Aloysio Nunes será o novo ministro das Relações Exteriores

aloisio-1046630-dTemer e o senador Aloysio Nunes se encontraram no início da tarde de hoje, no Palácio do Planalto, para fecharem os últimos detalhes da indicaçãoMarcelo Camargo/Agência Brasil

O presidente Michel Temer escolheu o líder do governo no Senado, Aloysio Nunes (PSDB-SP), para assumir o Ministério das Relações Exteriores. Aloysio substituirá senador tucano José Serra, que pediu demissão do comando do Itamaraty por causa de problemas de saúde.

Temer e o Aloysio Nunes se encontraram no início da tarde de hoje (2), no Palácio do Planalto, para fecharem os últimos detalhes da indicação. Como novo chanceler, caberá a Aloysio Nunes representar o Brasil em compromissos internacionais e junto a embaixadas estrangeiras no Brasil, além de chefiar as delegações brasileiras no exterior. Em maio, depois que Temer assumiu a Presidência, ainda na interinidade, Nunes foi escolhido para a liderança do governo no Senado.

De acordo com o Palácio do Planalto, Aloysio Nunes e o novo ministro da Justiça e Segurança Pública, Osmar Serraglio, cuja confirmação no cargo foi feita há uma semana, tomarão posse na próxima terça-feira (7), às 15h30.

O anúncio de Fereira como titular das Relações Exteriores foi feito nesta tarde pelo porta-voz da Presidência, Alexandre Parola. Segundo ele, o parlamentar é um homem público com “larga experiência política” no Executivo e no Legislativo e possui uma “longa trajetória” em defesa das causas da diplomacia brasileira e da agenda internacional do Brasil.

“Seu período como presidente da Comissão de Relações Exteriores e Defesa Nacional do Senado é exemplo claro do elevado valor e das importantes contribuições que o senador Aloysio Nunes traz para a promoção e a defesa dos interesses de nossa política externa”, afirmou o porta-voz.

Perfil

Aloysio Nunes Ferreira tem 71 anos e é senador desde 2011. Na eleição presidencial de 2014, concorreu como vice-presidente da República na chapa encabeçada pelo senador Aécio Neves (PSDB-MG), que chegou ao segundo turno mas acabou sendo derrotado pela chapa Dilma Rousseff/Michel Temer. Além de ter exercido mandatos de deputado estadual e federal por São Paulo, o tucano Ferreira foi vice-governador do estado de 1991 a 1994.

No governo Fernando Henrique Cardoso, Aloysio Nunes foi ministro da Secretaria-Geral da Presidência da República, de 1999 a 2001, e comandou o Ministério da Justiça, em 2001 e 2002. Formado em direito pela Universidade de São Paulo, o novo ministro ficou exilado na França no período da ditadura militar, onde se formou em economia política e fez mestrado em ciência política pela Universidade de Paris. No lugar de Aloysio Nunes no Senado, assumirá o primeiro suplente, Airton Sandoval (PMDB-SP).

 
Da Agência Brasil

Confira os resultados dos jogos da Copa do Brasil 2017

Da Redação

Quarta, 01 de Março de 2017

19:30-ABC – RN (4) 1 X 1 (1) AUDAX – SP-Frasqueirão – Natal – RN
19:30-VAÍ – SC (2) 1 X 1 (3) LUVERDENSE – MT-Ressacada – Florianopolis – SC
JOINVILLE – SC 1 X 0 SÃO RAIMUNDO – PA-Arena Joinville – Joinville – SC
19:30-SINOP – MT 1 X 3 FLUMINENSE – RJ-Gigante do Norte – Sinop – MT
19:30-PSTC – PR 2 X 4 SÃO PAULO – SP-Do Café – Londrina – PR
20:30-SAMPAIO CORREA – MA 2 X 0 GUARANI – CE-Castelão – Sao Luis – MA
20:30-GURUPI – TO 2 X 0 RIO BRANCO – AC-Gilberto Resende T-O
21:45-VILA NOVA – GO 1 X 2 VASCO DA GAMA – RJ-Serra Dourada – Goiania – GO
21:45-BRUSQUE – SC (4) 0 X 0 (5) CORINTHIANS – SP-Augusto Bauer – Brusque – SC
21:45-BOA – MG (2) 0 X 0 (3) GOIÁS – GO-Dilzon Melo – Varginha – MG

Corinthians quebra novo tabu e volta a vencer nos pênaltis após 4 anos

timao_62025_largeFoto:Daniel Augusto Jr/Agência Corinthians

Após voltar a vencer um Derby e acabar com um jejum de dois anos sem triunfos frente ao arquirrival Palmeiras, o Corinthians do técnico Fábio Carille conseguiu um novo feito na noite da última quarta-feira. Mesmo jogando um futebol muito aquém das expectativas diante do Brusque, pela segunda fase da Copa do Brasil, o clube voltou para São Paulo com uma vitória em disputa de pênaltis , algo que não acontecia desde 2013.

A última vez em que o Timão saiu-se vencedor em decisões envolvendo tiros da marca da cal foi diante do São Paulo, na semifinal do Campeonato Paulista daquele ano. A ocasião, apesar das claras diferenças de rival, foi razoavelmente semelhante: jogo único na casa do adversário, estádio do Morumbi, e vitória após empate por 0 a 0 no tempo normal.

Único atleta presente naquela ocasião e na noite de quarta catarinense, o goleiro Cássio foi decisivo frente ao Tricolor ao defender a cobrança de Luis Fabiano. Além do centroavante adversário, o meia Paulo Henrique Ganso desperdiçou sua tentativa, mandando por cima do gol, e viu o então corintiano Alexandre Pato, na segunda chance, selar a classificação do futuro campeão estadual daquela temporada.

Desde então, a equipe se viu nesta situação em quatro ocasiões, sempre saindo perdedor. A primeira foi nas quartas de final da Copa do Brasil de 2013, famosa após a “cavadinha” mal executada por Pato diante do Grêmio. Dois anos depois, o time sofreu uma dolorosa eliminação contra o Palmeiras, no estádio de Itaquera. Elias, que bateu para dar vaga ao clube, parou em Prass, assim como Petros, dando a classificação ao arquirrival.

Na temporada seguinte, nova eliminação diante da sua torcida, dessa vez contra o Osasco Audax, na semifinal do Campeonato Paulista. Já com um elenco mais semelhante ao atual, o calvário se deu de forma bastante contundente, com erros de Fagner e Rodriguinho. Camacho, atualmente corintiano, fez o quarto do time da Grande São Paulo, que venceu por 4 a 1 a disputa.

A última foi já em 2017, na Copa Flórida, quando o time foi superado pelo Tricolor por 4 a 3 nos pênaltis, após empate sem gols no tempo normal. Desperdiçaram suas batidas os volantes Fellipe Bastos e Marciel, que não entraram em campo na cidade de Brusque.
Gazeta Esportiva