Oitavas de final começam com três campeões do mundo em campo

A fase de grupos terminou. Após um dia sem futebol, as oitavas de final da Copa do Mundo começam hoje (30). A partir de agora, os jogos são eliminatórios. Perdeu, volta para casa.

Os jogos deste sábado envolvem três campeões do mundo. Franceses e argentinos duelam às 11h, já uruguaios e portugueses jogam às 15h. Das seleções que jogam hoje, só Portugal ainda não sabe o que é ser campeã de uma Copa. Por outro lado, os “gajos” têm ao seu lado o melhor jogador do mundo da atualidade, Cristiano Ronaldo.

França x Argentina – 11h, Kazan

Depois de se classificar no sufoco, a Argentina encara seu maior desafio até agora. Enfrenta a França de Mbappé, Pogba e Griezmann. Os franceses se classificaram sem sustos em um grupo com Peru, Dinamarca e Austrália, mas ainda não mostraram um futebol exuberante ou digno de favoritismo absoluto no encontro de hoje.

O defensor Presnel Kimpembe exaltou o ataque argentino, mas vê brechas em seu sistema defensivo. “Obviamente, seus atacantes são muito perigosos! Messi, Higuaín, Aguero e Di Maria. Mas eles têm mostrado algumas fraquezas defensivas também, cedendo gols nas três partidas que jogaram. Então, estamos contando com nossos atacantes”.

mmm-26t181820

A Argentina vem de uma classificação dramática contra a Nigéria – REUTERS/Jorge Silva / direitos reservados

A Argentina vem de uma classificação dramática contra a Nigéria. Com ataque talentoso, mas pouco inspirado, a “Albiceleste” ainda está na Rússia graças ao gol do zagueiro Rojo, feito aos 41 minutos do segundo tempo. Messi, no entanto, é a estrela da companhia e de quem se espera uma grande partida.

“Eu não sei se foi uma classificação milagrosa, mas nós tivemos que trabalhar por ela. Isso nos dá mais força para a partida contra a França. Eles têm excelentes jogadores e são um bom time, mas nós somos a Argentina e temos nossa qualidade”, disse meio-campista Giovani Lo Celso, em coletiva de imprensa ontem (29).

Uruguai x Portugal – 15h, Sochi

De um lado, Suárez e Cavani comandam o ataque uruguaio. De outro, Cristiano Ronaldo, o melhor jogador do mundo eleito pela Fifa , já mostrou que está no comando do time de Portugal. Quando ele está bem, a seleção portuguesesa também está. E ele precisará estar em ótima forma para vencer a, até então, invicta defesa uruguaia.

“Temos qualidade individual e coletiva para resolver este impasse, sabendo que vamos enfrentar o Uruguai, um time muito forte. Eles não tomaram nenhum gol na fase de grupos e espero que possamos ser os primeiros a quebrar essa barreira”, disse o meio-campista português Adrien Silva, na coletiva de imprensa.

cr-636651012742067530

Cristiano Ronaldo, o melhor jogador do mundo eleito pela Fifa , mostrou que está no comando do time de Portugal – SERGEI CHIRIKOV / EFE/Direitos reservados

Do outro lado, o Uruguai vem crescendo ao longo da Copa do Mundo. Não jogou bem na primeira rodada e encontrou muita dificuldade para furar a defesa egípcia, mas venceu. Em seguida, bateu a Arábia Saudita pelo placar mínimo, mas sem sustos. Na rodada de encerramento da primeira fase, superou os donos da casa por 3 x 0, com autoridade.

O nível de desafio é maior, assim como a pressão. Bom para os uruguaios que o ataque formado por Suárez e Cavani, considerado um dos mais perigosos desta Copa do Mundo, está em boa forma. Dos cinco gols do time até agora, três foram da dupla.

Um tempero extra da partida está no duelo entre Cristiano Ronaldo, que joga no Real Madrid, e Suárez, atacante do Barcelona. Os dois clubes vivem em eterna rivalidade, mas Suárez procurou deixar essa competição na Espanha. “A rivalidade com o Cristiano na Espanha é diferente. Isto é uma Copa do Mundo e defender a camisa da seleção nacional é muito especial”, disse o atacante uruguaio.

 

Da Agência Brasil Brasília

Três países brigam pelas duas últimas vagas nas oitavas de final

A última rodada da primeira fase da Copa do Mundo, com quatro jogos por dia, passou rápido. Hoje (28) é o último dia da fase de grupos. Ao todo, 14 países estão classificados para disputar as oitavas de final, em que cada jogo será eliminatório, no estilo mata-mata, ou seja, quem perder voltará para casa.

No grupo G, Inglaterra e Bélgica já estão classificadas. No grupo H, três times brigam por duas vagas e o Senegal pode ser a única seleção africana a avançar no Mundial da Rússia.

 

Senegal x Colômbia – 11h – Samara

Japão x Polônia – 11h – Volgogrado

Japão e Senegal lideram o grupo H, com 4 pontos ganhos, e têm a vantagem do empate para seguir às oitavas de final.

A Colômbia, com três pontos ganhos, precisa vencer o Senegal para garantir a vaga. Os colombianos até podem comemorar a vaga com um empate, desde que o Japão perca para a Polônia, que já não tem chances de classificação.

Na entrevista coletiva concedida antes da partida de hoje, o técnico colombiano José Pekerman elogiou o adversário. “Este jogo é decisivo, define quem avança à próxima fase. O Senegal chegou em boa forma e demonstrou isso nos dois últimos jogos. Acho que o jogo será muito intenso, competitivo. Espero que saiamos com a vitória”.

O treinador senegalês Aliou Cissé devolveu os elogios e acrescentou que o vencedor será aquele que controlar o meio de campo.

“A Colômbia tem alguns dos melhores jogadores internacionais. Eles podem variar o ritmo do jogo e são taticamente muito fortes. Nesta quinta-feira, jogaremos para vencer. A batalha no meio de campo será o ponto-chave”.

 

Inglaterra x Bélgica – 15h – Kaliningrado

Panamá x Tunísia – 15h – Saransk

O jogo da tarde entre a Bélgica e a Inglaterra será importante para observar a seleção que está mais bem preparada para a próxima fase.

As duas equipes, cotadas para chegar pelo menos até as quartas de final, ainda não foram testadas na Copa do Mundo. Enquanto a Alemanha e a Argentina passaram por jogos mais duros, belgas e ingleses enfrentaram o Panamá e a Tunísia, duas seleções muito inferiores tecnicamente.

Vale lembrar que a Inglaterra passou sufoco contra a Tunísia na estreia.

Já a Bélgica não teve trabalho para vencer até agora. Esse teste, no entanto, não será tão fiel. Os dois países terão mudanças no time titular. Já garantidos nas oitavas de final, sabe-se que os treinadores dos dois times pouparão titulares. Até o artilheiro do time belga, Lukaku, ficará de fora.

A outra partida será uma despedida dos dois figurantes do grupo. Se há algum atrativo no duelo entre o Panamá e a Tunísia, ele é a chance de o Panamá conquistar sua primeira vitória numa Copa do Mundo. Encerrado o jogo, as duas seleções voltam para casa.

 

Classificadas para as oitavas de final

Veja os 14 países que já estão classificados para as oitavas de final:

Uruguai, Rússia, Espanha, Portugal, França, Dinamarca, Croácia, Brasil, Argentina, México, Suíça, Suécia, Inglaterra e Bélgica

 

 

Da Agência Brasil Brasília

Brasil derrota a Sérvia, fica em primeiro e vai enfrentar o México

bbrSERxBRA_wr_2706_133-1024x682

A Seleção Brasileira não chegou a encantar, mas teve o seu jogo mais tranquilo na Copa do Mundo da Rússia até então. Nesta quarta-feira, o time de Tite sofreu menos para derrotar a Sérvia por 2 a 0 no Estádio Spartak, em Moscou, com gols do volante Paulinho no primeiro tempo e do zagueiro Thiago Silva no segundo. O resultado assegurou a liderança do grupo E e o cruzamento com o México nas oitavas de final.

Com 7 pontos ganhos, o Brasil ficou à frente da também classificada Suíça, que só empatou por 2 a 2 com a Costa Rica nesta quarta-feira e subiu para 5. As eliminadas Sérvia e Costa Rica se despediram do Mundial da Rússia com 4 e 1 pontos, respectivamente.

Agora, a Seleção Brasileira voltará a campo contra os mexicanos, segundos colocados na chave que teve a Alemanha como decepção, às 11 horas (de Brasília) de segunda-feira, em Samara. No mesmo horário, mas um dia depois, a Suíça enfrentará a Suécia em São Petersburgo.

Paulinho desencanta
A Seleção Brasileira parecia à vontade no Estádio Spartak. Já no aquecimento, ao som das músicas compostas por torcedores especialmente para a Copa do Mundo da Rússia, Neymar distribuía sorrisos e gestos de hang loose a quem via pela frente. Depois, na execução do Hino Nacional, quase gargalhou ao perceber que o público passou a cantar à capela quando a música foi interrompida.

Nos primeiros minutos, o objetivo do astro do Paris Saint-Germain e dos seus companheiros era fazer uso da velocidade para continuar a sorrir em Moscou. Foi assim que Gabriel Jesus recebeu lançamento em posição clara de impedimento, avançou pela ponta esquerda e finalizou em cima do goleiro Stojkovic. Na sobra, Neymar completou um chute de Philippe Coutinho para fora.

bbbSERxBRA_wr_2706_147-1024x682bbbSERxBRA_wr_2706_135-1024x682Foto: Wander Roberto/Inovafoto/Gazeta Press

Aos sete minutos, porém, a Seleção Brasileira sofreu um baque. Marcelo acusou uma contusão nas costas ao dar uma arrancada e pediu substituição. Filipe Luís foi acionado por Tite e não foi mal em suas primeiras participações na partida, porém a equipe demonstrou sentir a ausência do lateral esquerdo titular e perdeu o ímpeto do princípio da partida.

A Sérvia aproveitou para começar a ser mais presente no ataque. O alto time de Mladen Krstajic, porém, não era muito criativo com a bola nos pés. Intimidava mais quando tinha a oportunidade de fazer levantamentos na área do Brasil, que só passou a errar menos passes quando esbarrou na bem postada defesa adversária. Aí, restavam os fáceis e inofensivos toques laterais aos zagueiros brasileiros.

A Seleção Brasileira se reencontrou por meio de alguns lances isolados a partir da metade do primeiro tempo, como quando Neymar tabelou com Gabriel Jesus e concluiu cruzado, parando em boa intervenção de Stojkovic. Aos 28 minutos, o centroavante do Manchester City inverteu os papéis com o companheiro e foi lançado com liberdade, mas bateu em cima da defesa após cortar a marcação.

Aos 35, a Sérvia não conseguiu evitar o gol brasileiro. Melhor jogador do time de Tite nas duas primeiras partidas do Mundial, Philippe Coutinho acionou aquele que vinha sendo um dos mais criticados. Paulinho recebeu lançamento longo à frente da zaga sérvia e justificou a confiança do seu treinador dos tempos de Corinthians. Encobriu Stojkovic, que deixava o gol, para abrir o placar.

Thiago Silva tranquiliza o Brasil
Com a Sérvia em desvantagem, a expectativa da Seleção Brasileira era de ter mais espaços para atacar – afinal, a rival estaria eliminada da Copa do Mundo da Rússia se aceitasse o resultado. Foi o que ocorreu, mas o novo panorama da partida não significou mais comodidade aos comandados de Tite.

É verdade que o Brasil ganhou liberdade para contra-atacar. Aos 11 minutos, por exemplo, Coutinho fez bela jogada no campo de defesa e depois lançou Neymar. O astro correu em direção à área e colocou o grito de “gol” na garganta dos torcedores brasileiros no Estádio Spartak, porém concluiu em cima do goleiro sérvio.

Do outro lado, o goleiro brasileiro dava sustos. Aos 15, Alisson cortou um cruzamento da direita na cabeça de Mitrovic. Por sorte, a bola rebateu em Thiago Silva e voltou para ele. A Sérvia se empolgou e apostou em uma série de levantamentos na área a partir de então. Pela Seleção Brasileira, Tite se precaveu e protegeu a sua defesa com a troca de Paulinho por Fernandinho.

Foi um zagueiro quem deixou o treinador brasileiro mais tranquilo. Aos 22 minutos, Neymar cobrou escanteio na área, e Thiago Silva provou que a Sérvia também é vulnerável pelo alto. Ele cabeceou a bola na rede depois de Miranda se enroscar com a zaga e correu para abraçar o camisa 10 da Seleção Brasileira, com quem tinha se desentendido por um lance de fair play na rodada passada.

O gol fez a Seleção Brasileira ditar novamente o ritmo da partida. Tite se permitiu até poupar Coutinho, mandando Renato Augusto a campo. Com a alteração, os líderes do grupo E da Copa do Mundo valorizaram bastante a posse de bola, sem serem ameaçados outra vez pelos sérvios, enquanto aguardavam o apito final do árbitro iraniano Alireza Faghani.

FICHA TÉCNICA
SÉRVIA 0 X 2 BRASIL

Local: Estádio Spartak, em Moscou (Rússia)
Data: 27 de junho de 2018, quarta-feira
Horário: 15 horas (de Brasília)
Árbitro: Alireza Faghani (Irã)
Assistentes: Reza Sokhandan e Mohammed Mansouri (ambos do Irã)
Público: 44.190 pessoas
Cartões amarelos: Ljajic, Matic e Mitrovic (Sérvia)
Gols: BRASIL: Paulinho, aos 35 minutos do primeiro tempo, e Thiago Silva, aos 22 minutos do segundo tempo

SÉRVIA: Stojkovic; Rukavina, Milenkovic, Veljkovic e Kolarov; Matic, Milinkovic-Savic, Tadic, Ljajic (Zivkovic) e Kostic (Radonjic); Mitrovic (Jovic)
Técnico: Mladen Krstajic

BRASIL: Alisson; Fagner, Thiago Silva, Miranda e Marcelo (Filipe Luís); Casemiro, Paulinho (Fernandinho), Willian, Philippe Coutinho (Renato Augusto) e Neymar; Gabriel Jesus
Técnico: Tite

 

Da Gazeta Esportiva

BC reduz previsão de crescimento da economia este ano para 1,6%

O Banco Central (BC) reduziu a previsão de crescimento da economia este ano. A projeção para a expansão do Produto Interno Bruto (PIB), a soma de todos os bens e serviços produzidos no país, passou de 2,6% para 1,6%, de acordo com o Relatório de Inflação, divulgado hoje (28), em Brasília.

A previsão está um pouco acima da estimativa do mercado financeiro, que é 1,55%. Essas projeções têm sido reduzidas pelas instituições financeiras nas últimas semanas.

ind-sede_suzano_celulose_mucuri_ba_9805
Economia deve crescer menos. Projeção para a expansão do Produto Interno Bruto passou de 2,6% para 1,6% (Amanda Oliveira/GovBA)

Segundo o Banco Central, a revisão na estimativa ocorreu devido ao “arrefecimento” da atividade econômica no início do ano, a acomodação dos indicadores de confiança de empresas e consumidores e a perspectiva de impactos da greve dos caminhoneiros no final de maio.

Crescimento por setores
A estimativa para o crescimento da agropecuária subiu para 1,9%, ante estimativa de recuo de 0,3% em março, após crescimento anual de 13% em 2017 – o melhor resultado já registrado.

“A melhora na projeção se deve a resultado acima do esperado no primeiro trimestre e a sequência de elevações nos prognósticos para a produção agrícola anual”, diz o relatório do BC.

Já a projeção para o desempenho da indústria foi revista de 3,1% para 1,6%. Para o setor de comércio e serviços, a estimativa de expansão ficou em 1,3%, ante 2,4% na projeção de março.

Demanda de consumo
A estimativa para o crescimento do consumo das famílias foi revista de 3% na projeção de março, para 2,1%, “compatível com uma recuperação mais lenta da massa salarial, resultado da redução no ritmo de crescimento dos rendimentos e da população ocupada”.

A projeção para o crescimento dos investimentos (Formação Bruta de Capital Fixo – FBCF) permaneceu estável (4,0% ante 4,1% na projeção de março).

O consumo do governo deverá recuar 0,2%, ante estimativa de crescimento de 0,5% em março, “consistente com expectativa de piora na arrecadação dos governos em cenário de crescimento econômico menor do que o previsto no Relatório de Inflação de março”.

As exportações e as importações de bens e serviços devem variar 5,2% e 6,4% em 2018, ante projeções respectivas de 4,9% e 6,8% no Relatório de Inflação de março.

“A ligeira elevação na projeção para as exportações reflete o desempenho melhor do que o esperado no primeiro trimestre e as revisões em prognósticos para safras agrícolas de produtos importantes da pauta de exportação”, diz o Banco Central.

O volume de importações foi reduzido por conta da alta do dólar e do crescimento “mais modesto” da indústria e do consumo das famílias.

 

 

Da Agência Brasil Brasília

Gripe: municípios com estoque de vacina devem ampliar imunização

Municípios que ainda têm estoque da vacina contra a gripe devem, a partir de hoje (25), ampliar a indicação da dose para crianças entre 5 e 9 anos e adultos entre 50 e 59 anos, conforme orientação do Ministério da Saúde. A Campanha Nacional de Vacinação foi encerrada na última sexta-feira (22). De um total de 54,4 milhões de pessoas, 45,8 milhões foram imunizadas.

grip-antcrz_edit_12051807829

Campanha nacional de vacinação contra a gripe no Distrito Federal. Foto: Maria José da Silva 45 anos e sua filha Ana Clara de 3 Anos

O principal alerta da pasta é para a imprtância da vacinação de crianças – o país já contabiliza 44 mortes de menores de 5 anos por complicações relacionadas à gripe, mais que o dobro do registrado no mesmo período do ano passado (14 óbitos). Até o momento, 3,6 milhões de crianças com idade entre 6 meses e menores de 5 anos ainda não foram imunizadas. Este é o grupo prioritário com menor cobertura vacinal (67,7%), seguido pelas gestantes (71%).

Os grupos com maior cobertura são professores (98%), puérperas (96,2%), idosos (91%), indígenas (90,5%) e trabalhadores da saúde (88,6%).

Balanço

A Região Sudeste é a que tem menor cobertura vacinal contra a gripe até o momento, com 77,2%. Em seguida estão o Norte (78,4%), Sul (84,8%), Nordeste (89,3%) e o Centro-Oeste, com a melhor cobertura (96,5%).

Os estados de Goiás, do Amapá, Distrito Federal, Ceará, Espírito Santo, Tocantins, Maranhão, da Paraíba e de Alagoas têm cobertura vacinal contra a gripe acima de 90%. Roraima tem 60,4%, e o Rio de Janeiro, 62,4%.

Casos

O último boletim do ministério mostra que, até 16 de junho, foram registrados 3.122 casos de influenza em todo o país, com 535 mortes. Do total, 1.885 casos e 351 óbitos foram por H1N1 e 635 casos e 97 óbitos por H3N2. Foram registrados 278 casos e 31 óbitos por influenza B e 324 de influenza A não subtipado, com 56 mortes.

 
Da Agência Brasil Brasília

No 12º dia de Copa, primeira fase entra na reta final

Começa hoje (25) a última rodada da fase de grupos da Copa do Mundo. Chegou a hora H para muitas seleções definirem o seu futuro na competição. Nesta rodada, os dois jogos de cada grupo serão realizados ao mesmo tempo. Hoje é dia de definir como ficarão os grupos A e B.

 
Uruguai x Rússia – 11h, Samara

Arábia Saudita x Egito – 11h, Volgogrado

O grupo A já está resolvido em termos de classificação. Uruguaios e russos se enfrentam para saber quem terminará em primeiro no grupo. O primeiro colocado do grupo A enfrentará o segundo do grupo B.

A Rússia chega com autoridade por ter goleado a Arábia Saudita e vencido o Egito, do craque Mohamed Salah, sem grandes dificuldades.

Já o Uruguai irá a campo com todo o estádio torcendo contra. E nessa atmosfera terá que provar que o seu ataque, formado por Cavani, do Paris Saint-Germain, e Suárez, do Barcelona, é realmente digno do respeito que lhe é conferido desde antes do início do Mundial.

Volgogrado receberá uma típica partida amistosa. O único atrativo do jogo será Salah. Ainda se espera do atacante egípcio uma performance correspondente ao que ele já mostrou no Liverpool, da Inglaterra.

 

Espanha x Marrocos – 15h, Kaliningrado

Irã x Portugal – 15h, Saransk

Para a Espanha, o jogo vale muito. Para os marroquinos, a honra. Marrocos é o único time do grupo já eliminado da competição. Apesar de ter feito dois bons jogos, dominando as ações na maior parte do tempo, perdeu ambos. Enfrentará uma Espanha que precisará apenas empatar para garantir a classificação.

A maior dúvida sobre esta partida é se Marrocos jogará todo na defesa e explorando os contra-ataques ou tentará uma tática kamikaze, procurando jogar de igual para igual com a Espanha, campeã mundial de 2010.

A Espanha, que fez uma partida abaixo do esperado contra o Irã, garante a classificação com um empate, mas só descobrirá se ficará em primeiro ou em segundo depois do fim da outra partida. Se Portugal vencer seu jogo, entrarão em ação os critérios de desempate.

Portugal, empatada com a Espanha com 4 pontos, enfrentará uma seleção iraniana ainda com chances, tendo 3 pontos ganhos. Só uma vitória interessa ao Irã, enquanto um empate resolve a classificação dos portugueses.

O favoritismo da seleção de Portugal no jogo poderá lançá-la naturalmente ao ataque. Ainda que só tenha conseguido um gol na Copa – e ele tenha sido contra, de um atleta marroquino – o Irã ameaçou o gol da Espanha várias vezes na segunda rodada, em jogadas de contra-ataque.

 

 

Da Agência Brasil Brasília

Estudo diz que é preciso ampliar em 62% os investimentos em saneamento

saneamento_basico_2_-_agencia_brasil

Estudo da Confederação Nacional da Indústria (CNI), denominado Saneamento Básico: uma agenda regulatória e institucional, revela que para universalizar os serviços até 2033, conforme estabelece o Plano Nacional de Saneamento Básico (Plansab), é necessário ampliar em 62% o volume de investimentos para um patamar de R$ 21,6 bilhões anuais.

De acordo com o estudo, o investimento insuficiente é o maior vilão para a ampliação da cobertura por redes de esgoto no Brasil. Nos últimos oito anos, a média de recursos aportados no setor foi de R$ 13,6 bilhões.

O mesmo estudo mostra ainda que o serviço prestado pelas companhias privadas tem mais qualidade que o das públicas, e que cada R$ 1 investido dá retorno de R$ 2,50 ao setor produtivo. Segundo o documento, a ampliação das redes resulta em melhorias na saúde da população.

Metas
Na avaliação da CNI, a meta do Plansab só se tornará possível, caso a agenda de saneamento básico seja prioridade do governo federal .

“Caso sejam mantidos os níveis recentes de investimento, a universalização dos serviços será atingida apenas após 2050, com cerca de 20 anos de atraso”, afirmou a diretora de Relações Institucionais da CNI, Mônica Messenberg. De acordo com o estudo, a experiência internacional sugere que a parceria com o setor privado tem sido fator fundamental para a expansão e aumento da qualidade dos serviços de saneamento.

As concessões e as parcerias público-privadas (PPPs) no setor, no entanto, ainda esbarram em uma série de resistências, a maior parte relacionada aos mitos de que o setor privado só atua em grandes municípios e de que as tarifas privadas são significativamente superiores.

“É mito a ideia de que a participação privada gera aumento significativo das tarifas: o setor privado pratica tarifas de cerca de 11 centavos acima das tarifas observadas nas companhias estaduais”, diz o estudo.

 
Da Agência Brasil Brasília

Nono dia da Copa teve vitórias do Brasil, Nigéria e Suíça

A manhã de hoje (22) foi sofrimento para os brasileiros, que precisaram esperar 90 minutos para gritar gol. Sacramentada a primeira vitória nesta Copa do Mundo, foi a vez de ver o desempenho dos Suíços contra os Sérvios. E a Suíça mostrou ter qualidades suficientes na partida de hoje. Saiu atrás no placar, mas venceu. Pelo grupo D, a Nigéria venceu a Islândia, para a alegria dos argentinos.

Brasil 2 x 0 Costa Rica

bra-636652796845982320

Phillipe Coutinho, Neymar e Fred comemoram o primeiro gol da partida contra a Costa Rica - Juan Herrero/ EFE / direitos reservados

Não há unanimidade sobre o desempenho do Brasil, se jogou bem ou mal. O certo é que o treinador da Costa Rica, Óscar Ramírez, colocou nove dos 11 jogadores do seu time na defesa. O ferrolho caribenho estava montado para enfrentar os brasileiros.

O Brasil só animou a torcida no segundo tempo, com a entrada de Douglas Costa. Ele deu a mobilidade necessária para abrir os espaços e ajudou o restante do ataque aparecer.

Mas o nervosismo era o maior dos adversários da seleção. Neymar errou um chute que não costuma perder, da entrada da área, e Casemiro contou com o azar ao cabecear à queima-roupa uma bola na trave. Após a cabeçada, o volante ficou se lamentando na grande área e sequer percebeu que a jogada continuava perto dele. Apesar das dificuldades, o time de Tite teve paciência. Não se desesperou cruzando bolas inúteis na área e – usando uma expressão da moda no futebol – “soube sofrer”.

O sofrimento, aliás, ainda não acabou. A tomar pelo desempenho do Brasil nos dois primeiros jogos, a partida contra a Sérvia não será fácil. Ao menos, um empate já garante a classificação para as oitavas de final.

Suíça 2 x 1 Sérvia
suc-22t184429z_1864157121

Copa 2018: Sérvia e Suíça. – Mariana Bazo/Reuters/Direitos reservados

A Suíça que comemorou o empate com o Brasil não esteve em campo hoje. O que se viu foi um time ofensivo, ágil e perigoso. Nem o gol sofrido aos 4 minutos de jogo desesperou o time do técnico Vladmir Petkovic. A vitória, comandada pelo habilidoso Shaqiri, mostrou que a Suíça pode ficar um pouco mais de tempo na Rússia.

Assim como o Brasil, a Suíça vai às oitavas de final com um empate. Na última rodada enfrenta a Costa Rica. A postura do time costa-riquenho na última rodada será uma incógnita. Já eliminada, não se sabe se serão competitivos como foram hoje.

Já a Sérvia, que começou a rodada na liderança, ligou o sinal de alerta. Precisará vencer a seleção brasileira para se classificar.

De positivo no jogo de hoje, é possível destacar a atuação do centroavante Mitrovic. O camisa 9 explora bem seu 1,89m para ganhar quase todas as jogadas de cabeça. Foi assim que marcou contra a Suíça e é assim que poderá ameaçar a zaga brasileira, formada por Miranda (1,86m) e Thiago Silva (1,83m).

Nigéria 2 x 0 Islândia

irl-573387378_rc17fc095180

Islândia e Nigéria se enfrentam na Copa do Mundo 2018 – Ueslei Marcelino//Reuters/Direitos reservados

A vitória da Nigéria foi muito comemorada no país africano e também em Buenos Aires. Aos argentinos, restou torcer pelos nigerianos após o fiasco na partida de ontem, contra a Croácia. A vitória do time africano impediu a Islândia de passar a Argentina em pontos e garantir a classificação com um empate na última rodada.

Assim, o time de Messi precisará vencer, é claro, a própria Nigéria e torcer pela lógica: a líder Croácia não perder para a Islândia. Caso argentinos e islandeses vençam seus jogos, a classificação será do time que tiver melhor saldo de gols.

É possível, no entanto, que o tiro portenho saia pela culatra. O time nigeriano não é tão inocente quanto pareceu em sua estreia contra a Croácia. No jogo de hoje, a Islândia partiu para o ataque, mas sucumbiu à velocidade africana nos contra-ataques. A tendência é que esse artifício seja novamente explorado contra a defesa lenta da Argentina. Hoje, o atacante Musa foi o herói em Buenos Aires. Semana que vem poderá ser o vilão.

À Islândia resta vencer a Croácia, já classificada. Estreante em Copas do Mundo, os islandeses não fazem feio na Rússia. Apesar da derrota, jogaram buscando a vitória e querendo mais do que a fase de grupos. Chegam com chances de classificação, mas precisarão melhorar a pontaria, inclusive nos pênaltis. Na partida de hoje, G. Sigurdsson teve a chance de diminuir o placar e desperdiçou uma penalidade.

 

 

Da Agência Brasil Brasília

 

Campanha Nacional de vacinação contra a gripe termina hoje

A campanha nacional de vacinação contra a gripe termina hoje (22) em todo o país. Dados do Ministério da Saúde apontam que 45,8 milhões de um total de 54,4 milhões receberam a dose.

O principal alerta é entre crianças – o país já contabiliza 44 mortes de menores de 5 anos por complicações relacionadas à gripe. O número é mais que o dobro do registrado no mesmo período do ano passado (14 óbitos).

sau-dsc_6013

Dados do Ministério da Saúde apontam que 45,8 milhões de um total de 54,4 milhões receberam a dose da vacina contra a gripe – Rovena Rosa/Agência Brasil

De acordo com a pasta, até o momento, 3,6 milhões de crianças com idade entre 6 meses e menores de 5 anos ainda não foram imunizadas. Este é o grupo prioritário com menor cobertura vacinal (67,7%), seguido pelas gestantes (71%).

Os grupos com maior cobertura são professores (98%), puérperas (96,2%), idosos (91%), indígenas (90,5%) e trabalhadores da saúde (88,6%).

A partir da próxima semana, o governo federal recomenda aos municípios que ainda tiverem doses disponíveis ampliem a vacinação para crianças de 5 a 9 anos e para adultos de 50 a 59 anos.

“O Ministério da Saúde reforça a importância da proteção com a chegada do inverno, período de maior circulação dos vírus da gripe e orienta estados e municípios que continuem a ofertar a vacina para grupos prioritários, em especial as crianças, gestantes, idosos e pessoas com comorbidades, público com maior risco de complicações para a doença.”

Balanço
A Região Sudeste é a que tem menor cobertura vacinal contra a gripe até o momento, com 77,2%. Em seguida estão Norte (78,4%), Sul (84,8%), Nordeste (89,3%) e Centro-Oeste, com a melhor cobertura (96,5%).

Os estados de Goiás, do Amapá, Distrito Federal, Ceará, Espírito Santo, Tocantins, Maranhão, da Paraíba, e de Alagoas possuem cobertura vacinal contra a gripe acima de 90%. Roraima, com 60,4% e Rio de Janeiro, com 62,4%.

Casos
O último boletim do ministério aponta que, até 16 de junho, foram registrados 3.122 casos de influenza em todo o país, com 535 óbitos. Do total, 1.885 casos e 351 óbitos foram por H1N1 e 635 casos e 97 óbitos por H3N2. Foram registrados 278 casos e 31 óbitos por influenza B e 324 de influenza A não subtipado, com 56 óbitos.

 
Da Agência Brasil Brasília

 

Seleção Brasileira sofre, mas vence a Costa Rica por 2×0

bras-20180622140111_510627

A primeira vitória do Brasil na Copa do Mundo veio no fim do jogo. De forma dramática. E carregada de muito sofrimento. Depois de passar 90 minutos tentando furar a defesa da Costa Rica, a seleção só chegou aos gols nos acréscimos. Philippe Coutinho fez seu segundo gol na Copa e Neymar fechou o placar.

O alívio após a pressão do empate no primeiro jogo (1×1 com a Suíça) e uma partida muito difícil contra a seleção caribenha levaram Neymar às lágrimas após o apito final. O Brasil mostrou mais volume de jogo, mas, pouca precisão nas finalizações. “A vitória foi justa. Premiou quem quis jogar”, disse o zagueiro Thiago Silva após a partida.

bras-lee_smith

Neymar marca o segundo gol do Brasil diante da Costa Rica (Lee Smith/Reuters/Direitos reservados)

O VAR – o árbitro de vídeo – entrou em ação na partida de hoje. O árbitro holandês Bjorn Kuipers marcou pênalti em Neymar no segundo tempo, mas anulou após consultar o replay da jogada. A decisão de Kuipers foi correta.

Como foi o jogo

O Brasil encontrou um adversário muito bem fechado na defesa. A Costa Rica marcou a saída de bola do Brasil e se fechava com eficiência. Coutinho e Gabriel Jesus pouco fizeram durante o primeiro tempo. Neymar, jogando pela esquerda, era sempre cercado por dois ou mais adversários quando pegava na bola.

A Costa Rica explorava os contra-ataques, sempre com Ureña isolado no ataque. E, aos 12 minutos, a primeira chance real de jogo foi da Costa Rica. Numa chegada pela direita do ataque, Borges bateu para o gol, à direita do goleiro Alisson.

O Brasil teve uma posse de bola muito superior, mas não ameaçou o gol de Navas. As esperadas jogadas de habilidade do ataque brasileiro para furar a defesa não aconteceram.

Segundo tempo

Na etapa final, com Douglas Costa no lugar de Willian, o Brasil começou melhor. Aos 2 minutos, a Seleção Brasileira conseguiu entrar na área com perigo, mas Navas se antecipou a Neymar.

Na sequência, o Brasil quase chegou ao gol duas vezes. Gabriel Jesus cabeceou na trave e, na sobra, Philippe Coutinho chutou e a bola só não entrou porque o zagueiro salvou com o pé. Aos 10 minutos, Neymar recebeu bola cruzada na área e bateu para gol, mas Navas mandou para escanteio.

Depois da série de oportunidades, o jogo esfriou e a Costa Rica voltou a controlar o ataque brasileiro. Só 26 minutos o Brasil teve nova chance de abrir o placar. Neymar recebeu e bateu para o gol na entrada da área, mas a bola saiu à direita.

Aos 32 minutos, o Brasil chegou com velocidade e Neymar caiu na área e o juiz marcou pênalti. Ele, no entanto, consultou o árbitro de vídeo e anulou a marcação. O jogo continuava 0 x 0 e deixava os jogadores brasileiros cada vez mais nervosos. Neymar e Coutinho foram punidos com cartão amarelo por reclamação.

O Brasil finalmente marcou aos 45 minutos. Firmino cabeceou para o meio, Gabriel Jesus escorou e Coutinho completou para o gol; 1×0. Festa em São Petersburgo, na Rússia, e em todo o Brasil. A angústia, enfim, terminava.

Faltando 4 minutos para o fim da partida, a seleção ficou tocando bola, gastando o tempo. E teve tempo para o segundo gol, com Neymar. Em contra-ataque rápido, Casemiro tocou para Douglas Costa, que centrou para o camisa 10 do Brasil ampliar o placar. Com o apito final, veio o alívio da primeira vitória do Brasil na Copa.

Na próxima rodada, o Brasil enfrenta a Sérvia. O jogo será na próxima quarta-feira (27) às 15h (horário de Brasília). O Brasil lidera o grupo E com 4 pontos em dois jogos. Hoje, às 15h, Sérvia e Suíça fecham a segunda rodada do grupo.

bra-20180622135635_793167Foto: REUTERS/Max Rossi

 

bra-20180622135045_733539
Foto: REUTERS/Henry Romero

 

bras--henry_romero_reuters

 

 

Da Agência Brasil Brasília