PF aponta vazamento da Operação Lava Jato no dia das prisões

14322435

A Polícia Federal afirmou que houve vazamento da sétima fase da Operação Lava Jato, deflagrada na última sexta-feira (14), para uma das empreiteiras sob investigação, a OAS.

Devido ao vazamento, a PF encontrou advodagos de defesa dos investigados quando foram cumprir mandados de prisão na última sexta-feira (14).

Em ofício desta terça-feira (18) protocolado na Justiça Federal do Paraná, o delegado da PF Márcio Adriano Anselmo escreveu que “no curso do cumprimento dos mandados de busca e apreensão na empresa OAS, os policiais foram surpreendidos, quando chegaram na madrugada, com a presença de três advogados no local”, na cidade de São Paulo.

A PF registrou um auto circunstanciado, no qual afirma que questionou aos advogados o que faziam lá e eles responderam que “é de costume chegarem cedo”.

O delegado também informou que o investigado José Aldemário Pinheiro Filho, presidente da OAS, com residência em São Paulo, foi preso em Salvador (BA), para onde havia viajado na noite de quinta-feira (13), véspera da operação. “Assim, os elementos indicam que teria ocorrido o vazamento das diligências a serem empreendidas nos locais de busca”, escreveu a PF.

A Folha revelou nesta terça que o executivo de outra empreiteira, a Engevix, foi alertado por um advogado na noite anterior à deflagração da operação sobre a possibilidade de uma nova fase da Lava Jato.
AGUIRRE TALENTO/RUBENS VALENTE
DE BRASÍLIA
DA FOLHA DE SÃO PAULO