Santos coloca semana cheia à prova contra Corinthians misto de Jair Ventura

De um lado, o trunfo da semana cheia e o objetivo da vaga na Libertadores. Do outro, um time com atenções divididas. Ambos, porém, cientes da importância de um clássico. Esse é o cenário resumido de Santos e Corinthians, que se enfrentam neste sábado, às 19h (de Brasília), no Estádio do Pacaembu, pela 29ª rodada do Campeonato Brasileiro.

Com 39 pontos, o Peixe entra na rodada ocupando a sétima colocação e com o grande desejo de buscar uma vaga que garanta o time de forma direta na fase de Grupos da Copa Libertadores de 2019. Já do lado do Timão, 11º colocado com 35 pontos, as atenções seguem destinadas em boa parte à decisão da Copa do Brasil, na próxima quarta-feira, o que deve fazer com que Jair Ventura arrisque um time alternativo.

san-44533506224_49c0b73919_h-1024x682
Santos teve a semana cheia para trabalhar o time (Foto: Ivan Storti/Santos FC)

Para o compromisso no Pacamebu, o Santos tem dois desfalques certos: Alison, suspenso pelo terceiro cartão amarelo, e Rodrygo, convocado para amistosos da seleção brasileira sub-20 contra o Chile. No meio-campo, Yuri é o mais cotado para herdar a vaga, com Renato e Jean Mota como alternativas. Já no ataque, Arthur Gomes treinou como titular, mas Derlis González retornou da seleção paraguaia e pode atuar.

Diferentemente do Corinthians, com atenções para a final da Copa do Brasil, o Peixe teve a semana livre para trabalhar no CT Rei Pelé, algo considerado um trunfo já que o técnico Cuca pôde testar várias opções e formações que podem ser utilizadas a fim de tentar surpreender justamente o comandante do Peixe no início da temporada, Jair Ventura.

“Escolher um é muito difícil, pois são setores diferentes e são jogadores importantes. O Alison é de uma marcação muito agressiva, não temos um substituto na característica dele. O Rodrygo, para mim, é um dos grandes jogadores do nosso campeonato. Eu adoro jogar junto, quando ele joga do meu lado, para mim é bom. É um jogador que a gente se dá bem, costumamos fazer boas tabelas. O Derlis tem uma característica diferente, mas vem muito bem. A gente fica feliz, porque se sai o Rodrygo, vem outro que está em boa fase”, disse o capitão Victor Ferraz, em entrevista coletiva.

Já do lado do Corinthians o discurso é de foco total no clássico, mas sem esquecer a decisão que o time terá na próxima quarta-feira, quando decide a Copa do Brasil contra o Cruzeiro, na Arena Alvinegra, precisando reverter a desvantagem proveniente da derrota por 1 a 0 em Belo Horizonte. Justamente por isso, a expectativa é de um Timão alternativo contra o Santos.

cor-01116250-1024x681
Danilo e Emerson Sheik devem ser titulares no clássico contra o Santos (Foto: Sergio Barzagui/Gazeta Press)

Com o objetivo de poupar o maior número de peças possíveis visando a final, o treinador Jair ventura deve dar minutos a atletas que pouco têm atuado na temporada, casos do experiente Danilo e o jovem Carlos Augusto, que deve herdar a vaga de Danilo Avelar na lateral-esquerda. Quem também deve aparecer entre os 11 iniciais são os atacantes Emerson Sheik e Pedrinho, além do goleiro Walter.

Mesmo diante da ideia de time misto, resta uma dúvida que deve ser sanada por Jair apenas horas antes do duelo. Fora da primeira partida da decisão na última quarta, Douglas pode ser promovido ao time titular. Porém, a possível titularidade do meio-campista no jogo que vale a taça da Copa do Brasil pode tornar Araos, expulso em Belo Horizonte, um dos escolhidos para começar.

Provável titular no clássico, o experiente Danilo, carrasco histórico do Peixe, não escondeu a ansiedade de voltar a ser titular em um jogo que, apesar de atenções divididas, não deixa de ser importante. “Estou esperando a oportunidade, espero que possa aparecer aí. Jair deve poupar alguns jogadores, quem sabe, se ele optar por mim é a oportunidade que estou esperando”, disse o meia de 39 anos em entrevista coletiva.

“Um clássico desse, a gente que não vem jogando ter uma oportunidade dessa. É uma oportunidade de ouro. A gente está bem preparado, vêm treinando bem. Espero que ele (Jair Ventura) possa optar por mim para jogar”, completou.

FICHA TÉCNICA
SANTOS X CORINTHIANS

Local: Estádio Pacaembu, São Paulo (SP)
Data: Sábado, 13 de outubro de 2018
Horário: 19h (de Brasília)
Árbitro: Pericles Bassols Pegado Cortez (PE)
Assistentes: Clovis Amaral da Silva (PE) e Cleberson do Nascimento Leite (PE)

SANTOS: Vanderlei, Victor Ferraz, Luiz Felipe, Gustavo Henrique e Dodô; Yuri (Renato ou Jean Mota); Arthur Gomes (Derlis González); Carlos Sánchez, Diego Pituca e Bruno Henrique; Gabigol.
Técnico: Cuca.

CORINTHIANS: Walter; Mantuan, Pedro Henrique, Marllon e Carlos Augusto; Douglas (Araos), Thiaguinho e Danilo; Pedrinho, Emerson Sheik e Jonathas.
Técnico: Jair Ventura

 
Lucas Musetti Perazolli e Mateus Videira
Gazeta Esportiva- São Paulo, SP

Confira os jogos do Campeonato Brasileiro Série A

Da Redação
Veja os jogos da 29ª rodada do Brasileiro série A

SÁB – 13/10/2018

Brasileiro série A
29ª rodada
17H00-Flamengo x Fluminense-MARACANÃ
19H00-Santos x Corinthians-PACAEMBU
21H00-Bahia x Paraná-PITUAÇU

DOM – 14/10/2018

11H00-Chapecoense x Vitória- ARENA CONDÁ
16H00 PAL Palmeiras x Grêmio-PACAEMBU
16H00-Vasco x Cruzeiro CRU-JANUÁRIO
16H00-Internacional x São Paulo-BEIRA RIO
19H00-Atlético-MG x América-MG-INDEPENDÊNCIA
19H00-Atlético-PR x Sport-ARENA DA BAIXADA

SEG – 15/10/2018
20H00-Ceará x Botafogo-CASTELÃO

Programa do governo estimula uso da bicicleta no Brasil

O presidente Michel Temer sancionou lei para estimular o uso da bicicleta como meio de transporte e integrá-la ao sistema de transporte público coletivo. A Lei 13.724/18, que institui o Programa Bicicleta Brasil (PBB), foi publicado no dia 5 de outubro no Diário Oficial da União, com o objetivo é melhorar as condições de mobilidade urbana no país.

O programa deverá ser implementado em cidades com mais de 20 mil habitantes. Entre outras ações, ele propõe a construção de ciclovias, ciclofaixas e faixas compartilhadas; a implantação de aluguéis de bicicletas a baixo custo em terminais de transporte coletivo, centros comerciais e locais de grande fluxo; a construção de bicicletários nos terminais de transporte; e a instalação de paraciclos ao longo das vias e estacionamentos apropriados.

bis-976781-Ciclistas na Esplanada dos Ministérios – José Cruz/Agência Brasil

Nas cidades com mais de 500 mil habitantes, a lei obriga a implantação de ciclovias, conforme exigido pelo Estatuto da Cidade.

A lei também prevê a criação de uma cultura favorável ao uso da bicicleta como forma de deslocamento eficiente, econômica, saudável e ambientalmente saudável. Por isso, os órgãos de implementação deverão promover campanhas de divulgação desses benefícios e implantar políticas de educação para o trânsito para promover um bom convívio desse meio de transporte com os demais veículos.

Os recursos para o programa virão da Contribuição de Intervenção no Domínio Econômico (Cide-combustíveis). O percentual do tributo federal a ser destinado ainda será definido em regulamento. O programa também poderá contar com repasses dos governos federal, estadual e municipal, de doações de organismos de cooperação internacionais e nacionais, de empresas e até de pessoas físicas.

A lei entrará em vigor 90 dias após a publicação. A coordenação do programa será do Ministério das Cidades, que poderá firmar parcerias com outros órgãos de governo, entidades não governamentais, além de empresas do setor privado.

Vetos

No projeto aprovado pelo Congresso Nacional, também estava prevista a destinação de 15% dos recursos arrecadados com multas de trânsito ao programa, mas o artigo acabou sendo vetado pelo presidente Michel Temer. De acordo com o Senado, o valor total arrecadado com as multas gira em torno de R$ 9 bilhões por ano, portanto seriam R$ 1,3 bilhão anuais destinados do PBB.

Na explicação para o veto, o governo justifica que o investimento poderia “acarretar o enfraquecimento dos órgãos e entidades componentes do Sistema Nacional de Trânsito, pois compromete os valores destinados a cobrir os custos e despesas com rotinas e procedimentos relativos à autuação das infrações, podendo acarretar insuficiência de fiscalização e consequente sensação de impunidade”. Além disso, a Emenda Constitucional 93, de 2016, prorrogou a desvinculação de receitas da União, estados, Distrito Federal e municípios, afetando os valores arrecadados e transferidos em decorrência das multas de trânsito.

O Código de Trânsito Brasileiro determina que a receita de arrecadação com a cobrança das multas de trânsito seja aplicada exclusivamente em sinalização, engenharia de tráfego e de campo, policiamento, fiscalização e educação de trânsito.

Foi vetada ainda a exigência de os órgãos de trânsito divulgarem mensalmente as receitas arrecadadas com multas. Hoje, essa divulgação é feita uma vez ao ano, pela internet.
Da Agência Brasil Brasília

Boletos vencidos a partir de R$ 100 podem ser pagos em qualquer banco

A partir de amanhã (13), os boletos com valor a partir de R$ 100, mesmo vencidos, poderão ser pagos em qualquer banco. A medida faz parte da nova plataforma de cobrança da Federação Brasileira de Bancos (Febraban) que começou a ser implementada em julho do ano passado.

bab-fgts_rio_3
Caixa Eletrônico – Cristina Indio do Brasil/Arquivo Agência Brasil

Para serem aceitos pela rede bancária, em qualquer canal de atendimento, os dados do boleto precisam estar registrados na plataforma. Segundo a Febraban, os clientes que tiverem boletos não registrados na Nova Plataforma, rejeitados pelos bancos, devem procurar o beneficiário, que é o emissor do boleto, para quitar o débito.

O novo sistema permite o pagamento em qualquer banco, independentemente do canal de atendimento usado pelo consumidor, inclusive após o vencimento, sem risco de erros nos cálculos de multas e encargos. Além disso, segundo a Febraban, o sistema traz mais segurança para a compensação de boletos, identificando tentativas de fraude, e evita o pagamento, por engano, de algum boleto já pago.

As mudanças estão sendo feitas de forma escalonada, tendo sido iniciada com a permissão para quitação de boletos acima de R$ 50 mil. Entretanto, em junho deste ano, após dificuldades de clientes para pagar boletos, a Febraban alterou o cronograma.

A previsão inicial era que a partir de 21 de julho deste ano fossem incluídos os boletos com valores a partir de R$ 0,01. A expectativa era de que em 22 de setembro o processo tivesse sido concluído, com a inclusão dos boletos de cartão de crédito e de doações, entre outros. Pelo novo cronograma, os boletos a partir de R$ 0,01 serão incluídos a partir do próximo dia 27 e os boletos de cartões de crédito, doações, entre outros, no dia 10 de novembro de 2018.

Segundo a Febraban, apesar de o sistema passar a processar documentos de menor valor, com volume maior, os bancos não preveem dificuldade na realização dos pagamentos, com base nos testes feitos nas fases anteriores. Com a inclusão e processamento desses boletos no sistema, a Nova Plataforma terá incorporado cerca de 3 bilhões de documentos – aproximadamente 75% do total emitido anualmente no país. Nas próximas fases, serão incorporados 1 bilhão de boletos de pagamento.

A Febraban lembra que a nova plataforma é resultado de uma exigência do Banco Central, com incorporação de dados obrigatórios, como CPF ou CNPJ do emissor, data de vencimento, valor, além do nome e número do CPF ou CNPJ do pagador.

 
Da Agência Brasil Brasília

 

Bancada sindical perde representação na Câmara

A bancada sindical na próxima legislatura, que começa no dia 1º de fevereiro de 2019, será menor do que na atual. Foram eleitos somente 33 representantes de sindicatos na última eleição para a Câmara Federal, contra os 51 que atualmente exercem mandato.

O levantamento foi feito pelo Departamento Intersindical de Assessoria Parlamentar (Diap), com base nos dados oficial da Justiça Eleitoral. A partir do próximo ano serão 18 deputados a menos no debate dos interesses dos trabalhadores, como direitos previdenciários e trabalhistas.

camera_img_0834
Plenário da Câmara – José Cruz/Arquivo Agência Brasil

A queda segue uma tendência que já vinha se verificando desde as eleições de 2014, quando a bancada sindical caiu de 83 para 51 membros. Segundo o analista político Antônio Augusto de Queiroz, diretor do Diap, um conjunto de fatores levou à redução da bancada sindical, que já foi uma das mais atuantes e representativas na Câmara.

Primeiro, as reformas trabalhista e sindical enfraqueceram as entidades que perderam poder para investir nas campanhas eleitorais. “Além disso, houve um erro de estratégia do movimento sindical, lançando muitas candidaturas, o que pulverizou os esforços”, afirmou.

Queiroz prevê momentos de dificuldades na atuação da bancada. “Com um ambiente hostil, de desregulamentação de direitos trabalhistas, e uma bancada menor, as dificuldades serão enormes”, disse.

Dos 33 deputados da bancada sindical, 29 foram reeleitos e quatro são novos. Com 18 eleitos, o PT é o partido com maior número de deputados sindicalistas, seguido do PCdoB (quatro), do PSB (três) e do PRB (dois). PDT, Pode, PR, PSL, PSol e SD elegeram um integrante cada.

Bancada sindical

Alice Portugal (PCdoB-BA)

Daniel Almeida (PCdoB-BA)

Jandira Feghali (PCdoB-RJ)

Orlando Silva (PCdoB-SP)

André Figueiredo (PDT-CE)

Roberto de Lucena (Pode-SP)

Giovani Cherini (PR-RS)

João Campos (PRB-GO)

Roberto Alves (PRB-SP)

Lídice da Mata (PSB-BA)

Vilson da FETAEMG (PSB-MG)

Heitor Schuch (PSB-RS)

Delegado Waldir (PSL-GO)

Ivan Valente (PSOL-SP)

Paulão (PT-AL)

Afonso Florence (PT-BA)

Pellegrino (PT-BA)

Valmir Assunção (PT-BA)

Waldenor Pereira (PT-BA)

Leonardo Monteiro (PT-MG)

Padre João (PT-MG)

Patrus Ananias (PT-MG)

Vander Loubet (PT-MS)

Beto Faro (PT-PA)

Assis Carvalho (PT-PI)

Bohn Gass (PT-RS)

Marcon (PT-RS)

João Daniel (PT-SE)

Arlindo Chinaglia (PT-SP)

 

Da Agência Brasil Brasília