Exposição de Ron Mueck na Pinacoteca bate recorde como mais vista da instituição

Da Redação

fonte: Divulgação

ron-mueck-

E a exposição do australiano Ron Mueck na Pinacoteca do Estado de São Paulo chega ao fim neste domingo (22) como a mais vista da história da instituição. Até este sábado, 357 mil pessoas visitaram o museu para conferir o trabalho do artista. A exposição do escultor australiano bateu com folga a mostra “A Porta do Inferno”, realizada há 14 anos, com obras de Auguste Rodin.

A exposição ajudou a Pinacoteca a superar o seu recorde de visitantes anuais, com um público de 570 mil pessoas.

Desde o dia 20 de novembro, o museu, que fica na região da Luz, é visitado por uma multidão, que forma uma fila quilométrica. No último final de semana, com entrada livre e horário estendido das 10 da manhã às 10 da noite, o tempo de espera para exposição passa das cinco horas. Nada que desanime os visitantes, que saem satisfeitos em conferir as nove obras hiper-realistas de Mueck.

Da Jovem Pan

‘Guia’ avalia 98 salas de cinema de SP; veja acertos e falhas de cada um

 

As informações estão atualizadas até a data acima. Sugerimos contatar o local para confirmar as informações

Oscar vem aí e, com ele, o “Guia” que revela em detalhes os 52 cinemas da cidade.

Realizado entre 13 de janeiro e 3 de fevereiro, o teste que é feito há oito anos elenca o melhor —e o pior— desses espaços, além de eleger os campeões em categorias específicas: cinema, cineclube, conforto e programação.

Em São Paulo, ida ao cinema pode custar mais de R$ 100
Prefeitura de SP promete 50 novas salas até o fim de 2016; veja novidades
Com grade eclética, Espaço Itaú Frei Caneca tem melhor programação de SP
Após reforma, Cinesala ganha título de cinema mais confortável de SP
Cinemateca Brasileira se destaca como melhor cinema especial de SP
Avaliação das salas de cinema elege o melhor espaço de SP
Com 15 salas, maior complexo de cinema da Grande SP fica em Guarulhos

Sujeira, falhas na projeção e seleção monotemática foram alguns dos problemas notados no decorrer das visitas. Em contrapartida, reformas e planos para novas salas criam boa expectativa para este ano e o próximo.

Veja as análises de cada endereço, curiosidades sobre preços, como é feita a organização da grade de filmes e as impressões do blog Mural sobre o maior complexo da Grande São Paulo: o Internacional Guarulhos Cinemark.

-

MELHOR CINEMA
Cinépolis JK Iguatemi

MELHOR CINEMA ESPECIAL
Cinemateca Brasileira

MAIS CONFORTÁVEL
Cinesala

MELHOR PROGRAMAÇÃO
Espaço Itaú de Cinema – Frei Caneca

 

Yann Vadaru/Folhapress
485611-970x600-1
Após reforma, o Cine Sabesp virou Cinesala

Pontuação

A equipe do “Guia” visitou a maior e a menor sala —quando havia mais de uma— de cada cinema da cidade e respondeu a um questionário composto de cerca de 30 perguntas. As respostas revelaram a pontuação (que varia de 0 a 10) de cada espaço

-

CRITÉRIOS DA AVALIAÇÃO

Atendimento
>> cordialidade
>> bom treinamento
>> agilidade
>>pontualidade

Acessibilidade
>> sinalização
>> localização dos lugares para cadeirantes
>> rampas de acesso
>> presença e firmeza de corrimão
>> piso tátil para cegos

Programação
>> diversidade de títulos
>> presença de filmes de diretores consagrados
>> estreias exclusivas

Imagem
>> condição física da tela
>> foco e enquadramento
>> contraste e definição
>> estabilidade da imagem e dos letreiros
>> uniformidade

Segurança
>> saídas de emergência
>> extintores e hidrantes
>> sinalizações e luzes de emergência

Conforto
>> espaço entre as fileiras
>> poltronas
>> sala de espera e bonbonnière
>> limpeza e conservação dos banheiros

Som
>> volume
>> falhas sonoras
>> ruídos externos

VEJA ABAIXO MAIS SOBRE CADA CINEMA:

CENTRO

Caixa Belas Artes
Reinaugurado no ano passado, o Belas Artes é um agradável cinema de rua, que conta com uma programação variada: integram a seleção mostras e filmes cults, alguns exibidos exclusivamente neste espaço. Cartazes de longas clássicos decoram o local, que tem um café, uma bonbonnière e uma livraria. Na menor sala, a 5, há um corrimão demasiado alto, que tapa parte da tela para quem senta nas poltronas mais elevadas.
O que diz o cinema: A altura do guarda-corpo da sala 5 obedece ao decreto estadual nº 56.819. Segundo a Instrução Técnica do Corpo de Bombeiros, a altura das guardas deve ser de, no mínimo, 1,05 m. O cinema informa que os funcionários da bilheteria estão orientados a avisar ao público que a visibilidade da tela pode ser prejudicada pelas barras e estão orientados a só vender os cinco lugares que podem ter a visibilidade prejudicada após a lotação dos demais assentos.

Inauguração: 1956. Reinauguração: 19 de julho de 2014. Salas: 6. Projeção: 35 mm e digital. Som: Digital.

*

CCBB
Mostras que exibem títulos clássicos e alternativos —muitas vezes em película— marcam a programação desta saleta, cuja capacidade é de 70 pessoas. Com bom custo-benefício (os ingressos chegam a, no máximo, R$ 4), a ida ao cinema ainda pode render a oportunidade de conferir as boas exposições que o local costuma abrigar. Existe um porém nesta sala. Apertada e com uma tela pequena, você pode se dar mal caso o espectador à sua frente seja alto.

Inauguração: 21 de abril de 2001. Salas: 1. Projeção: 35 mm, 16 mm, digital e DVD. Som:Dolby digital.

*

CCSP
A projeção, o som e a limpeza são impecáveis. No dia da visita (3/2), porém, a sala Lima Barreto estava muito fria. O problema pareceu ser recorrente, já que muitos frequentadores comentavam a necessidade de levar um casaco para o cinema (mesmo que na rua estivesse 31ºC). As poltronas, não muito confortáveis, rangiam a cada movimento, e a porta da sala ficou aberta após o início da sessão.
O que diz o cinema: A porta realmente fica aberta nos primeiros 15 minutos da sessão, opção que achamos menos prejudicial do que seria o ruído do público que chega atrasado. Uma gelatina azul ameniza a luz que entra, sem prejudicar o início. Quanto ao ar, estava ajustado para temperaturas de verão. Um novo ajuste já foi feito. E, em relação às poltronas, apesar dos ruídos e do contraste com uma cadeira de cinema mais clássica e confortável, consideramos as nossas um charme idiossincrático, ousamos dizer até excêntrico.

Inauguração: 13 de maio de 1982. Salas: 2. Projeção: Digital (Paulo Emílio) e digital e analógica (Lima Barreto). Som: Dolby surround e estéreo.

*

Cine Livraria Cultura
Localizado dentro do Conjunto Nacional, este cinema conta com apenas duas salas. Com decoração colorida e muitas escadas, o espaço tem uma bonbonnière e uma unidade do café Scada, que serve desde taças de vinho (R$ 15,90) a quiches de diversos sabores (R$ 8,40). Em dias mais movimentados, como os do fim de semana, o banheiro costuma lotar.

Inauguração: 4 de setembro de 1996. Salas: 2. Projeção: 35 mm, DCP e digital. Som: Dolby digital.

*

Cinusp Maria Antonia
A programação cult, que inclui mostras exibidas em parceria com o Cinusp Paulo Emílio, e a entrada grátis atraem o público. Para quem chega sem conhecer o espaço, pode ser difícil localizar a sala. Estruturalmente, não está entre as melhores da cidade, mas não se trata de um local desconfortável. Ao contrário, tem boas poltronas. A quem, sobretudo, busca bons filmes, adendos de grandes redes, como bonbonnière, não fazem falta. A ressalva principal ao Cinusp: não tem banheiro adaptado para pessoas com deficiência.
O que diz o cinema: O prédio do Centro Maria Antonia é tombado e há somente dois banheiros para deficientes, mais afastados do cinema, no primeiro subsolo.

Inauguração: 2013. Salas: 1. Projeção: DVD e digital. Som: Dolby digital.

*

Cine Olido
Localizado no centro, em meio a uma legião de cinemas dedicados à pornografia, este espaço se destaca pela sua programação. Mostras que buscam resgatar os filmes mais icônicos produzidos em São Paulo compõem a seleção, e o ingresso custa apenas R$ 1. No dia da visita (3/2), o banheiro mais próximo ao cinema não estava funcionando, nem o filtro de água. Dentro da sala, não há espaço reservado para cadeirantes.
O que diz o cinema: Um dos banheiros estava interditado, mas havia outro ao lado que estava em perfeitas condições de uso. São quatro banheiros no foyer, sendo que dois são para pessoas com deficiência.

Inauguração: 24 de setembro de 2004. Salas: 1. Projeção: 35 mm, DVD e digital. Som:Dolby digital.

*

Espaço Itaú de Cinema – Augusta
O cinema, que aposta nos filmes cults, ocupa dois imóveis na rua Augusta. No menor dos espaços (na altura do número 1.470), dá para tomar um café ou bater papo no jardim antes do início da sessão. Chegue cedo ou compre o ingresso pela internet, pois as filas costumam ser grandes.

Inauguração: 6 de outubro de 1993. Salas: 5. Projeção: 35 mm, DCP e digital. Som: Dolby digital.

*

Espaço Itaú de Cinema – Frei Caneca
O serviço deste confortável cinema é prático e eficiente. Ainda assim, a reportagem flagrou a falta de paciência e a grosseria de um funcionário com uma cliente que pedira uma informação. Talvez o nervosismo dele fosse decorrente do comportamento de alguns frequentadores. No fim da sessão, muitas embalagens foram deixadas para trás.
O que diz o cinema: A administração do Espaço Itaú de Cinema – Frei Caneca pede desculpas e lamenta o ocorrido. Informa que vai reforçar a capacitação da sua equipe e que o funcionário não seguiu as orientações recebidas nos treinamentos.

Inauguração: 3 de agosto de 2001. Salas: 9. Projeção: 35 mm, DCP e digital. Som: Dolby digital.

*

Marabá Playarte
Blockbusters de toda a sorte dominam a programação deste clássico cinema da avenida Ipiranga. Antigo, porém confortável, peca nas sinalizações de segurança dentro das salas, assim como na falta de rampas de acesso para cadeirantes. O hall de espera tem poucos bancos, obrigando o público a aguardar a sessão em pé.

Inauguração: 30 de maio de 2009. Salas: 5. Projeção: 35 mm e digital 3D. Som: Dolby digital.

*

Pátio Higienópolis Cinemark
Cinema de assentos confortáveis e bons espaçamentos entre as fileiras, o local foi visitado durante uma quente tarde de domingo. A fila para comprar ingresso ficava embaixo do teto de vidro, o que intensificava o calor. Não há sala de espera, o que obriga os clientes a se acomodarem na praça de alimentação, sempre cheia. A sinalização do sanitário para deficientes não foi encontrada. Na sala de cinema, o carrinho de guloseimas estava estacionado na rampa de acesso para cadeirantes.
O que diz o cinema: A rede Cinemark preza pela qualidade dos serviços prestados e pela satisfação de seus clientes. Para isso realiza manutenções periódicas nas salas e nos complexos, com o objetivo de evitar desgastes e realizar os reparos necessários nas instalações. A Cinemark informa que reforçará o treinamento de suas equipes e que já solicitou uma averiguação interna para apurar e corrigir os problemas mencionados.

Inauguração: 17 de dezembro de 1999. Salas: 6. Projeção: digital e 3D. Som: Dolby digital.

*

Pátio Paulista Cinemark
Como em toda e qualquer réplica da rede Cinemark, o Pátio Paulista apresenta programação baseada em blockbusters. As salas se destacam pela excelência técnica. Tudo isso, contudo, tem um preço: o ingresso custa R$ 23 numa segunda-feira. Toda essa pujança aparentemente não reverte em remuneração às atendentes no caixa, cansadas e deveras indisponíveis (ao contrário do pessoal na bonbonnière). A exibição do filme atrasou 12 minutos e as luzes de segurança/referência nos degraus da sala 2 não se acenderam por completo ao fim da sessão, deixando perigosos pontos obscuros na descida rumo à saída.
O que diz o cinema: A rede Cinemark preza pela qualidade dos serviços prestados e pela satisfação de seus clientes. Para isso realiza manutenções periódicas nas salas e nos complexos, com o objetivo de evitar desgastes e realizar os reparos necessários nas instalações. A Cinemark informa que reforçará o treinamento de suas equipes e que já solicitou uma averiguação interna para apurar e corrigir os problemas mencionados.

Inauguração: 5 de junho de 2009. Salas: 7. Projeção: digital e 3D. Som: Dolby digital.

*

Playarte Bristol – UOL
O complexo, dividido em três espaços -sendo um deles no andar superior do shopping-, tem uma das salas de espera muito grande. No entanto, com apenas algumas banquetas, o cliente tem que aguardar na praça de alimentação. Dos banheiros masculinos, o do piso superior não tinha assento nas duas cabines, enquanto um dos sanitários do piso inferior estava com papel higiênico no chão. Há uma oferta boa de blockbusters, mas é preciso tomar cuidado com os filmes de tiroteios e explosões: numa das salas o som estava bem alto, incomodando já no trailer.
O que diz o cinema: Os banheiros em questão estavam em manutenção neste dia e as tampas foram recolocadas ao fim do conserto. O som tem uma variação de um filme para o outro. É sempre ajustado para o longa que está em cartaz. De qualquer forma, fizemos esta observação aos operadores de som para que fiquem atentos.

Inauguração: 17 de julho de 2003. Salas: 7. Projeção: 35 mm e Digital 3D. Som: Dolby digital.

*

Playarte Splendor Paulista
O Playarte Splendor do shopping Pátio Paulista poderia investir em melhor sinalização de seu cinema: desavisados e desatentos podem passar batidos por ele diante da poluição visual do Cinemark que há no mesmo andar. As duas salas, ambas com o mesmo tamanho, são uma surpresa para iniciantes. As poltronas de couro com minimesinhas rotativas têm qualidade superior à média e som e imagem são impecáveis. Também pegam bem a sala de espera com cerca de 20 lugares, a sinalização e o conforto para cadeirantes.

Inauguração: 12 de outubro de 2011. Salas: 2. Projeção: 35 mm, Digital e 3D. Som: Dolby digital.

*

Reserva Cultural
Cinema da avenida Paulista, foca a exibição de filmes de arte, longas franceses e obras indicadas ao Oscar. A curadoria de sua programação é uma das qualidades do local, que, por outro lado, ainda peca um
pouco no conforto. O espaço abriga outros quatro atrativos: uma bonbonnière, um café, um bistrô e uma loja que vende produtos voltados aos cinéfilos, como DVDs de produções clássicas.

Inauguração: junho de 2005. Salas: 4. Projeção: digital. Som: Dolby digital.

*

ZONA LESTE

Anália Franco UCI
O cinema prioriza os filmes blockbusters e tem sessões legendadas e dubladas. O saguão de entrada é agradável, com muitos sofás e mesas para quem quer descansar enquanto espera. A limpeza dos banheiros foi um dos pontos baixos -em 29/1, a reportagem do “Guia” visitou o cinema ao meio-dia e o ambiente já (ou ainda) estava sujo, com cheiro desagradável. As duas sessões assistidas apresentaram problemas no som.
O que diz o cinema: Na data citada, o Anália Franco UCI iniciou as sessões às 12h e o complexo normalmente abre 20 minutos antes da primeira exibição. Quando a reportagem visitou os banheiros, a limpeza ainda não havia sido totalmente concluída. De qualquer maneira, já comunicamos a gerência do complexo para que isso não se repita. Sobre o som, a rede informa que o problema citado ocorreu devido a um desgaste.

Inauguração: 17 de março de 2000. Salas: 9. Projeção: 35 mm, digital e Imax. Som: Dolby digital, EX e Dolby Atmos.

*

Boulevard Tatuapé Cinemark
A rede domina os dois cinemas instalados nos shoppings do metrô Tatuapé. O do Boulevard é uma alternativa ao vizinho, Metrô Tatuapé Cinemark. Mais novo, o cinema é também mais confortável. Apesar disso, assim como muitos da marca, atrasou o início da sessão em 20 minutos, com trailers e propagandas. A primeira fileira da sala 5, que também é o local para cadeirantes, é muito próxima da tela.
O que diz o cinema: A rede Cinemark preza pela qualidade dos serviços prestados e pela satisfação de seus clientes. Para isso realiza manutenções periódicas nas salas e nos complexos, com o objetivo de evitar desgastes e realizar os reparos necessários nas instalações. A Cinemark informa que reforçará o treinamento de suas equipes e que já solicitou uma averiguação interna para apurar e corrigir os problemas mencionados.

Inauguração: 11 de maio de 2007. Salas: 5. Projeção: digital e 3D. Som: Dolby digital.

*

Central Plaza Cinemark
Salas excelentes, com boa qualidade de som e confortáveis. Os filmes começaram um pouco atrasados, devido à exibição de trailers e propagandas. A sala XD, que conta com impressionantes 512 lugares, merece destaque, ainda mais por promover boas exibições em 3D.

Inauguração: 26 de julho de 1999. Salas: 10. Projeção: digital e 3D. Som: Dolby digital.

*

Cinépolis Box Itaquera
Da primeira vez, pode ser difícil achar a bilheteria, já que esta fica a uns 100 m fora do complexo e fora da vista. Na fila, havia pelo menos 20 pessoas, mesmo sendo 13h40 de uma terça. Vazios, os totens de autoatendimento salvaram a visita. As poltronas são bastante confortáveis. Assim como a proximidade da linha vermelha Corinthians-Itaquera do metrô.

Inauguração: novembro de 2007. Salas: 8. Projeção: 35 mm e 3D. Som: Dolby digital.

*

Interlar Aricanduva Cinemark
O cinema mantém salas em dois shoppings, que são distantes e separados por uma avenida, mas vende ingressos de um em outro, o que gera uma confusão a respeito de onde ficam as salas. A sinalização sobre os cinemas é inexistente e os funcionários não foram solícitos. Havia uma fila enorme para a compra de ingressos quando a reportagem visitou os locais, e um dos totens de autoatendimento travou. Na sala menor, do Interlar, havia poltronas rasgadas e pipocas espalhadas pelo chão.
O que diz o cinema: A rede Cinemark preza pela qualidade dos serviços prestados e pela satisfação de seus clientes. Para isso realiza manutenções periódicas nas salas e nos complexos, com o objetivo de evitar desgastes e realizar os reparos necessários nas instalações. A Cinemark informa que reforçará o treinamento de suas equipes e que já solicitou uma averiguação interna para apurar e corrigir os problemas mencionados.

Inauguração: 23 de janeiro de 1998. Salas: 14. Projeção: digital e 3D. Som: Dolby digital.

*

Metrô Tatuapé Cinemark
Mais antigo e cheio que o vizinho Boulevard Tatuapé Cinemark, este cinema conta com poltronas pouco confortáveis e, assim como seu par, atrasou as sessões. O local onde fica o banheiro é difícil de encontrar. A programação é voltada a blockbusters. Apesar de não ter fila para comprar o ingresso, os funcionários se atrapalharam na hora da venda.

Inauguração: 29 de outubro de 1997. Salas: 8. Projeção: digital e 3D. Som: Dolby digital.

*

Mooca Shopping Cinemark
O cinema conta com seis salas bastante confortáveis —principalmente a maior, que vale uma visita: possui tecnologia XD, com tela grande e projeção muito nítida. No dia da sessão, a fila para compra de ingressos estava pequena e o atendimento foi eficiente. Há banheiros adaptados e locais reservados para cadeirantes -apesar de não estarem muito bem sinalizados. A programação é composta de filmes blockbusters, muitos deles dublados.

Inauguração: 21 de novembro de 2011. Salas: 6. Projeção: digital e 3D. Som: Dolby digital.

*

Multimovie Itaim Paulista
Difícil de encontrar, fica na mesma entrada que um supermercado. As salas são boas, e as poltronas, confortáveis, com espaçamento adequado entre os assentos e boa visibilidade. Pena que a projeção deixa a desejar. No início da sessão das duas visitas feitas pelo “Guia”, as imagens na tela estavam desfocadas de tal forma que era difícil até ler as frases exibidas. E a compra de ingressos é feita apenas com dinheiro. Na programação, blockbusters em versão dublada.
O que diz o cinema: Assim que o filme do dia é trocado, às vezes é necessário o ajuste do foco, pois a exibição ainda é em 35 mm. Como no cinema só exibimos títulos dublados, achamos difícil alguma frase para ler. Em relação a só receber dinheiro, em breve, com a digitalização das salas, iremos aceitar cartões.

Inauguração: maio de 2006. Salas: 2. Projeção: 35 mm. Som: Dolby estéreo.

*

Penha Moviecom
Com uma programação focada em blockbusters e uma sala 3D bastante ampla, o cinema tem bom atendimento e é confortável. A dica é não perder tempo na fila da bonbonnière, que costuma ser extensa.

Inauguração: 23 de novembro de 2001. Salas: 6. Projeção: digital e 3D. Som: Dolby digital 7.1.

*

ZONA OESTE

Butantã Playarte
Sem ser convidativo, o local tem atendentes simpáticos e prestativos. Na sala 1, uma luz esverdeada acompanhava a tela, comprometendo a visão do filme. As poltronas também davam a impressão de estarem encardidas. No banheiro, havia papel de sobra no chão.
O que diz o cinema: A luz esverdeada foi por conta de um problema na cópia que já foi solucionado. As poltronas podem passar esta impressão por serem de tecido, mas são lavadas e higienizadas periodicamente. O papel de sobra no chão foi um descuido e já foi corrigido.

Inauguração: 20 de junho de 1994. Salas: 3. Projeção: 35 mm. Som: Dolby digital.

*

Cidade Jardim Cinemark
Quatro das sete salas deste cinema chique são para pessoas dispostas a pagar a mais para desfrutar de poltronas que deitam e são tão confortáveis quanto camas. No dia da visita (30/1), na sala 3, a poltrona A4 não deitava e a A3 não retornava o encosto. Frustrante para quem pagou R$ 51 pelo ingresso. As outras três salas são maiores e com menos regalias. Há duas bonbonnières, uma VIP, com opções como sanduíche de presunto de Parma com gruyère (R$ 45), e outra com comidinhas clássicas, como pipoca e refrigerante. O shopping que abriga este cinema não tem sequer entrada para pedestres. Tudo VIP além da conta.
O que diz o cinema: A rede Cinemark preza pela qualidade dos serviços prestados e pela satisfação de seus clientes. Para isso realiza manutenções periódicas nas salas e nos complexos, com o objetivo de evitar desgastes e realizar os reparos necessários nas instalações. A Cinemark informa que reforçará o treinamento de suas equipes e que já solicitou uma averiguação interna para apurar e corrigir os problemas mencionados.

Inauguração: 7 de junho de 2008. Salas: 7. Projeção: digital e 3D. Som: Dolby digital.

*

Cinesala
Um dos poucos remanescentes cinemas de rua da capital, o espaço passou por grandes mudanças no último ano e reabriu mais charmoso e cômodo. Além de trocar as cadeiras, investiu em sofás macios e grandes, localizados nas duas primeiras fileiras. A equipe do “Guia” aprovou a nova Cinesala, que mantém o clima nostálgico dos antigos cinemas, mas dá um conselho: aumentem o número de banheiros! Nos dias de muito movimento, a fila para usá-los após quase duas horas de projeção é muito longa.
O que diz o cinema: O número de sanitários atende à legislação vigente. São três cabines no banheiro feminino, duas cabines e dois mictórios no masculino e um banheiro para portadores de necessidades especiais.

Inauguração: 21 de outubro de 1999. Salas: única. Projeção: DCP. Som: Dolby digital.

*

Cinusp Paulo Emílio
Menorzinha e aconchegante, a sala tem clima caseiro e programação que privilegia mostras como a “Neo-Noir”, que exibe longas do gênero até domingo (22). No dia da visita, as legendas desapareceram em fundo
branco em algumas ocasiões.
O que diz o cinema: Apesar de o Cinusp possuir equipamentos que permitem, em muitos casos, o ajuste de cor e tamanho das legendas, algumas das cópias exibidas são fornecidas pelas distribuidoras com legendas fixas, que infelizmente não podem ser ajustadas.

Inauguração: 10 de outubro de 2005. Salas: 1. Projeção: 35 mm e digital. Som: Dolby digital.

*

Eldorado Cinemark
A sala maior possui a tecnologia XD (extreme digital), com tela imensa, que proporciona uma experiência mais intensa, principalmente nos filmes em 3D. A programação é composta de produções blockbusters, mas o local também abre espaço para a exibição de óperas e de jogos, além de abrigar o Fici (Festival Internacional de Cinema Infantil). Os banheiros estavam bem sujos, com as latas de lixo transbordando.
O que diz o cinema: A rede Cinemark preza pela qualidade dos serviços prestados e pela satisfação de seus clientes. Para isso realiza manutenções periódicas nas salas e nos complexos, com o objetivo de evitar desgastes e realizar os reparos necessários nas instalações. A Cinemark informa que reforçará o treinamento de suas equipes e que já solicitou uma averiguação interna para apurar e corrigir os problemas mencionados.

Inauguração: 8 de dezembro de 2006. Salas: 9. Projeção: digital e 3D. Som: Dolby digital.

*

Espaço Itaú de Cinema – Pompeia
O cinema, localizado no shopping Bourbon Pompeia, exibe filmes para todos os gostos -de blockbusters nacionais e estrangeiros a cults. Além da programação variada, tem outro ponto alto: o conforto de suas salas. Pequenina, a 10, que pode abrigar até 60 pessoas, é a mais aconchegante delas, com poltronas maiores e mais “fofinhas” que as demais. Como nem tudo são flores, o quesito-problema deste complexo é a fila para a compra de ingressos que, geralmente, leva mais de dez minutos, sobretudo nas férias escolares ou aos fins de semana. Por isso, a dica é aproveitar a venda on-line e os totens de autoatendimento.

Inauguração: 30 de maio de 2008. Salas: 10. Projeção: 35 mm, DCP e digital. Som: Dolby digital.

*

Iguatemi Cinemark
Superproduções indicadas ao Oscar e arrasa-quarteirões -nacionais e estrangeiros- marcam presença na programação deste complexo bastante confortável. Sua sala de espera é espaçosa e o cardápio da bonbonnière, apetitoso, apesar de ter os preços salgadinhos. A simpatia dos atendentes é um ponto positivo, sobretudo com os deficientes físicos. Um inconveniente, no entanto, ocorreu na data. Na sala 1, algumas luzes do chão, que guiam as pessoas às poltronas, estavam apagadas, dificultando o acesso do espectador aos assentos corretos.
O que diz o cinema: A rede Cinemark preza pela qualidade dos serviços prestados e pela satisfação de seus clientes. Para isso realiza manutenções periódicas nas salas e nos complexos, com o objetivo de evitar desgastes e realizar os reparos necessários nas instalações. A Cinemark informa que reforçará o treinamento de suas equipes e que já solicitou uma averiguação interna para apurar e corrigir os problemas mencionados.

Inauguração: 21 de outubro de 2005. Salas: 6. Projeção: digital e 3D. Som: Dolby digital.

*

Kinoplex Itaim
O cinema é amplo, com confortáveis poltronas de espera e salas especiais com assentos reclináveis. A programação é variada, assim como a generosa praça de alimentação que rodeia o cinema. Perde ponto pelo atendimento pouco atencioso.

Inauguração: 31 de julho de 2003. Salas: 6. Projeção: 2D e 3D digitais. Som: THX e Dolby digital.

*

Kinoplex Vila Olímpia
As salas são confortáveis e têm boa variedade de quitutes na bonbonnière -o pão de queijo vem quentinho e com opção de cremes para acompanhar. Se escolher a sala de poltrona reclinável, não se esqueça de levar um casaco e de não escolher um lugar na primeira fileira -fica quase impossível assistir ao filme dali.
O que diz o cinema: Foram feitos testes com clientes em relação à distância da primeira fileira e não foi identificada nenhuma perda de visibilidade da tela. Quanto ao frio relatado, a empresa ressalta que as salas são reguladas para temperaturas entre 21 e 23ºC, dependendo da lotação, que é considerada a temperatura ideal para salas de cinema.

Inauguração: 4 de junho de 2010. Salas: 7. Projeção: 2D e 3D digitais. Som: Dolby digital.

*

Lapa Centerplex
Desde o ano passado, o cinema resolveu alguns problemas, como a regulagem do ar-condicionado, mas ganhou um novo: as poltronas, embora confortáveis, começaram a descascar. A qualidade da imagem deixa a desejar e, na sala 3, é atrapalhada por uma mancha na tela. Uma novidade interessante são as pipocas com sabor, que ganham cobertura em pó com gosto de bacon, pizza e cebola e salsa. A programação é composta de animações, filmes de ação e comédias, sempre dubladas.
O que diz o cinema: Todas as poltronas serão trocadas neste ano, assim como as telas. Com relação à imagem estamos em processo de digitalização, o que trará melhor qualidade e conforto aos nossos clientes.

Inauguração: março de 1999. Salas: 3. Projeção: 35 mm e 3D. Som: Dolby digital.

*

MIS
O auditório do MIS não é um dos lugares mais confortáveis para se assistir a um filme: os assentos são duros e a sala é extremamente fria. No dia da visita do “Guia”, o início da sessão atrasou em 20 minutos. A boa surpresa fica por conta da qualidade da projeção. Mesmo com obras reproduzidas em DVD, as imagens são nítidas e o som é muito claro.
O que diz o cinema: O MIS informa que o evento visitado pelo “Guia” para realizar a avaliação -o Cinematographo- não é uma sessão de cinema padrão, e sim uma programação musical, em que músicos convidados improvisam a trilha sonora de filmes. Assim, o atraso em questão decorreu-se da preparação do artista para a apresentação. Quanto à temperatura da sala, informamos que ela é sempre calculada para 22ºC.

Inauguração: 1970. Salas: 2. Projeção: 35 mm, 16 mm, Super-8, DCP, DVD e Blu-ray. Som:Dolby digital e estéreo.

*

Raposo Shopping Cinemark
O conforto das seis salas segue o padrão da rede, com poltronas espaçosas de couro. A programação é focada em filmes blockbusters -a maioria das sessões é de cópias dubladas. A opção, afastada do centro da cidade, vale para quem está ou mora pelas redondezas.

Inauguração: 11 de novembro de 2011. Salas: 7. Projeção: digital e 3D. Som: Dolby digital.

*

Villa-Lobos Cinemark
Típico cinema blockbuster, o Cinemark Villa-Lobos atende bem quem gosta de grandes produções. A sala 1 é, de longe, a mais confortável e a que oferece melhor visão da tela, de qualquer poltrona. Nas outras salas, contudo (principalmente na 2 e na 7), prefira lugares mais ao fundo, para não sair com torcicolo.

Inauguração: 20 de abril de 2000. Salas: 7. Projeção: digital e 3D. Som: Dolby digital.

*

West Plaza Playarte
O cinema tem aspecto antigo, como poltronas no mesmo nível, mas está conservado. O principal problema é a imagem na tela, com bordas desfocadas e pouca estabilidade. Na sala 2, a parte inferior da projeção ficou cortada durante a sessão em que o “Guia” esteve presente. Porém, o problema é pouco notado: blockbusters dublados e comédias nacionais dominam a programação. Na bilheteria, o único cartão de crédito aceito é o do Itaú. Os banheiros, no andar de cima, são inacessíveis para cadeirantes, que também não possuem lugar marcado nas salas.
O que diz o cinema: Os operadores foram advertidos e fizemos os ajustes necessários na tela. Na bilheteria só aceitamos crédito do Itaú por conta de uma parceria, porém são bem-vindos todos os demais cartões para pagamento no débito. Os cadeirantes podem usar os banheiros do shopping, que ficam ao lado do cinema. Nas salas há local marcado para cadeirantes.

Inauguração: novembro de 1991. Salas: 2. Projeção: 35 mm. Som: Dolby digital.

*

ZONA NORTE

Center Norte Cinemark
O local costuma ter filas aos fins de semana. As salas são confortáveis e os banheiros, bem cuidados. A programação aposta em filmes comerciais, com algumas sessões eventuais de títulos com maior apelo cultural. Os totens de autoatendimento ficam muito próximos, o que causa certo incômodo quando duas pessoas tentam comprar seus ingressos juntas. No dia da avaliação, a luz do corredor adentrou a sala 1 e desviou um pouco o foco da tela, que tem boa projeção. Na 4, havia plástico preto cobrindo partes do teto, no que pareciam sinais de alguma obra em andamento.
O que diz o cinema: A rede Cinemark preza pela qualidade dos serviços prestados e pela satisfação de seus clientes. Para isso realiza manutenções periódicas nas salas e nos complexos, com o objetivo de evitar desgastes e realizar os reparos necessários nas instalações. A Cinemark informa que reforçará o treinamento de suas equipes e que já solicitou uma averiguação interna para apurar e corrigir os problemas mencionados.

Inauguração: 21 de maio de 2004. Salas: 5. Projeção: digital e 3D. Som: Dolby digital.

*

Santana Parque Shopping UCI
O cinema divide a sua programação -que privilegia blockbusters- em oito salas. Suas poltronas são espaçosas e confortáveis, mas, nas maiores, com 327 lugares, as primeiras fileiras ficam bem próximas à tela. O hall de espera dispõe de fliperamas para quem quiser se divertir enquanto espera o horário da sessão.

Inauguração: 11 de julho de 2008. Salas: 8. Projeção: 35 mm e digital. Som: Dolby digital e EX.

*

Shopping D Cinemark
Este cinema é dominado por filmes blockbusters e dublados. A bonbonnière e o saguão são amplos. Na área de espera, contudo, há poucos bancos. Ao entrar, porém, os visitantes se deparam com boas salas: as poltronas são confortáveis, com espaços adequados entre as fileiras, e a projeção é muito boa. A maior desvantagem do local é a dificuldade de encontrar a bilheteria, localizada no piso inferior, atrás de uma loja.

Inauguração: 23 de fevereiro de 2001. Salas: 10. Projeção: digital e 3D. Som: Dolby digital.

*

Metrô Tucuruvi Cinemark
Projeta blockbusters nas seis salas -confortáveis e limpas. Uma delas possui a tecnologia Extreme Digital, com tela maior do que a convencional e som mais potente. Nela, os cadeirantes têm lugares reservados no
meio da sala, onde é possível ter uma uma visão melhor.

Inauguração: 7 de agosto de 2013. Salas: 6. Projeção: digital e 3D. Som: Dolby digital.

*

ZONA SUL

Boavista Moviecom
Depois de escolher o filme e comprar o ingresso, o espectador sobe uma escada rolante e aí, sim, chega ao cinema, que tem como carros-chefes os arrasa-quarteirões. Com telas grandes e boas projeções, um problema notado pela reportagem no dia da visita foi a interferência externa de som na sala 5. Era possível ouvir barulhos intensos vindos da vizinhança. Outra questão é: cadê os banheiros adaptados para cadeirantes? Não encontramos.
O que diz o cinema: Referente ao vazamento de som, enviamos uma equipe para checar o problema, mas no dia da visita ele não foi identificado. Foi observado, porém, um erro operacional dos nossos colaboradores, que estavam deixando as portas das salas abertas para os clientes entrarem e saírem das sessões, o que pode colaborar para o vazamento citado. Já alinhamos a operação e mesmo assim enviamos uma equipe para checar a estrutura. Muito estranho a reportagem não ter encontrado os banheiros especiais, pois tanto o masculino quanto o feminino são adaptados e de fácil acesso.

Inauguração: 13 de maio de 2005. Salas: 5. Projeção: digital e 3D. Som: Dolby digital 7.1.

*

Cinemateca Brasileira
A Cinemateca é um clássico. Como tal, padece e goza de vícios e virtudes bastante peculiares. A parte técnica, por exemplo, deixa um pouco a desejar. A infraestrutura também peca na proximidade da primeira fileira da tela. A programação, por outro lado, é gratuita e impecavelmente cult; no dia da visita do “Guia”, a reportagem viu “Amores Expressos”, de Wong Kar-Wai.O ambiente é aprazível, a arquitetura, inspiradora, e certos detalhes acrescentam charme à experiência, como a falta de pipoca na bonbonnière -compensada por uma exótica musse no copinho com farofa de nozes e ganache (R$ 4).

Inauguração: 5 de novembro de 1997. Salas: 2. Projeção: 16 mm e 35 mm. Som: Dolby digital.

*

Cinépolis JK Iguatemi
O complexo possui seis salas especiais, chiques e aconchegantes, com serviço de garçom e poltrona que deita até quase virar uma cama. No local, também há um espaço Imax, com tela maior do que o convencional, e um 4DX, que abriga cadeiras que se mexem de acordo com o que acontece no filme.

Inauguração: 29 de junho de 2012. Salas: 8. Projeção: digital, 3D e Imax. Som: Dolby digital e Imax.

*

Cinépolis Largo 13
O destaque deste cinema é o ingresso barato (R$ 12 a sessão 3D em uma tarde de segunda-feira). No dia da visita, três motivos justificavam o grande número de pessoas no complexo e nos poucos pufes disponíveis: férias escolares, proximidade de uma estação de metrô e programação formada por animações e blockbusters dublados. No banheiro masculino, as portas de pelo menos duas cabines não fechavam.
O que diz o cinema: Havia um parafuso espanado, por isso não havia fixação das portas. O problema já foi solucionado.

Inauguração: 12 de novembro de 2010. Salas: 8. Projeção: 35 mm, digital e 3D. Som:Dolby digital.

*

Interlagos Cinemark
O cinema apresenta programação popular, com sessões de filmes dublados e em 3D. No dia da visita (30/1), um aviso na bilheteria informava que quatro das dez salas estavam sem ar-condicionado. Apesar de as poltronas serem confortáveis, as fileiras não são suficientemente reclinadas —o que pode ser um empecilho para os baixinhos, que correm o risco de não enxergar a projeção caso um espectador mais alto sente à sua frente.
O que diz o cinema: A rede Cinemark preza pela qualidade dos serviços prestados e pela satisfação de seus clientes. Para isso realiza manutenções periódicas nas salas e nos complexos, com o objetivo de evitar desgastes e realizar os reparos necessários nas instalações. A Cinemark informa que reforçará o treinamento de suas equipes e que já solicitou uma averiguação interna para apurar e corrigir os problemas mencionados.

Inauguração: 10 de julho de 1998. Salas: 10. Projeção: digital e 3D. Som: Dolby digital.

*

Jardim Sul UCI
O complexo tem programação diversa que engloba filmes nacionais populares, grandes estreias estrangeiras e obras indicadas ao Oscar. Também costuma exibir atrações especiais, como óperas e o Super Bowl. Além de olhar para os cadeirantes, este cinema dá atenção às crianças. No local, há um banheiro -com duas cabines- adaptado a elas. Dois pontos negativos: o hall de espera, que é grande, poderia oferecer mais lugares para os espectadores se sentarem enquanto aguardam o início da sessão; e a limpeza deixa um pouco a desejar.
O que diz o cinema: Sobre a limpeza, já comunicamos a gerência para verificar o que houve e ficar atenta à manutenção das dependências do complexo. Na questão sobre o hall, agradecemos a sugestão do veículo e vamos estudar outras possibilidades para acomodar os clientes.

Inauguração: 24 de novembro de 1999. Salas: 11. Projeção: 35 mm e digital. Som: Dolby digital e EX.

*

Market Place Cinemark
A programação é variada -incluindo animações, blockbusters, filmes nacionais e que concorrem ao Oscar-, assim como o menu da bonbonnière, com seu combo de nachos com queijo cheddar e refrigerante (R$ 22) e sorvetes (Eskibon, R$ 10,50). Vale a pena conhecer a sala 2. Das poltronas novinhas é possível assistir ao filme, confortavelmente, até da primeira fileira. O único porém foi o banheiro. Uma das descargas estava disparada, ainda mais em tempos de crise hídrica.
O que diz o cinema: A rede Cinemark preza pela qualidade dos serviços prestados e pela satisfação de seus clientes. Para isso realiza manutenções periódicas nas salas e nos complexos, com o objetivo de evitar desgastes e realizar os reparos necessários nas instalações. A Cinemark informa que reforçará o treinamento de suas equipes e que já solicitou uma averiguação interna para apurar e corrigir os problemas mencionados.

Inauguração: 22 de setembro de 2000. Salas: 8. Projeção: digital e 3D. Som: Dolby digital.

*

Metrô Santa Cruz Cinemark
O cinema, instalado dentro do shopping Metrô Santa Cruz, tem a programação composta de filmes do circuito comercial. Depois de passar por uma reforma, ganhou uma espaçosa sala de espera. Peca pela falta de organização: no dia da visita do “Guia”, foi possível entrar em uma das salas sem que ninguém pedisse o ingresso. Além disso, funcionários da limpeza terminavam a arrumação enquanto os trailers começavam.
O que diz o cinema: A rede Cinemark preza pela qualidade dos serviços prestados e pela satisfação de seus clientes. Para isso realiza manutenções periódicas nas salas e nos complexos, com o objetivo de evitar desgastes e realizar os reparos necessários nas instalações. A Cinemark informa que reforçará o treinamento de suas equipes e que já solicitou uma averiguação interna para apurar e corrigir os problemas mencionados.

Inauguração: 7 de dezembro de 2001. Salas: 10. Projeção: digital e 3D. Som: Dolby digital.

*

Plaza Sul Playarte
Localizadas dentro do shopping Plaza Sul, as seis salas exibem principalmente blockbusters. Vale saber que, apesar de o cinema ficar no último piso do estabelecimento, a bilheteria fica em um pavimento abaixo, próxima à praça de alimentação -o que pode atrapalhar os desavisados. Há apenas um terminal de autoatendimento, na entrada do cinema, e no dia da visita (20/1) ele não estava funcionando. A sala de espera é grande e é possível sentar em pufes enquanto a sessão não começa. Apesar de as poltronas da primeira fileira ficarem bem perto da tela, o som e a imagem estavam nítidos e a temperatura da sala agradável, mesmo num dia de intenso calorão.
O que diz o cinema: Temos somente um terminal de autoatendimento pois o público deste cinema não tem o hábito de usá-lo por conta de sua localização. O totem fica na entrada do local no piso superior, enquanto a bilheteria fica em um andar abaixo, em uma área comum do shopping. Lá, não há espaço para os terminais. No dia da visita deve ter ocorrido um problema momentâneo, pois a máquina sempre funciona. Fizemos todos os testes, em dias diferentes, e estava operando normalmente.

Inauguração: 4 de maio de 2007. Salas: 6. Projeção: 35 mm e Digital 3D. Som: Dolby digital.

*

Shopping Campo Limpo
Com uma programação de blockbusters dublados, este cinema não estava aceitando pagamento em cartão. É até impressionante constatar que o som (bastante alto) da praça de alimentação do shopping não invada as salas. O espaço ainda conta com a tecnologia THX na sala 4, em que o som é o grande protagonista.

Inauguração: 2007. Salas: 5. Projeção: Digital (2D) e 3D. Som: Dolby digital.

*

SP Market Cinemark
Localizado fora do shopping, na área do estacionamento, o cinema possui 11 salas. Além da bilheteria, a recepção conta com totens que agilizam a compra de ingresso em dias mais disputados. As poltronas de couro são confortáveis, o espaço entre as fileiras é bom, e, no dia da visita (22/1), a imagem e o som da projeção não apresentaram problemas. Os banheiros, porém, deixaram a desejar -estavam sujos, e alguns inutilizados, com portas trancadas. Para os friorentos, é bom levar um casaco, já que a sala maior estava mais fria do que o esperado.
O que diz o cinema: A rede Cinemark preza pela qualidade dos serviços prestados e pela satisfação de seus clientes. Para isso realiza manutenções periódicas nas salas e nos complexos, com o objetivo de evitar desgastes e realizar os reparos necessários nas instalações. A Cinemark informa que reforçará o treinamento de suas equipes e que já solicitou uma averiguação interna para apurar e corrigir os problemas mencionados.

ALINE PELLEGRINI/ANA ELISA FARIA
DA FOLHA DE SÃO PAULO

Vai-Vai ganha Carnaval de São Paulo com homenagem a Elis Regina

A Vai-Vai buscou inspiração nos agudos precisos da voz de Elis Regina para levar o Carnaval 2015 de São Paulo.

Com 269,9 pontos de 270 possíveis, sagrou-se campeã após levar cerca de 38 mil pessoas a cantar o refrão de Maria Maria, canção de Milton Nascimento eternizada na interpretação de Elis e embutida no enredo da escola. A combinação emocionou a plateia.

A escola não ganhava desde 2011, quando levou o título com homenagem ao maestro João Carlos Martins, mesclando o samba com música clássica.

“O enredo foi determinante. Falar de Elis chega a ser redundante”, disse Thobias, presidente de honra da Vai-Vai. Segundo ele, o samba foi feito em seis meses, após eleição da diretoria da escola.

Comemoração na quadra da Vai-Vai

Danilo Verpa/Folhapress

485042-970x600-1

485030-970x600-1

Integrantes da Vai-Vai comemoram vitória da escola no Carnaval de São Paulo 

O maestro João Carlos Martins esteve entre os diretores da escola durante a apuração. “Quero começar o ano com o pé direito, com a vitória da Vai-Vai”, disse.

O homenageado na vitória anterior foi pé quente.

Após uma apuração acirrada e definida apenas no último quesito, a segunda colocada foi a Mocidade Alegre, que homenageou a atriz Marília Pêra.

Como em todas os anos, a presidente da Mocidade Alegre, Solange Bichara, passou toda a apuração segurando terços e rezando agarrada ao marido, o mestre de bateria Sombra.

As escolas Gaviões da Fiel, Nenê de Vila Matilde e Império de Casa Verde perderam muitos pontos em fantasia e viram ruir suas chances na metade da apuração.

Foram rebaixadas para o Grupo de Acesso a Mancha Verde, com 267,9 pontos, e a Tom Maior, com 267,7.

Mesmo tendo sido penalizada com 1,1 ponto por ter estourado o tempo máximo do desfile, a Acadêmicos do Tatuapé se livrou por pouco do rebaixamento.

Adriano Vizoni/Folhapress

483817-970x600-1

A rainha de bateria Camila Silva no desfile da Vai-Vai no segundo dia do Carnaval de São Paulo no sambódromo do Anhembi 

SEM TORCIDA

Pelo terceiro ano sem torcida, a apuração seguiu tranqüila.

Em vez dos gritos de torcida que vinham das arquibancadas, só a voz do locutor entremeada por alguns gritos de comemoração. Alguns xingamentos em notas baixas também.

Zanone Fraissat/Folhapress

485045-970x600-1

Detalhe do troféu do Carnaval de São Paulo

POR BLOG ALALAO
GIBA BERGAMIM JR.
DA FOLHA DE SÃO PAULO

Veja a ordem dos desfiles do Carnaval de São Paulo

Da Redação: Grupo Especial tem 14 escolas nas noites de 13 e 14 de fevereiro; Grupo de Acesso se apresenta dia 15

3918carnaval-anhembi-sp-divulga

Mocidade Alegre foi, por 11 vezes, campeã do Grupo Especial paulista / Divulgação/SPTuris
As escolas de samba que desfilam pelo Grupo Especial, no Sambódromo do Anhembi, Zona Norte de São Paulo, já sabem os horários de entrar avenida. A partir das 23h do dia 13 de fevereiro, sexta-feira, as primeiras sete agremiações, das 14, irão invadir e colorir a cidade.

As últimas sete escolas da elite estarão na avenida a partir das 22h30 do dia 14 de fevereiro, sábado. Já as do Grupo de Acesso, composto por oito agremiações, devem cruzar a avenida desde às 21h do dia 15, domingo.

Confira a ordem dos desfiles:
GRUPO ESPECIAL

23h15 – Mancha Verde

0h25 РAcad̻micos do Tucuruvi

1h35 – Tom Maior

2h45 РDrag̵es da Real

3h44 – Rosas de Ouro

4h55 – Águia de Ouro

6h50 – Nenê de Vila Matilde      Â
GRUPO ESPECIAL

22h30 – Unidos de Vila Maria

23h20 РGavi̵es da Fiel

0h30 – Mocidade Alegre

1h40 РImp̩rio de Casa Verde

2h50 РTatuap̩

4h – Vai-Vai

5h10 – X-9 Paulistana
GRUPO DE ACESSO

21h – Tricolor Independente

22h – Colorado do Brás

23h – Unidos do Peruche

0h – Camisa Verde

1h – Imperador do Ipiranga

2h – Morro da Casa Verde

3h – Leandro de Itaquera

4h РP̩rola Negra

 

 Do: Diário SP Online

Com quadros novos e consagrados, Gugu volta à TV

Com 40 anos de carreira, apresentador reestreia na Record após o carnaval

8497gugu-liberato-divulgacao

Apresentador volta à televisão com novo estilo / Divulgação/Record

O novo programa de Gugu Liberato está prestes a estrear. Com quadros novos e outros já conhecidos do público, o apresentador que tem mais 40 anos de carreira volta às telas no dia 25 de fevereiro.

A atração levará o seu nome e será exibido às terças, quartas e quintas-feiras, às 22h30, na Record. Gugu explicou o novo projeto. “Além do estúdio, também vou fazer reportagens externas. Vamos resgatar alguns quadros de sucesso que estão na memória afetiva do público, mas também haverá novidades”, disse.

Ele ainda revelou estar ansioso para a volta. “São 40 anos de carreira na televisão, estava com saudades. Mesmo depois de muito tempo, a sensação é sempre de estreia, de ansiedade”, declarou.

Neste retorno à TV, Gugu pretende voltar seus quadros para o jornalismo, com entrevistas e reportagens. Sucesso no Domingo Legal, do SBT, o ‘Táxi do Gugu’ está de volta à televisão.

 

Do: Diário SP Online

Ivete é anunciada como atração do Rock in Rio EUA

Da Redação: Cantora baiana apareceu entre os novos nomes divulgados na madrugada desta quarta-feira (13), na web

5839show-ivete-sangalo-divulga
Ivete Sangalo lançou sua biografia no livro “Pura Paixão” / Divulgação

A cantora Ivete Sangalo foi confirmada, na madrugada desta quarta-feira (13), como uma das atrações do Rock in Rio dos Estados Unidos. A baiana sobe ao palco no dia 15 de maio.

O anúncio foi feito por meio do Instagram oficial do evento, que acontece em dois finais de semana: dias 8 e 9, 15 e 16 de maio deste ano, em Las Vegas. Além da brasileira outros artistas foram divulgados:

Outros nomes de peso como Metallica, No Doubt, Taylor Swift e Bruno Mars já haviam sido confirmados no line up do Rock in Rio Estados Unidos.

Fonte: Diário SP Online

Veja os horários dos ensaios das escolas de samba

Da Redação: Público pode acompanhar das arquibancadas do Sambódromo do Anhembi os encontros das equipes

297comecam-os-ensaios-tecnicos-das-escolas-de-samba-do-grupo-especial-de-sao-paulo-foto-jose-cordeiro-sp-turis-09-12-2014_201412080001

Os ensaios começam no próximo sábado (10) em São Paulo / Divulgação/ Fotos Públicas

Com a chegada do Carnaval, as escolas de samba já iniciam os ensaios gerais. A simulação dos desfiles será no próximo sábado (10) no Sambódromo do Anhembi na capital e vão até o dia 8 de fevereiro. A entrada é gratuita e o acesso é feito pela Avenida Olavo Fontoura, Zona Norte.

Os ensaios do Grupo Especial e do Grupo de Acesso dão oportunidade de o público acompanhar das arquibancadas do sambódromo uma prévia dos desfiles.

Veja a programação:

Sábado – 10/1
20h Leandro de Itaquera
21h Camisa Verde e Branco
22h Imperador do Ipiranga

Domingo – 11/1
19h Tom Maior
20h Acadêmicos do Tucuruvi
Quinta-feira – 15/1
21h Gaviões da Fiel
22h Unidos de Vila Maria
Sexta-feira – 16/1
21h Águia de Ouro
22h Nenê de Vila Matilde
23h Vai-Vai

Sábado – 17/1
19h X-9
20h Mocidade Aleg re
21h Camisa Verde e Branco
22h Pérola Negra
23h Leandro de Itaquera
00h Imperador do Ipiranga

Domingo – 18/1
19h Dragões da Real
20h Império de Casa Verde
21h Acadêmicos do Tucuruvi
Quinta-feira – 22/1
22h Rosas de Ouro
Sexta-feira – 23/1
21h Colorado do Brás
22h Tom Maior
23h Peruche

Sábado – 24/1
19h Morro da Casa Verde
20h Águia de Ouro
21h Camisa Verde e Branco
22h Unidos de Vila Maria
23h Gaviões da Fiel

Domingo – 25/1
19h Acadêmicos do Tatuapé
20h Independente
21h Leandro de Itaquera
Sexta-feira – 30/1
21h X-9

Sábado – 31/1
19h Morro da Casa Verde
20h Mocidade Alegre
21h Império de Casa Verde
22h Rosas de Ouro
23h Pérola Negra
0h Imperador do Ipiranga
22h Vai-Vai
23h Nenê de Vila Matilde* Fevereiro

Domingo- 1/2
19h Dragões da Real
20h Acadêmicos do Tatuapé
21h Mancha Verde
22h Acadêmicos do Tucuruvi
Quinta-feira -1/2
21h Águia de Ouro
22h Mocidade Alegre
Sexta-feira- 6/2
21h Acadêmicos do Tatuapé
22h Mancha Verde
23h Império de Casa Verde

Sábado- 7/2
18h Colorado do Brás
19h X-9 Paulistana
20h Unidos de Vila Maria
21h Vai-Vai
22h Nenê de Vila Matilde
23h Gaviões da Fiel
24h Pérola Negra
Domingo- 8/2
19h Tom Maior
20h Unidos do Peruche
21h Independente

Do: Diário SP Online