Tempo e bons resultados fazem Santos ir em busca de futebol bonito

sfc-26054835467

Jair ganha tempo em busca de bom futebol no Santos (Ivan Storti)

O técnico Jair Ventura afirma que seu objetivo é comandar um Santos ofensivo, vistoso, controlador dos jogos e com a maioria da posse de bola. Nas últimas partidas, porém, a opção foi por estratégias diferentes. E que deram certo.

O Peixe venceu o Palmeiras por 2 a 1, no Pacaembu, e perdeu a vaga nas finais do Campeonato Paulista nos pênaltis. E nesta quinta-feira, derrotou o Estudiantes por 1 a 0, em Quilmes, assumindo a liderança do Grupo 6 da Libertadores da América. Em ambas as ocasiões, o alvinegro “soube sofrer”, ganhando mesmo com boas chances cedidas.

O Santos “deu” a bola para o adversário e se posicionou para o contra-ataque. Agora, depois das vitórias, o objetivo é se preparar para jogar bonito. O próximo rival será o Ceará, pela estreia no Campeonato Brasileiro, dia 14, às 21h (de Brasília), no Pacaembu. Chance para vencer e convencer.

“É a nossa segunda vitória consecutiva, as duas jogando fora. É importante. Estamos sendo cobrados pelos resultado, mas agora com essas duas vitórias, aumentamos nosso percentual. Cada jogo é uma história. Nós vamos jogar nosso jogo, mas mostramos que podemos jogar de outra maneira. Essa versatilidade é importante”, analisa Jair Ventura.

O Peixe terá oito treinamentos antes de enfrentar o Ceará. O elenco volta da Argentina e já se reapresenta para trabalho regenerativo na tarde desta sexta-feira, no CT Rei Pelé.

 

Da Gazeta Esportiva
Santos, SP

Prefeitura de Cotia compra cestas básicas com preço acima do valor de mercado

cestas01

A Prefeitura de Cotia fechou contrato com a empresa Agro Comercial da Vargem Ltda para o fornecimento de 42 mil cestas básicas, durante um ano, pelo valor de R$ 6.925.380,00. O contrato, assinado em 12 de julho de 2017, é R$ 4 milhões mais caro que a cotação feita pela produção do Bom Dia São Paulo com a mesma empresa. Neste caso, as cestas sairiam por R$ 2.847.600,00.

A TV Globo também procurou uma concorrente para comparar o preço de cada um dos produtos oferecidos na cesta. O tempero de 300 gramas, por exemplo, ficou 557% mais caro no contrato municipal (R$ 3,68) do que na concorrente (R$ 0,56). Os pacotes de feijão também ficaram mais caros. A diferença foi de 180% – três pacotes por R$ 9,30 na concorrente, e R$ 26,22 no contrato da Prefeitura de Cotia.

Além do tempero e do feijão, a cesta tem outros 13 itens: arroz, biscoito água e sal, açúcar, fubá, farinha de mandioca, leite em pó integral, macarrão tipo espaguete, sal refinado, sardinha em óleo, pó de café, óleo de soja, polpa de tomate e a caixa de papelão que embala os produtos.

A Prefeitura paga em cada cesta R$ 164,89. A mesma empresa ofereceu o mesmo modelo de cesta por R$ 67,80 na cotação feita para a produção.

Logística

Uma das explicações que a Prefeitura de Cotia deu para a diferença de preços é a que o transporte das cestas é feito pela empresa Agro Alimentos – mesmo isso não constar na precificação do contrato (veja a nota completa da Prefeitura abaixo).

A produção da TV Globo também procurou o Ministério Público de Cotia. A assessoria de imprensa do MPSP disse que já tem uma denúncia em andamento na promotoria.

A Prefeitura de Cotia informou que contratou a empresa Agro Alimentos seguindo os ritos previstos em lei. E que o transporte das cestas é feito pela própria empresa. Esta operação envolve transporte através de 11 viagens com caminhões.

Até o fechamento desta reportagem, a Agro Comercial da Vargem Ltda. não respondeu às tentativas de contato para explicar a diferença entre os valores.

Íntegra da resposta da Prefeitura:

“A prefeitura de Cotia informa que a contratação da empresa Agro Alimentos seguiu os ritos previstos nos termos da Lei 8666/93, tratando-se de pregão presencial do qual foi extraído o respectivo contrato, com validade de um ano, para o fornecimento de 2400 cestas básicas por mês. As cestas são entregues em três endereços estratégicos (Secretaria de Obras, Almoxarifado Central e Administração Regional do Distrito de Caucaia do Alto – distante 17 km do centro da cidade), sendo o transporte é feito pela própria empresa Agro Alimentos. Esta operação envolve transporte através de 11 viagens com caminhões trucados com capacidade de 14,5 toneladas, sendo 1 motorista e 2 ajudantes por viagem/caminhão.

À época do pregão, quatro empresas participaram certame e o contrato foi firmado com a empresa que apresentou o menor preço, respeitando o critério legal.

A Prefeitura de Cotia esclarece que o processo foi instruído com quatro cotações prévias junto a empresas do ramo.

Também deve-se considerar a composição dos preços das cestas que compreendem embalagens, controle de qualidade, controle nutricional, tudo isso por conta da empresa fornecedora. Isso evidencia que uma compra isolada de cesta básica para retirada no fornecedor pode implicar em preços diferenciados, porque não terá toda essa logística própria do contrato em questão firmado com a Prefeitura de Cotia e, talvez, nem tenham o mesmo tipo de embalagem das cestas entregues ao município.”

Da TV Globo

Polícia faz operação para prender 50 pessoas em 3 favelas do Rio

pf-0987

Policiais civis cumprem hoje (6) 50 mandados de prisão de suspeitos de envolvimento com a venda de drogas e roubos nas favelas do Fallet, Fogueteiro e Prazeres, na zona norte do Rio de Janeiro. Os mandados têm como base um inquérito da Delegacia de Santa Teresa (7ª DP), responsável pela região.

Segundo a Polícia Civil, dois grupos da mesma facção controlam as favelas da região. Um deles é responsável pela venda de drogas no Fallet e no Fogueteiro, enquanto o outro controla o comércio de drogas ilícitas no Morro dos Prazeres.

A investigação contou com vídeos gravados em bocas de fumo e fotos publicadas em redes sociais, em que os suspeitos ostentam armas. Entre os alvos estão Paulo Cesar Baptista de Castro, conhecido por Paulinhozinho, apontado como chefe da quadrilha que comanda o Fallet e o Fogueteiro, e Cláudio Augusto dos Santos, o Jiló, suspeito de chefiar a venda de drogas no Prazeres.

Segundo o titular da 7ª DP, delegado Robinson Gomes, além de coibir o tráfico de drogas nas comunidades, a operação tem o objetivo de prender autores de roubo de cargas, de residências, de veículos e de estabelecimentos comerciais.

A operação, chamada de Colina, conta com 300 agentes da Polícia Civil e tem o apoio do Batalhão de Ações com Cães (BAC), da Polícia Militar.

 

Da Agência Brasil

Sérgio Moro determina prisão do ex-presidente Lula

lula_deixa_o_instuto_lula_em_sao_paulo

O juiz federal Sérgio Moro determinou há pouco a prisão do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Conforme a decisão, Lula terá até as 17h de amanhã (6) para se apresentar à Polícia Federal.

“Relativamente ao condenado e ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, concedo-lhe, em atenção à dignidade cargo que ocupou, a oportunidade de apresentar-se voluntariamente à Polícia Federal em Curitiba até as 17h do dia 06/04/2018, quando deverá ser cumprido o mandado de prisão”, decidiu Moro.

A medida foi tomada após a decisão do Supremo Tribunal Federal (STF), que negou ontem (4) um habeas corpus protocolado pela defesa para mudar o entendimento firmado pela Corte em 2016, quando foi autorizada a prisão após o fim dos recursos naquela instância. Lula foi condenado a 12 anos e um mês na ação penal do tríplex do Guarujá (SP), na Operação Lava Jato.

Sérgio Moro também determinou à Polícia Federal que não sejam utilizadas algemas em “qualquer hipótese”. O juiz também determinou que Lula terá direito a cela especial.

“Esclareça-se que, em razão da dignidade do cargo ocupado, foi previamente preparada uma sala reservada, espécie de Sala de Estado Maior, na própria Superintência da Polícia Federal, para o início do cumprimento da pena, e na qual o ex-presidente ficará separado dos demais presos, sem qualquer risco para a integridade moral ou física”, diz o mandado de prisão.

Na decisão, Moro explicou que, embora caiba mais um recurso contra a condenação de Lula, os chamados embargos dos embargos, a medida não poderá rever os 12 anos de pena.”Não cabem mais recursos com efeitos suspensivos junto ao Egrégio Tribunal Regional Federal da 4ª Região. Não houve divergência a ensejar infringentes. Hipotéticos embargos de declaração de embargos de declaração constituem apenas uma patologia protelatória e que deveria ser eliminada do mundo jurídico. De qualquer modo, embargos de declaração não alteram julgados, com o que as condenações não são passíveis de alteração na segunda instância”, explicou.

Defesa

Em nota, o advogado Cristiano Zanin, advogado de Lula, afirmou que a expedição do mandado de prisão contraria uma decisão do TRF-4, tomada em janeiro, que condicionaria a detenção após o fim de todos os recursos, fato que ainda não ocorreu.

“A defesa sequer foi intimada do acórdão que julgou os embargos de declaração em sessão de julgamento ocorrida no último dia 23/03. Desse acórdão ainda seria possível, em tese, a apresentação de novos embargos de declaração para o TRF4”, afirmou a defesa.

*texto ampliado às 18h30

*texto editado às 20h28 para incluir nota da defesa do ex-presidente Lula.

 
Da Agência Brasil