Tomógrafo de última geração chega a Barueri

Da Redação

Os investimentos na saúde de Barueri não param. Na sexta-feira, 22 de dezembro, entrou em funcionamento o novo aparelho de tomografia computadorizada adquirido pela Prefeitura. Às 14h ocorreu o primeiro exame.

Tecnologia de ponta, o novo tomógrafo chegou na madrugada do dia 11 de dezembro no Hospital Municipal de Barueri (HMB). Imediatamente começou o processo de instalação e testes até que pudesse, de fato, ser usufruído pelos pacientes.

“Ele está em uma categoria acima dos outros, é uma tecnologia top de linha no de 64 canais, que é o que entrou aqui. Ele é o primeiro da categoria em Barueri, apresenta melhor resolução, maior velocidade, uma tecnologia muito superior ao que nós tínhamos anteriormente”, descreve a engenheira clínica do município, Débora F. O. A. Camargo.

A compra está sendo muito comemorada pelos profissionais de saúde porque representa maior precisão nos resultados e mais agilidade nos atendimentos. Importado, o equipamento levou alguns meses para chegar, mas a espera valeu a pena, conforme explica Débora. “Na categoria dele é um dos melhores que a gente pode ter e a questão da resolução, melhor qualidade das imagens, permite que o médico possa ter maior assertividade nos diagnósticos”, explica a engenheira.

Cidade inteligente

O novo tomógrafo é mais um aparelho de última geração adquirido por Barueri neste ano, quando foi retomado um pesado investimento na saúde. A exemplo desse, há o sistema digital de radiologia instalado no Pronto-Socorro do Parque Imperial, inaugurado em 30/09, e que deverá ser levado a outras unidades de saúde até o ano que vem. Para 2018 está prevista a inauguração do grande Centro de Diagnósticos do município, que será todo composto por equipamentos dos mais modernos e avançados.

Foto Karina Borges / Secomtomografo-barueri (1)

Equipamento oferece diagnósticos mais precisos e rápidos

 

 

Aliz Lambiazzi

 

Primeira parcela do IPTU 2018 de Cotia vence dia 20

Da Redação

Contribuinte poderá pagar à vista, com 10% de desconto, ou parcelar o tributo, sem desconto

A primeira parcela do Imposto Predial Territorial Urbano (IPTU 2018) de Cotia vence no dia 20/01/2018, todas as parcelas vencerão no mesmo dia de cada mês subsequente. Dia 20/01 também é a data limite para o pagamento da cota única, com 10% de desconto no valor do tributo.

De acordo com a Secretaria da Fazenda o número de parcelas para cada contribuinte varia de acordo com o valor do imposto para o seu imóvel, já que no caso de contribuinte Pessoa Física, a parcela não pode ser inferior a R$ 50 e, para Pessoa Jurídica, R$ 100. Com isso, se o IPTU de um imóvel residencial é de R$ 300, por exemplo, o contribuinte poderá pagar em seis parcelas de R$ 50. Há casos em que o imposto poderá ser parcelado em 12 vezes.

A Prefeitura de Cotia já começou a enviar os carnês pelos Correios, mas caso o contribuinte não receba, poderá retirar o boleto online no site da Prefeitura de Cotia (www.cotia.sp.gov.br), acessar o link “Cidadão Online” ou, ainda, comparecer ao Centro Integrado Tributário (CIT) – antigo Centro Bancário Municipal.

O pagamento pode ser feito em qualquer agência bancária, lotéricas e Internet banking até a data do vencimento. Após o vencimento, o contribuinte deve atualizar o boleto no site da prefeitura ou no CIT. Para alguns contribuintes, no entanto, a cobrança do imposto foi feita via Documento de Arrecadação Municipal (DAM), já que os dados do proprietário estão desatualizados e a prefeitura utilizou apenas o número da inscrição cadastral do imóvel para enviar o boleto. Para estes casos, o pagamento só poderá ser feito em agências da Caixa Econômica Federal e em lotéricas.

Anistia para tributos atrasados

A Prefeitura de Cotia prorrogou até o dia 31/01/2018 o prazo de adesão ao Sistema de Parcelamento de Débitos (SPDC) lançado no início de novembro de 2017.

A anistia beneficia os contribuintes com débitos de IPTU, ISS e outros impostos com a redução de juros e multas, mas é preciso estar adimplente no exercício de 2017 junto à Secretaria da Fazenda.

O SPDC prevê o parcelamento da dívida em até 48 vezes para débitos com vencimentos até 31/12/2016. Quem optar por quitar a dívida em única parcela, terá redução de 95% do valor de multas e juros; em até seis vezes, a redução será de 85%; de sete a 12 vezes, redução de 75%; de 13 a 24 parcelas, redução de 65%; de 25 a 36 parcelas, 55% e, de 37 a 48 parcelas, a redução será de 50% no valor da dívida.

Para aderir ao Programa de Parcelamento de Débitos de Cotia o contribuinte deve procurar o Centro Integrado Tributário, de segunda a sexta-feira, das 9h às 16h.

Serviço:

Centro Integrado Tributário (CIT – antigo Centro Bancário Municipal)

Av. Prof. José Barreto, 25 – 2° Andar – Centro – Cotia/SP

Tel.: 4614-0678

 

IPTU 2018_ cotia IPTU 2018_Cotia_

Brasil tem 34% dos casos de coinfecção de tuberculose e HIV do mundo

 
tuberculose 8765

É necessário ficar atento aos sintomas da tuberculose para dar início ao tratamento e, com isso, interromper a contaminação das outras pessoas Agecom Bahia

No Brasil, os números dos últimos anos apontam para uma desaceleração tanto no número de diagnósticos quanto na mortalidade por tuberculose. Mas a quantidade de novos casos da tuberculose a cada ano ainda é considerada alta, principalmente entre populações mais vulneráveis, como os indígenas, pessoas privadas de liberdade e em situação de rua.

Cerca de 75 mil casos novos e reincidentes de tuberculose foram registrados no país em 2016. O montante corresponde a aproximadamente 200 casos por dia no país. Estima-se que desse total aproximadamente, 6 mil pessoas (8%) vivem com HIV. No mundo, cerca de 10,4 milhões de pessoas foram infectadas por tuberculose em 2016, sendo que 10% das vítimas têm HIV.

O Brasil tem um terço (33%) de toda a carga de tuberculose das Américas e figura no grupo de países que congregam quase 40% de todos os casos de tuberculose do mundo e cerca de 34% dos casos de coinfecção com HIV. O dado preocupa a OMS, que tem visto com “cuidado o que a tuberculose vem causando no país”.

“Embora nos últimos 15 anos tenha havido uma queda de aproximadamente 2% dos casos ao ano, ainda é um número muito elevado. São 70 mil casos por ano, então a Opas vê com muita preocupação, embora considera-se que haja uma boa perspectiva de controle”, disse Fábio Moherdaui, consultor nacional de tuberculose da Organização Pan-Americana de Saúde (OPAS).

A Agência Brasil publica esta semana uma série de matérias sobre a infecção simultânea de pessoas com o vírus HIV e a bactéria da tuberculose. Menos da metade das pessoas com ambas as infecções tomam antirretrovirais.

Questões sociais

A tuberculose está diretamente ligada a desafios sociais, como a pobreza, miséria, exclusão, invisibilidade e preconceito. Além das pessoas soropositivas, as populações indígena, carcerária e pessoas em situação de rua estão entre os mais vulneráveis a contrair a doença. Moradores de rua chegam a ter 56 vezes mais chance de contrair a tuberculose por combinar diferentes vulnerabilidades, segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS).

“Quanto mais pobre é uma pessoa, maior é o risco de ela adquirir tuberculose. A população indígena, na hora de dormir, vai pra maloca, bota a fogueira e fica todo mundo encolhido, respirando o mesmo ar. E ainda tem a questão do fumo, ou da fumaça da fogueira, que reduzem a capacidade do pulmão de se proteger contra a infecção. Na população em situação de rua, muitas vezes eles estão desnutridos e com a imunidade baixa, e se você associa isso a pessoa que usa crack, ou que tem HIV, então tem um prato cheio pra tuberculose”, explica o infectologista Rafael Sacramento, integrante da Organização Médico sem Fronteiras.

Dados do Departamento Penitenciário Nacional (Depen) mostram que as pessoas privadas de liberdade, apesar de representarem cerca de 0,3% da população brasileira, correspondem a 9,2% dos pacientes de tuberculose no Brasil. Segundo o Ministério da Saúde, a cada 100 mil presos, 897 são contagiados dentro do sistema prisional, enquanto que entre a população geral essa taxa é de 36 a cada 100 mil pessoas.

Especialistas explicam que boa parte deles já chega infectado nos presídios, porque já viviam em situação de vulnerabilidade e pobreza antes de iniciar o cumprimento da pena. Mas a chance de desenvolver a doença aumenta dentro do presídio devido às condições insalubres do ambiente. “As pessoas vivem amontoadas, respirando o mesmo ar, com pouca ventilação, com pouca entrada de sol, e isso também favorece a disseminação da tuberculose lá dentro”, descreve Sacramento.

O Ministério da Justiça e Segurança Pública informou que vai lançar no segundo semestre deste ano uma campanha educativa em parceria com a Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) para orientar profissionais de saúde, agentes e familiares que têm contato com os encarcerados. A ideia é sensibilizá-los para comunicar possíveis sintomas da doença.

Observação dos sintomas

A tuberculose se caracteriza pela infecção do chamado bacilo de Koch, entre outros agentes, e é transmitida pelo ar. A pessoa infectada pela tuberculose pulmonar tem geralmente os seguintes sintomas: tosse constante por duas ou três semanas, escarro (às vezes com presença de sangue), dor no peito, fraqueza, perda de apetite, de peso, febre e sudorese. Nos casos em que a tuberculose afeta outros órgãos, os sintomas podem variar.

Se o paciente seguir de forma regular a terapia padrão com os quatro medicamentos básicos, ele tem 100% de chance de cura, caso não esteja infectado pelo tipo resistente da tuberculose. O tratamento dura pelo menos seis meses e pode se estender por até um ano. Se não aderir ao tratamento adequadamente, o indivíduo pode infectar de 10 a 15 pessoas no período de um ano, segundo estimativa da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).

Nem sempre a infecção evolui para a doença, mantendo-se de forma latente no organismo. Além das pessoas que vivem com HIV, pacientes com diabetes, fumantes ou alcoólatras, ou que apresentam qualquer condição que reduza a imunidade também estão mais propensos a desenvolver a enfermidade.

Os principais testes realizados no país para detectar a tuberculose pulmonar são a baciloscopia (conhecida como exame do escarro) e a cultura. Eles podem ser feitos na rede pública de saúde. “A gente tem também o exame molecular. O nome da máquina mais comum é genexpert e ela consegue dizer se tem a bactéria no escarro em duas horas e ainda diz se tem resistência primária à rifampicina e a isoniazida, que são as duas drogas do tratamento básico. Se esse tipo de teste fosse popularizado e estivesse realmente disperso em todas as unidades de saúde, a gente aceleraria o diagnóstico. E uma vez no tratamento, em cerca de 21 dias a pessoa já não transmite mais”, afirma o infectologista Rafael Sacramento.

Além da baixa capacidade de testagem, o médico aponta ainda que outro empecilho para o diagnóstico e tratamento precoce da coinfecção de tuberculose e HIV é o medo do preconceito em razão do estigma que ainda cerca as duas doenças. “Se a gente conseguisse reduzir o preconceito, as pessoas revelariam mais cedo, fariam o teste mais cedo e teriam acesso ao tratamento cada vez mais cedo e isso seria um grande promotor de saúde. O estigma e a baixa capacidade de testagem mantêm as pessoas distantes do tratamento, afirmou Sacramento.

 

 

Da Agência Brasil

Deputada Cristiane Brasil será a nova ministra do Trabalho

minn-1030909-13072016

O nome da deputada do PTB foi sugerido pelo presidente Michel Temer, segundo o presidente nacional do partido e pai de Cristiane Brasil, Roberto JeffersonWilson Dias/Agência Brasil

O presidente nacional do PTB, Roberto Jefferson, informou que a sua filha e deputada federal Cristiane Brasil (PTB-RJ) vai assumir o ministério do Trabalho. Ele se reuniu hoje (3) com o presidente Michel Temer no Palácio do Jaburu e disse que o nome de Cristiane Brasil “surgiu” durante a conversa e não foi uma indicação dele próprio.

A nomeação foi confirmada pelo Palácio do Planalto. Segundo nota à imprensa, a definição de Temer ocorreu após “indicação oficial feita pelo PTB”.

“Eu vim discutir outros nomes, estávamos pensando em três [outros deputados]. Aí roda pra cá, roda pra lá. Então se falou: ‘Roberto, e a Cristiane? Por que não?’ Aí foi da cabeça do presidente: ‘Ela é uma menina experimentada, foi secretária municipal em vários governos na cidade do Rio de Janeiro’. Eu falei: ‘presidente, aí o senhor me surpreende, vou ter que consultar”, afirmou Roberto Jefferson.

Segundo ele, após a consulta e a aceitação, Cristiane Brasil concordou em não disputar as eleições deste ano. “Ela ficará ministra até o final [do governo de Temer]“, afirmou. Roberto Jefferson disse ainda que o líder do partido na Câmara, deputado Jovair Arantes (PTB-GO), também concordou com a nomeação e disse que ela tem a “confiança” da bancada.

Durante entrevista a jornalistas em que anunciou o nome da filha para o cargo, Roberto Jefferson, que foi protagonista e o primeiro delator do mensalão há pouco mais de dez anos, se disse emocionado. “É um resgate da imagem, da família. Depois do que aconteceu, mas já passou. Fico satisfeito”, afirmou, com a voz embargada.

Ronaldo Nogueira deixou o ministério no último dia 27 para se candidatar a um cargo eletivo no pleito deste ano. Para concorrer a cargos eletivos a nível nacional, ministros de Estado precisam se afastar do cargo com seis meses de antecedência. Após o convite ao deputado Pedro Fernandes (PTB-MA) não ter sido confirmado devido a resistências do PMDB do Maranhão, Roberto Jefferson disse que o “imbróglio acabou”. “Não há conflito no PTB, há uma relação muito boa entre mim, os líderes no Senado e na Câmara. A bancada é unida”, disse.

 

Da Agência Brasil