Urubus invadem escola técnica, e gestão Alckmin recorre a repelente

Reinaldo Canato – 8.dez.2013/UOL

ff-18005219

Fachada da Faculdade de Tecnologia de São Paulo, no Bom Retiro, onde salas têm sido invadidas por urubus

Os alunos da Faculdade de Tecnologia de São Paulo (Fatec-SP), no Bom Retiro, principal unidade de ensino técnico do Estado, têm sofrido com a presença de urubus nas dependências da instituição.

A Fatec-SP é administrada pelo Centro Paula Souza, autarquia estadual responsável pelas escolas e faculdades técnicas públicas do governo Geraldo Alckmin (PSDB).

Segundo relatam os alunos, os animais carniceiros não apenas sobrevoam a Fatec, mas bicam as janelas e entram nas salas, onde assustam os presentes e fazem sujeira, em uma espécie de versão rústica do filme “Os Pássaros”, de Alfred Hitchcock.

Diante do problema, a coordenação da instituição decidiu que as janelas não devem mais ser abertas por inteiro, o que nos últimos meses gerou incômodo nos estudantes devido ao calor.

A decisão foi oficializada por meio de comunicado afixado nas paredes no qual se lê: “Não abrir os vidros das janelas totalmente, risco de entrada de animais (urubus, pombos, morcegos).”

Poucas salas de aula da Fatec-SP contam com aparelhos de ar-condicionado, o que contribui para o abafamento dos ambientes. Antes da política de barrar as janelas, urubus invadiram recintos nos quais aconteciam aulas.

“É uma situação que vem se repetindo desde outubro, pelo menos. Eles bicam e arranham as janelas, entram nas salas durante as aulas, gerando o maior furdunço”, diz Christopher Alves da Silva, 20, aluno do curso de instalações elétricas.

Arquivo Pessoal

fff-18005223

Alunos fecham as janelas para evitar a entradas de urubus

“Eles ficam nas beiradas das janelas, voando entre os prédios. E muitas vezes eles descem e tentam pegar cachorros e gatos. Já vi um deles comendo um pombo vivo”, completa.

De acordo com Christopher –cujo testemunho é corroborado por alunos que preferiram não se identificar–, as salas de aulas viram “fornos” com as janelas fechadas.

“Tenho aula em apenas uma sala que tem ar-condicionado, mas ela é tão grande que ele praticamente não serve para aliviar a temperatura.”

Letícia Neves Evangelista, 20, aluna do mesmo curso, acredita que os bichos trazem prejuízos pedagógicos.

“É bem desconcertante, porque o urubu é um bicho enorme. Desconcentra. Teve uma vez que até o professor ficou meio abismado em ver um bicho daqueles tão de perto”, diz.

A unidade localizada no Bom Retiro foi criada no final da década de 1960, tem mais de 5.000 alunos, 240 professores e 160 funcionários.

À Folha o Centro Paula Souza diz que tentará recorrer a repelentes para afastar as aves. A maior parte das atividades da instituição será retomada em fevereiro.

“A Assessoria de Comunicação do Centro Paula Souza informa que a direção da Fatec São Paulo está testando um repelente de aves para afastar os urubus que apareceram no entorno da unidade”, afirma, em nota.

Sobre o calor nas salas, diz que prepara licitação para consertar aparelhos de ar-condicionado.

“Para garantir o conforto dos alunos, todas as salas da faculdade contam com ventiladores. Além disso, está sendo preparada licitação para contratar o serviço de manutenção de parte dos aparelhos de ar condicionado.”

 

GUILHERME SETO
DA  FOLHA DE SÃO PAULO

 

Corrente do Bem: Cofrinhos de Barueri devolvidos à AACD continham mais de R$ 80 mil

Da Redação

A AACD (Associação de Assistência à Criança Deficiente) já contabilizou os valores arrecadados por Barueri na campanha Corrente do Bem. Ao todo, os 2.440 cofrinhos que ficaram nos órgãos públicos da cidade recebendo donativos da população somaram R$ 81.828,06.

Por meio do Fundo Social de Solidariedade Estrela Guia, Barueri aderiu à campanha da AACD em 7 de novembro. Disponibilizando um cofre por sala de aula, a Secretaria de Educação ficou com 2.294 unidades. Um mês depois (7/12), a cidade lotou dois ônibus para devolver os cofrinhos, cheios, à entidade.

Presidente do Fundo Estrela Guia, Sônia Furlan ressaltou o espírito solidário do povo de Barueri. “Este foi um ano difícil, mas, apesar de tudo, conseguimos ajudar muitas pessoas e instituições, graças a Deus. Fechamos o ano com essa belíssima ação em favor da AACD. Fiquei muito feliz com o resultado da Corrente do Bem. Que Deus abençoe a todos que ajudaram”, agradeceu.

Para Valdesir Galvan, superintendente geral da AACD, a ação barueriense pode inspirar outros municípios. “É muito importante receber doações como a realizada pela Prefeitura de Barueri, resultado do esforço e da solidariedade de milhares de pessoas, que se identificam e apoiam a nossa causa. Que este movimento, liderado pela primeira-dama Sônia Furlan, contagie outras cidades, garantindo recursos para investir em mais atendimentos.”

Mais doações

Ainda em dezembro, o Fundo Social já havia depositado R$ 105.398,22 na conta da AACD. O montante resultou da campanha de arrecadação em que servidores da Prefeitura, Fieb, Ipresb e Câmara de Barueri doaram o valor referente a um dia de salário, indicando a instituição que deveria receber o recurso.

Fundada em 1950, a AACD tem 12 unidades distribuídas pelo país e realiza mais de 900 mil atendimentos por ano, garantindo que pessoas com deficiência evoluam além de suas limitações e atinjam o máximo de suas potencialidades.

Em 2017, campanhas lideradas pelo Fundo Social Estrela Guia arrecadaram R$ 723.849,23 em prol da AACD, da Apae (Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais) e do GRAACC (Grupo de Apoio ao Adolescente e à Criança com Câncer).

DSC01597 IMG_0356

Foram necessários dois ônibus para entregar os 2.440 cofres à entidade ( fotos: Adalberto Albuquerque / SADS)

 

Projeto “Segunda sem Carne” é intervencionismo e prejudica mercado

Da Redação

A Assembleia Legislativa de São Paulo (ALESP) aprovou, no último dia 27, o Projeto de Lei 86/2016, que pretende proibir a venda e o consumo de carne às segundas-feiras em restaurantes, bares, escolas públicas e estabelecimentos que servem alimentação dentro de órgãos públicos.

De autoria do Deputado Estadual Feliciano Filho, o texto proíbe “o fornecimento de carnes e seus derivados às segundas-feiras, ainda que gratuitamente, nas escolas de rede pública de ensino e nos estabelecimentos que ofereçam refeição no âmbito dos órgãos públicos”. Além disso, prevê multa equivalente a R$ 7500,00 em caso de descumprimento.

O SinHoRes Osasco – Alphaville e Região é veementemente contra o PL que, na avaliação da entidade, representa ingerência do Estado no âmbito do livre mercado além de subestimar o direito de escolha do cidadão. “Se um parlamentar fez escolhas pessoais ao longo da vida, não deve impor essas mesmas escolhas a todos os paulistas”, contesta o presidente do SinHoRes, Edson Pinto.

O PL ainda não chegou às mãos do governador Geraldo Alckmin. No entanto, Alckmin já confirmou que vai vetar o projeto por considerá-lo equivocado e inconstitucional, entre outras questões porque programas de alimentação nas escolas são atribuições do Poder Executivo, não do Legislativo.

O governador aponta que ao fazer uma proibição sem elaborar campanhas educativas pode gerar um efeito contrário em que a proteína poderá ser trocada pelo carboidrato e aumentar consequentemente o índice de obesidade que já é um dos grandes problemas de saúde pública do Estado. Alckmin definiu a medida como um intervencionismo do estado ao subestimar a capacidade de decisão das pessoas.

O presidente do SinHoRes, Edson Pinto defende a posição de Alckmin. “Espero que o governador mantenha essa decisão sensata, pois esse projeto abre um perigoso procedente contra a liberdade individual e retira da alimentação das crianças da rede pública a proteína animal, tão importante para seu desenvolvimento, bem como para uma alimentação saudável”, ressalta Edson que também é Conselheiro Titular do Conselho Estadual de Segurança Alimentar e Nutricional de São Paulo (Consea-SP), órgão de assessoramento ao Governo do Estado que tem por objetivo propor ações de segurança alimentar e nutricional sustentável.

carne-vermelha

 
Com informações da Nova Onda Comunicação

Rochdalão sedia grupo da Copa SP

Da Redação

A Copa São Paulo de Futebol Júnior ou Copinha, como é conhecida, começou dia 2 e segue até 25 de janeiro. O número de participantes é recorde absoluto com 128 clubes, divididos em 32 grupos em várias sedes pelo Estado de São Paulo.

O campeonato é realizado desde 1969 e só não foi disputado em 1987. O Corinthians é o grande adversário, somando 10 vitórias e oito vice-campeonatos. O Fluminense (RJ) tem cinco títulos, o Internacional tem quatro e Santos e São Paulo ganharam três vezes cada.

Osasco será sede do torneio. O Estádio José Liberatti (Rochdalão) sediará os jogos do Grupo 23 que, além do time da cidade (o Audax), reúne também Rio Branco (ES), Atlético (MG) e União Barbarense (SP).

Os jogos têm entrada gratuita e, nesta quinta-feira (dia 4), já tem rodada dupla. Às 17h15, o Audax recebe o Rio Branco (ES) e às 19h15 tem Atlético (MG) e Barbarense (SP). No domingo tem Audax x Barbarense (SP) às 17 horas, e Rio Branco (ES) x Atlético (MG), às 19 horas.

JOGOS EM OSASCO
GRUPO 23 – OSASCO – ESTÁDIO JOSÉ LIBERATTI

4/1 – 17h15 – Audax x Rio Branco-ES
4/1 – 19h15 – Atlético-MG x União Barbarense-SP

7/1 – 17h – Audax x União Barbarense-SP
7/1 – 19h – Rio Branco-ES x Atlético-MG
10/1 – 14h - União Barbarense-SP x Rio Branco-ES
10/1 - 16h – Audax x Atlético-MG

DEMAIS GRUPOS 
GRUPO 1 – FERNANDÓPOLIS
3/1 – 15h – Fernandópolis x Madureira
3/1 – 17h – Criciúma x Guarani
6/1 – 16h – Fernandópolis x Guarani
6/1 – 18h – Madureira x Criciúma
9/1 – 15h – Guarani x Madureira
9/1 – 17h - Fernandópolis x Criciúma

GRUPO 2 – VOTUPORANGA – ARENA PLÍNIO MARIN
3/1 – 14h – Votuporanguense x Timon
3/1 - Atlético-PR x Rio Preto
6/1 - 14h – Votuporanguense x Rio Preto
6/1 - 16h – Timon x Atlético-PR
9/1 – 14h – Rio Preto x Timon
9/1 – 16h - Votuporanguense x Atlético-PR

GRUPO 3 – JOSÉ BONIFÁCIO – ESTÁDIO ANTÔNIO PEREIRA BRAGA
3/1 - 14h – José Bonifácio x América-PE
3/1 – 16h – Figueirense x Mirassol
6/1 - 14h – José Bonifácio x Mirassol
6/1 - 16h – América-PE x Figueirense
9/1 – 14h – Mirassol x América-PE
9/1 – 16h - José Bonifácio x Figueirense

GRUPO 4 – NOVO HORIZONTE – ESTÁDIO DR. ISMAEL DE BIASI
2/1 – 17h15 – Novorizontino x Aliança-CE
2/1 – 19h15 – Santos x América-RN
5/1 – 17h15 – Novorizontino x América-RN
5/1 – 19h15 – Aliança-CE x Santos
8/1 – 19h – América-RN x Aliança-CE
8/1 – 21h – Novorizontino x Santos

GRUPO 5 – TUPÃ – ESTÁDIO ALONSO CARVALHO BRAGA
3/1 – 18h – Tupã x Lagarto-SE
3/1 – 20h – Atlético-GO x XV de Jaú
6/1 – 16h – Tupã x XV de Jaú
6/1 – 18h – Lagarto-SE x Atlético-GO
9/1 – 18h - XV de Jaú x Lagarto-SE
9/1 – 20h - Tupã x Atlético-GO

GRUPO 6 – OSVALDO CRUZ – ESTÁDIO BRENO RIBEIRO DO VAL
4/1 – 14h – Osvaldo Cruz x Ricanato-TO
4/1 – 16h - Internacional x Boa Vista-RJ
7/1 – 09h – Osvaldo Cruz x Boa Vista-RJ
7/1 – 11h – Ricanato x Internacional
9/1 – 18h - Boa Vista-RJ x Ricanato-TO
9/1 – 20h - Osvaldo Cruz x Internacional

GRUPO 7 – PENÁPOLIS – ESTÁDIO TENENTE CARRIÇO
3/1 – 15h – Penapolense x Desportiva Paranaense-PA
3/1 – 17h – Náutico x Velo Clube
6/1 – 15h – Penapolense x Velo Clube
6/1 – 17h – Desportiva Paranaense x Náutico
9/1 – 15h – Velo Clube x Desportiva Paranaense
9/1 – 17h - Penapolense x Náutico

GRUPO 8 – MARÍLIA – ESTÁDIO BENTO DE ABREU
3/1 – 15h30 – Fluminense x Mogi Mirim
3/1 – 17h30 – Marília x Tubarão-SC
6/1 – 14h – Marília x Mogi Mirim
6/1 – 16h – Tubarão-SC x Fluminense
9/1 – 14h – Marília x Fluminense
9/1 – 16h - Mogi Mirim x Tubarão-SC

GRUPO 9 – FRANCA – ESTÁDIO JOSÉ LANCHA FILHO
3/1 – 18h – Francana x Araxá-MG
3/1 – 20h – Chapecoense x Ponte Preta
6/1 – 17h – Francana x Ponte Preta
6/1 – 19h – Araxá-MG x Chapecoense
9/1 – 18h - Ponte Preta x Araxá-MG
9/1 – 20h - Francana x Chapecoense

GRUPO 10 – RIBEIRÃO PRETO – ESTÁDIO SANTA CRUZ
3/1 – 17h15 - Botafogo-SP x Sergipe
3/1 – 19h15 – São Paulo x Cruzeiro-DF
6/1 – 19h – Botafogo-SP x Cruzeiro-DF
6/1 – 21h – Sergipe x São Paulo
9/1 – 19h30 – Cruzeiro-DF x Sergipe
9/1 – 21h30 – Botafogo-SP x São Paulo

GRUPO 11 – CRAVINHOS – ESTÁDIO J.D. MARTINS
3/1 – 14h - Comercial x Rio Branco-SP
3/1 – 16h - Paraná x Juventude
6/1 – 14h – Comercial x Juventude
6/1 – 16h – Rio Branco-SP x Paraná
9/1 – 14h - Juventude x Rio Branco-SP
9/1 – 16h - Comercial x Paraná

GRUPO 12 – BEBEDOURO – ESTÁDIO SÓCRATES STAMATO
4/1 – 17h15 – Inter Bebedouro x Nova Iguaçu
4/1 – 19h15 – Cruzeiro x Batatais
7/1 – 17h – Inter Bebedouro x Batatais
7/1 – 19h – Nova Iguaçu x Cruzeiro
9/1 – 16h - Inter Bebedouro x Cruzeiro
9/1 – 18h - Batatais x Nova Iguaçu

GRUPO 13 – CAPIVARI – ARENA CAPIVARI
3/1 – 19h – Capivariano x River-PI
3/1 – 21h – Botafogo x Confiança-SE
6/1 – 09h – Capivariano x Confiança-SE
6/1 – 11h – River-PI x Botafogo
9/1 – 14h – Confiança-SE x River-PI
9/1 – 16h - Capivariano x Botafogo

GRUPO 14 – PORTO FELIZ – ESTÁDIO ERNESTO ROCCO
3/1 – 14h - Desportivo Brasil x União-MT
3/1 – 16h - Paysandu x Londrina
6/1 – 14h – Desportivo Brasil x Londrina
6/1 – 16h - União-MT x Paysandu
9/1 – 14h - Londrina x União-MT
9/1 – 16h – Desportivo Brasil x Paysandu

GRUPO 15 – INDAIATUBA – ÍTALO MÁRIO LIMONGI
3/1 – 14h – Primavera x Globo-RN
3/1 – 16h - Vitória x Atibaia
6/1 – 14h – Primavera x Atibaia
6/1 – 16h – Globo-RN x Vitória
9/1 – 14h - Atibaia x Globo-EN
9/1 – 16h - Primavera x Vitória

GRUPO 16 – ITU – ESTÁDIO NOVELLI JÚNIOR
3/1 – 14h - Ituano x Santa Cruz-AL
3/1 – 16h – Vila Nova-GO x XV de Piracicaba
6/1 – 14h – Ituano x XV de Piracicaba
6/1 – 16h – Santa Cruz-AL x Vila Nova-GO
9/1 – 14h - XV de Piracicaba x Santa Cruz-AL
9/1 – 16h - Ituano x Vila Nova-GO

GRUPO 17 – ARARAQUARA – ARENA DA FONTE
4/1 – 19h30 – Ferroviária-SP x Pinheiro-MA
4/1 – 21h30 – Corinthians x Corumbaense-MS
7/1 – 14h – Ferroviária-SP x Corumbaense-MS
7/1 – 16h – Pinheiro-MA x Corinthians
10/1 - 17h30 – Corumbaense-MS x Pinheiro-MA
10/1 - 19h30 – Ferroviária-SP x Corinthians

GRUPO 18 – SÃO CARLOS – ESTÁDIO LUIZ AUGUSTO DE OLIVEIRA
4/1 – 17h – São Carlos x São Raimundo
4/1 – 19h – Sport Recife x Linense
7/1 – 17h – São Carlos x Linense
7/1 – 19h – São Raimundo x Sport Recife
10/1 - 19h – Linense x São Raimundo
10/1 – 21h – São Carlos x Sport Recife

GRUPO 19 – ITAPIRA – ESTÁDIO FRANCISCO VIEIRA
4/1 – 19h - Itapirense-SP x Estaciano-SE
4/1 – 21h – Fortaleza x Volta Redonda
7/1 – 17h – Itapirense x Volta Redonda
7/1 – 19h - Estanciano x Fortaleza
10/1 – 17h - Volta Redonda x Estanciano
10/1 - 19h – Itapirense x Fortaleza

GRUPO 20 – JUNDIAÍ – ESTÁDIO JAIME CINTRA
4/1 – 14h – Paulista x São José-RS
4/1 – 16h – Avaí x RB Brasil
7/1 – 14h – Paulista x RB Brasil
7/1 – 16h – São José-RS x Avaí
10/1 – 14h – RB Brasil x São José-RS
10/1 - 16h – Paulista x Avaí

GRUPO 21 – BARUERI – ARENA BARUERI
3/1 – 19h30 – Oeste x Aimoré-RS
3/1 – 21h30 – Flamengo x Ji-Paraná
6/1 – 17h – Oeste x Ji-Paraná
6/1 – 19h - Aimoré x Flamengo
9/1 – 17h15 – Ji-Paraná x Aimoré
9/1 – 19h15 – Oeste x Flamengo

GRUPO 22 – CAPÃO BONITO – ESTÁDIO JOSÉ SIDNEY DA CUNHA
3/1 – 14h - Elosport-SP x Atlântico-BA
3/1 – 16h – Coritiba x Comercial-MS
6/1 – 14h – Elosport x Comercial-MS
6/1 – 16h – Atlântico-BA x Coritiba
9/1 – 14h - Comercial-MS x Atlântico-BA
9/1 – 16h - Elosport-SP x Coritiba

GRUPO 24 – TABOÃO DA SERRA – ESTÁDIO JOSÉ FEREZ
4/1 – 14h – Taboão da Serra x São Paulo Crystal-PB
4/1 – 16h – Joinville x Real-DF
7/1 – 14h – Taboão da Serra x Real-DF
7/1 – 16h – São Paulo Crystal x Joinville
10/1 – 14h – Real-DF x São Paulo Crystal
10/1 – 16h – Taboão da Serra x Joinville

GRUPO 25 – SÃO BERNARDO DO CAMPO – ESTÁDIO BAETÃO
3/1 – 14h – São Bernardo-SP x Rio Branco-AC
3/1 – 16h – Ceará x São Caetano
6/1 – 14h – São Bernardo x São Caetano
6/1 – 16h – Rio Branco-AC x Ceará
9/1 – 14h - São Caetano x Rio Branco-AC
9/1 – 16h - São Bernardo x Ceará

GRUPO 26 – DIADEMA – ESTÁDIO DISTRITAL DO INAMAR
2/1 – 14h – Água Santa-SP x Espírito Santo-ES
2/1 – 16h – Vasco x Juventus-SP
5/1 – 14h – Água Santa x Juventus
5/1 – 16h – Espírito Santo x Vasco
8/1 – 14h – Juventus-SP x Espírito Santo
8/1 – 16h – Água Santa x Vasco

GRUPO 27 – TAUBATÉ – ESTÁDIO JOAQUINZÃO
2/1 – 19h30 – Taubaté-SP x Moto Club-MA
2/1 – 21h30 – Palmeiras x Luverdense-MT
5/1 – 19h30 – Taubaté x Luverdense
5/1 – 21h30 – Moto Club x Palmeiras
8/1 – 18h – Luverdense x Moto Club
8/1 – 20h – Taubaté x Palmeiras

GRUPO 28 – GUARATINGUETÁ – ESTÁDIO DARIO RODRIGUES LEITE
3/1 – 14h - Manthiqueira-SP x Botafogo-PB
3/1 – 16h – Bahia x São Bento-SP
6/1 – 09h – Manthiqueira x São Bento
6/1 – 11h – Botafogo-PB x Bahia
9/1 – 14h - São Bento x Botafogo-PB
9/1 – 16h - Manthiqueira x Bahia

GRUPO 29 – GUARULHOS – ESTÁDIO ANTÔNIO SOARES DE OLIVEIRA
3/1 – 14h - Flamengo-SP x Sete de Setembro-AL
3/1 – 16h - Goiás – Guarulhos
6/1 – 14h – Flamengo-SP x Guarulhos
6/1 – 16h – Sete de Setembro x Goiás
9/1 – 14h - Guarulhos x Sete de Setembro
9/1 – 16h - Flamengo-SP x Goiás

GRUPO 30 – MOGI DAS CRUZES – ESTÁDIO NOGUEIRÃO
3/1 – 14h - União Mogi-SP x Trindade-GO
3/1 – 16h - Grêmio x Bragantino
6/1 – 19h – União Mogi x Bragantino
6/1 – 21h – Trindade x Grêmio
9/1 – 16h - Bragantino x Trindade
9/1 – 18h - União Mogi x Grêmio

GRUPO 31 – SÃO PAULO – ESTÁDIO NICOLAY ALAYON
3/1 – 14h - Nacional-SP x São Paulo-AP
3/1 – 16h – ABC-RN x Santo André-SP
6/1 – 14h – Nacional-SP x Santo André-SP
6/1 – 16h – São Paulo-AP x ABC-RN
9/1 – 14h – Santo André-SP x São Paulo-AP
9/1 – 16h - Nacional-SP x ABC-RN

GRUPO 32 – SÃO PAULO – ESTÁDIO CANINDÉ
3/1 – 14h – Portuguesa x Teixeira de Freitas-BA
3/1 – 16h – América-MG x Remo-PA
5/1 – 14h – Portuguesa x Remo-PA
5/1 – 16h – Teixeira de Freitas x América-MG
8/1 – 14h – Remo-PA x Teixeira de Freitas-BA
8/1 – 16h – Portuguesa x América-MG

 

SECOM/PMO

Déficit global no investimento em ações de combate à tuberculose é de US$ 2 bi

saude-09876

Teste para confirmação de tuberculose utilizando cultura da bactéria em ovosMaicon Lemes Costa/ Secom/RO

O tratamento preventivo contra a tuberculose tem crescido, especialmente em grupos de maior risco, como pessoas que vivem com HIV e crianças de até 5 anos de idade, segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS). No entanto, a organização aponta que, apesar de o valor investido pelos países no cuidado e prevenção da doença ter aumentado em um período de dez anos, as pessoas com perfil para o tratamento preventivo não têm recebido o atendimento adequado.

Em 2017, foram investidos em todo o mundo quase US$ 7 bilhões em ações de combate à tuberculose. Mais de 80% desses recursos são provenientes do orçamento dos próprios países, como é o caso do Brasil, em que todo o investimento na área é nacional. Já em nações de menor renda, as doações internacionais ultrapassam o investimento doméstico. Em nível mundial, o déficit de investimento supera os US$ 2 bilhões.

Dos 30 países com maior incidência de tuberculose, apenas nove têm investimento doméstico em programas de combate à doença, dentre eles o Brasil.

A organização cita a política brasileira de investimento para o controle da doença como exemplo mundial. Em 2017, o orçamento do plano estratégico contra a tuberculose foi de US$ 67 milhões. Uma das ações previstas para o segundo semestre de 2018 é uma campanha para as as pessoas privadas de liberdade, consideradas uma das populações mais vulneráveis à doença, notificarem os sintomas de tuberculose. Para isso, o Ministério da Justiça e Segurança Pública repassou à Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) mais de R$ 27 milhões.

A Agência Brasil conclui hoje (5) a publicação de uma série de matérias sobre a infecção simultânea de pessoas com o vírus HIV e a bactéria da tuberculose.

A OMS defende que as lacunas de financiamento devem ser preenchidas tanto com o investimento de mais recursos domésticos quanto com doações internacionais, principalmente em países de média e baixa renda, que concentram a maior parte da carga de tuberculose no mundo.

No fim do ano passado, a organização Médicos sem Fronteiras lançou uma campanha e um abaixo-assinado para que os países invistam mais no combate à tuberculose, que recebeu mais de 30 mil assinaturas. A organização ainda tem investido na produção de tecnologias de saúde e na realização de testes clínicos para as novas drogas delamanide e bemaquilina em países com alta carga de tuberculose.

“Os testes clínicos ainda devem ser feitos por mais dois anos. A eficiência dessas drogas já está mais do que comprovada, o que a OMS vai fazer é tirar todas as dúvidas para provar que o tratamento é efetivo e possível, porque tem alguns aspectos relacionados à segurança e ao uso em larga escala. Mas, como é um tratamento para pessoas pobres, não existe interesse da indústria farmacêutica em investir tempo e dinheiro num produto que ele não vai ter lucro expressivo”, afirma o infectologista Rafael Sacramento, que trabalhou com testes clínicos das drogas contra tuberculose no Quirguistão, na Ásia Central.

Em busca da meta

O Brasil tem a meta de eliminar a tuberculose como problema de saúde pública até 2035. Nos próximos 17 anos, o país terá de reduzir a atual taxa de registro de novos casos de tuberculose de 32 para menos de 10 casos a cada 100 mil habitantes e a taxa de óbito para 1 a cada 100 mil.

Em nota, o Ministério da Saúde esclareceu que o Brasil já conseguiu atingir as metas dos Objetivos do Milênio (ODM) de combate à tuberculose e, em 2015, e aderiu ao compromisso global de redução de 95% dos óbitos e 90% do coeficiente de incidência da doença até 2035.

Segundo a pasta, em 2016, foram registrados 69,5 mil casos novos de tuberculose . No período de 2007 a 2016, o coeficiente de novos casos da doença caiu em 1,2%, passando de 37,9 para 33,7 a cada 100 mil habitantes.

A mortalidade por tuberculose também apresentou redução. Em 2015, o Brasil registrou 4,6 mil óbitos por tuberculose, número 11,5% menor que o registrado em 2006, passando de 2,6 para 2,3 a cada 100 mil habitantes, 2015. No mesmo ano, a tuberculose foi a doença infecciosa que mais causou mortes no mundo.

“Se você quer curar 95% das pessoas [meta da OMS]não pode ter 5% de óbito. Aí você reduz 5% de óbito, mais 15% de abandono [do tratamento], já tem 20%, então você só cura 80%. Ainda tem que tirar as falhas, que são aqueles que não curaram”, afirma Valeria Rolla, pesquisadora da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz).

Outro desafio é reduzir os índices de subnotificação e a perda de informações sobre os resultados de pacientes que já iniciaram o tratamento. Segundo a OMS, no Brasil 71% dos casos registrados de tuberculose são curados e 10% deles não apresentam resultado. No caso do tratamento da coinfecção por HIV e tuberculose, 40% dos tratamentos são bem-sucedidos, 30% das tentativas de cura apresentam falha e outros 30% não têm registro de avaliação dos resultados.

 Prevenção

O Ministério da Saúde ressalta, em um de seus boletins periódicos, que o resultado almejado para 2035 “só será alcançado caso haja melhoria no cenário atual de alguns indicadores operacionais e epidemiológicos – por exemplo, a redução do coeficiente de incidência de aids”. Especialistas apontam ainda outros desafios, principalmente no âmbito social e de desenvolvimento de políticas preventivas.

“Para atingir os objetivos do desenvolvimento sustentável, é preciso mais do que novas drogas, é necessária prevenção. E outros fatores, como o estímulo aos doentes para se tratarem; transferência de renda; benefícios sociais; do ponto de vista trabalhista, afastamento do trabalho (no Brasil já existe); saneamento – e tudo o mais que envolve qualidade de vida, que é muito mais complexo”, explicar Dráurio Barreira, médico sanitarista e gerente técnico da Unitaid, organização internacional que busca novos métodos de prevenção, diagnóstico e tratamento do HIV e da tuberculose no mundo.

Entre as formas de prevenção, Dráurio sugere a melhora na detecção da tuberculose latente. Ele alerta que uma em cada três pessoas no mundo tem no organismo o bacilo da tuberculose, mas não está doente.

“Num momento de imunodeficiência, seja por velhice, por diabetes, por aids, uso de medicamento ou qualquer motivo que faça cair a imunidade, a tuberculose pode vir, pode deixar de ser latente e transformar-se em doença. Então, como a gente tem mais de 2 milhões de pessoas infectadas, a prevenção é fundamental.”, explicou Barreira.

O médico ressalta, no entanto, que este tipo de prevenção implica em que o paciente tome remédios mesmo sem ter desenvolvido a doença e ainda tem custo elevado para o sistema de saúde. Outro tipo de prevenção eficaz que ele destaca é a vacina, mas que “ainda está um pouco longe do horizonte”, segundo médico, pois pode levar alguns anos para ser desenvolvida.

Plano Nacional

Em junho do ano passado, o Ministério lançou o Plano Nacional pelo Fim da Tuberculose como problema de saúde pública. A política ratifica o compromisso com do Brasil com a OMS de reduzir a incidência da doença na população. A estratégia para alcancar a meta envolve a redução do percentual de abandono de tratamento e a melhora no percentual de cura das pessoas diagnosticadas com tuberculose e no monitoramento do controle da doença.

O plano destaca ainda que os principais objetivos das ações devem ser de prevenção e cuidado integrado do paciente, melhorias no diagnóstico precoce, tratamento adequado, fortalecimento da participação da sociedade civil, melhoria dos sistemas de registro, além da realização de mais pesquisas.

O Ministério também prepara campanha com o objetivo de chamar a atenção para o diagnóstico rápido e da busca por tratamento da tuberculose pelas pessoas que vivem com HIV.

 

Da Agência Brasil

Fluminense busca classificação na Copinha contra o Tubarão-SC

O Fluminense venceu com autoridade na estreia da Copa São Paulo de Futebol Júnior e volta a campo, neste sábado, contra o Tubarão-SC, às 16h em Marília. Com três pontos, os tricolores podem garantir classificação antecipada no grupo 8, em caso de vitória.

O técnico Marcelo Veiga se mostrou animado com a vitória na estreia, mas minimizou a busca pelo título da Copinha: “Foi uma boa vitória, conseguimos jogar e fazer os gols com sabedoria. É apenas o primeiro passo de muitos. Nosso principal objetivo é formar os jogadores, mas aqui no Fluminense vamos buscar sempre vencer, está no nosso DNA.”, afirmou o treinador.

flu-DSstomHWsAEZ0wO
Garotada do Flu em treinamento para a partida contra o Tubarão-SC (Foto: Twitter/Fluminense FC)

Os cariocas podem ter a vida complicada, pois os catarinenses mostram bom futebol derrota na estreia para o Marília, por 4 a 3, e vão em busca de um bom resultado para seguir com chances de classificação.

Na preliminar, o dono da casa, Marília é outra equipe que pode conquistar a classificação antecipada se vencer o Mogi Mirim.

Confira todos os jogos deste sábado pela Copa São Paulo:

09h00 Capivariano x Velo Clube
09h00 Manthiaqueira x São Bento
11h00 River-PI x Botafogo
11h00 Botafogo-PB x Bahia
14h00 Votopuranguense x Rio Preto
14h00 José Bonifácio x Mirassol
14h00 Marília x Mogi Mirim
14h00 Comercial-SP x Juventude
14h00 Desportivo Brasil x Londrina
14h00 Primavera x Atibaia
14h00 Ituano x XV Piracicaba
14h00 Elosport x Comercial-MS
14h00 São Bernardo FC x São Caetano
14h00 Flamengo x Guarulhos
14h00 Nacional x Santo André
15h00 Penapolense x Linense
16h00 Fernandópolis x Guarani
16h00 Timon-PI x Atlético-PR
16h00 América-PE x Figueirense
16h00 Tupã x XV Jaú
16h00 Tubarão-SC x Fluminense
16h00 Rio Branco x Paraná
16h00 União-MT x Paysandu
16h00 Globo-RN x Vitória
16h00 Santa Cruz-AL x Vila Nova
16h00 Atlântico-BA x Coritiba
16h00 Rio Branco-AC x Ceará
16h00 Sete de Setembro-AL x Goiás
16h00 São Paulo-AP x ABC
17h00 Desportiva Paranaense x Náutico
17h00 Francana x Ponte Preta
17h00 Oeste x Ji Paraná-RO
18h00 Madureira x Criciuma
18h00 Lagarto-SE x Atlético-GO
19h00 Araxá-MG x Chapecoense
19h00 Botafogo-SP x Cruzeiro-DF
19h00 Aimoré-RS x Flamengo
21h00 Sergipe x São Paulo

 

Gazeta Press – Rio de Janeiro , RJ

Produção industrial cresce 0,2% em novembro, segundo o IBGE

sede_suzano_celulose_mucuri_ba_03-850x56767443

Produção da indústria aumentou 0,2% em novembro e acumula alta de 0,9% Amanda Oliveira/GovBA

A produção da indústria brasileira cresceu 0,2% de outubro para novembro de 2017, segundo dados da Pesquisa Industrial Mensal divulgados hoje (5), no Rio de Janeiro, pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Esse foi o terceiro resultado positivo do setor, que acumula 0,9% de alta.

A indústria brasileira também teve crescimento na comparação com novembro de 2016 (4,7%), no acumulado do ano (2,3%) e no acumulado de 12 meses (2,2%).

De outubro para novembro, foram observadas altas nas produções de bens intermediários, ou seja, os insumos industrializados para o setor produtivo (1,4%) e de bens de consumo duráveis (2,5%). Os bens de capital, isto é, as máquinas e equipamentos, se mantiveram estáveis de um mês para o outro, enquanto os bens de consumo semi e não duráveis recuaram 1,6%.

Metade das 24 atividades industriais pesquisadas registraram crescimento, com destaque para os produtos farmacoquímicos e farmacêuticos (6,5%), perfumaria, sabões e produtos de limpeza (1,9%) e metalurgia (2,2%).

Das outras 12 atividades, onze tiveram queda e o setor de derivados de petróleo e biocombustíveis manteve-se estável. As principais quedas foram observadas nos segmentos de bebidas (-5,7%), vestuário e acessórios (-5,8%) e produtos diversos (-9%).

 

 
Da Agência Brasil