Derby reúne briga pela liderança e afirmação rumo ao título

jo-00996362-horz

Um duelo dos goleadores Jô e Borja no derby (Foto: Divulgação)

O Derby entre Corinthians e Palmeiras na tarde deste domingo, às 17h (de Brasília), no estádio de Itaquera, opõe pela primeira vez os arquirrivais na condição de postulantes à liderança do Campeonato Brasileiro desde que o torneio passou a ser disputado em pontos corridos. Com ares de final, o duelo pode tanto deixar o Alvinegro próximo do título quanto o Alviverde mais vivo do que nunca na briga.

Inédito nessa forma de disputa, o Derby só não reúne os líderes porque o Santos venceu o Atlético-MG no sábado e ultrapassou o Palmeiras. Antes, o clássico de dois times próximos de serem campeões só teve uma edição pregressa justamente na final do Campeonato Brasileiro de 1994, quando os clubes disputaram o título nacional em decisão vencida pelo Palmeiras (3 a 1 e 1 a 1), com ambos jogos no estádio Pacaembu. Agora sem o impacto do mata-mata, os dois colocam em jogo sua capacidade de arrancar pelo título nesta temporada.

Com 59 pontos conquistados até o momento, a equipe do Parque São Jorge é líder desde a quinta rodada e possui cinco de vantagem sobre o próprio Palmeiras, além de três sobre o Peixe, que tem um jogo a mais. A margem, porém, caiu nove pontos nos últimos quatro jogos, com os corintianos somando apenas um e o palmeirenses chegando a 10 dos tentos disputados.

“Chegando em uma fase decisiva do campeonato, as duas equipes com chances claras de título. Vai ser um grande jogo, que faça por merecer uma grande vitória na caminhada rumo ao título”, disse o técnico Fábio Carille, sem dar tanto peso de decisão ao encontro. “Independentemente do resultado, o campeonato vai continuar aberto. Mas, se a gente não conseguir a vitória, as chances do Palmeiras ficam mais claras”, reconheceu.

Preocupado com a queda de desempenho recente dos seus comandados, o treinador sinalizou com a possibilidade de fazer mudanças na equipe titular. Maycon deu lugar a Camacho nos treinamentos, enquanto Jadson foi substituído por Clayson, único jogador do elenco, ao lado de Jô, a marcar gols pela equipe no segundo turno da competição.

Vindo de um empate diante do Cruzeiro, o Palmeiras depende de uma vitória em Itaquera para ganhar força na briga pelo título brasileiro. Nos dias que antecederam o clássico, o atacante Dudu, dono da tarja de capitão do time, procurou jogar a pressão para o lado adversário.

“Será um clássico muito quente, com duas equipes querendo vencer. O time deles está pressionado por ter caído de rendimento no segundo turno e a gente vem em um momento bom, fazendo grandes jogos desde que o Alberto assumiu”, afirmou Dudu.

Encarregado de assumir o Palmeiras interinamente após a saída de Cuca, Alberto Valentim, ainda invicto, dirigirá o time alviverde em um Derby pela primeira vez na carreira. O auxiliar ganhou seu único clássico no comando da equipe, contra o São Paulo, pelo Campeonato Paulista 2016.

O meio-campista Bruno Henrique, substituído por Jean contra o Cruzeiro, está à disposição do treinador após cumprir suspensão automática. Já o zagueiro Yerry Mina, recuperado de fratura no pé esquerdo, pode voltar no lugar de Juninho, envolvido nos dois gols sofridos pelo Palmeiras na última segunda-feira.

Coincidentemente, o clássico deste domingo, com ares de decisão pelo Brasileiro, ocorre exatos 84 anos depois da maior goleada da história do Derby. Em 5 de novembro de 1933, no Campeonato Paulista, o Palestra Itália bateu o Corinthians por 8 a 0, resultado que provocou a renúncia do então presidente Alfredo Schurig.

FICHA TÉCNICA
CORINTHIANS x PALMEIRAS

Local: Estádio de Itaquera, em São Paulo (SP)
Data: 05 de novembro de 2017, domingo
Horário: 17 horas (de Brasília)
Árbitro: Anderson Daronco (Fifa)
Assistentes: Rafael da Silva Alves e Elio Nepomuceno de Andrade Junior

CORINTHIANS: Cássio; Fagner, Balbuena, Pablo e Guilherme Arana; Gabriel, Maycon, Romero, Rodriguinho e Clayson; Jô
Técnico: Fábio Carille

PALMEIRAS: Fernando Prass; Mayke, Mina (Juninho), Edu Dracena e Egídio; Bruno Henrique, Tchê Tchê e Moisés; Keno, Dudu e Borja
Técnico: Alberto Valentim
Da Gazeta Esportiva São Paulo, SP