Cotia participa da campanha “Lugar de Óleo de Cozinha Usado é na Escola”

Da Redação

Em setembro, a EM Teresa Maia, localizada no Parque São George, coletou mais de 500 litros de óleo

Desde o início de setembro, a população de Cotia começou a ser sensibilizada para a campanha “Lugar de Óleo de Cozinha Usado é na Escola”, para fazer com que a cidade seja mais uma referência na coleta seletiva que promove atividades de educação ambiental na rede pública. A campanha é parte do Programa Meio Ambiente nas Escolas, que existe desde 2011 no município, e permite às Associações de Pais e Mestres (APM) receba o recurso proveniente da venda deste resíduo para criar projetos ambientais. No mês de setembro, a Escola Teresa Benvinda Hervey Costa Maia, no Parque São George, deu exemplo de engajamento e coletou 558 litros de óleo usado.

A coordenadora pedagógica da escola, Shirlei Gomes, disse que toda a escola se mobilizou e a resposta foi muito positiva. “Lançamos uma gincana entre os alunos. Agradeço a todos que entenderam a proposta de preservação do Meio Ambiente. O 5º ano D, da professora Rosemeire, ficou em primeiro lugar, com 126 litros de óleo”, disse Shirlei. A gincana continua até novembro e, ao final do ano, todos os alunos receberão um certificado de reconhecimento pela adesão e apoio com o Planeta.

A Campanha ‘Lugar de Óleo de Cozinha Usado é na Escola’ acontece em Cotia com o apoio do Instituto AUÁ e Preserva Recicla, com patrocínio do Óleos Vila Velha e parceria com Óleo Sustentável. Cotia é um marco da criação do Programa Meio Ambiente nas Escolas, pois foi na cidade do Cinturão Verde de SP que o gene da proposta nasceu, quando o empreendedor Leonardo Giardini e diretoras de quatro escolas municipais compuseram a metodologia que une coleta seletiva com educação nas escolas, para enfrentar o desafio de coleta do óleo porta a porta.

Em agosto, gestores das escolas municipais participaram de um encontro de formação e sensibilização sobre a campanha, eles são multiplicadores nas unidades escolares. “É uma satisfação ver o caminho entre a apresentação da ideia para toda a rede, em 2012, em que mostramos o valor da escola ser um polo da coleta, até o momento em que foram idealizadas campanhas nos bairros, mascotes nas escolas, crianças que mudaram a cultura da coleta em suas casas. Este ano, avançamos, integrando mais secretarias, Sabesp, diretorias de ensino e iremos enfocar encontros de formação dos gestores escolares”, disse Samanta Riman, responsável pelo setor de parcerias da Secretaria de Educação.

Entre os resultados esperados, estão a adesão de todas as escolas municipais ao programa, e escolas estaduais, particulares e do ensino superior, que já vêm demonstrando interesse. Espera-se coletar 4 mil litros de óleo até julho de 2019, e ter feito a mensagem chegar para toda a população.

Para saber mais sobre a iniciativa, basta procurar a escola mais próxima e colaborar com esta medida que busca retirar do meio ambiente um grande poluidor de águas e, de quebra, ajuda as escolas a arrecadarem recursos com a venda do óleo usado coletado.

 coleta (1) coleta (2) coleta (3)