Grêmio sofre, mas vence Pachuca na prorrogação e vai à final do Mundial

O Grêmio está na final do Mundial de Clubes, mas a classificação foi sofrida. O Tricolor garantiu a vaga após bater o Pachuca-MEX com gol na prorrogação. Após empatar em 0 a 0 no tempo normal, o garoto Éverton fez o gol da vitória do time brasileiro na semifinal do torneio, no estádio Hazza Bin Zayed, em Al Ain (EAU).

Agora, o Grêmio aguarda o vencedor da outra semifinal, entre Al Jazira e Real Madrid, que ocorre nesta quarta-feira, para saber quem vai enfrentar na grande decisão. A final do Mundial de Clubes vai ser realizada neste sábado, às 15 horas (horário de Brasília), no estádio Zayed Sports City, em Abu Dhabi (EAU).

gr-27233229639
( FOTO: LUCAS UEBEL/GFBPA)

PRIMEIRO TEMPO

A partida começou com as duas equipes se estudando bastante e trocando passes. O time gaúcho adiantava a marcação e tentava criar as primeiras ações do duelo. Após cobrança de escanteio de Luan, aos 5 minutos, o centroavante Lucas Barrios conseguiu cabecear, mas a bola saiu para tiro de meta.

Aos 7 minutos, em jogada pela esquerda de ataque, Bruno Cortez tocou para Michel que, dentro da área, cruzou rasteiro para Barrios, mas Murillo chegou primeiro e afastou o perigo. No contra-ataque, Honda recebeu a redonda perto da área adversária e arriscou o chute. A bola passou perto da trave esquerda de defesa do goleiro Marcelo Grohe.

A primeira grande chance gremista foi aos 16. Em cobrança de falta próxima da esquerda da área, o lateral-direito Edílson bateu direto no gol e a bola passou perto do travessão.

Em ótimo lançamento para a área, o meia Honda recebeu livre entre os zagueiros gremistas, mas, no momento da conclusão, Cortez apareceu na hora certa para afastar o perigo.

Aos 29 minutos, Luan viu Ramiro entrando livre na área e ergueu a redonda para o meia. Ramiro deu apenas um toquinho na bola, que saiu pela linha de fundo. O próprio Ramiro sofreu falta na direita de ataque na entrada da grande área. O atacante Fernandinho foi para a cobrança, aos 40 minutos, mas a bola passou por cima da meta.

O Pachuca-MEX quase abriu o marcador no último minuto da primeira etapa. Em contra-ataque rápido, os mexicanos tabelaram bem e Honda ficou cara a cara com o goleiro Marcelo Grohe. Contudo, no momento da conclusão, o lateral Bruno Cortez apareceu, mais uma vez, para evitar o tento adversário.

grem-24148636487_
Everton decidiu o placar (Foto: Lucas Uebel/Grêmio FBPA)

SEGUNDO TEMPO

Aos 9 minutos, o volante Jailson perdeu a bola no meio de campo e proporcionou um contra-ataque para os Tuzos. O atacante Urretaviscaya carregou até a entrada da área e chutou a meia altura, para grande defesa do goleiro Marcelo Grohe.

O Grêmio respondeu com Luan. O meia-atacante recebeu na intermediária, carregou a redonda e chutou rasteiro no canto. A bola ia entrar, mas o goleiro Pérez saltou e deu um toque na bola, que ainda raspou a trave antes de sair para escanteio.

Aos 28 minutos, Luan fez boa jogada e sofreu falta na direita de ataque. Edílson bateu colocado e a bola bateu na rede pelo lado de fora, enganando alguns torcedores gremistas, que gritaram gol. O goleiro Pérez ficou apenas parado assistindo.

Três minutos depois, Éverton recebeu dentro da área, fintou dois jogadores adversários, mas demorou muito para concluir. No momento da finalização, a bola explodiu na marcação dos mexicanos.

Aos 34 minutos, após cobrança de escanteio, a zaga gremista afastou. No rebote, Urretaviscaya recebeu na direita e levantou novamente na área e Guzman desviou de cabeça. A bola passou tirando tinta da trave direita de defesa do goleiro Marcelo Grohe.

Em cobrança de escanteio, aos 42 minutos, Fernandinho ergueu na área, o atacante Jael desviou e a bola ia sobrar para Luan, mas a redonda bateu na coxa e sobrou para o goleiro Pérez. Apesar da pressão final do Grêmio, ninguém balançou as redes no tempo normal e a partida foi para a prorrogação.

PRORROGAÇÃO

O gol do Grêmio veio logo aos 4 minutos. O lateral-esquerdo Bruno Cortez cobrou rápido o lateral para Éverton. O atacante partiu em direção ao gol e, dentro da área, bateu forte, colocado em curva, balançando as redes, para o torcedor gremista poder soltar o grito de gol.

O time brasileiro então se fechou e buscava o contra-ataque, enquanto os jogadores do Pachuca-MEX tentavam o ataque, mas sentiam bastante o cansaço da prorrogação da partida das quartas-de-finais.

Aos 13 minutos, o Grêmio quase ampliou. Após bela troca de passes da equipe brasileira, o lateral-direito Léo Moura cruzou rasteiro e o atacante Jael quase alcançou a bola, que passou na frente da meta.

No segundo tempo, o time brasileiro seguiu pressionando. Aos 2 minutos, Léo Moura recebeu livre pela direita, arrancou e fez um lançamento para Jael, mas no momento exato o zagueiro Herrera apareceu dando um carrinho, mandando para escanteio.

A situação do Grêmio melhorou após Guzmán fazer faz em Léo Moura e receber o segundo cartão amarelo e, consequentemente, o vermelho.

Aos 6, o Grêmio balançou as redes com Jael, mas o árbitro já assinalava impedimento no lance. Um minuto depois, em contra-ataque gremista, Luan recebeu na direita, encarou a marcação e chutou na meta, mas a bola subiu muito, saindo pela linha de fundo.

Com a vantagem no placar e no marcador, o time brasileiro se fechou e segurou o resultado. Ainda 16 minutos, Éverton quase ampliou o placar, mas mandou a finalização nas mãos do goleiro.

FICHA TÉCNICA
GRÊMIO 1 x 0 PACHUCA

Local: Estádio Hazza Bin Zayed, em Al Ain (Emirados Árabes)
Data: 12 de dezembro de 2017, terça-feira
Horário: 15 horas (de Brasília)
Árbitro: Felix Brych (Alemanha)
Assistentes: Mark Borsch (Alemanha) e Stefan Lupp (Alemanha)
Público: 6.428 torcedores
Cartões amarelos: Kannemann, Ramiro, Jael (Grêmio), Guzman, García e Hernandez (Pachuca)
Cartão vermelho: Guzman (Pachuca)
Gols: GRÊMIO: Everton, aos 4 minutos do primeiro tempo da prorrogação

GRÊMIO: Marcelo Grohe; Edilson (Léo Moura), Geromel, Kannemann e Cortez; Jailson e Michel (Everton); Ramiro, Luan e Fernandinho (Rafael Thyere); Barrios (Jael)
Técnico: Renato Gaúcho

PACHUCA: Oscar Pérez; Omar González, Óscar Murillo, Martínez e Emmanuel García (Sagal); Jorge Hernández; Urretaviscaya (Cano), Honda, Guzmán, Aguirre (Sánchez); Franco Jara (Robert Herrera)
Técnico: Diego Alonso

 

 

Do correspondente Eduardo Bertuol – Porto Alegre , RS

Gazeta Esportiva

Acordo prevê pagamento à vista para poupadores que receberão até R$ 5 mil

O acordo assinado hoje (12) entre poupadores e bancos relativo à correção de aplicações na poupança durante a entrada em vigor dos planos econômicos Bresser (1987), Verão (1989) e Collor 2 (1991) prevê pagamento à vista para poupadores que tenham até R$ 5 mil a receber. Já os que tem saldo entre R$ 5 mil e R$ 10 mil, receberão em três parcelas sendo uma à vista e duas semestrais. A partir de R$ 10 mil, o pagamento será feito em uma parcela à vista e quatro semestrais. A correção para os pagamentos semestrais será feita pelo IPC-A.

O acordo também prevê descontos para poupadores que receberão quantia superior a R$ 5 mil. O deságio varia conforme o saldo e começa em 8% para aqueles que receberão entre R$ 5mil e R$ 10 mil; 14% para os que receberão na faixa de R$ 10 mil a R$ 20 mil; e 19% para investidores que têm direito a receber mais de R$ 20 mil.

O acordo, que foi mediado pela Advocacia-Geral da União (AGU) e teve supervisão do Banco Central (BC), é considerado o maior da história e deve encerrar mais de um milhão de processos judiciais. Segundo a AGU, o plano Collor 1 ficou de fora do acordo pois as partes entenderam que há inexistência de direito a qualquer pagamento.

Para evitar filas e fraudes, os poupadores com direito a receber a correção não precisarão ir até os bancos, já que o pagamento será feito em conta-corrente ou por meio de depósito judicial.

Prazo

Negociado entre o Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor (Idec), a Frente Brasileira dos Poupadores (Febrapo) e a Federação Brasileira de Bancos (Febraban) há mais de duas décadas, o acordo sobre o ressarcimento de perdas de planos econômicos prevê prazo máximo de três anos para parcelamento dos valores a serem recebidos pelos poupadores.

Em nota, a AGU informou que terão direito à reparação financeira todos aqueles que ingressaram com ações coletivas e individuais para cobrar das instituições financeiras os valores referentes às correções. “No caso das individuais, poupadores ou herdeiros que acionaram a Justiça dentro do prazo prescricional (20 anos da edição de cada plano) também poderão receber os valores”, informa a nota.

Pagamento

Os pagamentos, ainda de acordo como a AGU, serão feitos de acordo com as faixas de valor a receber. “Antes de começarem a ser feitos os pagamentos, é preciso que o STF [Supremo Tribunal Federal] homologue o acordo e os poupadores se inscrevam em plataforma digital que ainda será criada. O acesso a esse sistema será feito pelos advogados dos beneficiados”, informou a AGU.

O calendário de pagamento levará em conta também a idade dos poupadores, de forma que as pessoas com mais idade tenham prioridade. A adesão será dividia em 11 lotes, separados de acordo com o ano de nascimento dos poupadores.

Também poderão aderir os poupadores que, com base em ações civis públicas, entraram com execução de sentença coletiva até 31 de dezembro de 2016, dentro do prazo prescricional de cinco anos.

Segundo a AGU, aderiram ao acordo os bancos Itaú, Bradesco, Santander, Caixa Econômica Federal (CEF) e Banco do Brasil (BB). Outras instituições financeiras também poderão aderir no prazo de até 90 dias.
Da Agência Brasil

Anvisa libera serviço de vacinação em farmácias de todo o país

df_1076427

Farmácias e drogarias de todo o país vão poder ofertar o serviço de vacinaçãoMarcello Casal Jr/Agência Brasil

Farmácias e drogarias de todo o país vão poder oferecer o serviço de vacinação a clientes. A possibilidade foi garantida em resolução aprovada hoje (12) pela diretoria colegiada da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).

O serviço já era regulamentado em alguns estados, como São Paulo, Santa Catarina, Paraná, Minas Gerais e Distrito Federal. Com a decisão, que será publicada no Diário Oficial da União nos próximos dias, ela será estendida às demais unidades da federação.

A resolução também estabelece exigências para estabelecimentos de saúde que vão oferecer o serviço. Esses devem estar inscritos no Cadastro Nacional dos Estabelecimentos de Saúde (CNES), disponibilizar o calendário nacional de vacinação e os tipos de medicamentos disponíveis aos clientes.

Em cada local é obrigatória a designação de um responsável técnico e a contratação de profissionais habilitados para aplicar vacinas, com a realização de capacitações constantes. As instalações precisam ser adequadas e seguir parâmetros estabelecidos nas normas do setor, como ambiente refrigerado para armazenar as vacinas e cuidados no transporte dos materiais para não prejudicar a qualidade.

As regras aprovadas pela Anvisa também preveem obrigatoriedade de registro das informações nos cartões de vacinação e de erros ou problemas no sistema da agência e liberdade para emitir Certificados Internacionais de Vacinação.

 
Da Agência Brasil