Convivendo com Diabetes é o novo projeto de promoção à saúde da Prefeitura de Cotia

Da Redação

Grupo com cerca de 70 pessoas participará de palestras com equipe multidisciplinar e de atividades físicas a cada quinze dias

Prevenção sempre foi a melhor opção para uma vida saudável. Mas quando o problema já existe, a informação correta e mudança em alguns hábitos de vida e alimentarem, são importantes aliados da melhoria na qualidade de vida das pessoas. Dentro deste prisma, a Secretaria de Saúde de Cotia acaba de lançar um grupo de promoção à saúde chamado “Convivendo do Diabetes”, na Policlínica do Portão. Uma equipe multidisciplinar vai auxiliar pacientes que já são acompanhados no local a manterem a doença controlada buscando a qualidade de vida de cada um.

O programa foi lançado na quinta-feira (16/08) e está sob a coordenação da enfermeira Soraya Moraes. Os cerca de 70 pacientes vão participar de palestras com equipe de médicos, enfermeiros, nutricionistas, além de participarem de atividades físicas com a orientação de um profissional de educação física. “Os encontros serão quinzenais, com duração de duas horas e, a cada encontro, vamos conferir o peso e o destro, que é o teste glicêmico do paciente, para registrarmos os resultados do programa na vida de cada um”, explicou Soraya.

A dona Marina Félix tem 59 anos de idade e, há pouco mais de um mês, descobriu que é diabética. “Foi um choque quando soube. Fiquei muito triste”, comentou. Mas, quando soube do projeto, não pensou duas vezes em se inscrever. “Assim que eu soube já me inscrevi. Estou muito confiante. Gostei da apresentação, acho que com informação, apoiando e sendo apoiada, vamos conseguir melhorar a nossa saúde”, disse Marina.

Durante a apresentação, os pacientes conheceram parte dos profissionais que vão acompanha-los nos encontros, ouviram sobre a proposta do projeto e tomaram ciência das contrapartidas para garantirem a vaga ao grupo. “Sabemos que algumas pessoas podem ter dificuldade de vir, por conta de outros compromissos, então, vamos limitar as faltas a no máximo três, injustificadas, porque quem não puder ser assíduo abrirá vaga para outros pacientes”, disse Ângela Maluf, secretária adjunta da Saúde. Ela reforçou que a equipe da Policlínica montará um fila de espera e, à medida que foram surgindo as vagas, esta demanda preenche-as.

Foto: Vagner Santos

cotia-saude (2) cotia-saude (1)