Cotia reforça necessidade de jovens se vacinarem contra HPV e Meningite

Da Redação

Secretaria de Saúde participa da Campanha Nacional de Mobilização e Comunicação sobre o assunto

A Prefeitura de Cotia, por meio da Secretaria de Saúde, está participando da Campanha Nacional de Mobilização e Comunicação para a vacinação do Adolescente contra HPV (Papilomavírus Humano) e Meningite C. As doses estão disponíveis nas 25 Unidades Básicas de Saúde do município e para receber a vacina é preciso apresentar a caderneta de vacinação do adolescente.

Os meninos com idade entre 11 e 14 anos devem se vacinar contra HPV, enquanto que para as meninas a vacina é ofertada para as que têm idade entre 9 e 14 anos.  Será necessário repetir a vacina seis meses depois da aplicação da primeira dose. A vacina contra HPV contribui para a redução da incidência do câncer de colo de útero e vulva nas mulheres. Nos homens, a vacina protege contra câncer de orofaringe (boca, faringe e amígdalas), ânus e pênis, além de causar verrugas genitais, causados pelo HPV.

Em relação à Meningite C, tanto para os meninos quanto para as meninas, a vacina é aplicada nas idades de 12 e 13 anos.

vacinaFoto: Vagner Santos

Defensoria Pública questiona Correios sobre reajuste de preços

A Defensoria Pública da União (DPU) no Rio de Janeiro abriu procedimento para avaliar os reajustes de preços a serem aplicados pelos Correios a partir do próximo dia 6. Uma das ações da empresa é passar a cobrar R$ 3,00 para cada encomenda enviada para a cidade do Rio. A justificativa é a violência na cidade.

Os Correios também informaram que haverá um reajuste para os serviços oferecidos à população. Em média, para objetos postados entre capitais e em âmbitos locais serão reajustados em 8%.

A DPU enviou um ofício à estatal questionando quais serviços de encomenda serão alcançados pelos aumentos de preços, qual o valor de cada reajuste, quais os fundamentos financeiros para fazer o cálculo desses reajustes e quantos consumidores serão atingidos.

Impacto da insegurança nos custos

Também houve questionamentos específicos sobre a tarifa extra de R$ 3 a ser aplicada sobre os envios para o Rio de Janeiro. A DPU quer saber se há estudo conclusivo sobre o impacto da insegurança nos custos de cada um dos serviços ofertados por essa empresa para justificar o aumento.

Além disso, pergunta se houve cobranças extras também para outros estados que passam por problemas de insegurança, como Ceará, Pernambuco e Espírito Santo.

Na nota divulgada na noite de terça-feira (27), os Correios informam que a “definição de preços é sempre baseada no aumento dos custos relacionados à prestação dos serviços, que considera gastos com transporte, pagamento de pessoal, aluguéis de imóveis, combustível e contratação de recursos para segurança, entre outros.”

 
Da Agência Brasil

São Paulo tem o fevereiro mais seco dos últimos 13 anos

sp-1066632-dsc_3598

Cerca de 70% de toda a chuva de fevereiro caiu na última segunda-feira (26)Arquivo/Rovena Rosa/Agência Brasil

A cidade de São Paulo registrou o fevereiro mais seco desde 2005, de acordo com medição realizada no Mirante de Santana, na zona norte da capital paulista, pelo Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet). Choveu 102,2 milímetros (mm), marca que fez com que o mês passado ficasse em terceiro lugar na lista de meses de fevereiro mais secos da série histórica de 75 anos.

O recorde de menor precipitação para fevereiro é de 32,5 mm, aferido em 1984. A segunda menor precipitação ocorreu em 2005, com 99,9 mm. A média histórica para fevereiro, período em que são esperadas chuvas de verão, é de 235,9 mm.

Durante o mês passado, choveu em apenas oito dias – a média histórica de fevereiro aponta registro de chuvas em 16 dias. Na tarde da última segunda-feira (26), a precipitação foi de 73,1 mm, 70% de toda a chuva do mês.

A temperatura média mínima ficou em 19°C, semelhante à média histórica de 18,9°C. A média máxima foi de 27,5 °C, o menor valor desde 2004. A média histórica máxima é de 28,3°C. A temperatura mais elevada do mês ocorreu no dia 9, de 32,8°C. No mesmo dia, ocorreu a maior amplitude térmica diária, de 13,5°C. A menor temperatura registrada foi de 16,7°C, no dia 4.

 

Da Agência Brasil

Corinthians empata com o Millonarios pela Libertadores

Equipe de Carille fez primeiro tempo ruim, mas melhorou no jogo e poderia ter vencido o Millonarios mesmo sem o camisa 9. Zagueiro Henrique acertou bola no travessão

O Corinthians iniciou sua trajetória na Libertadores-2018 com um empate de 0 a 0 contra o Millonarios (COL), na noite desta quarta-feira, em Bogotá. Depois de um primeiro tempo de muitas dificuldades, o Timão melhorou na etapa final e poderia ter voltado com os três pontos, mas faltou sorte nas finalizações – o zagueiro Henrique chegou a acertar o travessão.

cori-9757f35f07e

 

Millonarios 0×0 Corinthians
Foto: AFP / LANCE!

O empate sem ser vazado acabou ficando de bom tamanho no duelo entre os campeões brasileiro e colombiano, e traz lições para a sequência da temporada. Desnecessário dizer que o tão esperado camisa 9 voltou a fazer falta. O que fazer?

4-2-4 não resolve
Fábio Carille manteve o sistema de jogo efetivo do clássico contra o Palmeiras (vitória por 2 a 0), o 4-2-4, com Mateus Vital substituindo Rodriguinho. A formação, porém, não deu certo. Tanto Vital quanto Jadson foram muito pressionados pela excelente marcação colombiana. O Millonarios adiantou a marcação e não deixou que os meias recebessem a bola. Pronto, foi para o saco a estratégia de Carille de ficar com a bola. A falta de articulação complicou a vida dos pontas e permitiu aos donos da casa força para atacar. Assim, o primeiro tempo foi de poucas chances dos colombianos e quase nada de produtivo do Corinthians, muito amarrado.

cori-7580821d17

Millonarios 0×0 Corinthians
Foto: AFP / LANCE!

A mudança de postura
Ainda no primeiro tempo, Carille reagiu à dificuldade de seu time com uma alteração no esquema: voltou ao 4-2-3-1, adiantando Mateus Vital para jogar à frente da linha de três. O Corinthians melhorou. Na volta do intervalo, mais adiantado, o Timão criou chances e por pouco não abriu o placar. O zagueiro Henrique acertou o travessão após cobrança de escanteio e Vital também teve boa chance. A alteração durante o jogo comprova a importância de ter alternativas, testadas pelo comandante corintiano durante o paulista. Carille ainda tentou com Júnior Dutra e Sheik, que entrou bem.

Cadê a qualidade colombiana?
Não é difícil encontrar nas equipes colombianas a combinação de correria, com certa qualidade. De fato, o Atlético Nacional (COL) campeão da Libertadores em 2016 possuía tais características, dentre outras. O Millonarios não fugiu muito disso. As saídas pelos lados com Quiñones pela esquerda e Huérfano, pela direita, eram as melhoras alternativas. São rápidas. Mas faltou a qualidade. A equipe da casa poderia ter melhor sorte se possuísse técnica na parte final do campo, porque chances surgiram. Mas, neste quesito, deixou muito a desejar. Só com velocidade e força será difícil ter vida longa na Copa.

Saldo positivo
Até o momento, é bom o aproveitamento do Corinthians diante da sequência mais dura do ano. A equipe chega para o clássico contra o Santos, no próximo domingo, com uma vitória no Dérbi e empate fora de casa na Libertadores. Nada mal. Resta saber se terá fôlego para manter a pegada em mais um clássico e responder com força ao primeiro grande desafio da temporada. Vale lembrar também que o próximo adversário na Libertadores é o Deportivo Lara, da Venezuela, em tese o rival mais fácil, e na Arena Corinthians. Ou seja, o ponto na Colômbia não foi nada mal.

FICHA TÉCNICA
MILLONARIOS-COL 0 X 0 CORINTHIANS
Local: El Campin, Bogotá (COL)
Data-Hora: 28/2/2018 – 21h45
Árbitro: Roddy Zambrano (PAR)
Auxiliares: Christian Lescano (PAR) e Edwin Bravo (PAR)
Público/renda: Não disponíveis
Cartões amarelos: Duque, Cadavid e Juan Domínguez (MIL), Cássio, Gabriel e Renê Júnior (COR)
Cartões vermelhos: -
Gols: -

MILLONARIOS-COL: Fariñez; Jair Palacios, De Los Santos, Cadavid e Banguero; Duque, Juan Domínguez e David Silva (Carrillo, aos 38′/2ºT); Huérfano (Montoya, aos 28′/2ºT), Quiñones (Ovelar, aos 20′/2ºT) e Del Valle. Técnico: Hugo Gottardi.

CORINTHIANS: Cássio; Fagner, Balbuena, Henrique e Maycon; Gabriel e Renê Júnior; Romero (Lucca, aos 41′/2ºT), Mateus Vital (Emerson Sheik, aos 24′/2ºT), Jadson e Clayson (Júnior Dutra, aos 13′/2ºT). Técnico: Fábio Carille.

 

Marcio Porto

LANCE!