MP denuncia três pessoas pela morte de menina no interior paulista

vvvv-1528890176391A menina Vitória Gabrielly, de 12 anos, foi morta após sair de casa para andar de patins  Foto: Beto Vaz.

O Ministério Público (MP) ofereceu denúncia contra três acusados de matar a jovem Vitória Gabrielly Guimarães, de 12 anos, em Araçariguama, interior paulista. A garota desapareceu no dia 8 de junho, depois de sair para andar de patins na quadra da escola, e teve o corpo encontrado somente no dia 16.

A 1ª promotora de Justiça de São Roque, Suzana Peyrer Laino Ficker, informou, por meio de nota, que os acusados são Bruno Marcelo de Oliveira, Mayara Borges de Abrantes e Julio César Lima Ergesse, que responderão por sequestro qualificado, homicídio qualificado por motivo torpe, com meio cruel e que impossibilitou a defesa da vítima, e por ocultação de cadáver.

A denúncia será analisada pela Vara Criminal de São Roque. Os autos estão sob sigilo para preservar as provas obtidas durante o inquérito policial.

Caso a denúncia seja recebida, os três acusados podem ser levados a júri popular.

 
Da Agência Brasil São Paulo

Conta de luz subirá até 3,86% com reajuste de receita de hidrelétricas

A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) aprovou hoje (17) reajuste de 45,52% na receita anual de geração de 69 usinas hidrelétricas que atuam no regime de cotas. A medida vai provocar aumento nas contas de luz entre 0,02% e 3,86%, segundo a Aneel. O impacto médio será de 1,54%.

O impacto na conta de luz depende da data do reajuste aprovado pela Aneel e da quantidade de cotas (volume de energia) que cada distribuidora compra das hidrelétricas. O volume de cotas de cada distribuidora representa, em média, 22,64% dos contratos de energia das concessões.

A remuneração total recebida pelas usinas, de julho de 2018 a junho de 2019, será de R$ 7,944 bilhões.

Segundo a Aneel, a receita anual de geração é calculada considerando os valores do Custo da Gestão dos Ativos de Geração (GAG), acrescidos de encargos de uso e conexão, receita adicional por remuneração de investimentos em melhorias de pequeno e grande porte, investimentos em bens não reversíveis, Taxa de Fiscalização dos Serviços de Energia Elétrica, custos associados aos programas de Pesquisa e Desenvolvimento e Eficiência Energética e eventuais ajustes.

O regime de cotas foi implantado por meio da Medida Provisória nº 579, de 2012, com renovação automática das concessões de usinas hidrelétricas. Para isso, as hidrelétricas tiveram que vender energia às distribuidoras por um preço fixo, determinado pela Aneel, ao contrário de firmarem preços conforme o mercado e as realidades das instituições.

A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) aprovou hoje (17) reajuste de 45,52% na receita anual de geração de 69 usinas hidrelétricas que atuam no regime de cotas. A medida vai provocar aumento nas contas de luz entre 0,02% e 3,86%, segundo a Aneel. O impacto médio será de 1,54%.

O impacto na conta de luz depende da data do reajuste aprovado pela Aneel e da quantidade de cotas (volume de energia) que cada distribuidora compra das hidrelétricas. O volume de cotas de cada distribuidora representa, em média, 22,64% dos contratos de energia das concessões.

A remuneração total recebida pelas usinas, de julho de 2018 a junho de 2019, será de R$ 7,944 bilhões.

Segundo a Aneel, a receita anual de geração é calculada considerando os valores do Custo da Gestão dos Ativos de Geração (GAG), acrescidos de encargos de uso e conexão, receita adicional por remuneração de investimentos em melhorias de pequeno e grande porte, investimentos em bens não reversíveis, Taxa de Fiscalização dos Serviços de Energia Elétrica, custos associados aos programas de Pesquisa e Desenvolvimento e Eficiência Energética e eventuais ajustes.

O regime de cotas foi implantado por meio da Medida Provisória nº 579, de 2012, com renovação automática das concessões de usinas hidrelétricas. Para isso, as hidrelétricas tiveram que vender energia às distribuidoras por um preço fixo, determinado pela Aneel, ao contrário de firmarem preços conforme o mercado e as realidades das instituições.

 
Da Agência Brasil Brasília

STF autoriza acordo da Telebras com Viasat para uso de satélite

A presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Cármen Lúcia, suspendeu a liminar que impedia o contrato entre a Telebras e a Viasat para efetivar a exploração de banda larga do Satélite Geoestacionário Brasileiro de Defesa e Comunicações e Estratégicas. O satélite está em operação há mais de um ano e, além de ampliar o acesso à internet banda larga na Região Norte do país, também serve para uso da comunicação estratégica das Forças Armadas, na banda X.

A decisão de Cármen Lúcia atendeu a um agravo interposto pela União contra o indeferimento proferido pela presidente do STF que atendeu a uma sanção imposta pela Primeira Vara Federal de Manaus (AM) contra o contrato entre as operadoras. A suspensão da Justiça Federal impedia o funcionamento de 100% da capacidade do satélite, que depende dos equipamentos fornecidos pela empresa norte-americana Viasat.

A União alegou que a paralisação das operações do satélite trazem “prejuízos ao interesse público e grave lesão às ordens pública e econômica”. Foram investidos R$ 1,73 bilhão para construção e lançamento do satélite, que tem validade de 18 anos. A defesa da União reiterou que cada dia não utilizado do satélite também representa prejuízos para programas sociais.

As empresas Via Direta e Rede Tiradentes, que entraram com ação na Justiça Federal em oposição ao contrato firmado pela Telebras, argumentam que o satélite não está gerando prejuízo, pois as operações militares estão operando normalmente e que o princípio da soberania nacional está sendo violado ao permitir que informações estratégicas possam ser acessadas por uma empresa estrangeira.

Na decisão, Cármen Lúcia afirma que “a despeito dos questionamentos levantados, ganham relevos os argumentos de grave prejuízo financeiro e de implementação das políticas públicas”. A presidente do STF argumenta ainda que considera mitigado o risco à soberania nacional diante de informações técnicas que foram apresentadas depois da suspensão.
Da Agência Brasil Brasília

Douglas é aprovado em exames médicos e anúncio fica por detalhes

corr-22082986981_Douglas é visto como substituto de Maycon (Foto: Bruno Haddad/Fluminense)

O volante Douglas, do Fluminense, foi aprovado nos exames médicos realizados na última segunda-feira e não tem impeditivos para assinar contrato por quatro anos com o Corinthians. A informação é do consultor médico do clube, Joaquim Grava. Aos 21 anos, o atleta é considerado o nome para suprir a ausência de Maycon, vendido para o Shakhtar Donetsk-UCR, e já tem bases salariais definidas desde a semana passada, precisando definir detalhes do seu pagamento para que o anúncio seja feito.

A aprovação nos exames era visto como chave para o negócio devido a alguns problemas físicos anteriores. Mesmo jovem, Douglas já sofreu com lesões na carreira, somando problemas como pubalgia e artrite desde que subiu ao profissional no Flu. Um exemplo, por sinal, foi quando acabou cortado do Sul-Americano sub-20, em janeiro de 2017. Capitão daquela Seleção, ele não fez companhia aos então corintianos Guilherme Arana e Maycon naquela campanha.

O atacante Júnior Dutra, sem espaço no Alvinegro, foi liberado para um empréstimo até a metade do ano que vem. Apesar de ser tratada como uma negociação paralela à de Douglas, a ida do atleta teve boa influência na relação entre os dois clubes e facilitou a consumação do negócio.

Havia um impasse, porém, em relação ao pagamento dos salários de Júnior Dutra. O Corinthians queria que os encargos fossem divididos com o Fluminense, que estaria disposto a desembolsar apenas 30% da quantia devida mensalmente ao jogador. Uma conversa na última segunda resolveu o problema

O mesmo ocorreu com Paulo Roberto, também pretendido pelo Fluminense. No caso do volante, ainda pesa contra o negócio a vontade do jogador, que acredita ter potencial para se firmar no Corinthians.

Caso confirme a chegada do canhoto Douglas, o Timão poderia utilizá-lo tanto no Brasileiro, já que ele está com seis jogos, dentro do limite permitido para a troca de clube, quanto na Copa do Brasil e na Copa Libertadores, torneios que o meio-campista não disputou na atual temporada.

 

 
Tomás Rosolino
Da Gazeta Esportiva – São Paulo, SP

Confira os jogos do Campeonato Brasileiro da Série A 2018

Da Redação

Quarta feira 18/07/2018

 Brasileiro Série A 2018
Rodada 13
19:30-Ceará – CE X Sport – PE-PRESIDENTE VARGAS – FORTALEZA – CE
21:00-Vitória – BA x Paraná – PR-MANOEL BARRADAS – SALVADOR – BA
21:00-Flamengo – RJ X São Paulo – SP-MARACANÃ – RIO DE JANEIRO – RJ
21:45-Corinthians – SP X Botafogo – RJ-ARENA CORINTHIANS – SAO PAULO – SP
21:45-Grêmio – RS X Atlético – MG-ARENA DO GRÊMIO – PORTO ALEGRE – RS

Quinta feira 19/07/2018

19:30-Chapecoense – SC X Bahia – BA-ARENA CONDÁ – CHAPECO – SC
19:30-Cruzeiro – MG X América – MG-MINEIRÃO – BELO HORIZONTE – MG
20:00-Vasco da Gama – RJ X Fluminense – RJ-SÃO JANUÁRIO – RIO DE JANEIRO – RJ
20:00-Santos – SP X Palmeiras – SP-PACAEMBU – SAO PAULO – SP
21:00-Atlético – PR X Internacional – RS-ARENA DA BAIXADA – CURITIBA – PR

 

Governo antecipa primeira parcela do 13º de aposentados e pensionistas

A parcela será paga em agosto junto com o benefício do mês

Aposentados e pensionistas do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) receberão a primeira parte do 13º salário junto com a remuneração de agosto. A primeira parcela do abono anual corresponderá a até 50% do valor do benefício.

O decreto autorizando a antecipação foi assinado hoje (16) pelo presidente Michel Temer, mas ainda não foi publicado no Diário Oficial da União. A medida deve injetar R$ 21 bilhões na economia do país e movimentar o comércio e outros setores.

Como determina a legislação, não haverá desconto de Imposto de Renda na primeira parcela paga a aposentados e pensionistas do INSS. O imposto sobre o valor somente pode ser cobrado na segunda parcela da gratificação natalina, a ser paga junto com a remuneração de novembro.

Desde 2006, o governo antecipa a primeira parcela do 13º salário dos aposentados e pensionistas na folha de agosto.

Somente em 2015, o pagamento foi adiado para setembro, por causa do ritmo fraco da economia e da queda da arrecadação.

 

 

Da Agência Brasil Brasília