Estudo diz que é preciso ampliar em 62% os investimentos em saneamento

saneamento_basico_2_-_agencia_brasil

Estudo da Confederação Nacional da Indústria (CNI), denominado Saneamento Básico: uma agenda regulatória e institucional, revela que para universalizar os serviços até 2033, conforme estabelece o Plano Nacional de Saneamento Básico (Plansab), é necessário ampliar em 62% o volume de investimentos para um patamar de R$ 21,6 bilhões anuais.

De acordo com o estudo, o investimento insuficiente é o maior vilão para a ampliação da cobertura por redes de esgoto no Brasil. Nos últimos oito anos, a média de recursos aportados no setor foi de R$ 13,6 bilhões.

O mesmo estudo mostra ainda que o serviço prestado pelas companhias privadas tem mais qualidade que o das públicas, e que cada R$ 1 investido dá retorno de R$ 2,50 ao setor produtivo. Segundo o documento, a ampliação das redes resulta em melhorias na saúde da população.

Metas
Na avaliação da CNI, a meta do Plansab só se tornará possível, caso a agenda de saneamento básico seja prioridade do governo federal .

“Caso sejam mantidos os níveis recentes de investimento, a universalização dos serviços será atingida apenas após 2050, com cerca de 20 anos de atraso”, afirmou a diretora de Relações Institucionais da CNI, Mônica Messenberg. De acordo com o estudo, a experiência internacional sugere que a parceria com o setor privado tem sido fator fundamental para a expansão e aumento da qualidade dos serviços de saneamento.

As concessões e as parcerias público-privadas (PPPs) no setor, no entanto, ainda esbarram em uma série de resistências, a maior parte relacionada aos mitos de que o setor privado só atua em grandes municípios e de que as tarifas privadas são significativamente superiores.

“É mito a ideia de que a participação privada gera aumento significativo das tarifas: o setor privado pratica tarifas de cerca de 11 centavos acima das tarifas observadas nas companhias estaduais”, diz o estudo.

 
Da Agência Brasil Brasília

Nono dia da Copa teve vitórias do Brasil, Nigéria e Suíça

A manhã de hoje (22) foi sofrimento para os brasileiros, que precisaram esperar 90 minutos para gritar gol. Sacramentada a primeira vitória nesta Copa do Mundo, foi a vez de ver o desempenho dos Suíços contra os Sérvios. E a Suíça mostrou ter qualidades suficientes na partida de hoje. Saiu atrás no placar, mas venceu. Pelo grupo D, a Nigéria venceu a Islândia, para a alegria dos argentinos.

Brasil 2 x 0 Costa Rica

bra-636652796845982320

Phillipe Coutinho, Neymar e Fred comemoram o primeiro gol da partida contra a Costa Rica - Juan Herrero/ EFE / direitos reservados

Não há unanimidade sobre o desempenho do Brasil, se jogou bem ou mal. O certo é que o treinador da Costa Rica, Óscar Ramírez, colocou nove dos 11 jogadores do seu time na defesa. O ferrolho caribenho estava montado para enfrentar os brasileiros.

O Brasil só animou a torcida no segundo tempo, com a entrada de Douglas Costa. Ele deu a mobilidade necessária para abrir os espaços e ajudou o restante do ataque aparecer.

Mas o nervosismo era o maior dos adversários da seleção. Neymar errou um chute que não costuma perder, da entrada da área, e Casemiro contou com o azar ao cabecear à queima-roupa uma bola na trave. Após a cabeçada, o volante ficou se lamentando na grande área e sequer percebeu que a jogada continuava perto dele. Apesar das dificuldades, o time de Tite teve paciência. Não se desesperou cruzando bolas inúteis na área e – usando uma expressão da moda no futebol – “soube sofrer”.

O sofrimento, aliás, ainda não acabou. A tomar pelo desempenho do Brasil nos dois primeiros jogos, a partida contra a Sérvia não será fácil. Ao menos, um empate já garante a classificação para as oitavas de final.

Suíça 2 x 1 Sérvia
suc-22t184429z_1864157121

Copa 2018: Sérvia e Suíça. – Mariana Bazo/Reuters/Direitos reservados

A Suíça que comemorou o empate com o Brasil não esteve em campo hoje. O que se viu foi um time ofensivo, ágil e perigoso. Nem o gol sofrido aos 4 minutos de jogo desesperou o time do técnico Vladmir Petkovic. A vitória, comandada pelo habilidoso Shaqiri, mostrou que a Suíça pode ficar um pouco mais de tempo na Rússia.

Assim como o Brasil, a Suíça vai às oitavas de final com um empate. Na última rodada enfrenta a Costa Rica. A postura do time costa-riquenho na última rodada será uma incógnita. Já eliminada, não se sabe se serão competitivos como foram hoje.

Já a Sérvia, que começou a rodada na liderança, ligou o sinal de alerta. Precisará vencer a seleção brasileira para se classificar.

De positivo no jogo de hoje, é possível destacar a atuação do centroavante Mitrovic. O camisa 9 explora bem seu 1,89m para ganhar quase todas as jogadas de cabeça. Foi assim que marcou contra a Suíça e é assim que poderá ameaçar a zaga brasileira, formada por Miranda (1,86m) e Thiago Silva (1,83m).

Nigéria 2 x 0 Islândia

irl-573387378_rc17fc095180

Islândia e Nigéria se enfrentam na Copa do Mundo 2018 – Ueslei Marcelino//Reuters/Direitos reservados

A vitória da Nigéria foi muito comemorada no país africano e também em Buenos Aires. Aos argentinos, restou torcer pelos nigerianos após o fiasco na partida de ontem, contra a Croácia. A vitória do time africano impediu a Islândia de passar a Argentina em pontos e garantir a classificação com um empate na última rodada.

Assim, o time de Messi precisará vencer, é claro, a própria Nigéria e torcer pela lógica: a líder Croácia não perder para a Islândia. Caso argentinos e islandeses vençam seus jogos, a classificação será do time que tiver melhor saldo de gols.

É possível, no entanto, que o tiro portenho saia pela culatra. O time nigeriano não é tão inocente quanto pareceu em sua estreia contra a Croácia. No jogo de hoje, a Islândia partiu para o ataque, mas sucumbiu à velocidade africana nos contra-ataques. A tendência é que esse artifício seja novamente explorado contra a defesa lenta da Argentina. Hoje, o atacante Musa foi o herói em Buenos Aires. Semana que vem poderá ser o vilão.

À Islândia resta vencer a Croácia, já classificada. Estreante em Copas do Mundo, os islandeses não fazem feio na Rússia. Apesar da derrota, jogaram buscando a vitória e querendo mais do que a fase de grupos. Chegam com chances de classificação, mas precisarão melhorar a pontaria, inclusive nos pênaltis. Na partida de hoje, G. Sigurdsson teve a chance de diminuir o placar e desperdiçou uma penalidade.

 

 

Da Agência Brasil Brasília

 

Campanha Nacional de vacinação contra a gripe termina hoje

A campanha nacional de vacinação contra a gripe termina hoje (22) em todo o país. Dados do Ministério da Saúde apontam que 45,8 milhões de um total de 54,4 milhões receberam a dose.

O principal alerta é entre crianças – o país já contabiliza 44 mortes de menores de 5 anos por complicações relacionadas à gripe. O número é mais que o dobro do registrado no mesmo período do ano passado (14 óbitos).

sau-dsc_6013

Dados do Ministério da Saúde apontam que 45,8 milhões de um total de 54,4 milhões receberam a dose da vacina contra a gripe – Rovena Rosa/Agência Brasil

De acordo com a pasta, até o momento, 3,6 milhões de crianças com idade entre 6 meses e menores de 5 anos ainda não foram imunizadas. Este é o grupo prioritário com menor cobertura vacinal (67,7%), seguido pelas gestantes (71%).

Os grupos com maior cobertura são professores (98%), puérperas (96,2%), idosos (91%), indígenas (90,5%) e trabalhadores da saúde (88,6%).

A partir da próxima semana, o governo federal recomenda aos municípios que ainda tiverem doses disponíveis ampliem a vacinação para crianças de 5 a 9 anos e para adultos de 50 a 59 anos.

“O Ministério da Saúde reforça a importância da proteção com a chegada do inverno, período de maior circulação dos vírus da gripe e orienta estados e municípios que continuem a ofertar a vacina para grupos prioritários, em especial as crianças, gestantes, idosos e pessoas com comorbidades, público com maior risco de complicações para a doença.”

Balanço
A Região Sudeste é a que tem menor cobertura vacinal contra a gripe até o momento, com 77,2%. Em seguida estão Norte (78,4%), Sul (84,8%), Nordeste (89,3%) e Centro-Oeste, com a melhor cobertura (96,5%).

Os estados de Goiás, do Amapá, Distrito Federal, Ceará, Espírito Santo, Tocantins, Maranhão, da Paraíba, e de Alagoas possuem cobertura vacinal contra a gripe acima de 90%. Roraima, com 60,4% e Rio de Janeiro, com 62,4%.

Casos
O último boletim do ministério aponta que, até 16 de junho, foram registrados 3.122 casos de influenza em todo o país, com 535 óbitos. Do total, 1.885 casos e 351 óbitos foram por H1N1 e 635 casos e 97 óbitos por H3N2. Foram registrados 278 casos e 31 óbitos por influenza B e 324 de influenza A não subtipado, com 56 óbitos.

 
Da Agência Brasil Brasília

 

Seleção Brasileira sofre, mas vence a Costa Rica por 2×0

bras-20180622140111_510627

A primeira vitória do Brasil na Copa do Mundo veio no fim do jogo. De forma dramática. E carregada de muito sofrimento. Depois de passar 90 minutos tentando furar a defesa da Costa Rica, a seleção só chegou aos gols nos acréscimos. Philippe Coutinho fez seu segundo gol na Copa e Neymar fechou o placar.

O alívio após a pressão do empate no primeiro jogo (1×1 com a Suíça) e uma partida muito difícil contra a seleção caribenha levaram Neymar às lágrimas após o apito final. O Brasil mostrou mais volume de jogo, mas, pouca precisão nas finalizações. “A vitória foi justa. Premiou quem quis jogar”, disse o zagueiro Thiago Silva após a partida.

bras-lee_smith

Neymar marca o segundo gol do Brasil diante da Costa Rica (Lee Smith/Reuters/Direitos reservados)

O VAR – o árbitro de vídeo – entrou em ação na partida de hoje. O árbitro holandês Bjorn Kuipers marcou pênalti em Neymar no segundo tempo, mas anulou após consultar o replay da jogada. A decisão de Kuipers foi correta.

Como foi o jogo

O Brasil encontrou um adversário muito bem fechado na defesa. A Costa Rica marcou a saída de bola do Brasil e se fechava com eficiência. Coutinho e Gabriel Jesus pouco fizeram durante o primeiro tempo. Neymar, jogando pela esquerda, era sempre cercado por dois ou mais adversários quando pegava na bola.

A Costa Rica explorava os contra-ataques, sempre com Ureña isolado no ataque. E, aos 12 minutos, a primeira chance real de jogo foi da Costa Rica. Numa chegada pela direita do ataque, Borges bateu para o gol, à direita do goleiro Alisson.

O Brasil teve uma posse de bola muito superior, mas não ameaçou o gol de Navas. As esperadas jogadas de habilidade do ataque brasileiro para furar a defesa não aconteceram.

Segundo tempo

Na etapa final, com Douglas Costa no lugar de Willian, o Brasil começou melhor. Aos 2 minutos, a Seleção Brasileira conseguiu entrar na área com perigo, mas Navas se antecipou a Neymar.

Na sequência, o Brasil quase chegou ao gol duas vezes. Gabriel Jesus cabeceou na trave e, na sobra, Philippe Coutinho chutou e a bola só não entrou porque o zagueiro salvou com o pé. Aos 10 minutos, Neymar recebeu bola cruzada na área e bateu para gol, mas Navas mandou para escanteio.

Depois da série de oportunidades, o jogo esfriou e a Costa Rica voltou a controlar o ataque brasileiro. Só 26 minutos o Brasil teve nova chance de abrir o placar. Neymar recebeu e bateu para o gol na entrada da área, mas a bola saiu à direita.

Aos 32 minutos, o Brasil chegou com velocidade e Neymar caiu na área e o juiz marcou pênalti. Ele, no entanto, consultou o árbitro de vídeo e anulou a marcação. O jogo continuava 0 x 0 e deixava os jogadores brasileiros cada vez mais nervosos. Neymar e Coutinho foram punidos com cartão amarelo por reclamação.

O Brasil finalmente marcou aos 45 minutos. Firmino cabeceou para o meio, Gabriel Jesus escorou e Coutinho completou para o gol; 1×0. Festa em São Petersburgo, na Rússia, e em todo o Brasil. A angústia, enfim, terminava.

Faltando 4 minutos para o fim da partida, a seleção ficou tocando bola, gastando o tempo. E teve tempo para o segundo gol, com Neymar. Em contra-ataque rápido, Casemiro tocou para Douglas Costa, que centrou para o camisa 10 do Brasil ampliar o placar. Com o apito final, veio o alívio da primeira vitória do Brasil na Copa.

Na próxima rodada, o Brasil enfrenta a Sérvia. O jogo será na próxima quarta-feira (27) às 15h (horário de Brasília). O Brasil lidera o grupo E com 4 pontos em dois jogos. Hoje, às 15h, Sérvia e Suíça fecham a segunda rodada do grupo.

bra-20180622135635_793167Foto: REUTERS/Max Rossi

 

bra-20180622135045_733539
Foto: REUTERS/Henry Romero

 

bras--henry_romero_reuters

 

 

Da Agência Brasil Brasília