Ponte inicia segunda fase da Sul-Americana recebendo o Sol de América

A Ponte Preta volta a entrar em campo pela Copa Sul-Americana às 19h15 (de Brasília) desta quinta-feira. Classificada após passar pelo Gimansia La Plata-ARG, na primeira rodada, a Macaca realiza a primeira partida da segunda fase em casa, no estádio Moisés Lucarelli, contra o Sol de América-PAR, que eliminou o Estudiantes de Caracas-EQU.

Em busca de uma vaga nas oitavas de final no torneio continental, o Alvinegro prega pés no chão para os dos dois encontros com os paraguaios. O discurso do técnico Gilson Kleina para primeiro o confronto é de empenho defensivo e respeito aos oponentes. O duelo de volta será realizado no dia 26 de julho, no Paraguai.

kleina
Kleina pede Macaca forte defensivamente no Majestoso (Foto: Fabio Leoni/ PontePress)

“Queremos, de alguma forma, ter algum tipo de vantagem. Primeira situação é não tomar gol. Conversamos com os atletas, em momento algum tem que achar que não é uma equipe forte. Eles têm jogadores experientes, têm linhas defensivas próximas, marcam forte. Temos de ter o espírito da Sul-Americana”, destacou o treinador.

Em termos de escalação, Kleina terá força quase máxima e deverá promover apenas duas mudanças nos 11 que saíram jogando na derrota para o Palmeiras no último domingo, pelo Campeonato Brasileiro. O lateral esquerdo Fernandinho fará sua estreia vestindo a camisa da Ponte, entrando no lugar de João Lucas, que sequer foi inscrito para a Sul-Americana, e o atacante Claudinho ocupa a vaga do único desfalque alvinegro para o compromisso: Lucca, que cumpre suspensão pelo cartão vermelho recebido na primeira fase.

Rival cascudo e sonhador

sol-de-america

Paraguaios também, apostam na defesa para fazerem uma boa partida em Campinas (Foto: Divulgação)

Pelo lado do Sol de América, o principal trunfo para superar os paulistas é a defesa. Dos últimos 14 jogos, a equipe de Assunção perdeu apenas um e ainda segue com uma série invicta que já dura um mês. Além disso, os paraguaios, quinto colocados na classificação final do torneio Apertura do Campeonato Paraguaio, levaram apenas 17 gols em 22 partidas.

Se o sistema defensivo funciona bem, no entanto, o Sol não tem encontrado a receita das vitórias. O time comandado pelo argentino Fernando Ortiz vem de quatro empates consecutivos na competição local, o último deles na última sexta-feira, na rodada de encerramento, por 1 a 1, diante do Sportivo Luqueño.

O último triunfo do oponente da Ponte foi justamente na primeira fase da Sul-Americana. No dia 31 de maio, no Paraguai, o Sol voltou a encarar o Estudiantes-EQU depois de vencer por 3 a 2 em Caracas e aplicou sonoros 7 a 1 em casa, para sair com a vaga no torneio.

FICHA TÉCNICA
PONTE PRETA X SOL DE AMÉRICA-PAR

Local: Estádio Moisés Lucareli, em Campinas-SP
Data: 29 de junho de 2017, quinta-feira
Hora: 19h15, de Brasília
Árbitro: José Argote (Venezuela)
Assistentes: Não Divulgado

PONTE PRETA: Aranha, Nino Paraíba, Marllon, Rodrigo e Fernandinho; Fernando Bob, Elton e Renato Cajá; Claudinho, Lins e Emerson Sheik
Técnico: Gilson Kleina

SOL DE AMÉRICA: Agustín Silva; Aldo Olmedo, Víctor Velázquez, Víctor Hugo Mareco, Gustavo Velázquez; Tomás Rojas (Adrián Vargas), Richard Franco, Claudio Vargas, David Mendieta (Walter Araújo); Rodrigo Ruíz Díaz (Isaac Díaz), Martín Giménez
Técnico: Fernando Ortiz

 

Gazeta Esportiva – SP

Flamengo vence Santos em casa e sai em vantagem na Copa do Brasil

fla_634-1024x683Flamengo fez valer o fator casa e saiu na frente (Foto: Gilvan de Souza/Flamengo)

O Flamengo venceu o Santos por 2 a 0, na noite desta quarta-feira, na Ilha do Urubu, pelas quartas de final da Copa do Brasil. Com o resultado, os rubro-negros ficam com boa vantagem no duelo de volta em busca de um lugar na semifinal.

Os cariocas foram superiores no primeiro tempo e fizeram o primeiro gol com Everton, após belo passe de Guerrero. Quando parecia que o placar permaneceria inalterado até o fim, Cuéllar acertou ótimo chute para fazer o segundo para os flamenguistas e decretar a vitória rubro-negra.

As duas equipes voltam a se enfrentar no dia 26 de julho, na Vila Belmiro. O Santos precisa vencer por três gols de diferença para se classificar. Em caso de triunfo por dois, o duelo vai para os pênaltis. Para o Flamengo, até uma derrota por um gol de diferença serve para avançar à semifinal.

O jogo – A partida começou movimentada, com as duas equipes em busca do ataque. No entanto, ambos tinham dificuldade em passar pela marcação adversária. Tanto que a primeira boa chance aconteceu aos 11 minutos. Berrío foi lançado na área, passou por Jean Mota e chutou, exigindo grande defesa de Vanderlei.

O lance animou os donos da casa, que passaram a dominar o jogo. O Flamengo voltou a assustar aos 18 minutos, quando Berrío foi novamente lançado e chutou da entrada da área, mas parou em mais uma defesa do arqueiro santista.

O Flamengo aumentou a pressão sobre o Santos e abriu o placar aos 26 minutos. Após boa troca de passes dos rubro-negros, Guerrero deu passe de letra para Everton, que chutou sem chance para Vanderlei.

Mesmo após o gol, os donos da casa eram superiores e chegavam com facilidade ao ataque. Aos 31, Guerrero arriscou da entrada da área e finalizou para defesa de Vanderlei em dois tempos. O Santos era pouco produtivo, mas criou sua primeira chance aos 39. Após cruzamento de Lucas Lima, Kayke finalizou, mas o chute foi abafado por Thiago.

Nos minutos finais, os santistas conseguiram equilibrar novamente a partida. No entanto, os visitantes não incomodaram o goleiro carioca. O Flamengo diminuiu o ritmo e preferiu administrar o resultado até o intervalo.

No segundo tempo, os donos da casa voltaram com mais disposição e pressionaram o Santos desde os primeiros minutos. Os rubro-negros quase marcaram o segundo aos nove minutos. Diego colocou na área e Berrío tentou de bicicleta. Para infelicidade do colombiano, Vanderlei estava atento e salvou os visitantes.

Os flamenguistas tinham o domínio da partida, mas tiveram um susto aos 19 minutos, após Copete colocar a bola na rede. No entanto, o gol foi anulado, pois o colombiano estava impedido.

Aos poucos, o Santos equilibrou o confronto e quase empatou aos 29 minutos. Em contra-ataque rápido, Copete tocou para Vitor Bueno na área. O atacante chutou cruzado, mas Pará apareceu para salvar os rubro-negros. A resposta do Flamengo veio dois minutos depois. Em mais um contra-ataque, Everton foi lançado pela esquerda, entrou na área e tocou na saída de Vanderlei, mas o goleiro santista estava bem colocado e fez a defesa.

Na parte final do jogo, o Flamengo sentiu o desgaste físico e diminuiu o ritmo. Com isso, o Santos passou a ter mais posse de bola e buscar o ataque. Os visitantes rondaram a área, mas pouco produziram no setor ofensivo.

Como os paulistas não aproveitaram o bom momento, acabaram sofrendo o segundo gol aos 42 minutos. Guerrero tocou para Cuéllar na entrada área, e o colombiano acertou belo chute, no ângulo, sem chance para Vanderlei, dando números finais na Ilha do Urubu.

FICHA TÉCNICA
FLAMENGO 2 X 0 SANTOS

Local: Ilha do Urubu, no Rio de Janeiro (RJ)
Data: 28 de junho de 2017, quarta-feira
Horário: 21h45 (de Brasília)
Árbitro: Ricardo Marques Ribeiro (MG)
Assistentes: Guilherme Dias Camilo (MG) e Fabricio Vilarinho da Silva (GO)
Público: 14.498 pagantes
Renda: R$ 945.610,00
Cartões amarelos: Márcio Araújo (Flamengo); Lucas Veríssimo (Santos)
GOLS: FLAMENGO: Everton, aos 26 minutos do primeiro tempo; Cuéllar, aos 42 do segundo tempo

FLAMENGO: Thiago, Pará, Juan (Rafael Vaz), Rever e Miguel Trauco; Márcio Araújo, Cuéllar, Diego e Everton; Berrío (Vinícius Júnior) e Paolo Guerrero (Leandro Damião)
Técnico: Zé Ricardo

SANTOS: Vanderlei; Victor Ferraz, Lucas Veríssimo, David Braz e Jean Mota (Caju); Renato, Leandro Donizete e Lucas Lima; Copete, Bruno Henrique (Thiago Ribeiro) e Kayke (Vitor Bueno)
Técnico: Levir Culpi

 

 

Gazeta Press – Rio de Janeiro, RJ

 

Grande incêndio atinge empresa de solventes em Guarulhos

Um incêndio de grandes proporções atinge, neste momento, uma empresa de solventes químicos, na Rua Decio da Silva, 491, no bairro de Bom Sucesso, em Guarulhos, a leste da Grande São Paulo.

inc-001 (3)Foto: Humberto de França / Futura Press

Por envolver a queima de um produto químico, os rolos de fumaça preta podem ser vistos à distância. Para combater o fogo, foram mobilizados, inicialmente, 25 viaturas e, há pouco, houve um reforço de mais cinco. O fogo começou por volta das 9h30. Não há informação sobre vítimas.

inc-001 (2)

 
Foto: Humberto de França / Futura Press
inc-001 (1) Foto: Humberto de França / Futura Press

 
Agência Brasil

Balbuena salva e Corinthians arranca empate no fim na Colômbia

O Corinthians fez talvez a sua pior apresentação na temporada na noite desta quarta-feira, contra o Patriotas-COL, no estádio La Independencia, pela ida da segunda fase da Copa Sul-Americana. Após sair atrás no primeiro tempo, com gol de Gómez, o Alvinegro penou, poderia ter tomado mais, porém viu Balbuena chamar a responsabilidade para si, empatando já nos acréscimos do segundo tempo.

O resultado, conquistado após uma investida do zagueiro paraguaio, iniciando a jogada e completando cruzamento de Fagner, dá ao Timão a possibilidade de empatar sem gols na volta para assegurar vaga nas oitavas de final. Novo 1 a 1 leva a decisão para os pênaltis, enquanto igualdade com mais tentos dá a vaga aos forasteiros. Caso haja vencedor, este estará classificado.

O duelo de volta está marcado apenas para o dia 26 de julho, no estádio de Itaquera, mas, até lá, os comandados de Fábio Carille terão de disputar seis jogos do Campeonato Brasileiro. O primeiro teste para a liderança será no domingo, às 16h (de Brasília), contra o Botafogo, também em Itaquera. Os colombianos, por sua vez, estreiam no seu torneio nacional no dia 9 de julho, contra o Hulia, em casa.

cori-000_Q18QM-1024x702
(Foto: Luis Acosta/AFP)

Corinthians não aparece no primeiro tempo

O primeiro tempo da partida no La Independencia mostrou um time totalmente concentrado, medindo cada ação e se fechando para diminuir suas limitações. A descrição, que poderia muito bem ser para o Corinthians da atual temporada, cabe apenas ao Patriotas. Diante de um Timão sem criatividade e aparentando desconcentração em diversos momentos, o time da casa logo apresentou suas armas.

Mosquera, pela direita, e Gómez, pela esquerda, chamaram o jogo para si e receberam todas as ações ofensivas, normalmente aproveitando rápidas inversões de jogo. O primeiro, que batia de frente com Moisés, conseguiu ganhar do camisa 6 a maioria dos lances, levando perigo aos 24 minutos. No lance, driblou o brasileiro e cruzou na segunda trave, onde Carreño tentou de primeira e mandou por cima do gol.

Sofrendo com o alto número de erros de passe, principalmente de Camacho e Rodriguinho, o Timão quase chegou ao gol sem nem forçar muito. Na resposta à investida adversária, Kazim recebeu dentro da área e rolou para Romero. O paraguaio chutou fraco, de esquerda, mas Villete não conseguiu agarrar. Na sobra, Cabezas afastou o perigo do único chute certo dos visitantes na etapa inicial.

Pouco depois, a jogada trabalhada pelos anfitriões deu certo. Mosquera recebeu na direita e cruzou. A bola cruzou toda a área e ficou com Gómez. O meia chutou cruzado, a bola desviou em Fagner e venceu Cássio, para festa da torcida local. Sete minutos depois, Kazim novamente recebeu na entrada da área, girou e, sem marcação, chutou muito mal, por cima do gol, deixando o time em desvantagem para o intervalo.

Balbuena salva derrota no fim

O mau desempenho no primeiro tempo não fez com que Carille promovesse alguma alteração na sua equipe, confiando em uma resposta melhor dos escolhidos inicialmente. Quem manteve o bom desempenho, porém, foi o Patriotas. Aos sete minutos, após falta cometida em cima de Mosquera, Omar levantou na primeira trave e Robayo cabeceou na trave.

O Timão não conseguiu segurar a bola na frente e viu Carille colocar Giovanni Augusto no lugar do cansado Marquinhos Gabriel, na tentativa de trocar mais passes e trabalhar bem a bola até chegar a Kazim. Do outro lado, porém, Valoyes foi mandado a campo e deu muita canseira na defesa, chegando perto de ampliar o marcador para os anfitriões.

A primeira grande chance foi aos 36 minutos, quando o centroavante ganhou de Pablo e rolou para Rodríguez. O canhoto chutou cruzado e exigiu boa defesa de Cássio, mandando para escanteio. Na cobrança curta, Mosquera recebeu e achou Murillo na área. O lateral direito deu belo drible na marcação e chutou forte, fazendo com que o arqueiro corintiano trabalhasse novamente.

Quando os visitantes, já cansados, pareciam longe de conseguir um gol, coube a um elemento surpresa aparecer para decidir. Não foi Clayton ou Fellipe Bastos, últimos suplentes lançados por Carille, mas Balbuena. O paraguaio aproveitou sobra na intermediária ofensiva, abriu para Fagner na lateral direita e correu para dentro da área, cabeceando na primeira trave o bom cruzamento para dar ao time um, senão injusto, inesperado pelo decorrer da partida.

FICHA TÉCNICA
PATRIOTAS-COL 1 X 1 CORINTHIANS

Local: estádio La Independencia, em Tunja (Colômbia)
Data: 28 de junho de 2017, quarta-feira
Horário: 21h45 (de Brasília)
Árbitro: Mario Diaz de Vivar (Paraguai)
Assistentes: Eduardo Cardozo e Milciades Saldivar (ambos do Paraguai)
Cartões amarelos: Ibarguen, Carreño e Rodríguez (Patriotas); Fagner (Corinthians)
Gols:
PATRIOTAS: Gómez, aos 31 minutos do primeiro tempo
CORINTHIANS: Balbuena, aos 46 minutos do segundo tempo

PATRIOTAS-COL: Álvaro Villete; Julian Pretel (Murillo), Óscar Cabezas, Danilo Arboleda e Nicolás Carreño; Larry Vásquez, Rafael Robayo e Omar Vásquez; Carlos Mosquera, Mauricio Gómez (Rodríguez) e Edis Ibarguen (Valoyes)
Técnico: Diego Corredor

CORINTHIANS: Cássio; Fagner, Balbuena, Pablo e Moisés; Gabriel (Clayton), Camacho (Fellipe Bastos), Marquinhos Gabriel (Giovanni Augusto), Rodriguinho e Romero; Kazim
Técnico: Fábio Carille

 

 
Da Gazeta Esportiva São Paulo, SP

 

Palmeiras e Cruzeiro empatam em jogo alucinante

pal-59547214a8efc

(Foto: Daniel Vorley/AGIF)

Foi só Jailson Macedo de Freitas apitar pela última vez no Allianz Parque que vários jogadores caíram no gramado. E seria assim mesmo. Todos os jogadores de Palmeiras e Cruzeiro saíram de campo extremamente cansados.

Fisicamente o ritmo foi intenso e emocionalmente também. Para os dois times.

O primeiro tempo foi muito azul. O Palmeiras acelerou o ritmo do início de jogo e se lançou ao ataque. Foram três finalizações nos primeiros cinco minutos. Os donos acreditaram na pressão e sofreram o primeiro contra-ataque do Cruzeiro. Passes bem trocados, velocidade na condução da bola e superioridade numérica de cinco cruzeirenses contra três palmeirenses. Gol de Thiago Neves, aos seis minutos.

O Palmeiras parou de achar espaços. O time de Mano Menezes se fechava e mostrava ser certeiro. O segundo gol saiu após ótima troca de passes e a chegada de Lucas Romero como surpresa. Gol de Robinho, aos 18.

O terceiro gol saiu com Thiago Neves percebendo a volta lenta de Fabiano e Alisson desgarrando e tocando, com classe, por cima de Fernando Prass.

Cuca mexeu. Sacou Fabiano e colocou Egídio. Tchê Tchê foi para a lateral direita e Zé Roberto foi para o meio. O volume de jogo dos donos da casa aumentou.

E tome bola na área. Dudu fez o primeiro e o calor aumentou.

Aos 15, Dudu aproveitou bobeada da defesa e bom toque de Borja. Naquele momento, o Cruzeiro já não atacava mais. Ábila entrou para segurar um pouco a bola no ataque, mas a bola já não chegava.

O Palmeiras passou a acreditar em todas as bolas e o terceiro gol saiu com Willian batendo para vencer Fábio.

O peso emocional que o Cruzeiro jogou nos ombros dos jogadores do Palmeiras mudara de lado.

O gol de empate diminuiu a intensidade e a velocidade do jogo. Era impossível continuar correndo daquele jeito.

Chamando o racional para a conversa, os três gols marcados fora de casa representariam uma boa vantagem para o Cruzeiro. No entanto, depois de ver o que os dois times fizeram em campo é impossível cravar qualquer coisa para o jogo que se realizará apenas no fim de julho.

 
POR MÁRIO MARRA
LANCE!

Sabatina de Raquel Dodge no Senado será antes do recesso

raq-raquel_dodge

A procuradora Raquel Dodge doi indicada para suceder Rodrigo Janot na chefia da Procuradoria-Geral da República Antonio Cruz/Agência Brasil

O senador Roberto Rocha (PSB-MA) será o relator da indicação de Raquel Dogde para o cargo de procuradora-geral da República, na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ). A escolha foi feita pelo presidente da Casa, Eunício Oliveira (PMDB-CE). A procuradora deve substituir Rodrigo Janot, que termina o mandato em 17 de setembro. A sabatina para confirmar Raquel Dodge no cargo ocorrerá antes do recesso parlamentar, que começa em 17 de julho. Após sabatina na CCJ, a indicação de Raquel Dodge precisa ser aprovada pelo plenário do Senado.

Na lista tríplice enviada ao presidente da República, Michel Temer, o vice-procurador Eleitoral, Nicolao Dino, foi o candidato mais votado pelos membros do Ministério Público Federal em todo o país, com 621 votos, seguido de Raquel Dodge (587 votos) e Mauro Bonsaglia (564 votos). O relator Roberto Rocha adiantou que seu parecer na CCJ será favorável ao nome de Raquel, o que, segundo ele, ocorreria também no caso dos outros dois indicados. O parlamentar destacou que esse cenário só pode mudar, caso haja algum fato novo apresentado na comissão.

Mestre em Direito pela Universidade de Harvard e integrante do Ministério Público Federal há 30 anos, Raquel Dodge é subprocuradora-geral da República e atua em matéria criminal no Superior Tribunal de Justiça (STJ). Pelo terceiro biênio consecutivo, ela ocupa uma cadeira do Conselho Superior do Ministério Público. Raquel Dodge foi procuradora federal dos Direitos do Cidadão Adjunta e participou da redação do 1° Plano Nacional para Erradicação do Trabalho Escravo no Brasil.

Matéria atualizada para acréscimo de informação às 12h03.

 

Da Agência Brasil

Corinthians pausa Brasileiro e testa força do elenco na Colômbia

corii-corinthians20

Alvinegro tenta se manter forte também no continente (Foto: Daniel Augusto Jr. / Ag. Corinthians)

Em meio ao ótimo início de Campeonato Brasileiro protagonizado nas dez primeiras rodadas da competição, o Corinthians faz uma pausa para a disputa da Copa Sul-Americana, competição ainda na segunda fase. Na noite desta quarta-feira, às 21h45 (de Brasília), o Alvinegro, com um time misto, encara a equipe do Patriotas-COL no estádio La Independencia, na cidade de Tunja.

Preocupado com a sequência de jogos que os titulares têm encarado, o técnico Fábio Carille nem sequer levou na viagem nomes experientes, como o meia Jadson e o atacante Jô, além do jovem volante Maycon, que atuou nas últimas 22 partidas. Guilherme Arana, outro que vem de longa série de jogos, ficará no banco de reservas para dar uma chance a Moisés.

Dessa forma, nomes como o volante Camacho e o centroavante Kazim, que não têm conseguido muitos minutos para atuar na temporada devido às boas performances dos titulares, podem ter uma chance de mostrar seu futebol na altitude de 2.800m colombiana.

“É possível manter o nível do Brasileiro, com certeza. Acreditamos nisso 100%. Não sei se Fabio vai modificar um pouco a equipe, mas se acontecer, manter a concentração porque elenco tem consciência de funções. Podemos manter a mesma regularidade”, afirmou o zagueiro Pablo, um dos pouco que não devem ganhar descanso. Para ele, é necessário que os substitutos entrem bastante concentrados.

“Sabemos que temos condições de fazer grande jogo, equipe bem consciente de que é jogo importante. Entrar bem ligado para sair com grande resultado”, continuou o defensor, preocupado em adotar um estilo de jogo semelhante ao demonstrado no triunfo frente ao Grêmio, no último final de semana.

Do outro lado, o time da casa, fundado em 2003, encara o embate como a partida mais importante da sua história. Para que o duelo ocorresse em sua cidade, reformou o estádio, melhorando a iluminação e as condições de trabalho. Além disso, contratou nomes experientes como o volante Rafael Robayo, rodado no futebol local, e o centroavante argentino Kevin Genaro.

FICHA TÉCNICA
PATRIOTAS-COL X CORINTHIANS

Local: estádio La Independencia, em Tunja (Colômbia)
Data: 28 de junho de 2017, quarta-feira
Horário: 21h45 (de Brasília)
Árbitro: Mario Diaz de Vivar (Paraguai)
Assistentes: Eduardo Cardozo e Milciades Saldivar (ambos do Paraguai)

PATRIOTAS-COL: Álvaro Villete; Jesús Murillo, Óscar Cabezas, Danilo Arboleda e Nicolás Carreño; Larry Vásquez, Rafael Robayo e Omar Vázquez; Carlos Mosquera, Mauricio Gómez e César Valoyes
Técnico: Diego Corredor

CORINTHIANS: Cássio; Fagner, Balbuena, Pablo e Moisés; Gabriel, Camacho, Marquinhos Gabriel, Rodriguinho e Romero; Kazim
Técnico: Fábio Carille
Gazeta Esportiva- São Paulo, SP

Palmeiras tenta confirmar boa fase contra o Cruzeiro pela Copa do Brasil

Palmeiras e Cruzeiro tentam dar o primeiro passo rumo à classificação para a semifinal da Copa do Brasil nesta quarta-feira. As duas equipes chegam com retrospectos recentes distintos para o confronto no Palestra Itália, às 21h45 (de Brasília), pelas quartas de final do torneio mata-mata.

Enquanto o Verdão venceu quatro dos últimos cinco jogos que disputou, sendo três triunfos consecutivos, a Raposa triunfou apenas duas vezes e empatou uma. Os resultados negativos do time celeste, no entanto, não fazem com que o Palmeiras admita o favoritismo do duelo.

“O Cruzeiro tem jogadores experientes e que trabalham muito bem a bola, são atletas rápidos. Temos de estar atentos. Tratar de sempre ficar com a bola e levar perigo quando o espaço aparecer. Além disso, o mais importante é não sofrer gols em casa”, disse o meia Guerra, se referindo ao regulamento do torneio, que prevê o desempate pelo números de gols marcados como visitante.

pall-palmeiras_0-2-1024x681
(Foto: Djalma Vassão/Gazeta Press)

Para a partida, que já tem cerca de 30 mil ingressos vendidos antecipadamente, além dos já contundidos Thiago Santos, Felipe Melo, Moisés, Thiago Martins e Arouca, Cuca não poderá contar com o lateral-direito Mayke, e os zagueiros Luan e Juninho, que já disputaram a Copa do Brasil por seus ex-clubes. Além destes, Bruno Henrique seguirá sem fazer sua estreia, já que não foi inscrito atempo na competição.

Em compensação, o Verdão deverá ter a volta de Edu Dracena, Zé Roberto e Jean, poupados contra a Ponte Preta, no último domingo, pelo Campeonato Brasileiro. O atacante Dudu, que se recuperou de uma lesão no músculo adutor da coxa esquerda e ficou entre os reservas nas duas últimas partidas também pode retornar ao time titular.

cruz-1485099373668_615x300
(Foto: Washington Alves/Light Press/Cruzeiro)

O técnico Mano Menezes espera um confronto difícil, contra o Palmeiras, nesta quarta-feira. O treinador destaca que o time alviverde teve crescimento nas últimas partidas, com três vitórias consecutivas.

“A gente apela para o regulamento e põe ele embaixo do braço quando não tem outra maneira. Se nós pudermos fazer um grande jogo lá, vencer e abrir uma vantagem, nós queremos. Mas provavelmente o Palmeiras também quer e do outro lado tem uma qualidade bastante grande, com investimento bastante alto. Precisamos entender: o Cruzeiro não joga assim ou assado só pela decisão de seu técnico. Ele às vezes não consegue fazer coisas no campo porque o adversário faz melhor. Não se trata de ser ofensivo… É fácil taxar essas coisas. Futebol, sempre que um time tem dificuldade, vocês (jornalistas) falam que o treinador puxou o time para trás. Não é. Eu não gosto de time atrás, eu gosto de time na frente”, ressaltou o treinador.

Para o jogo, Mano Menezes tem alguns desfalques. No meio, Lucas Romero sentiu dores no joelho direito e preocupa. O volante passou por exames de imagem, mas não foi constatada lesão. Na zaga, Dedé e Manoel seguem fora. Com isso, Léo e Caicedo serão as opções, no entanto, na falta de qualquer um dos dois, o jovem Murilo terá de ser escalado.

Na frente, Sassá e Rafael Marques não podem ser utilizados, por não terem sido inscritos na competição.

FICHA TÉCNICA
PALMEIRAS x CRUZEIRO

Local: Estádio Palestra Itália, em São Paulo (SP)
Data: 28 de junho de 2017, quarta-feira
Horário: 21h45 (Brasília)
Árbitro: Jailson Macedo Freitas (BA)
Assistentes: Alessandro A. Rocha de Matos (BA – FIFA) e Elicarlos Franco de Oliveira (BA)

PALMEIRAS: Fernando Prass; Fabiano, Yerry Mina, Edu Dracena e Zé Roberto (Egídio); Jean (Gabriel Furtado) e Tchê Tchê; Róger Guedes, Guerra e Dudu (Keno); Willian
Técnico: Cuca

CRUZEIRO: Fábio; Ezequiel, Léo, Caicedo e Diogo Barbosa; Henrique e Ariel Cabral; Robinho, Thiago Neves e Alisson; Rafael Sóbis
Técnico: Mano Menezes

 
Marcellus Madureira
Gazeta Esportiva- São Paulo, SP

Flamengo e Santos abrem duelo pela Copa do Brasil na Ilha do Urubu

Embalado pelas três vitórias consecutivas no Campeonato Brasileiro que o levaram para o G-6, a zona de classificação para a Copa Libertadores, o Flamengo recebe o Santos nesta quarta-feira, às 21h45(de Brasília), na Ilha do Urubu, no Rio de Janeiro (RJ), pelo confronto de ida das quartas de final da Copa do Brasil. O Rubro-Negro, no fim de semana, bateu o Bahia por 1 a 0, eliminou o Atlético-GO nas oitavas, com um triunfo por 3 a 1 fora de casa, após empate sem gols na capital carioca. Já o Peixe, que no fim de semana perdeu por 1 a 0 para o Sport, despachou na etapa anterior, sem sustos, o Paysandu. Fez 2 a 0 diante de sua torcida e 3 a 1 no Pará.

jua-20170626172004_591-1024x683
Juan deve retornar à zaga titular do Flamengo (Foto: Gilvan de Souza/Flamengo)

A qualidade das duas equipes faz Zé Ricardo, comandante do Flamengo, esperar um jogo muito equilibrado.

“Flamengo e Santos são dois times que estão em crescimento no Campeonato Brasileiro e por isso mesmo acredito que chegam para este encontro em equilíbrio de condições. Não vamos ter nenhum tipo de facilidade, mas sabemos que podemos ganhar em nossa casa, diante de nossa torcida”, disse Zé Ricardo.

Os rubro-negros realmente apostam na força da torcida. “Jogar no Rio de Janeiro é algo muito bom para o Flamengo, pois estamos conseguindo nos sentir em casa em nosso estádio e a torcida vem chegando junto e entendendo a importância de atuar ao nosso lado, jogando junto os noventa minutos. O nosso crescimento na temporada com certeza está deixando esses torcedores ainda mais empolgados e acredito em um grande público na quarta-feira. Trata-se de um jogo eliminatório, quando um mau dia em campo acaba colocando tudo a perder. O importante é estarmos preparados e prontos para qualquer situação. A torcida ao nosso lado é um fator importante, mas temos consciência de que é a nossa capacidade e entrega em campo que podem determinar que o confronto vire a nosso favor”, avisou o meia Diego.

Em termos de escalação, o Rubro-Negro terá mudanças. O zagueiro Juan, que cumpriu suspensão contra o Bahia, reaparece assim como seu companheiro de zaga, Rever, preservado no mesmo jogo. Assim, Rafael Vaz fica no banco e Rhodolfo, que não foi inscrito na competição, será sequer relacionado. Outro que não pode atuar por não estar inscrito é o meia Everton Ribeiro, que cede a vaga a Vinicius Júnior. Outro que retorna de suspensão é Everton, que ocupará o lugar de Matheus Savio.

sfc-001021345
Especulado no Barcelona, Lucas Lima é uma das principais armas do Santos contra o Flamengo (Foto: Fernando Dantas: Gazeta Press)

O Santos, por sua vez, tenta recuperar o ânimo na temporada após o revés por 1 a 0 para o Sport, na Vila Belmiro, pela décima rodada do Campeonato Brasileiro. E por incrível que pareça, nada como um jogo fora de casa para retomar os trilhos. Afinal, o Peixe de 2017 tem ido bem melhor quando atua longe de seus domínios.

Até aqui, o alvinegro perdeu mais na Vila (para São Paulo, Ferroviária, Palmeiras, Cruzeiro e Sport) do que como visitante. Foram cinco derrotas em Urbano Caldeira e apenas quatro fora, no Maracanã, diante do Fluminense, no Moisés Lucarelli, contra a Ponte Preta, e duas vezes para o Corinthians, na Arena do rival, em Itaquera.

“A confiança é boa porque estamos em bom momento fora de casa. Sabemos da dificuldade lá. Se a gente continuar fazer o que vem fazendo, vamos conseguir trazer um bom resultado. Expectativa é por um grande jogo. Enfrentaremos uma das melhores, talvez a melhor equipe do Brasil. No papel, contrataram grandes jogadores. Mas temos feito grandes jogos fora por mais um boa partida”, explicou David Braz.

O zagueiro, inclusive, retorna de suspensão e será titular contra o Rubro-Negro. Em contrapartida, o técnico Levir Culpi não contará com Thiago Maia. Vítima de uma forte virose, o volante foi liberado pela comissão técnica e nem viaja para o Rio de Janeiro.

Sem o titular, Alison e Leandro Donizete disputam a vaga no meio. Após retornar de empréstimo do Red Bull Brasil, o jovem ganhou uma oportunidade contra o Vitória, no último dia 21, mas não convenceu o técnico Levir Culpi, Por conta disso, a tendência é que o veterano de 35 anos comece jogando ao lado de Renato.

Por fim, Ricardo Oliveira e Zeca seguem fora e nem viajam para o Rio de Janeiro. O camisa 9 já está recuperado de contusão no joelho esquerdo, mas foi mais uma vítima da gripe, teve uma pneumonia constatada e continua fora. Já o lateral-esquerdo, por sua vez, está em processo de transição ao gramado após sentir dores na panturrilha esquerda.

FICHA TÉCNICA
FLAMENGO X SANTOS

Local: Ilha do Urubu, no Rio de Janeiro (RJ)
Data: 28 de junho de 2017, quarta-feira
Horário: 21h45 (de Brasília)
Árbitro: Ricardo Marques Ribeiro (MG)
Assistentes: Guilherme Dias Camilo (MG) e Fabricio Vilarinho da Silva (GO)

FLAMENGO: Thiago, Rodinei, Juan, Rever e Miguel Trauco; Márcio Araújo, Willian Arão, Diego e Everton; Vinicius Júnior e Paolo Guerrero
Técnico: Zé Ricardo

SANTOS: Vanderlei; Victor Ferraz, Lucas Veríssimo, David Braz e Jean Mota; Renato, Leandro Donizete (Alison) e Lucas Lima; Copete, Bruno Henrique e Kayke.
Técnico: Levir Culpi

 
Gazeta Press e Vitor Anjos – Rio de Janeiro, RJ

Grande São Paulo registra 2,12 milhões de desempregados em maio

carteira_de_trabalho

O município de São Paulo teve uma pequena queda entre abril e maio passando de 18,6% para 18,3%ABR

A região metropolitana de São Paulo atingiu em maio 2,12 milhões de desempregados, segundo a Pesquisa de Emprego e Desemprego divulgada hoje (28) pela Fundação Sistema Estadual de Análise de Dados e pelo Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos. O número representa uma ligeira alta no percentual de desocupados, que passou de 18,6% em abril para 18,8%.

Em comparação a maio de 2016, o resultado apresenta um crescimento de 7,2% no número de desempregados, o que representa 142 mil pessoas. O município de São Paulo teve uma pequena queda entre abril e maio passando de 18,6% para 18,3%. Na sub-região leste, que incluí as cidades de Guarulhos e Mogi das Cruzes, houve um crescimento de 19,9% para 21,8%, no mesmo período.

A construção civil fechou 17 mil postos de trabalho entre abril e maio, registrando uma queda de -2,8% no nível de atividade. No setor de serviços os cortes registraram 39 mil vagas, uma retração de 0,7%.

As quedas foram compensadas pela geração de 38 mil empregos na indústria de transformação, uma elevação de 2,9%. O comércio e reparação de veículos automotores teve 11 mil vagas, um crescimento de 0,7%.

Os rendimentos médios dos trabalhadores registram queda de -2,7% em abril deste ano em comparação com o mesmo mês de 2016, ficando em R$ 2.002. A indústria de transformação teve a maior queda na média das remunerações (-7,5%), que ficou em R$ 2.028.

 

 

 

Da Agência Brasil