Presidente do TJ decide manter leilão de privatização de linhas do metrô de SP

O presidente do Tribunal de Justiça de São Paulo, desembargador Manoel de Queiroz Pereira Calças, suspendeu na noite de hoje (18) a liminar que proibia a realização do leilão das linhas 5-Lilás e 17-Ouro da Companhia do Metropolitano de São Paulo (Metrô), agendado para amanhã (19), na B3, antiga BMF& Bovespa. Com a decisão, a licitação poderá ocorrer normalmente.

“A paralisação do certame provocará o retardamento do procedimento licitatório e, por conseguinte, da entrega da operação comercial, em detrimento da expectativa de expansão do serviço público de transporte metroviário à população”, disse o presidente.

A suspensão dos efeitos de uma liminar pelo presidente do tribunal só ocorre como medida excepcional e urgente, e deve ser destinada a evitar grave lesão à ordem, à saúde, à segurança e à economia públicas.

“Como convincentemente exposto no pedido inicial [feito pelo Metrô e pelo governo paulista], se mais atrasos ocorrerem na entrega das linhas 5-Lilás e 17-Ouro ao concessionário, o Metrô não terá outra alternativa a não ser atuar em caráter emergencial em regime de operação assistida, o que trará significativo impacto financeiro à empresa e ao erário público”, justificou o magistrado. Mais cedo, o juiz Adriano Marcos Laroca, da 12ª Vara da Fazenda Pública da capital de São Paulo, havia concedido uma liminar suspendendo a licitação e o leilão de privatização das linhas. Na decisão, o magistrado disse que se tratava de uma privatização “custeada com recursos públicos” e com valor “muito baixo”, de R$ 190 milhões, em comparação aos custos das obras de construção das linhas, bancadas pelo estado, em torno de R$ 7 bilhões.

“O que agrava essa percepção é o cálculo apresentado pelos autores, com base em dados oficiais do Metrô, mostrando que, com base no carregamento mensal do trecho em funcionamento da linha 4- Lilás, multiplicado pelo valor da tarifa de remuneração, em 17 meses a concessionária recuperaria o custo da outorga”, destacou o juiz.

Segundo a Secretaria de Transportes Metropolitanos do estado, a privatização da operação comercial das duas linhas valerá pelo período de 20 anos. O lance mínimo será de R$ 189,6 milhões e a expectativa, segundo o governo, é de R$ 3 bilhões de investimentos e reinvestimentos ao longo do prazo da permissão. O critério de julgamento será o de maior valor oferecido. O leilão ocorrerá às 10 horas na B3, em São Paulo.

 

Da Agência Brasil

São Paulo lança medicação preventiva para populações vulneráveis ao HIV

sp-09876

Efeitos colaterais são apenas gastrointestinais, mas eficácia é alta, dizem médicosLudmilla Souza/Agência Brasil

Uma nova tecnologia de prevenção ao HIV, o vírus da aids, a síndrome da imunodeficiência adquirida, começa a ser oferecida na cidade de São Paulo nesta quinta-feira (18). A Profilaxia Pré-Exposição (PrEP) consiste no uso de medicamentos antirretrovirais (ARVs) por soronegativos antes de uma exposição de risco ao HIV.

A prioridade para a PrEP são as populações-chave para a resposta ao HIV que vivem em situação de vulnerabilidade ao vírus e mantêm relações sexuais sem uso do preservativo, como profissionais do sexo, homens e mulheres trans, casais sorodiferentes (quando um tem HIV e o outro, não), gays e outros homens que fazem sexo com homens (HSH).

O supervisor de visual merchandising Paulo Rodrigo Silva Gonçalves, de 36 anos, usa a PrEP há três anos. Ele é um dos voluntários da fase de pesquisa do programa, que agora chega às populações-chave. Gonçalves segue o protocolo do programa, que indica o uso do preservativo, mas ressalta que a PrEP foi importante para os momentos de vulnerabilidade.

“Tive parceiros soropositivos, por isso, foi importante eu participar do programa. Indico a PrEP, principalmente para quem tem parceiros soropositivos e para qualquer outra questão, porque é muito vasta a opção de usar esse medicamento e por vários motivos.” Gonçalves diz que não sentiu efeitos colaterais.

Na fase inicial, a profilaxia está disponível no Centro de Testagem e Aconselhamento (CTA) de Santo Amaro, na zona sul, bem como nos serviços de Assistência Especializada Butantã, na zona oeste, de Fidélis Ribeiro, na zona leste, e no de Ceci, na zona sul. Em fevereiro, a PrEP chega ao CTA Pirituba, na região norte.

A Profilaxia Pré-Exposição será oferecida também no Serviço de Extensão ao Atendimento de Pacientes HIV/Aids – Casa da Aids – Faculdade de Medicina da Universidade de São, Ambulatório de HIV/aods da Escola Paulista de Medicina da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp) e no Centro de Referência e Treinamento (CRT) em DST/Aids. No site do Ministério da Saúde há informações detalhadas para os interessados em usar o medicamento.

Além da capital paulista, 21 munícipios de 10 estados e o Distrito Federal vão disponibilizar a Profilaxia Pré-Exposição. São cidades como Manaus, Salvador, Fortaleza, Belo Horizonte, Recife, Curitiba, Rio de Janeiro e Porto Alegre. O Brasil é o primeiro país da América Latina a contar com a PrEP entre as alternativas de prevenção ao HIV em seu sistema público de saúde.

Atualmente, a tecnologia é comercializada na rede privada dos Estados Unidos, da Bélgica, da Escócia, do Peru e do Canadá e está disponível na rede pública de saúde da França e da África do Sul. A Profilaxia Pré-Exposição é recomendada pela Organização Mundial da Saúde (OMS) desde 2012.

A PrEP faz parte de uma nova abordagem para resposta ao HIV. Trata-se de um cardápio de tecnologias de prevenção ao HIV/Aids, que inclui o tradicional preservativo, mas também a testagem, tratamento, imunização, diagnóstico, redução de danos, prevenção à transmissão vertical e a Profilaxia Pós-Exposição, que dão à pessoa e ao profissional de saúde a possibilidade escolher uma metodologia ou combinar várias que se adaptem às necessidades e ao momento de vida do usuário.

Na capital paulista, o PrEP foi lançado no CTA de Santo Amaro, na presença das coordenadoras municipal e estadual de DST/Aids de São Paulo, Cristina Abbate e Maria Clara Gianna, respectivamente, e da diretora do Departamento de Vigilância, Prevenção e Controle das IST, do HIV/AIDS e das Hepatites Virais (DIAHV), do Ministério da Saúde, Adele Schwartz Benzaken, além de voluntários do programa, profissionais de saúde e interessados no assunto.

Medicação X Vacina

Como ainda não existe vacina contra o vírus HIV, a PrEP é uma tecnologia que impacta diretamente na resposta ao vírus, diz a diretora do DIAHV, Adele Schwartz Benzaken. “A PrEP é uma medicação usada na terapia antirretrovitral. As concentrações desse medicamento ficam na genitália dos usuários, o que impede que o vírus entre no organismo da pessoa porque inibe uma enzima e faz com que a pessoa não se infecte. Existe uma grande diferença: uma [a vacina] é no sistema imunológico, e esse é um medicamento para a terapia antirretroviral.”

Na opinião de Adele, a adesão é importante para o sucesso da terapia. “O comprimido tem que ser tomado diariamente para fazer essa proteção, pois, se isso não for feito, a concentração do medicamento não é suficiente para inibir o vírus.”

Adele diz que os efeitos colaterais da medicação são apenas gastrointestinais, como náuseas, mas a eficácia é alta. “A taxa de eficácia é de quase 100%, quando se tem a adesão. Depende muito do usuário; não dá para tomar somente um dia. Em países da Europa, a PrEP mostrou-se como uma das terapias mais eficazes para reduzir a incidência, principalmente entre homens que fazem sexo com homens.”

Adele ressalta que o uso contínuo da PrEP não leva a uma tendência de diminuição do uso do preservativo e à incidência de outras doenças sexualmente transmissíveis nos grupos de voluntários observados. “O que alguns estudos controlados têm demonstrado é que a PrEP aumenta a adesão ao preservativo. Também é uma forma de aumentar a cobertura do diagnóstico do HIV, porque as pessoas que têm vulnerabilidade procuram o serviço de saúde para [retirar] a PrEP. Assim a consulta com o profissional de saúde pode levar essa pessoa a incorporar mais vezes o uso do preservativo.”

Investimento

O investimento no programa foi de R$ 9 milhões e permitiu a compra de mais de 3,5 milhões pílulas. “Cada comprimido custou U$ 0,75 para o ministério, e foram adquiridos 9 mil medicamentos para um ano de PrEP”, informa Adele.

Ainda em fase de projeto de pesquisa, a PrEP poderá futuramente ser ofertada a adolescentes. “O estudo vai demonstrar se adolescentes podem tomar o medicamento, se têm adesão, quais são os efeitos colaterais que não são vistos na população adulta. Estamos esperando o resultado desse projeto de pesquisa para tentar incorporar os adolescentes para usarem PrEP também”.

Segundo a diretora DIAHV, até o fim deste semestre, o programa deve chegar a outros estados. “Até julho teremos pelo menos uma serviço em cada capital brasileira.”

 

 

Da Agência Brasil

Lucas Lima faz gol, dá assistência e Palmeiras vence o Santo André

De trás do meio-campo, Felipe Melo deu lançamento espetacular para Miguel Borja na esquerda. O colombiano dominou e tocou para Dudu, que, dentro da área, mandou de calcanhar na trave. No rebote, Willian inaugurou o marcador.

O tento foi um alívio para Borja. Com o placar zerado, o colombiano encontrava muita dificuldade em mostrar um bom futebol, já que precisava deixar a área a todo momento para tentar participar da partida por conta da forte marcação do Santo André.

Se Felipe Melo participou diretamente do primeiro gol, Lucas Lima foi decisivo no segundo mandando a bola para as redes. Com 36 jogados, Willian ganhou de Suéliton na esquerda e tocou para Borja. O colombiano tentou finalizar da meia-lua, mas foi travado. Na sobra, Lucas Lima, aplaudido desde o anúncio da escalação no Palestra, acertou um chutaço de esquerda, de fora da área, para ficar mais perto de conquistar o coração dos palmeirenses.

Outro estreante, Marcos Rocha foi seguro defensivamente, mas não apareceu no ataque, muito por conta de o Verdão concentrar suas jogadas ofensivas pelo lado esquerdo, onde Victor Luis mostrou que poderá brigar com Diogo Barbosa pela titularidade (o ex-cruzeirense está contundido).

Palmeiras vacila no segundo tempo, cansa, leva pressão, mas Keno decide

Após o intervalo, Sérgio Soares abriu sua equipe e promoveu as entradas do atacante Walterson e do meia João Lucas nas vagas dos volantes Adriano e Aloísio. As alterações, somadas ao cansaço do time alviverde, foram suficientes para fazer com que o Santo André passasse a pressionar o Verdão.

Com apenas dois minutos, Jailson já precisou salvar cabeceio de Suéliton. E o bombardeio continuou. Aos 13, Joãozinho dominou na lateral da área, de costas para Antônio Carlos, e, com um drible de corpo, deixou o zagueiro na saudade e cruzou rasteiro. O goleiro alviverde fez o corte para frente e a bola ficou limpa para João Lucas diminuir.

pal_1801-721-1024x682(Foto: Fernando Dantas/Gazeta Press)

Se a torcida palmeirense exigia boas atuações de Lucas Lima para fazer ‘as pazes’ com o ex-rival, essa relação de amor já começou a ser construída. Na estreia da equipe na temporada, e do camisa 20 vestindo verde, o meia fez gol e ainda deu uma assistência para garantir o triunfo do Maior Campeão do Brasil por 3 a 1 contra o Santo André, no Palestra Itália.

Desde o primeiro minuto, Lucas Lima e Felipe Melo se destacaram como os melhores em campo. O estreante buscou a bola no campo defensivo e foi responsável por conduzir o time ao ataque. Além disso, o camisa 20 se destacou em momentos defensivos, como quando Victor Luis avançou e o meia cobriu o companheiro na lateral esquerda assim que o Santo André recuperou a bola.

Já Felipe Melo, como habitual, foi o coração da equipe em campo. Em um início de partida em que o Ramalhão se postava bem defensivamente, bastou uma sequência de desarmes do Pitbull para inflamar ainda mais a torcida. E mostrando que não sabe só morder, o volante também fez jogada de camisa 10 para o Palmeiras abrir o placar.

O gol dos visitantes foi um banho de água fria para a torcida palestrina, que já sonhava com goleada na estreia do Paulistão, entusiasmada especialmente com os passes e viradas de jogo de Felipe Melo. Um choque também para Antônio Carlos, que ganhou a posição de titular na pré-temporada e fazia partida segura até este momento.

O empate só não veio por pura sorte palmeirense. Seis minutos após o primeiro gol, Walterson recebeu cruzamento da direita e finalizou, a bola bateu em Jailson e foi devagar até tocar a trave. No rebote, João Lucas chegou chutando tudo e também carimbou o poste.

A situação era preocupante, mas quem tem mais elenco, fica menos apreensivo. Roger Machado colocou Bruno Henrique e Keno nas vagas de Tchê Tchê e Dudu, e desde o momento em que pisou no gramado, o novo camisa 11 mostrou a grande opção ofensiva que é.

Keno infernizou a vida de Jonathan Bocão pelo lado esquerdo do ataque, onde Dudu, cansado, já não produzia. Após acertar a trave e quase anotar um golaço, o atacante teve outra oportunidade: tabelou com Lucas Lima, entrou na área, driblou Domingos e finalizou cruzado para fechar o marcador e garantir a primeira vitória alviverde na temporada.

Com o resultado, o Palmeiras larga na frente no Grupo C, enquanto o Santo André permanece zerado no Grupo B. No domingo, o Verdão encara o Botafogo em Ribeirão Preto às 17h, enquanto o Santo André recebe o RB Brasil às 19h30

FICHA TÉCNICA
PALMEIRAS 3 X 1 SANTO ANDRÉ

Local: Estádio Palestra Itália, em São Paulo (SP)
Data: 18 de janeiro, quinta-feira
Horário: 19h30 (de Brasília)
Árbitro: Salim Fende Chavez (SP)
Assistentes: Bruno Salago Rizo e Alberto Poletto Masseira (SP)
Público: 31.679 pagantes
Renda: 1.917.947,46

Cartões amarelos: Walterson (Santo André)

GOLS:
PALMEIRAS: Willian, aos 27, e Lucas Lima, aos 36 minutos do primeiro tempo; Keno, aos 38 da etapa final
SANTO ANDRÉ: João Lucas, aos 13 minutos do segundo tempo

PALMEIRAS: Jailson; Marcos Rocha, Antônio Carlos (Juninho), Thiago Martins e Victor Luiz; Felipe Melo e Tchê Tchê (Bruno Henrique); Willian, Lucas Lima e Dudu (Keno); Borja
Técnico: Roger Machado

SANTO ANDRÉ: Neneca; Jonathan Bocão, Suéliton, Domingos e Paulinho; Adriano (Walterson), Flávio, Dudu Vieira e Aloísio (João Lucas); Joãozinho e Lincom
Técnico: Sérgio Soares

 

 
Bruno Calió – São Paulo
Da Gazeta Esportiva SP

Atropelamento em Copacabana deixa um morto e 16 feridos

atro-3452

Atropelamento mata bebê em Copacabana – Foto Antonio Lacerda/Agência EFEAntonio Lacerda/Agência EFE

O carro que invadiu o calçadão de Copacabana, na zona sul do Rio de Janeiro, deixou um bebê de oito meses morto e 16 pessoas feridas. Antonio Almeida Anaquim dirigia pela Avenida Atlântica e, por volta das 20h30 de ontem (18), atropelou as pessoas que caminhavam pelo calçadão, próximo à Rua Figueiredo de Magalhães.

O motorista seria epilético e teria sofrido um ataque, por isso perdeu o controle do veículo. Segundo o Departamento de Trânsito (Detran), Antonio de Almeida Anaquim estava com a habilitação suspensa desde maio de 2014.

O motorista, de acordo com o Detran, não cumpriu a exigência de devolução da habilitação. Por ter cometido crime de trânsito e dirigido com a carteira suspensa, Anaquim terá sua documentação cassada.

Darlan Rocha, de 27 anos, pai do bebê que morreu no incidente, disse que a mãe da criança também foi atropelada e seu estado de saúde é grave. “Como uma pessoa que sofre de epilepsia tem carteira de motorista? Não era para ter carteira de motorista e nem estar na rua. Matou minha filha, como vou ficar agora?”, lamentou.

Segundo a Secretaria Municipal de Saúde, entre os feridos há um australiano, que está em estado grave no Hospital Municipal Souza Aguiar.

 
Da Agência Brasil