Polícia Civil prende cinco por venda irregular de alimentos em Osasco

Da Redação

A Polícia Civil prendeu cinco responsáveis pela venda de produtos alimentícios vencidos e fora das especificações exigidas por lei em estabelecimentos de Osasco, na Grande São Paulo, em operações entre 26 de agosto e quarta-feira (3). Todos foram indiciados por crime contra as relações de consumo.

Na tarde desta quarta-feira (3), três comércios foram vistoriados pelas equipes da Delegacia do Meio Ambiente de Osasco – dois açougues de uma mesma empresa e um supermercado. As ações resultaram na prisão dos três gerentes dos estabelecimentos.

No primeiro açougue, localizado no bairro Bela Vista, J.A.S.M., de 31 anos, foi detido em flagrante depois que os policiais encontraram, no comércio, mais de 200 quilos de carnes sem informações de data de validade ou etiqueta com identificação, conforme determina a lei.

No outro estabelecimento, no Jardim Helena Maria, o açougueiro L.M.S., de 20 anos, responsável pelo local, foi detido em flagrante. No comércio, as equipes apreenderam mais de 45 quilos de carne.

Alguns dos alimentos expostos estavam com a validade vencida, outros com embalagens e etiquetas fora das especificações e alguns sem carimbo com a data de validade, além de estarem em local sem refrigeração.

A última ação do dia foi em um supermercado do bairro Vila Ayrosa. No local, a Polícia Civil localizou oito embalagens de frango a passarinho temperado, com a validade vencida. A gerente M.A.A.S.S., de 37, foi detida e levada à delegacia.

Outras apreensões

No dia anterior (2), os policiais apreenderam 35 produtos em um supermercado da região central. Os alimentos – carne de leitoa, laticínios e massas para pastel – também estavam vencidos. Além disso, oito embalagens de panetone estavam sem as especificações exigidas pela legislação.

O encarregado W.V.F., de 40 anos, alegou que apenas substituía o gerente do estabelecimento durante a sua folga e que não poderia apontar quem era o responsável pela retirada dos produtos vencidos da loja. Ele foi detido em flagrante.

A primeira apreensão, no dia 26 de agosto, foi em um comércio do Jardim Santo Antônio. No local, os policiais encontraram mais de 12 mil mercadorias sem refrigeração ou com etiquetas que prolongavam, por cerca de um mês, a data real do vencimento. O subgerente A.V.S., de 27 anos, foi preso.

Os cinco responsáveis pelos estabelecimentos comerciais foram indiciados por crime contra relações de consumo e liberados após pagamento de fiança. Os produtos apreendidos foram periciados e encaminhados à Vigilância Sanitária.

Com informações da Secretaria da Segurança Pública do Estado de SP