STF absolve Gleisi e Paulo Bernardo de corrupção e lavagem

A Segunda Turma do Supremo Tribunal Federal (STF) decidiu hoje (19) pela absolvição da senadora Gleisi Hoffmann (PT-PR) e de seu marido, o ex-ministro do Planejamento Paulo Bernardo, dos crimes de corrupção e lavagem de dinheiro. A Segunda Turma da Corte julgou nesta terça-feira a ação penal na qual a senadora foi acusada de receber R$ 1 milhão para sua campanha ao Senado em 2010.

Segundo a acusação, o valor foi desviado no esquema de corrupção na Petrobras e negociado por intermédio de Paulo Bernardo e do empresário Ernesto Kluger Rodrigues, que também é réu. Na denúncia, a Procuradoria-Geral da República (PGR) usou depoimentos do doleiro Alberto Youssef e do ex-diretor de Abastecimento da Petrobras Paulo Roberto Costa para embasar a acusação.

Seguindo voto do relator, Edson Fachin, o colegiado entendeu que há divergências nos depoimentos de Youssef e de Costa e que não há provas suficientes para comprovar que Paulo Bernardo solicitou o dinheiro, muito menos que a senadora teria dado apoio ao ex-diretor para mantê-lo no cargo em troca da suposta propina.

pol-vacmto_abr_1906018-img_8799

A Segunda Turma do Supremo Tribunal Federal (STF) absolveu a senadora Gleisi Hoffmann (PT-PR) e seu marido, o ex-ministro do Planejamento Paulo Bernardo dos crimes de corrupção e lavagem de dinheiro – Valter Campanato/Agência Brasil

Apesar de votar pela absolvição, Fachin ficou vencido ao propor a condenação da senadora pelo crime eleitoral de caixa dois por não ter declarado à Justiça Eleitoral R$ 250 mil que teriam sido recebidos pela sua campanha. No entanto, o voto foi seguido somente por Celso de Mello.

Dias Toffoli, Gilmar Mendes e Ricardo Lewandowski votaram pela absolvição integral de Gleisi e Paulo Bernardo, por falta de provas.

No início do julgamento, a defesa da senadora e de Paulo Bernardo alegou que a PGR usou somente depoimentos de delações premiadas ao denunciar os acusados e não apresentou provas de que o recurso teria origem nos desvios da Petrobras.

 

 

Da Agência Brasil Brasília

Portugal busca “vingar” história contra o Marrocos em solo russo

por--517255-000_16112b-1024x682 Divulgação

Pouco mais de 32 anos depois, Portugal tem a chance de se “vingar” de Marrocos. As duas seleções duelam nesta quarta-feira, às 9h (de Brasília), no Estádio Luzhniki, em Moscou, na Rússia, em choque válido pela segunda rodada do Grupo B da Copa do Mundo de 2018. Caso vença, a seleção lusa, que divide a segunda posição com a Espanha, com quem empatou por 3 a 3 na estreia, eliminará os africanos, que começaram a caminhada sendo derrotados pelo Irã por 1 a 0 e aparecem na lanterna da chave sem ainda terem pontuado.

Na fase de grupos da Copa do Mundo de 1986, no México, marroquinos e portugueses mediram forças na última rodada e os lusitanos dependiam de um simples empate para garantir a classificação. Porém, a seleção africana deu um show, vencendo por 3 a 1 e garantindo a primeira posição da chave, que tinha ainda Inglaterra e Polônia. Apenas os portugueses ficaram pelo caminho, por conta da lanterna.

por-000_1686H5-1-1024x683
Fernando Santos deixou a história de lado e enfatizou na fase atual de Portugal (Foto: Fadel SENNA/AFP)

Apesar deste histórico, os portugueses preferem focar no presente. “Futebol é rico em histórias, mas são gerações diferentes. Serve sempre de alerta, pois todo jogo de Copa do Mundo representa perigo, pois é uma competição disputada pelos melhores times de cada continente”, disse Fernando Santos, comandante de Portugal.

Mais uma vez a principal aposta de Portugal recai nas costas de Cristiano Ronaldo, que brilhou marcando os três gols diante da Espanha. É possível, porém, que ele tenha um novo companheiro de ataque. André Silva, a quem ele considera seu melhor parceiro, deve ganhar a vaga de Gonçalo Guedes, deixando os lusitanos mais ousados do que foi visto contra os espanhóis. Quem também pode entrar é João Mário, na vaga de Bruno Fernandes.

por-000_1684TD-1024x683
Marrocos tenta reverter a derrota na estreia da Copa do Mundo (Foto: Fadel SENNA/AFP)

Também sem pensar no passado, o Marrocos utiliza recuperação como palavra de ordem. “Podemos escrever uma história diferente. Poderíamos ter vencido o Irã pelo volume de jogo e fomos castigados com um gol no fim. Com mais capricho diante de Portugal nós podemos conquistar a vitória”, ressaltou o goleiro El Kajoui.

O técnico Herve Renard perdeu para este jogo o atacante Noureddine Amrabat, que jogou improvisado na lateral direita na estreia e teve uma concussão cerebral. Assim, Sofyan Amrabat assume o posto.

Pelo regulamento da Copa do Mundo, as seleções se enfrentam dentro de seus respectivos grupos em turno único. Ao fim, as duas melhores colocadas avançam para as oitavas de final, enquanto que as demais voltam para casa.

por-001_1688D4_preview-1024x717
(Arte: AFP)

FICHA TÉCNICA
PORTUGAL X MARROCOS

Local: Estádio Luzhniki, em Moscou (Rússia)
Data: 20 de junho de 2018 (Quarta-feira)
Horário: 9h(de Brasília)
Árbitro: Mark Geiger (Estados Unidos)
Assistentes: Joe Fletcher (Canadá) e Frank Anderson (Estados Unidos)

PORTUGAL: Rui Patricio; Cedric, Pepe, José Fonte e Raphael Guerrerio; William Carvalho, João Moutinho, Bernardo Silva, Bruno Fernandes (João Mário); Gonçalo Guedes (André Silva) e Cristiano Ronaldo
Técnico: Fernando Santos

MARROCOS: El Kajoui; Achraf Hakimi, Mehdi Benatia e Romain Saiss; Sofyan Amrabat, Mbark Boussoufa, Hakim Ziyach, El Ahmadi, Younes Belhanda e Amine Harit; El Kaab
Técnico: Herve Renard

 

 

Da Gazeta Esportiva

Rússia volta a campo e mais quatro times estreiam na Copa

A terça-feira (19) fecha a primeira rodada da fase de grupos da Copa do Mundo e marca a estreia da Colômbia, do Japão, da Polônia e do Senegal. O dia terá ainda a primeira partida da segunda rodada, com a anfitriã Rússia voltando a campo pelo grupo A.

Colômbia x Japão

Há quatro anos, a Colômbia foi uma das sensações da Copa do Mundo no Brasil. Comandada por James Rodriguez , a seleçãocaiu diante do Brasil, mas deixou boa impressão no mundo do futebol. Agora, na Rússia, volta à Copa buscando recuperação, após performances inconstantes na Copa América e nas eliminatórias. Na Copa de 2014, as duas seleções também estiveram no mesmo grupo, e a Colômbia venceu os japoneses por 4 x 1.

Do lado japonês, uma notícia de última hora pode tirar o foco dos jogadores na estreia: o terremoto que atingiu a cidade de Osaka, matando três pessoas e ferindo mais de 200. O técnico Akira Nishino se mostrou preocupado com o estado psicológico dos seus atletas. “Eu me preocupo com a condição mental e psicológica dos jogadores, porque tivemos alguns deles afetados [pelo terremoto], com famílias em Osaka”, disse, em entrevista coletiva ontem (18).

Polônia x Senegal

Outro jogo de hoje será entre a Polônia, de Lewandowski, e o Senegal, de Mané. O atacante polonês, do Bayern de Munique, é a grande estrela da seleção nacional. É nele que o país deposita as esperanças de avançar às oitavas de final no grupo mais indefinido de todos.

“Eu digo muitas vezes que Robert Lewandowski é um jogador muito importante, capitão e estrela, mas é uma estrela jogando para o time. Eu acredito que os demais jogadores também são importantes, na medida em que futebol é trabalho em equipe”, disse o técnico polonês Adam Nawalka.

A seleção africana também tem sua estrela. É Sadio Mané, atacante do Liverpool. Ele vem chamando muita atenção do mundo do futebol com boas atuações pelo time inglês. Foi com ele, ao lado do egípcio Salah e do brasileiro Firmino, que o time chegou à final da Liga dos Campeões, da União das Federações Europeias de Futebol (Uefa).

O Senegal volta a uma Copa do Mundo depois de 16 anos. É a segunda participação do país no torneio. Na primeira vez, o país foi a sensação do mundial, vencendo a então campeã França na partida de abertura e chegando às quartas de final. “Certamente, é um sonho de criança. Temos nos preparado bem, estamos trabalhando. E amanhã teremos que acordar [do sonho]para deixar o povo senegalês orgulhoso”, afirmou o meio-campista Cheikhou Kouyate.

Rússia x Egito

russia_reuters9087Seleção da Rússia, Reuters carl recine direitos reservados

Existem expectativas sobre o jogo inaugural da segunda rodada do grupo A. Uma delas é saber se a Rússia vai manter a boa performance da partida de estreia, quando goleou a Arábia Saudita por 5 a 0. A segunda é se o astro egípcio Mohamed Salah estará em campo e em que condições. Salah não jogou contra o Uruguai por estar se recuperando de uma lesão no ombro.

Como perdeu para os uruguaios na primeira rodada, a equipe não pode pensar em outra coisa que não seja a vitória. “Estamos bem preparados, analisamos a performance do adversário e sabemos quão importante é esse jogo contra a Rússia porque queremos sempre vencer. Vamos ver o que o que acontecerá com a gente [durante o jogo]e qual será a melhor forma de buscar os três pontos”, disse o treinador do Egito, Héctor Cúper, em entrevista nessa segunda-feira (18).

A Rússia perdeu Dzagoev, lesionado durante a partida contra os sauditas. O treinador russo, Stanislav Cherchesov, se mostrou otimista com a manutenção do nível da equipe. “Quando um jogador de tamanha qualidade sai, a pergunta é quem e como substituí-lo. Nós trabalhamos para isso no primeiro jogo. É por isso que estou certo de que faremos o mesmo hoje”, afirmou.

 

Da Agência Brasil Brasília

Lei Seca soma dados positivos após 10 anos, mas levanta questões

“Se beber, não dirija”. A frase, usada frequentemente em campanhas publicitárias na televisão e no rádio, faz parte do cotidiano do brasileiro há mais 10 anos. Em alguns estados, como Rio de Janeiro, São Paulo e Rio Grande do Sul, ela obrigatoriamente deve ser impressa em cardápios de bares e restaurantes.

Embora campanhas embasadas nessa frase já fossem realizadas desde o fim dos anos 1990, é com a aprovação da Lei Seca, em 2008, há exatos 10 anos, que ela passa a ser utilizada de forma mais ampla e articulada pelo poder público e organizações da sociedade civil, tornando-a cada vez mais familiar para a população.

lei-dpvat_2Estudo mostra que, de 2008 a 2016, Lei Seca teria evitado 41 mil mortes – Arquivo Agência Brasil

A nova legislação trouxe modificações importantes no Código de Trânsito. De lá pra cá, especialistas celebram dados positivos, mas também levantam questões que consideram relevantes para aprimorar o quadro.

Um estudo – conduzido pelo Centro de Pesquisa e Economia do Seguro (CPES) e divulgado no ano passado – aponta que, entre 2008 e 2016, a Lei Seca teria evitado a morte de quase 41 mil pessoas.

Comparativamente, equivale a evitar a queda de mais de 80 aviões Boeings 747. “Agregando o valor estatístico da vida, corrigido para 2016 pelo IGP-DI ((Índice Geral de Preços – Disponibilidade Interna), a economia brasileira teria evitado uma perda de produto de R$ 74,5 bilhões a preços de 2016″, registra o estudo.

O levantamento tomou como base estatísticas do Sistema Único de Saúde (SUS). Ele mostrou ainda que, embora tenha havido aumento de 7% no número de acidentes em 2016 na comparação com 2013, houve 35 mil mortes a menos.

Segundo o levantamento, os óbitos se mantêm estáveis com tendência de queda desde 2008, o que sugere a ocorrência de acidentes menos graves a partir da aprovação da Lei Seca.

Segundo o CPES, os acidentes de trânsito são apontados como um das principais causas de invalidez e mortes precoces no Brasil, e a Lei Seca surgiu da necessidade de impor penalidades mais severas para as infrações no trânsito com o intuito de dar respostas a esses índices.

Ela não teria apenas ampliado o rigor da legislação, mas também estimulado o debate. “Pelo lado da sociedade civil, surgiram campanhas de educação na mídia, escolas e empresas”, aponta a pesquisa.

O levantamento do CPES é citado no livro Lei Seca, 10 Anos — A Lei da Vida, lançado ontem (18), em cerimônia no Rio de Janeiro pelo deputado federal Hugo Leal (PSD), autor do projeto aprovado em 2008.

A obra narra a trajetória dos 10 anos, passando pelas discussões sobre a legislação, construção do conceito de alcoolemia zero, desdobramento, modificações e interpretações no Poder Judiciário.

Para o deputado, a principal preocupação é garantir a efetiva fiscalização. “Não adianta ampliar a punição e não punir. A suspensão da CNH [Carteira Nacional de Habilitação] por um ano é uma realidade, mas os estados estão cumprindo? É importante que as pessoas tenham a percepção de que a lei é aplicada. Aí, sim, haverá impactos. Se demorar muito, a aplicação da punição pode não ter o efeito que a gente deseja. Temos números relevantes sobre o impacto da lei, mas ainda não é aquém do cenário que nós queremos”.

Ele avalia, porém, que a digitalização e a tecnologia já estão contribuindo para uma maior agilidade.

Mudanças

Antes da Lei Seca, o Código de Trânsito em vigor, aprovado em 1997, já limitava a ingestão até seis decigramas de álcool por litro de sangue. A legislação de 2008 tolerava o limite de 0,1 miligrama por litro (mg/l). Ela fixou punições que envolvem multas elevadas, perda da habilitação e recolhimento do veículo. No caso de acidentes com vítimas, o responsável deve responder a processo penal. Em 2012, uma modificação estabeleceria a infração a partir de 0,5 mg/l. Uma nova alteração em 2016 também intensificaria o rigor fixando a alcoolemia zero.

“Diversas pesquisas mostraram que, mesmo em pequenas quantidades, o reflexo fica comprometido”, defende Deborah Malta , professora da Escola de Enfermagem da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG). Ela é uma das envolvidas na Pesquisa de Vigilância de Fatores de Risco e Proteção para Doenças Crônicas por Inquérito Telefônico (Vigitel), coordenada pelo Ministério da Saúde, que trata a questão do ponto de vista da saúde pública.

Um dado deste estudo que chama atenção é que o número de homens que assumem beber e dirigir é bem superior ao de mulheres. Considerando os dados de 2017 coletados em 27 capitais, 11,7% da população masculina afirmam cometer a infração, contra apenas 2,5% da população feminina. A discrepância observada no recorte de gênero também salta aos olhos no estudo do CPES. Desde 2012, mais de 82% dos acidentados no trânsito e mais de 77 % dos mortos foram do sexo masculino.

Para Débora, o principal desafio é reduzir disparidades na aplicação da lei, já que é nítida a diferença quando se comparam capitais. “Há cidades que fazem mais blitz do que outras. Cuiabá, Goiânia, Teresina, Palmas e São Luís são algumas capitais onde os dados revelam que a legislação teve menos impacto”.

Além disso, ela avalia que, mesmo onde as ações são mais intensificadas, poderiam ter um salto de qualidade se a ação foram mais articulada para envolver os variados órgãos públicos. Outra observação da pesquisadora é que, em cidades pequenas, a fiscalização acaba ficando sob responsabilidade exclusiva do governo estadual e na prática não acontece.

O deputado Hugo Leal reconhece a falta de uniformidade na aplicação da lei em todo o país. “O Rio, por exemplo, optou por fazer uma política pública de fiscalização e obviamente tem um impacto. Começou em 2009, um ano depois que a legislação entrou em vigor”. Ele faz referência à Operação Lei Seca que, segundo dados do governo estadual, realizou mais de 20 mil blitzes desde março de 2009.

Dados do estado de São Paulo mostram que as ações vêm se intensificando a cada ano. O número de multas mais que quadruplicou, saltando de 11,7 mil em 2008 para 45 mil em 2016. “A Câmara aprovou, no fim do ano passado, o Plano Nacional de Redução de Mortes no Trânsito (Pnatrans). É um instrumento que será importante. A partir dele, poderemos cobrar os estados, ver se eles estão cumprindo a legislação e reduzindo seus índices”, acrescenta Hugo Leal.

Rigor

Também em 2016, ficou determinado que a recusa ao teste do bafômetro é infração gravíssima, além da suspensão do direito de dirigir. Além disso, foi ampliada a pena prevista ao motorista causador da morte ou de lesão corporal: passou para cinco a oito anos de reclusão.

Para o professor de direito da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (Uerj), Maurício Mota, o grande mérito da lei foi criar um ambiente onde as pessoas estão tendo mais responsabilidade.

Ele, no entanto, sente falta de mais campanhas educativas e se preocupa com o peso dado à multa, o que poderia produzir injustiça na tentativa de ser pedagógico.

“Uma multa acima de R$ 2 mil pode ser algo muito excessivo. Há pessoas que não têm condições de arcar (…) A eficácia da lei não se dá só com repressão. Ela se dá com a constância da aplicação da lei”

Maurício acredita que o desafio é pensar a aplicação da lei com garantia de direitos e cita o exemplo do bafômetro, lembrando que a Constituição determina que ninguém é obrigado a produzir prova contra si mesmo. No entanto, com as mudanças implementadas em 2016, a detenção pode ocorrer quando a capacidade psicomotora alterada por influência de álcool for comprovada também por testemunhas e até vídeos.

Outra questão que gera debate é a quantidade de recursos possíveis. Da primeira notificação até a punição de fato, são seis possibilidades de manifestação do suposto infrator.

Na visão de Maurício Mota, o volume pode ser excessivo. Para ele, a preocupação maior deveria ser outra.

“Esses recursos na esfera administrativa nem sempre têm demonstrado efetividade. Isto é, levar os argumentos do suposto infrator a sério. Não é só uma questão do numero de níveis e instâncias. É garantir o direito à defesa. Permitir a verificação dos argumentos de forma a transmitir confiança à população. Não pode ser algo apenas protocolar, pois isso, influencia a percepção da população sobre a qualidade da lei”.
Da Agência Brasil Brasília

Inglaterra e Bélgica são os destaques no quinto dia de Copa

Nesta segunda-feira (18) é a vez da Inglaterra e da Bélgica entrarem em campo na Copa do Mundo. As duas seleções estão no mesmo grupo, o G, e são favoritas para avançar à próxima fase. No outro jogo do dia, Suécia e Coreia do Sul se enfrentam pelo grupo F.

Suécia x Coreia do Sul

A vitória do México sobre a Alemanha deixou o grupo F mais imprevisível. A Suécia entra em campo com boas credenciais. Chegou à Copa do Mundo depois de eliminar a Itália na repescagem das eliminatórias. Uma vitória sueca é fundamental para as pretensões do país na Copa. A Coreia do Sul é, teoricamente, a seleção mais fraca do grupo, mas a vitória mexicana mostrou que o favoritismo precisa ser confirmado. Suécia e Coreia do Sul se enfrentam às 9h, em Nizhny Novgorod.

Bélgica x Panamá

A Bélgica é uma das seleções da qual mais se espera uma boa Copa do Mundo. Hazard, Dembélé, Fellaini, De Bruyne, além do goleiro Courtois, são destaques nos clubes onde jogam. Em 2014, a Bélgica parou na Argentina, nas quartas-de-final, mas quer ir mais longe. Já o Panamá é um estreante em copas do mundo. Espera-se uma participação tímida da seleção da América Central. As duas seleções se enfrentam em Sochi, às 12h.

Tunísia x Inglaterra

Na Copa de 1990, na Itália, os ingleses chegaram à semifinal e perderam para a Alemanha. Desde então, o país tem decepcionado em copas e nunca mais chegou tão longe. Em 2014, os ingleses não ganharam nenhuma partida, conseguindo apenas um ponto no grupo e voltando cedo para casa. A Inglaterra deposita esperança em Sterling, Harry Kane e na maior promessa do time, o jovem Delle Ali, de 22 anos. O jogo começa às 15h, em Volgogrado.

 
Da Agência Brasil Brasília

Saques do PIS/Pasep colocarão R$ 34,3 bilhões na economia

A partir de hoje (18), os brasileiros com mais de 57 anos, que são titulares de contas inativas dos fundos dos programas de Integração Social (PIS) e de Formação do Patrimônio do Servidor Público (Pasep), poderão sacar esses recursos.

Entre os dias 14 e 28 de setembro, a autorização será ampliada para todas as idades, diferentemente do que ocorria até então, quando o saque total só podia ser feito quando o trabalhador completasse 70 anos, se aposentasse, tivesse doença grave ou invalidez ou fosse herdeiro de titular da conta.

pis-1068820-1

Saques beneficiarão 28,7 milhões de pessoas que receberão R$ 34,3 bilhões no Banco do Brasil e na Caixa Econômica Federal Antonio Cruz/ Agência Brasil

A mudança da regra ocorreu na última semana, quando o presidente Michel Temer assinou decreto que amplia as possibilidades de saque até o dia 28 de setembro. A estratégia do governo é impulsionar a economia, seguindo o modelo adotado na liberação de saques das contas inativas do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS), que representaram cerca de R$ 43 bilhões em movimentação.

Pelas contas do governo, 28,7 milhões de pessoas serão beneficiadas. Em cifras, são R$ 34,3 bilhões disponíveis para saque no Banco do Brasil e na Caixa Econômica Federal. Isto porque 3,6 milhões de pessoas já resgataram R$ 5 bilhões em recursos dos dois programas.

Quem tem direito

Tem direito ao saque servidores públicos e pessoas que trabalharam com carteira assinada de 1971, quando o PIS/Pasep foi criado, até 1988. Quem contribuiu após 4 de outubro de 1988 não tem direito ao saque.

Isso ocorre porque a Constituição, promulgada naquele ano, passou a destinar as contribuições do PIS/Pasep das empresas para o Fundo de Amparo ao Trabalhador (FAT), que paga o seguro-desemprego e o abono salarial, e para o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES).

Para saber se tem direito ao benefício, o trabalhador pode acessar os sites www.caixa.gov.br/cotaspis e www.bb.com.br/pasep.

 
Da Agência Brasil Brasília

 

Saiba como foi o quarto dia da Copa do Mundo 2018

No quarto dia de Copa do Mundo, dois gigantes tropeçaram. A Alemanha perdeu para o México, pelo grupo F e o Brasil não passou de um empate contra a Suíça, pelo grupo E.

No outro jogo do dia, a Sérvia venceu por 1 a 0 a Costa Rica e lidera o grupo do Brasil.

Brasil tropeça
bra-2018-06-17t184002z

Brasil e Suíça se enfrentam pelo grupo E da Copa do Mundo 2018 REUTERS/Damir Sagolj – DAMIR SAGOLJ

A zebra passeou pelos gramados russos neste domingo. O empate do Brasil na estreia não estava nos planos dos jogadores e torcedores brasileiros. Depois de uma série de boas exibições em amistosos, a seleção brasileira se abalou com o gol de empate suíço e não teve forças para marcar o segundo gol.

O destaque positivo foi o golaço de Philippe Coutinho no primeiro tempo. O meio-campo foi eleito o melhor jogador da partida pela Fifa.

O Brasil buscará a recuperação contra a Costa Rica, na próxima sexta-feira (22), às 9h.

Alemanha cai
ale-2018-06-17t153557z
Jogo Alemanha contra México, pelo Grupo F da Copa do Mundo 2018, em Moscou – Maxim Shemetov/Reuters/Direitos reservados

No duelo entre alemães e mexicanos, esperava-se um espetáculos dos atuais campeões mundiais, o que não aconteceu.

O México fez gol em um contra-ataque rápido, com Lozano, e passou o restante do jogo se defendendo, apenas ameaçando em contra-ataques esporádicos.

O time do técnico Joachim Löw pressionou os mexicanos, mas teve poucas chances reais de marcar.

Sérvia comemora
serv-2018-06-17t121421z

Pelo jogo do Grupo E da Copa do Mundo 2018, Costa Rica vence a Sérvia – Michael Dalder/Reuters/Direitos reservados

O empate brasileiro foi bom para a Sérvia, que ganhou da Costa Rica na primeira partida do dia. Kolarov, de falta, fez o único gol do jogo.

Com os resultados de hoje, a Sérvia lidera de forma isolada o grupo E aumentandoas chances de avançar às oitavas de final.

Na próxima rodada, Sérvia e Suíça duelam e uma vitória da Sérvia garante a classificação do país para a próxima fase.

 
Da Agência Brasil Brasília

Procon e ANP fazem fiscalização em postos na capital paulista

prr-rvrsa_abr2305124320

O Procon de São Paulo e a Agência Nacional do Petróleo (ANP) fazem hoje (15) uma fiscalização para detectar abusos e irregularidades nos postos de gasolina na capital paulista. Ao todo, são 15 equipes, com 150 fiscais e 50 viaturas, que envolvem também o Instituto de Pesos e Medidas.

Segundo o secretário estadual adjunto da Justiça e Defesa da Cidadania, Luiz Solto Madureira, a ação deve atingir pelo menos 90 postos. Os estabelecimentos são fiscalizados contra possíveis fraudes nas bombas, a qualidade do combustível, preços abusivos e falta de informações ao consumidor. A partir do histórico das notas fiscais, os técnicos verificam se está sendo feito o repasse do desconto de R$ 0,46 no litro do óleo diesel ao consumidor. A redução do valor do combustível foi uma das medidas tomadas pelo governo federal para atender às demandas levantadas pela paralisação dos caminhoneiros.

O primeiro posto fiscalizado, no Glicério, região central da capital, foi selecionado devido a problemas anteriores. O estabelecimento chegou a ser fechado e atualmente funciona sob uma liminar judicial.

De acordo com o secretário adjunto, o estabelecimento praticava uma fraude também encontrada em outros locais, em que um compressor de ar era usado para burlar o sistema que indica a quantidade de combustível colocada no tanque do veículo. “Esse compressor impulsiona o combustível. Obviamente, o volume que vai ao tanque é bem menor do que é marcado na bomba”, detalhou Madureira.

Os outros postos que foram alvo da ação de hoje também foram selecionados a partir de suspeitas dos órgãos de controle. “Nós temos um serviço de inteligência que faz uma pré-avaliação e depois as equipes vão ao local e fazem a verificação”, ressaltou o secretário.

 

Da Agência Brasil São Paulo

Portugal tenta tirar proveito da crise da Espanha em estreia na Copa

pp-001_15Y95X_preview-1024x676

(Arte: Laurence SAUBADU, Maria-Cecilia REZENDE / AFP)

O clássico da primeira rodada da Copa do Mundo de 2018 acontece nesta sexta-feira, quando Portugal e Espanha se enfrentam a partir das 15h00 (horário de Brasília), no Estádio Fisht, em Sochi, na Rússia, pelo Grupo B, que tem ainda Marrocos e Irã.

Atual campeão da Eurocopa, o time luso, de Cristiano Ronaldo, tenta tirar proveito da crise da Fúria, que demitiu o técnico Julen Lopetegui a dois dias da estreia por ele ter sido anunciado pelo Real Madrid. Fernando Hierro assumiu o posto às pressas, mas a mudança incomodou muito os líderes do plantel espanhol, que queriam a permanência do comandante.

esss-00_15Y8SZ-1024x683
Hierro assumiu o comando da Espanha às pressas (Foto: Adrian Dennis/AFP)

Hierro sabe que a pressão é muito grande, porém, evitou comentar a crise que culminou na saída de seu antecessor. O comandante preferiu focar no jogo contra os portugueses e analisou o rival, evitando concentrar as suas observações em Cristiano Ronaldo.

“Portugal não é apenas Cristiano Ronaldo. Trata-se de um time muito equilibrado e que joga junto há muito tempo. Vamos precisar ter atenção com todos. Mas a Espanha também tem suas fórmulas para buscar a vitória”, disse Hierro.

Já Fernando Santos, comandante de Portugal, preferiu minimizar a crise rival. “Independentemente de momento e do que acontecer no pré-jogo, a Espanha será sempre um rival qualificado e complicado de ser batido. Não podemos nos iludir esperando facilidades. Vamos a campo dispostos a colocar em prática tudo aquilo que estamos fazendo nos últimos meses e que tem nos fornecido resultados interessantes nas competições que estamos disputando”, afirmou Santos.

Em termos de escalação, Portugal vai manter a base que jogou os últimos amistosos. Além de Cristiano Ronaldo, o time conta com a experiência do zagueiro Pepe, o talento dos meias Bernardo Silva e João Moutinho e a eficiência de André Silva, considerado pelo maior jogador do mundo como seu grande parceiro.

ppp-000_15Y2Z4-1024x683

Portugal se prepara para enfrentar a Espanha (Foto: Odd Andersen/AFP)

Pelo lado da Espanha, Hierro evitou fazer mudanças em relação ao planejamento de seu antecessor. A aposta continua sendo em jogadores experientes, como o zagueiro Sergio Ramos, o meia Andrés Iniesta e o atacante Diego Costa.

Pelo regulamento da Copa do Mundo, as seleções se enfrentam dentro de seus respectivos grupos em turno único. Ao fim, as duas melhores colocadas avançam para as oitavas de final, enquanto que as demais voltam para casa.

FICHA TÉCNICA
PORTUGAL x ESPANHA

Local: Estádio Fisht, em Sochi (Rússia)
Data: 15 de junho de 2018 (Sexta-feira)
Horário: 15h00 (horário de Brasília)
Árbitro: Gianluca Rocchi (Itália)
Assistentes: Mauro Tonolini (Itália) e Elenito Di Liberatore (Itália)

PORTUGAL: Rui Patrício; Cedric, Pepe, Fonte e Raphael Guerreiro; William Carvalho, João Moutinho, João Mário e Berrnardo Silva; Cristiano Ronaldo e André Silva
Técnico: Fernando Santos

ESPANHA: De Gea; Dani Carvajal (Nacho), Sergio Ramos, Piqué e Jordi Alba; Sergio Busquets, Thiago (Asensio), Andres Iniesta, Isco e David Silva; Diego Costa
Técnico: Fernando Hierro

 

 

Da Agência Brasil Brasília

Polícia e MP deflagram operação contra facção criminosa em 14 estados

A Polícia Civil e o Ministério Público de São Paulo deflagraram Operação Echelon, no início da manhã de hoje (14), contra as ramificações interestaduais da facção criminosa Primeiro Comando da Capital (PCC). São cumpridos 59 mandados de busca e apreensão em 14 Estados, além de 75 prisões preventivas de integrantes da facção.

Segundo as investigações, a cúpula do grupo mantém contato com bandidos em outros estados, atuando no tráfico de armas e drogas. Em São Paulo, a facção tem 10,9 mil integrantes, mas, no restante do país, o número de participantes cresceu seis vezes nos últimos quatro anos. Houve aumento de 3 mil membros para pouco mais de 20 mil em 2018.

Depois de São Paulo, os estados que concentram o maior número de integrantes do PCC são Paraná (2.829), Ceará (2.582) e Minas Gerais (1.432). Este último, sofreu uma série de atentados contra ônibus e ataques contra postos policiais na semana passada. A facção conta ainda com membros em outros cinco países: Bolívia, Colômbia, Guiana, Paraguai e Peru.

De acordo com as investigações, a expansão do PCC culminou na reação de gangues locais, que se aliaram ao Comando Vermelho, iniciando uma guerra que atinge principalmente os estados do Norte e do Nordeste do país.

As investigações tiveram início em junho de 2017, quando o líder máximo da facção, Marco Willians Herbas Camacho, o Marcola, foi mantido isolado pela sexta vez no Regime Disciplinar Diferenciado (RDD) do presídio de Presidente Bernardes, motivo pelo qual Marcola não figura entre os procurados na operação.

 

 
Da Agência Brasil São Paulo