. “No Rio a gente vai jogar para ganhar, como a gente sempre joga. Buscar o resultado, a vitória. Sabemos que temos condições. Se eu quiser colocar o Corinthians para jogar defendendo, dificilmente vai ganhar. Tem que jogar para ganhar. O Corinthians defende bem, mas não pode jogar se defendendo”, observou Cristóvão Borges, com opinião semelhante à do adversário.

“Esse é o típico jogo em que uma vitória pode ter uma influência muito importante na sequência da temporada. O Corinthians é um adversário que vai exigir demais do Fluminense e eliminá-lo será uma grande demonstração de força. Porém, para isso é muito importante que o nosso time tenha um bom resultado na partida de ida, em nossa casa. Em São Paulo o Corinthians, em vantagem, será ainda mais forte”, disse Levir Culpi, comandante do Fluminense.

Para que as palavras de Cristóvão se tornem realidade, os atletas corintianos sabem da necessidade de uma melhora, principalmente na parte individual. É consenso no elenco que as apresentações recentes pouco tiveram influência de Cristóvão, mesmo ele sendo o nome mais cobrado pela torcida.

“Eu preciso melhorar muito, tenho essa consciência, o resto do grupo também tem. Eu acho que é um jogo pra ser esquecido esse da Ponte Preta, um jogo que nós jogadores sabemos que foi muito abaixo, já tivemos uma conversa sobre isso. Não é o time que estamos acostumados a ver. Sabemos que precisamos melhorar muito. Esse jogo já é um jogo passado, a gente tirou algumas lições para não acontecer de novo nos próximos jogos”, assegurou o volante Cristian, que será mantido entre os titulares.

O Alvinegro não poderá contar nesta partida com o lateral direito Fagner, servindo à Seleção Brasileira nas Eliminatórias sul-americanas para a Copa do Mundo de 2018, assim como o atacante Ángel Romero, entregue ao time do Paraguai. Léo Príncipe será o substituto na defesa. De última hora, Elias também foi cortado da viagem por estar em meio a uma negociação com o Sporting-POR.

Para o lugar do volante, Cristóvão não teve nem a oportunidade de treinar uma nova equipe. O mais provável é que Rodriguinho seja recuado à função de segundo volante e Giovanni Augusto retome uma vaga de titular na armação. Outra opção seria a escalação de Camacho ao lado de Cristian, mantendo Rodriguinho na armação.

O Flu, por sua vez, manterá a equipe derrotada pelo alviverde. O duelo de volta entre as duas equipes pelas oitavas de final será no estádio de Itaquera e está previsto, inicialmente, apenas para o dia 21 de setembro, às 21h45 (de Brasília).

FICHA TÉCNICA
FLUMINENSE X CORINTHIANS

Local: Estádio Giulite Coutinho, em Mesquita (RJ)
Data: Data: 31 de agosto de 2016, quarta-feira
Horário: 21h45 (de Brasília)
Árbitro: Elmo Alves Resende Cunha (GO)
Assistentes: Cristhian Passos Sorence (GO) e Leone Carvalho Rocha (GO)

FLUMINENSE: Diego Cavalieri; Wellington Silva, Gum, Henrique e William Matheus; Douglas, Cícero, Gustavo Scarpa, Marcos Junior e Wellington; Henrique Dourado
Técnico: Levir Culpi

CORINTHIANS: Cássio; Léo Príncipe, Yago, Balbuena e Uendel; Cristian, Rodriguinho, Marquinhos Gabriel, Giovanni Augusto e Marlone; Guilherme
Técnico: Cristóvão Borges

 

Confira outros jogos pela Copa do Brasil

Fase: Oitavas de Final

19:30-PALMEIRAS – SP X BOTAFOGO – PB-Allianz Parque – Sao Paulo – SP

21:45-INTERNACIONAL – RS X FORTALEZA – CE-Beira Rio – Porto Alegre – RS

 

 

Gazeta Press e Tomás Rosolino – São Paulo, SP