MPF denuncia Lula e filho dele por compra de caças

Nova acusação contra ex-presidente integra investigações da Operação Zelotes

Lul-lula-filipe-araujo

MPF afirma que Lula integrou um esquema que visava beneficiar empresas automotivas / Filipe Araújo/Fotos Públicas

O MPF (Ministério Público Federal) em Brasília informou na sexta-feira (9) que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e o filho dele Luiz Cláudio Lula da Silva foram denunciados à Justiça na Operação Zelotes pelos crimes de tráfico de influência, lavagem de dinheiro e organização criminosa.

As investigações indicaram, segundo o MPF, a participação de Lula e do filho em negociações que seriam irregulares e resultaram na compra de 36 caças suecos do modelo Gripen feita pelo governo brasileiro. Além dos dois, também foram denunciados o casal de lobistas Mauro Marcondes e Cristina Mautoni, donos da empresa M&M (Marcondes e Mautoni Empreendimentos e Diplomacia LTDA).

Para os promotores também há indícios de irregularidades na prorrogação de incentivos fiscais destinados a montadoras de veículos por meio de uma MP (Medida Provisória).

Ainda de acordo com as investigações, o ex-presidente prometia interferir junto ao governo federal para beneficiar as empresas. Em troca desta ajuda, o casal Mauro Marcondes e Cristina Mautoni teria repassado ao filho de Lula R$ 2,5 milhões. De acordo com o MPF, os crimes foram praticados entre 2013 e 2015, quando Lula já era ex-presidente. O MPF afirma que ele integrou um esquema que visava beneficiar empresas automotivas, clientes da M&M.

‘Factoide’

De acordo com o Instituto Lula, a defesa do ex-presidente ainda não tem conhecimento das denúncias feitas pelo MPF, mas os advogados devem dar uma resposta à imprensa assim que souberem do teor da acusação.

Para Roberto Podval, advogado de Mauro Marcondes e Cristina Mautoni, a denúncia do Ministério Público é um “factoide” e tem motivação política, com o objetivo de atingir o ex-presidente Lula.

A companhia sueca Saab, que vendeu os caças ao governo brasileiro, contratou o escritório do casal, segundo a defesa deles, mas somente para representá-la no Brasil, sem cometer qualquer crime.

 

Do: Diário SP