Governo de SP libera R$ 7,9 bi para construções e reformas

Governo de SP libera R$ 7,9 bi para construções e reformas

Marcos Neves  trará esses investimentos da Agência Paulista para os moradores de Carapicuíba transformarem o sonho da casa própria em realidade

Da Redação

O deputado estadual Carlos Cezar, Secretario de Estado da Habitação, Silvio Torres e o deputado estadual Marcos Neves durante anúncio da Agencia Casa Paulista, 27/9 

O deputado estadual Marcos Neves participou com o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, da  cerimônia de lançamento da  Agência Paulista de Habitação Social Casa Paulista. O evento aconteceu, dia 27 de setembro, no Palácio dos Bandeirantes. 

O Governo de São Paulo criou o  Casa Paulista, com a intenção de viabilizar a construção de 150 mil residências entre 2012 e 2015 no Estado. Serão direcionados R$ 7,9 bilhões a financiamentos habitacionais, que terão como foco famílias com renda mensal entre R$ 600 e R$ 3100.

Durante a cerimônia, o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, enfatizou que o objetivo do governo não é o de construir casas, mas o de fomentar a habitação por meio de parcerias e subsídios. "Se uma unidade custa R$ 80 mil, eu busco financiamento de R$ 60 mil junto ao Sistema Financeiro da Habitação (SFH) e entro com subsídio para a família mais pobre de R$ 20 mil. Com isso, alavanco em quatro vezes o dinheiro", exemplificou. "Os R$ 7,9 bilhões alavancam R$ 22 bilhões. Com esse dinheiro, nós triplicamos o número de moradias", complementou.

. "Pretendemos promover uma mudança gradual da produção “, comentou o Governador, destacando que os 40 mil projetos já em andamento da Companhia de Desenvolvimento Habitacional e Urbano (CDHU) não serão suspensos.

Para o deputado Marcos Neves a Agência Casa Paulista dará força ao enfrentamento dos principais problemas habitacionais do Estado.”È fundamental para ampliar a oferta de habitação social e intervir, principalmente, nas regiões metropolitanas em favelas, cortiços e áreas centrais degradadas”, afirmou Marcos Neves.

Os incentivos da Casa Paulista poderão ser obtidos por quatro vias. Os servidores públicos estaduais, aposentados ou na ativa, com renda familiar mensal de até R$ 3100, poderão solicitar carta de crédito para a compra de imóvel no valor de até R$ 150 mil, novo ou usado, em qualquer cidade do Estado. Numa primeira etapa, o governo disponibilizará 40 mil cartas de crédito, que contarão com subsídio dos governos estadual e federal.

Um financiamento de R$ 85 mil, por exemplo, contará com subsídio de R$ 34 mil do governo de São Paulo e R$ 23 mil do governo federal. Os outros R$ 28 mil deverão ser pagos pelo tomador do empréstimo.

As famílias que possuem terrenos poderão solicitar crédito para a construção ou reforma de residência, recebendo do governo uma ajuda de R$ 16 mil. As prefeituras que tiverem lotes para destinar à criação de moradias populares também poderão receber subsídio, no valor de R$ 10 mil por unidade, para que seja providenciada a infraestrutura necessária. Outros R$ 6 mil serão concedidos às famílias que solicitarem o crédito para a construção de casas no local.

Os proprietários de imóveis da CDHU também terão uma linha de crédito de até R$ 7500 para reforma ou ampliação de suas casas, pagando juros de 0,7% ao mês. A expectativa do governo é atender 12 mil famílias por meio desta linha na primeira etapa do programa.

Primeiras ações da Casa Paulista

Casa Paulista/ Microcrédito Banco do Povo 
Reforma ou ampliação de moradias da CDHU.Uma linha de crédito de até R$ 7.500 para reforma ou ampliação de moradias da CDHU. para famílias com renda mensal de R$ 600 a R$ 3.100.

Casa Paulista/ Lotes Urbanizados

Lotes regulares - A Casa Paulista vai oferecer subsídio diretamente às famílias para a construção ou reforma em lotes próprios dos beneficiários. Nesses casos, as famílias poderão receber subsídio de até R$ 16 mil para acesso ao crédito imobiliário. Esses lotes da malha urbana, desde que regularizados, de propriedade exclusiva, dotados de infraestrutura e equipamentos, podem ser ocupados por novas moradias.
 
Urbanização dos lotes. Outra modalidade do programa será o repasse de recursos aos municípios para a urbanização dos lotes. A Casa Paulista destinará às prefeituras até R$ 10 mil por lote para obras de infraestrutura, pavimentação e tratamento das áreas livres e institucionais, com garantia de destinação dos lotes para demanda de interesse social. As famílias beneficiárias, com renda mensal de até R$ 3.100 mensais, terão um subsídio da Casa Paulista de até R$ 6 mil.

 Em ambas as modalidades, tanto os municípios quanto os beneficiários poderão contar com auxílio técnico especializado, providenciado pela Casa Paulista.
 
Casa Paulista/ Servidor Público Estadual

Os servidores públicos estaduais poderão receber subsídio para aumento do poder de compra da casa própria. O servidor que obtiver crédito imobiliário junto a qualquer instituição financeira poderá pleitear também subsídio complementar de até R$ 34,5 mil da Casa Paulista para a aquisição de imóvel de até R$ 150 mil, novo ou usado, em área urbana de qualquer município paulista. O servidor, da ativa ou aposentado, deverá ter renda familiar mensal de até R$ 3.100, ainda não ter recebido atendimento habitacional pela CDHU e não possuir outro imóvel próprio ou outro financiamento imobiliário.

Casa Paulista/ Parcerias Público-Privadas

Parcerias Público-Privadas (PPP) – A união do setor público com a iniciativa privada é fundamental para ampliar a oferta de habitação social e intervir,  nas regiões metropolitanas em favelas, cortiços e áreas centrais degradadas.Agência Casa Paulista dará força ao enfrentamento dos principais problemas habitacionais do Estado por meio do inovador instrumento das Parcerias Público-Privadas (PPP).
 
 

Uma ideia sobre “Governo de SP libera R$ 7,9 bi para construções e reformas

  1. Interessante. Então neste ano (2015) os servidores estaduais poderão utilizar esse subsídio habitacional? Pois ano passado havia sido suspenso.

Comentários encerrados.