Corinthians só empata com o Bahia e não cola nos líderes

3968romero1

O paraguaio Romero fica sem chuteira após uma dividida na partida / Marcos Bezerra/Futura Press

Sim, o Bahia entrou em campo na noite deste sábado pensando em não perder, primeiramente. O que fez com que atuasse de maneira extremamente defensiva. Depois que fez 1 a 0, então, com Kieza, aos 35 minutos do primeiro tempo, a tendência era a de que o ferolho aumentasse mais.

Mas o Corinthians não pode mais cair nesse tipo de armadilha, se quiser, de fato, brigar ponto a ponto com os líderes pelo título do Brasileirão. Teve o mérito de empatar, aos 42, com o zagueiro-artilheiro Gil (terceiro gol dele no nacional, quarto no ano), mas depois, durante todo o segundo tempo, sofreu com falta de qualidade na armação e na finalização.

Resumo: assim como já acontecera com Figueirense (derrota por 1 a 0) e Botafogo (empate em 1 a 1), ambos no Itaquerão, mesmo palco de ontem, o Timão tropeçou em casa diante de adversário no qual, teoricamente, deveria passar o rodo e somar três pontos.

Não que Mano Menezes não tenha tentado mudar a situação. Pelo contrário. O técnico usou absolutamente tudo o que tinha, do meio para a frente, entre o pessoal que pode fazer a diferença, para transformar o cenário que se formava.

Jadson teve partida apagada, assim como Petros. Romero até ciscou e brigou, como tem sido de praxe, mas, novamente, não teve tranquilidade no momento de definição. No segundo tempo, Renato Augusto entrou e promoveu melhora, principalmente, nas bolas paradas. Não foi suficiente. Romarinho foi para o jogo e, de novo, teve atuação ruim. Luciano quase marcou de cabeça, uma vez, e errou ao não ter matado a bola e chutado, aos 49, quando ajeitou para Elias, desequilibrado.

Em certos momentos, a equipe chegou a ser até inocente. Abusou de fazer faltas nas laterais do campo e na entrada da área, o sonho dos baianos, que viam nas jogadas pelo alto as boas oportunidades de marcar — assim como acontecera no primeiro tempo, quando Petros vacilou e não acompanhou Kieza, por mais que o atacante estivesse impedido. Por pouco, mas estava.

Na próxima rodada, Mano tem de acertar isso. Por quê? Bem, porque o panorama será exatamente o mesmo: o Corinthians vai encarar o combalido Goiás, novamente no Itaquerão. Se não encontrar uma maneira de escapar quando o antijogo aparece, vai se lamentar, no fim. É nessas e outras que se ganha uma taça. Ou se perde.

Por: Plínio Rocha/Diario SP